Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2021 | 03h00

Novo ‘Estadão’

Rejuvenescido

Fui apresentado ao jornal Estado pelo meu pai, Ulysses Amaral Pinto, fotógrafo em Capivari, na passagem dos anos 30 para os anos 40, antes de completar 10 anos de idade. O jornal tinha como representante local o advogado Francisco Luís Gonzaga, conhecido como Gonzagão. Diziam os parentes que a leitura sobre a 2ª Guerra Mundial contribuiu para a alfabetização. Permaneço assíduo leitor do Estadão, fundado em 1875 e, agora, rejuvenescido, com ganho de qualidade e sem prejuízo da imparcialidade, como deve ser o jornalismo livre e democrático.

ALMIR PAZZIANOTTO PINTO PAZZIANOTTOPINTO@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Impresso

Há quem diga que o jornal impresso está “com os dias contados”. Essa previsão desinformada torna-se ainda mais leviana e equivocada diante do jornal de domingo 17/10/2021. Uma publicação reformatada, modernizada no seu design e tamanho das folhas, sem perder a essência que tanto nos cativou e fidelizou ao longo do tempo: seu conteúdo em política, economia, sociedade, educação, ciências, lazer, diversão, entretenimento e artes – literatura em especial (o que me garantiu uma raríssima nota 8,5 no curso de Letras da USP, dada por um titular brilhante, um ícone da Teoria Literária).

WANDA LIBERATORE  ANALIBER@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Revoluções

Naquele abril de 1986, fiz parte de uma revolução no Estadão, com o lançamento do Caderno 2. Sinto-me orgulhoso até hoje de ter sido um dos idealizadores do projeto. Ontem (17/10), o Estadão nos apresentou uma outra revolução, com a corajosa mudança de formato, adotando o charmoso e prático berliner, além de uma reestruturação visual bem bacana. Desejo boa sorte a esta nova era.

ALBERTO VILLAS VILLASNEWS@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Coragem e inovação

Sou assinante do Estadão há mais de 30 anos, e cumprimento o jornal pelo novo formato e design. É disto que o Brasil precisa: coragem e inovação.

RICARDO SÉRGIO LEITE RICARDOSLEITE@OUTLOOK.COM

SÃO PAULO

*

Essência

O jornal manteve a essência da sua linha editorial. Sou seu leitor há mais de 30 anos. Mudanças são necessárias e bem-vindas, e o Estadão acertou. O artigo de Leandro Karnal falando da mudança corrobora a sensação que tive ao manusear meu exemplar. Experiência única, o jornal impresso não pode acabar jamais.

MARCELO BRUNELLI MARCELLOBRUNELLI@GMAIL.COM

ITATIBA

*

‘Berliner’

Achei que estranharia o tamanho menor do jornal, mas ele ficou elegante e com um visual impecável. Ler suas mais de 100 páginas durante a manhã de domingo foi enriquecedor. Parabéns ao Estadão e vida longa ao impresso!

CALEBE H. B. DE SOUZA CALEBEBERNARDES@GMAIL.COM

MOGI DAS CRUZES

*

Que presente recebi no domingo do Estadão. A mesma alma, num corpo renovado. Muito mais gostoso de ler e prático para carregar, trouxe uma leveza desejável para nossos dias, sem abdicar da profundidade e da credibilidade.

LILIAN PAVARIN LILIANPAVARIN@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Leve, bonito e mais fácil de ler. Credibilidade e inovação nas páginas do novo jornal.

PAULO ROGÉRIO LENCIONI PR.LENCIONI67@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

ABL

Fernanda Montenegro

Uma notícia maravilhosa: a atriz Fernanda Montenegro está prestes a ser eleita como “imortal” da Academia Brasileira de Letras (ABL). O resultado oficial será divulgado no dia 4 de novembro, mas ninguém quis concorrer com ela, em sinal de respeito. Mais do que merecido. Sou seu fã. Montenegro, que completou 92 anos este mês, ocupará a cadeira de número 17, que era de Afonso Arinos de Melo Franco, morto em março de 2020. A atriz oficializou sua candidatura à ABL no dia 6 de agosto, um dia depois que o cantor Gilberto Gil também declarou interesse em fazer parte da Academia de Letras, mas em outra vaga, que ainda está disponível. A cultura segue viva, necessária e imortal, apesar dos pesares.

JOSÉ RIBAMAR PINHEIRO FILHO PINHEIRINHOSB@GMAIL.COM

BRASÍLIA

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

NOVO ‘ESTADÃO’

Parabéns ao novo Estadão, que se renova para melhor, menor em tamanho e maior em conteúdo. A imprensa, avalista da democracia, precisa e deve se renovar sempre para continuar exercendo seu papel de informar criticamente os fatos, sejam eles bons ou não. A verdade como pauta diária e a visão imparcial dos acontecimentos. Vivemos um momento de grandes mudanças no mundo e precisamos mudar também para melhor entender e se adaptar aos desafios destes novos tempos. 

Paulo Sergio Arisi e Carlos Iotti – jornalistas – paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

Nem tão menor... muito maior. Novo Estadão!

Tony Deléo tonydeleo1234@gmail.com

Ribeirão Preto

*

Domingo,17 de outubro de 2021, ano 142 de vida independente, edição nº 46751.Bem-vindo seja o novo Estadão nosso de cada dia repaginado em novo formato. Enxuto após o lifting gráfico, ficou mais moderno, leve, fácil de ler, manusear e transportar. A forma mudou, não o conteúdo, fruto maduro de longos 146 anos de jornalismo sério e profissional, desde a sua fundação, em 1875,firmemente comprometido com a rigorosa apuração e reprodução da verdade dos fatos do dia a dia mundo afora, o que fez do jornal ser merecidamente reconhecido, apontado e premiado como o mais importante órgão de imprensa do País e um dos mais respeitados da América Latina. Longa vida ao novo Estadão. Viva!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

Novo Estadão, renovação em todos os sentidos. Alvíssaras!

Eduardo Augusto Delgado Filho eduardoagustodelgadofilho@gmail.com

Campinas

*

Para não estagnar é preciso evoluir. Alguém disse que O Estado, que já era bom, agora está evoluindo para o ótimo. A julgar por essa primeira edição, de 17/10/2021, parece verdade. Felicito os editores e desejo sucesso. Mas, como leio online e, como Leandro Karnal, tenho atração pela leitura em papel quando é preciso meditar, fiquei um pouco decepcionado com a impossibilidade de imprimir as matérias, pelo menos a partir de meu iPad.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo

*

A ÂNCORA QUE SE MODERNIZA

Saudamos a valorosa equipe do Grupo Estado e os seus dirigentes pelo excelente produto apresentado neste domingo (17/10), o primeiro dia que nosso jornal circula no formato “berliner”. Contudo, mais importante do que o tamanho da página e sua disposição gráfica é o conteúdo e, principalmente, o compromisso editorial que o “jornal dos Mesquitas” (e de toda a comunidade) vem mantendo nos seus 146 anos de existência e muito trabalho, cuja continuidade é garantida. Nesses tempos de múltiplas possibilidades de circulação de informações, é fundamental termos ao nosso alcance o lastro e os princípios abraçados e cultivados pelo nosso Estadão. É a certeza de boa apuração e competente tratamento da informação que consumimos – mesmo quando, eventualmente, não coincide exatamente como o que pensamos. Modernizando a gráfica e ocupando espaços na mídia eletrônica, o grupo presta inestimável serviço aos brasileiros e constitui valorosa âncora da estabilidade política, econômica e social, instrumento para discussão e mitigação das divergências. Recebam nossos agradecimentos pela sustentabilidade, luta contra extremismos e ideologias espúrias e, especialmente, o compromisso com os grandes ideais nacionais.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

NOVO FORMATO E ESPAÇO DO LEITOR

Mudanças são necessárias para a sobrevivência e assim o fez o Estadão com o novo formato. Não tenho preferência pela forma, mas, com certeza, pelo conteúdo. Que a qualidade continue, especialmente o espaço dado ao leitor, mantido até agora. Com o imediatismo da notícia online, será na análise e na opinião balizada que os leitores continuarão seu apreço ao jornalismo.

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Campinas

*

BESTEIROL

Ao ser acusado pelo eterno candidato à Presidência Ciro Gomes de ter conspirado pelo impeachment de Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula rebateu a acusação dizendo que Ciro deve estar com sequela de covid. O ex-ministro, por sua vez, prontamente replicou afirmando que “trágico mesmo seria ter uma sequela moral, como a do notório Lula”. Considerando que o tom de campanha do presidente Bolsonaro é relativamente baixo, os de Ciro e Lula não são muito diferentes. Esperemos que os demais candidatos elevem o debate e que o eleitor finalmente aprenda a desprezar besteiróis populistas. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

DIREITOS DE CATÓLICOS E PROTESTANTES.

Primeiramente, cumpre destacar que católicos e protestantes são evangélicos. Quanto a direitos neste Brasil, tanto os católicos quanto os protestantes possuem os mesmos que todos os brasileiros: aqueles resguardados pela Constituição da República. E esta tem, como princípio basilar, a isonomia, sendo todos iguais perante a lei. Assim, os protestantes não possuem direito adquirido nem direito esporádico de ter um ministro na Suprema Corte (STF), o que vale, também, para os católicos. E quanto ao direito de badalar ou torcer politicamente, cada religião tem o seu direito, tanto que os protestantes optam por Bolsonaro e os católicos apontam suas falhas e inconveniência para o País, como bem salientou, em Aparecida, o arcebispo d. Orlando Brandes. Em resumo: o pastor é o mesmo, mas os rebanhos são muito distintos e diversos.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

JÁ SE ESQUECERAM DELE?

Por onde andará o ex-ministro Ricardo Salles?

Robert Haller

São Paulo

*

TUDO DOMINADO

O deputado Arthur Lira é presidente da Câmara Federal ou ministro do governo Bolsonaro. Aí também um “manda outro obedece”?

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

A TRAGÉDIA BRASILEIRA

O Brasil chega ao ponto mais baixo de sua triste história política com o presidente da República em exercício sendo acusado de crimes gravíssimos. O País inteiro assistiu o próprio Bolsonaro falando para não usar a máscara, falando que não iria comprar as vacinas, promovendo aglomerações, fazendo propaganda de curas milagrosas com remédios ineficazes, e até mesmo arrancando a máscara das crianças. Claro que a montanha de provas contra Bolsonaro não significa absolutamente nada, no Brasil tudo é resolvido na política e não há vontade política para afastá-lo. Nem Lula, seu mais provável adversário na corrida eleitoral, quer que Bolsonaro sofra o impeachment, prefere derrotá-lo nas urnas. Se Bolsonaro já era um pária internacional, agora se tornou um zumbi a ser evitado a todo custo. Nenhum líder mundial vai querer tratar de qualquer assunto com um criminoso armado e perigoso, acusado de genocídio e muitos outros crimes. O Brasil existe para atender aos interesses de seus políticos, e os políticos querem o pato manco Bolsonaro sangrando rios de dinheiro público até o último dia.

Mario Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

AMIGOS PARA SEMPRE

Quem acha que existe algo impossível na política ou é tolo ou idiota. Quando se trata de união para chegar à vitória nas urnas, nada de partido x, partido y, nada de esquerda ou direita, nada de permanentes diferenças entre fulano e sicrano, pois os caras fazem qualquer coisa para manter o poder próximo, acessível, duradouro e afável aos seus interesses. Até pacto com o diabo e vários daqueles deuses – que compram inclusive amor eterno – , se for necessário. Como vêm fazendo vários pré-candidatos e caciques que já começam a mexer num tabuleiro onde todos objetivam “comer” os peões, no caso, os eleitores. Tolos e idiotas que acreditam no impossível político e na ideologia capazes de afastar adversários para sempre.

João Di Renna joao_direnna@hotmail.com

Quissamã (RJ)

*

CNJ E CNMP

Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) para que servem? Conversei com estudiosos de Direito, li e reli suas atribuições e conclui que não servem para nada. Geraram empregos totalmente desnecessários e o que li de mais razoável foi postado nas redes sociais por um servidor da justiça: “Todas as ações desenvolvidas por estes conselhos, tanto de ordem regulamentar e/ou programática, não têm eficácia e efetividade”. Sob esta ótica, acho melhor o Congresso acabar com estes órgãos contribuindo para o ajuste fiscal, acabando de vez com as mordomias que a mídia tanto divulga. 

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

IMPASSE DO ICMS SOBRE OS COMBUSTÍVEIS

É fácil a solução definitiva para o impasse do ICMS nos Estados sobre combustíveis. A origem da distribuição dos combustíveis é a Petrobras e seja lá quem mais for. Basta unificar o porcentual do ICMS pela média apurada do porcentual de agosto/2021, praticado por todos os Estados, digamos que a média apurada foi 15%, e pela Nota Fiscal da distribuidora incidirá o ICMS e todos os demais impostos hoje existentes sobre os combustíveis. É simples, justo, de fácil solução e atende a todas as partes.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

TARIFA DE ENERGIA

Às favas os contrários à determinação do presidente para restabelecer a “bandeira normal” na conta de luz. Cumpra-se! Afinal, o que é um “rombinho” a mais no sistema elétrico diante de outra determinação dele, como a de não comprar a vacina do Instituto Butantan, a Coronavac, que resultou na morte e sequela de milhares de brasileiros. O lema é “um manda e outro obedece”. Simples assim.

Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi-Mirim

*

DESFECHO DA CPI DA COVID

A imputação da CPI da Covid ao presidente Bolsonaro por cometimento de 11 crimes, entre eles de chefe de rede que difundiu fake news, homicídio por omissão, charlatanismo, genocídio de indígenas e emprego irregular de verbas públicas, deixa o atual chefe do Poder Executivo, numa situação complicada. Vamos ver, num futuro próximo, quais as consequências desse indiciamento, que poderá mudar a história política do País.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

CPI OU CPIZZA?

A CPI da Covid no Senado segue sua rotina após colher centenas de informações, imagens, áudios, depoimentos que, por certo, podem comprovar alguns crimes cometidos contra a sociedade brasileira na saúde pública, como na compra da vacina Covaxin, na demora excessiva para compra de vacinas para imunização da população, e até de prevaricação e corrupção dentro de Ministérios e áreas do governo federal.

A população agora espera que todo esse calhamaço de papéis seja transformado em documentação sólida para que nenhum culpado fique impune, incluindo o presidente, caso seja provada sua culpa direta ou indireta nos processos apurados.

Entretanto, diante de centenas de casos em que os políticos comprovadamente eram culpados, com provas fartas em áudios, vídeos e documentações, e nem assim foram sequer julgados – casos de Michel Temer, Aécio Neves, entre tantos – fica muito difícil acreditar que desta vez haverá punições rigorosas no âmbito do nosso sistema Judiciário em relação aos políticos envolvidos

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru

*

CERTIFICADO DE VACINAÇÃO PARA VIAGEM

Muitos turistas retomaram os planos de viajar ao exterior. E a primeira coisa que precisam é imprimir o seu certificado de vacinação. Para os que tomaram duas doses de vacinas cruzadas uma triste notícia: o certificado não sai. O programa foi feito para funcionar somente quando ambas as doses forem do mesmo fabricante. E ainda ninguém tomou a iniciativa de consertá-lo mesmo quando a orientação das autoridades da saúde mudou. 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

ARGENTINA: AGORA VAI

Os argentinos decretaram o seu enésimo congelamento de preços para controlar a inflação. Nunca deu certo, mas, como na Argentina até a terra gira diferente, agora vai!

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*


 




 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.