Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2021 | 03h00

Enem

Bibliografia

A declaração do presidente Bolsonaro de que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá, agora, a cara do governo dele suscita a inclusão futura do livro Mein Kampf, de Adolf Hitler, da versão pentecostalista da Bíblia Sagrada e de O Imbecil Coletivo, do astrólogo Olavo de Carvalho, na lista de livros obrigatórios para as provas.

Etelvino J. Henriques Bechara ejhbechara@gmail.com

São Paulo

*

Interferência

Ao dizer que o Enem está ficando com a cara do seu governo, Bolsonaro confessa a interferência com fins doutrinários no Inep, que organiza as provas, e deixa o Brasil parecido, na área da Educação, com os piores regimes ditatoriais.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

Lula

Biografia parcial

A omissão de boa parte dos fatos nesta “semi” biografia de Lula (Estado, 17/11, A10) só prejudica o biografado. O eleitor consciente que estiver na dúvida em quem votar em 2022, certamente, optará pela terceira via, pois não engolirá os panegíricos desta biografia tão pouco objetiva. Realmente, trata-se de uma obra parcial, em todos os sentidos.

Irene G. Freudenheim irene.margarete@terra.com.br

São Paulo

*

Parque Augusta

Água

Não posso imaginar, como arquiteto e urbanista, um parque nas proporções do Parque Augusta sem a utilização de um elemento fundamental no paisagismo: a água. Nas suas diversas formas e volumes, ela incorpora todas as sensações de bem-estar e frescor para os frequentadores destes espaços coletivos. As mudanças climáticas logo exigirão esse elemento nestes espaços, como garantia de um projeto bem elaborado. Rever o projeto do Augusta é necessário e urgente.

Paulo S. L. F. Silveira pslfs@terra.com.br

São Paulo

*

Mais parques

Se a Prefeitura verticalizasse os principais cemitérios de São Paulo, ocupando 5% das áreas atuais, teríamos belíssimos novos parques na cidade, como o Augusta.

Luiz Eduardo Magalhães luizeduardomagalhaes@gmail.com

São Paulo

*

Energia

A Petrobras e o gás natural

Sobre o editorial A ilusão do choque da energia barata (15/11, A3), a Petrobras vem adotando medidas com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de um mercado de gás aberto, competitivo e sustentável. Prova disso são, por exemplo, a venda de ativos de transporte de gás de que a companhia é proprietária ou tem participação e a assinatura de contratos de compartilhamento de sua infraestrutura de processamento e escoamento de gás natural. Além disso, a empresa reduziu o volume de gás contratado com a YPFB no gasoduto Bolívia-Brasil, permitindo que outros agentes do mercado brasileiro possam comprar diretamente da YPFB. São públicos os esforços da Petrobras para viabilizar a diversificação dos agentes e o aumento da concorrência em toda a cadeia do gás. Quanto aos contratos em negociação, a empresa reafirma seu compromisso de oferecer às distribuidoras mecanismos contratuais para reduzir a volatilidade e conferir mais previsibilidade aos preços do gás, mantendo o alinhamento com o mercado internacional. Neste momento, o que está em negociação são contratos no âmbito de chamadas públicas das Companhias Distribuidoras Locais, que receberam ofertas não só da Petrobras, mas de outras empresas concorrentes. Isso atinge cerca de 20% da demanda total nacional, de distribuidoras que fizeram a opção nos últimos anos por contratos de curto prazo, ainda sem vínculo assinado para 2022. Nada muda para os demais contratos previamente acordados para 2022, que correspondem a cerca de 80% do mercado de gás. Por fim, como em 2021, para atender à demanda brasileira por gás natural em 2022 será imprescindível complementar a oferta com importação de GNL. A alta demanda por GNL e limitações da oferta internacional resultaram em expressivo aumento do preço internacional do insumo, que chegou a subir cerca de 500% em 2021. Buscando atenuar tal aumento, a Petrobras ofertou contratos com referência de indexadores ligados ao GNL spot e ao Brent, assim como a opção de parcelamento nos contratos de maior prazo.

Larissa Clarindo, gerente setorial de Imprensa da Petrobras

gustavo.melione@petrobras.com.br

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

QUER ENGANAR QUEM?

Sinceramente, não entendi o presidente Jair Bolsonaro em Dubai. Não entendi qual foi sua intenção ao mentir para as autoridades de Dubai ao dizer que 90% da floresta nativa é preservada e mais, que é  tão úmida que não pega nem fogo. O presidente precisa ser muito cínico para mentir dessa forma. Ou está fingindo ou realmente não sabe que o Brasil é monitorado pelo mundo e que o avanço do desmatamento nas áreas de floresta no País é visto todos os dias por órgãos internacionais e pelo próprio Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no Brasil. É realmente triste observar nosso presidente discursar sem saber se está falando sério ou não. Há pessoas que não são sociáveis e não gostam de formalidade e o presidente deve ser uma delas, lembrando a sua viagema Tóquio, anos atrás, onde, em vez de participar do jantar na presença do imperador do Japão e “trocar ideias” com líderes de outros países, saiu para comer lamen ou, recentemente, em Nova York, quando foi comer pizza na rua com seus assessores. Mas, dependendo da ocasião, é preciso saber distinguir uma coisa da outra e enfrentar as situações e se comportar com seriedade, pois, como presidente do Brasil, o sr. Bolsonaro está representando o País em nome do povo brasileiro.

Tomomasa Yano tyanosan@gmail.com

São Paulo

*

A DUPLA FAKE

Em Dubai, tentando aplicar o conhecido "171", estelionato, a dupla "Bolsonaro & Guedes" deu a nota. O presidente Jair Bolsonaro, às risadas, disse que a Amazônia, por ser úmida, não pega fogo, que não há desmatamento e muito menos garimpo ilegal e que tudo é intriga da imprensa. Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse, com a maior cara de pau, que o Brasil é o País que mais cresceu no mundo. Só que não. Afinal, as estimativas da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) são pessimistas para o País em relação aos demais países do G-20. Na verdade, é uma vergonha que a dupla fake news exponha o Brasil de forma tão vexatória. Chega de mentiras, criem vergonha, Bolsonaro & Guedes!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

MENTIRAS DE BOLSONARO

A oposição deveria convidar os principais líderes mundiais para visitar a Amazônia, conhecer as áreas devastadas pelo fogo e pelo garimpo, visitar as aldeias indígenas que estão sendo dizimadas, visitar o Pantanal e o cerrado devastados pelo crescimento insustentável do agronegócio. O Brasil e o mundo não podem mais continuar a engolir as mentiras do presidente Bolsonaro. Basta!

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

AMAZÔNIA INTACTA

Quer dizer que o pseudopresidente mentiu novamente ao dizer que a Amazônia não pega fogo porque é úmida? E que ela está como há 500 anos. Até quando, Brasil? Mente descaradamente diante de milhares de pessoas e ninguém fala nada.  O pavilhão da ExpoBrasil é ridículo. Gastaram milhões nisso. Não há explicação.  Depois o cara que não entende nada de economia diz que o Brasil está crescendo em ótimo ritmo. Mais uma vergonha nacional. Até o partido político (PL) está pensando seriamente em não aceitá-lo (Bolsonaro) mais.

José Claudio Canato jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira

*

DESGOVERNO

Mentindo como sempre, Bolsonaro "explicou" aos líderes dos países árabes que a floresta úmida da Amazônia não pega fogo.   Realmente,  para queimar a floresta amazônica é necessário a mão humana para acender o fogo, principalmente quando é    incentivada por um governo incendiário e criminoso como o dele.

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre 

*

VERGONHA INTERNACIONAL

A propósito da Amazônia, Bolsonaro é um presidente que mente com um sorriso irônico, na boca cheia de dentes duvidosos, por assim dizer. Vergonha internacional recorrente.

Elisabeth Migliavacca

Barueri

*

A NOVA CARA DO ENEM

Coitados dos vestibulandos. Bolsonaro declarou que a nova prova terá a sua cara. A única coisa que não disse é: qual delas,  o que deixará os jovens confusos e atabalhoados, como o autor da frase infeliz.

 Lairton Costa lairton.costa@yahoo.com.br

São Paulo

*

(V)EXAME NACIONAL

A descabida e despropositada declaração do presidente Bolsonaro de que "o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) começa a ter a cara do governo" constitui prova cabal e explícita da indevida e condenável interferência do governo numa prova que deve ser absolutamente isenta e apartidária, pois a educação deve ser política de Estado, não de governo. Com a cara do desgoverno Bolsonaro, o Enem vai virar o “Vexame Nacional do Ensino Médio”. Vergonha!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

CARA DO GOVERNO

Agora as perguntas do Enem terão a cara do governo, diz Bolsonaro, citemos algumas: O que é rachadinha? O que é negacionismo? O que é genocídio?

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

LULA NO PARLAMENTO EUROPEU

O Parlamento Europeu recebeu Lula porque eles não querem que o Brasil cresça. 

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

BIOGRAFIA DE LULA

A biografia de Lula, escrita por Fernando Morais, ignora o  mensalão  e o petrolão e enaltece o mais "honesto" brasileiro.  Carlos Marighela, no filme dirigido por Wagner Moura, é transformado em herói que lutou contra a ditadura e a favor de instalar outra ditadura. O papel aceita tudo.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

CASA DA MÃE JOANA

É para ontem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da prisão em Segunda Instância, mas já faz dois anos que está mofando na Câmara.

Humberto Schuwartz Soares

Vila Velha (ES)

*

ZUMBI ESTÁ VIVO

O PT reuniu os que participaram dos 13 anos do seu governo, direta e indiretamente, bem avaliado por 86% da população, e refez um Plano de Reconstrução Nacional, adaptado à nova realidade. O Brasil negro de coadjuvante passa a protagonista. Dia 20 de novembro “Dia Nacional da Consciência Negra” destaca a importância de Zumbi dos Palmares na resistência contra a escravidão, de 350 anos de segregação e trabalho escravo, mas que prossegue. Foi a mão negra que construiu o Brasil. O branco preguiçoso nunca trabalhou, principalmente da elite. Brasil e África unidos. Lula como  presidente visitou 34 países africanos, abriu 19 novas embaixadas, elevou de 16% para 45,5% os pretos e pardos na faculdade. A luta continua, fora Bolsonaro.

Antonio Negrão de Sá negraosa1@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

CENTENÁRIO DE SARAMAGO

Muito bem construída a matéria sobre o centenário de José Saramago (Caderno 2, 16/11). O mago das palavras nos inspira em tempos incertos e nebulosos. Sinto falta da edição de sua poesia completa, ainda desconhecida para mim, o que poderia coroar a efeméride.

Adilson Roberto Gonçalves prodomoarg@gmail.com

Campinas

*

F1 ESPETACULAR 

Após corrida impecável em Interlagos, Lewis Hamilton venceu o GP de São Paulo de Fórmula 1 neste domingo (14/11). O piloto da Mercedes diminui a vantagem de Max Verstappen e deixa o campeonato em aberto. Lewis Hamilton fez renascer o gosto de assistir novamente à Fórmula 1, grande campeão. Quebrou o paradigma da F-1 de campeões brancos, com puro talento. Sem palavras para definir Hamilton, simplesmente fantástico. Melhor, muito melhor de todos os tempos. Não se ganha tantos campeonatos somente com um grande carro. Parabéns, Hamilton! Maior atleta britânico da atualidade. Em comemoração, Hamilton pegou a bandeira do Brasil e, em homenagem ao histórico gesto de Ayrton Senna, desfilou com ela no carro pelo autódromo. Vamos gritar muito, o Brasil merece essa alegria. De 20º no sábado para 1º no domingo: contando com a Sprint, Lewis Hamilton foi o primeiro piloto na história da Fórmula 1 a ultrapassar em pista todos os outros competidores em um mesmo final de semana. Uma vitória para Ayrton Senna. Uma vitória para todo o Brasil.

José Ribamar Pinheiro Filho pinheirinhoma@hotmail.com

Brasília

*

PAÍS DA IMPUNIDADE

Guilherme de Pádua, assassino de Daniela Peres, retirou-se das redes sociais após o anúncio da produção de um documentário sobre a atriz. O atual pastor, em uma igreja evangélica de Belo Horizonte, deletou o perfil que tinha no Instagram com 40 mil seguidores, após o anúncio da produção. Mas, se ele, assassino, cumpriu os requisitos legais advindos de sua pena pelo crime de homicídio, por que  fugir? Ou ele, assim como todos nós, tem a certeza de que ficou impune pelo crime que cometeu? Com a palavra os senhores legisladores que, com o espírito de corpo e com a lealdade própria de verdadeiros trânsfugas das leis, fazem e refazem as leis que tornam o Brasil o país da impunidade, da vergonha e dos que sempre fugirão às próprias imagens.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro  

 *

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.