Fórum dos Leitores

Carta de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2021 | 03h00

Educação

Debandada no Inep

O governo Bolsonaro vai de mal a pior. Agora, a poucos dias da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), um dos órgãos mais importantes do Ministério da Educação, sofreu uma debandada: 34 servidores pediram exoneração e dispensa coletiva, por não concordarem com a direção de Danilo Dupas (o quarto presidente do Inep em três anos), que, de acordo com os demissionários, faz um desmonte no órgão e toma decisões sem base em critérios técnicos. É a cara do governo Bolsonaro, que já passou pela mesma situação no Ministério da Economia, no Meio Ambiente, no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), na Cultura, etc.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Os bons se vão

Mesmo sendo eu antipetista, tenho de plagiar Lula: “Nunca antes na história deste país” houve algo como a debandada no Inep às vésperas do Enem ou cientistas renunciando à condecoração por mérito. É muita gente boa não querendo associar a sua capacidade e sucesso ao atual governo ou presidente da República, um pária internacional e nacional. Parabéns a todos os que ajudam a trazer luz ao nosso país, e meus pêsames para um tal “Posto Ipiranga”.

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

Servidores inúteis

Nas vésperas da realização do Enem, 34 servidores do Inep que ocupam cargos de coordenação e, por lógica, são fundamentais para a realização do complexo exame pediram exoneração. Mas o Ministério da Educação afirmou que as datas estão mantidas e que nada será afetado. Se é assim, o ministério poderia economizar uma grana legal, em tempo de orçamento curto, extinguindo esses cargos inúteis.

Abel Pires Rodrigues

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

Eleições 2022

Bolsonaro no PL

Após muitas tentativas de acerto com vários partidos, vez que o seu Aliança pelo Brasil não reuniu o número de assinaturas necessárias para formalizar sua sigla no Tribunal Superior Eleitoral, o presidente Bolsonaro escolheu o Partido Liberal (PL), sua nona filiação em 30 anos de sofrível e medíocre vida pública, para se lançar à reeleição em 2022. O presidente nacional e “dono” do PL é o notório Valdemar Costa Neto, um dos personagens centrais do escândalo do mensalão, em 2005, entre outros malfeitos ao longo de sua longa carreira política. Com efeito, Bolsonaro e Costa Neto fazem jus um ao outro, como tampa e panela, pé e chinelo, nada e coisa nenhuma. 

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

Par perfeito: Jair Bolsonaro e Valdemar Costa Neto, o Boy, dono do PL. Há mais tempo eles deviam ter se entendido, porque são almas gêmeas. O Boy renunciou ao mandato de deputado e foi preso no escândalo do mensalão, mesmo assim continua um líder político. Liderados costumam pensar e agir como seu líder, portanto espero que Bolsonaro tenha o mesmo destino de Costa Neto: renúncia e prisão. 

José Carlos de Castro Rios

castroriosjosecarlos@gmail.com

São Paulo

*

Pandemia

Fronteiras abertas

Sobre a matéria Após anúncio de reabertura, cresce procura de voos para os Estados Unidos (9/11, A16), considerando a situação da pandemia nos dois países, não seria o caso de inverter as restrições: o Brasil é que deveria fechar suas fronteiras para cidadãos americanos? 

Marco A. Santos de Morais Leme 

mssleme@hotmail.com

Ângulo (PR)

*

Bala de prata

A vacinação ajuda muito, mas ainda não é a bala de prata que liquida a pandemia de covid-19. Vejamos o caso da Alemanha, por exemplo. O país alcança número recorde de infecções desde o início da pandemia, apesar de o número de mortes ser oito vezes menor. Está claro que as vacinas não impedem a transmissão, só diminuem a chance de desenvolver a forma grave da doença. E quanto à possibilidade de estas infecções mais brandas deixarem efeitos colaterais e sequelas? E o que virá após as aglomerações liberadas no final do ano e no carnaval? Infelizmente, estas fazem parte da longa lista de perguntas cujas respostas só o tempo trará.

Jorge Alberto Nurkin

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo


______________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br




NOVA DUPLA NA POLÍTICA

Por onde passa, Jair Bolsonaro deixa um rastro de pessoas insatisfeitas com sua posição negacionista e problemática. Vários já debandaram de suas funções por não concordar com o "estadista". A penúltima foram os técnicos do Enem. Agora, são os deputados do PL que, segundo consta, abriram as portas do partido para abrigar mais um corrupto para se unir ao corrupto-mor, Valdemar Costa Neto. É o que temos para hoje sobre o malquisto Bolsonaro!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

HAJA PACIÊNCIA!

Desde que se tornou político, Bolsonaro já trocou de partido nove vezes. Isso mostra a fidelidade ideológica dele, se é que tem alguma. E ainda falta mais de um ano para aturá-lo. Haja tolerância!

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

ENQUANTO ISSO...

Ao se filiar a um partido político, Bolsonaro confirmou que será candidato à reeleição enquanto seus eventuais adversários batem cabeça.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

São Paulo

*

VERDADE E MENTIRA

Verdade e mentira estão lado a lado. Na página 7 de O Globo (8/11) vimos uma foto de Ciro Nogueira e Bolsonaro. A verdade está personificada em Ciro. Nunca negou seus desvios e responde a inquéritos em diversas instâncias. Bolsonaro, por sua vez, representa bem a mentira - não rouba (até acredito) nem deixa roubar (piada de mau gosto, até porque seu parceiro na fotografia é especialista e réu confesso). Que foto infeliz!

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

São Paulo

*

O STF E O ORÇAMENTO SECRETO

No Supremo Tribunal Federal (STF), o julgamento vai expor a verdadeira face desse tribunal. Não importa o contorcionismo jurídico que se faça: certos ministros do STF terão de garantir que Bolsonaro continue no páreo, permitindo o orçamento secreto para ter o Auxílio Brasil, a fim de que o sociopata possa chegar às eleições e Lula consiga derrotá-lo.

Ana Lucia Amaral  anamaral@uol.com.br

São Paulo

*

LIBERTINAGEM

Jair Bolsonaro não tem limites para afrontar a Nação. Demonstra que não foi eleito para a Presidência da República, com a obrigação de dar satisfação ao povo brasileiro. Em mais um ato de libertinagem institucional, Bolsonaro, contra a moral e a ética, diz que concorda com o excrescente orçamento secreto, que vai consumir neste ano R$ 18 bilhões de verba pública, sem que deputados e senadores devam dar satisfação à população sobre onde e a que preço vão destinar os valores para as supostas obras. O presidente contesta a decisão da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber, dizendo que “não é justa”, porque, em boa hora, Weber, em liminar, suspendeu a distribuição de recursos do tal orçamento secreto. E Jair Bolsonaro, infelizmente, concorda com a falta de transparência e o mau uso dos recursos dos contribuintes. Não pode estar bem da cabeça. 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MALANDRAGEM

Alguém sabe o critério para distribuição de verbas deste “orçamento secreto”? Se os próprios parlamentares souberem, haverá uma debandada no Centrão pelos valores desiguais entregues, e o governo teria de justificar. É malandragem para todo lado.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

ROUBO

Este orçamento secreto de emendas, o orçamento impositivo e o financiamento público de campanhas guardam uma semelhança muito forte com a Lei Rouanet. Trata-se de roubo puro e simples de verbas públicas. Sob o beneplácito do Executivo.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CRISE GENERALIZADA

A severa e aguda crise econômica no País de Bolsonaro e Paulo Guedes está se agravando de tal maneira e a tal velocidade que, para sobreviver, a população já está vendendo almoço para pagar a janta, vendendo o carro e o caminhão para encher o tanque e vendendo o fogão para pagar o gás. A que ponto chegamos! Muda, Brasil! Basta de Bolsonaro.

JS Ðecol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

O PREÇO DA GASOLINA

Se a participação da Petrobrás no custo final da gasolina é de somente 2,33%, há algo errado nessa conta. Parece, a muitos, que a composição proporcional do custo final na bomba ora divulgada não reflete a realidade. Várias circunstâncias têm de ser levadas em conta, o custo de extração do óleo cru nacional e seu refino não deveria ser considerado em relação ao câmbio do dólar e tributos de importação, pois é interno. Aqui há duas situações: a gasolina produzida no País e a importada, obviamente de preços diferentes. O custo do etanol pago pela Petrobras às usinas não deve ser um repasse, pois, sendo um produto nacional, também alheio às variações do câmbio. Quanto ao custo de distribuição e margem de venda, estes, entende-se, não devem ser fixos como divulgado, ao contrário do ICMS, este sim de Estado a Estado, que não é o vilão da história. Isso posto, a suposta transparência alegada deva ser mais bem colocada, para que os consumidores possam saber qual a real justificativa para o atual preço final da gasolina.

Geraldo C. Meirelles gmeirelles.adv@gmail.com

São Paulo

*

USO CONSCIENTE DA ÁGUA

O próximo governo brasileiro deveria impor um marco civilizatório sobre o uso da água no país. Não é possível que o agronegócio continue usando a água como se houvesse uma fonte inesgotável e gratuita desse bem, o país observa rios importantíssimos sendo secos pelo constante bombeamento de água para irrigar lavouras. Impor limites e cobrar impostos pelo uso da água é um dever de Estado, não é possível ver uma dúzia de grandes fazendeiros usando a água a ponto de comprometer a geração de energia hidrelétrica e deixando a população enfrentando racionamento e até mesmo a falta de água. O uso da água, o desmatamento e as queimadas no agronegócio brasileiro são a própria definição do que é uma atividade insustentável e isso precisa mudar.

Mário Barilá Filhomariobarila@yahoo.com.br

São Paulo SP

*

‘OS APÓSTOLOS DO CARVÃO’

Excelente o artigo de Guzzo no Estadão de domingo (A13)! É preciso esclarecer o público sobre a hipocrisia e arrogância dos grandes poluidores!

Lúcia Mendonça luciamendonca@me.com

São Paulo

*

EDUCAÇÃO

Sobre o artigo O primeiro curso de administração da Europa (Estado, 7/11). Mais uma vez Claudio de Moura Castro foi oportuno e preciso. Quem precisa ou quer fazer precisa aprender e estudar...

Jaques Bushatsky, pró-reitor da Universidade Corporativa Secovi jaques@bushatsky.com.br

São Paulo

*

FUTEBOL, UM NEGÓCIO

Brasil e Colômbia, dois países entupidos de milhões de miseráveis passando fome, morando em palafitas, ou nas ruas, comendo lixo, em meio a políticos corruptos, traficantes, milicianos e máfias do futebol, cobram R$ 300 para torcedores alienados assistirem a seus milionários jogadores – a maioria que atua no exterior – disputarem uma pelada entre colegas de clubes bilionários. Só rindo para não chorar. O futebol deixou de ser esporte há décadas e passou a ser um negócio multibilionário.

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

HOMENAGEM

O vencedor do GP São Paulo de Fórmula 1 em Interlagos no próximo domingo dia 14 receberá a bandeirada de uma grande estrela do esporte brasileiro: Rebeca Andrade, medalhista olímpica e mundial da ginástica artística, única esportista do País a receber duas medalhas em uma Olimpíada. Merece todo reconhecimento. Nosso orgulho recente e agora, para sempre! Ela nos orgulhou muito em Tóquio e será uma grande esperança para Paris. Rebeca foi convidada pela nova organização da prova, homenagem mais do que justa para uma atleta vencedora, espero que em breve eles deem essa oportunidade a personalidades que foram importantes para o automobilismo brasileiro como pilotos e repórteres.

José Ribamar Pinheiro Filho pinheirinhosb@gmail.com

Brasília 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.