Fórum dos leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de São Paulo

Fórum dos leitores, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2021 | 03h00

Enem 2021

A cartilha de Bolsonaro

Não satisfeito com colocar nossa vida em risco, desprezando a vacinação contra a covid-19, Jair Bolsonaro agora está afetando a tranquilidade de 3,1 milhões de jovens que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo. Por intermédio de seus cúmplices, tentou imiscuir-se no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) para alterar as questões da prova. Sabotar o Brasil é a primeira regra de sua retrógrada cartilha. O cinismo, a mentira, a irresponsabilidade, a omissão, a negação inconsequente, a grosseria e o autoritarismo são as outras. Pelas pesquisas, a insatisfação com seu governo é comprovadamente majoritária entre os eleitores. Entretanto, a possibilidade de seu afastamento da função presidencial é bloqueada por um famigerado Centrão no Congresso, cujos integrantes estão protegidos pela ausência de mecanismos que nos permitam afastá-los da função legislativa por essa gritante omissão. A continuar esta baderna, nossa vida, o espírito pátrio e a formação de consciência cidadã por meio da educação dos jovens estão em risco.

Honyldo Roberto Pereira Pinto honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

*

Futuro comprometido

Independentemente de conotações partidárias, ideológicas, futebolísticas ou outras, se o Enem tiver “a cara” do atual governo, como prometeu o presidente, o Brasil dificilmente formará cientistas no futuro. Até agora, Bolsonaro não conseguiu encontrar ninguém minimamente capacitado para ser ministro da Educação, cargo que exige competente formação acadêmica, personalidade, visão, capacidade de planejamento e liderança, priorizando, principalmente, o interesse do País, e não do governo da vez.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

Proposta

Bolsonaro seria menos nocivo se não contasse com a sabujice de pessoas dispostas a executar suas obscuras ideias, como o ministro da Educação, o pastor Milton Ribeiro, dito mackenzista – o que faria a professora Esther de Figueiredo Ferraz rolar no túmulo. Assim, proponho ignorar a estupidez do presidente se este assumir o compromisso de respeitar as instituições e deixar os brasileiros serem como são, ao invés de tentar obrigá-los a serem um Bolsonaro.

Alberto M. Dowell de Figueiredo amdfigueiredo@terra.com.br

São Carlos

*

Bagunça

A instabilidade emocional e a personalidade controversa e difícil de Bolsonaro têm pleno reflexo em seu governo, em quase todos os setores. O Ministério da Saúde foi dirigido por seus aficionados, resultando no glossário de apurações da CPI da Covid. O do Meio Ambiente conseguiu levar o Brasil ao descrédito internacional, assim como o Ministério das Relações Exteriores, embora tente na atualidade reparos de apresentação, foi também flanco de reprovação no planeta. O Ministério da Educação não cuida do que deve, mas dos interesses do chefe. A crise no Enem e no Inep ilustra do que é capaz este governo: interferir nas provas e bagunçar a ordem reinante. Não há como não aceitar as verdades contidas no editorial Bagunça do Enem é ‘a cara do governo’ (19/11, A3), especialmente a mais penetrante: o governo Bolsonaro não está pensando nos alunos e estudantes, mas na demonstração de sua cara, embora diga ser a cara do governo, ou seja, um governo bagunçado, tumultuado e que não tem um norte de ações de real interesse para os brasileiros e para a Pátria sofrida.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

Protesto

A Educação nunca esteve em tão maus tratos quanto agora. Esta confusão no Enem é o retrato de um governo omisso, irresponsável e eleitoreiro. Os estudantes deveriam ficar todos em casa hoje, em protesto.

Elisabeth Migliavacca

Barueri

*

Amazônia

A natureza vai reagir

Muito além da vergonha do Brasil na Conferência do Clima da ONU (COP-26), na qual o ministro Joaquim Leite queria pleitear o recebimento por serviços ambientais prestados, o pior veio na semana que passou: a notícia de que a Amazônia atingiu o maior índice de desmatamento dos últimos 15 anos: 13.235 km2. A informação, conhecida do governo antes da COP-26, foi escondida para não aumentarem as críticas durante o evento. Este é o Brasil que insiste na degradação da natureza e da vida, mas a natureza vai reagir, mostrando a sua força.

José Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

APARELHAMENTO DO ENEM

O aparelhamento do Ministério da Educação (MEC), do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), de reitorias de Universidades federais e a recente interferência em questões da prova do  Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) provam o quão baixo e rasteiro é o governo federal conduzido por Bolsonaro. Seu ministro, que a posse nada fez na condução do MEC, é cúmplice na censura, no aparelhamento e na ineficiência do Ministério da Educação, cargo que ocupa por ser evangélico. Nada justifica um presidente da República interferir no conteúdo de provas do ensino médio, ainda mais um sujeito que nunca foi um defensor da educação em 30 anos de vida política, cujo governo não cumpriu nada daquilo que prometeu em campanha. Essa sua ação visa a agradar militares e pessoas da sua atual religião. O tempo passa e já são três anos sem que Bolsonaro tenha feito alguma coisa em prol da educação. Assim caminha a mediocridade a passos largos.

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru 

*

INTERFERÊNCIAS

Bolsonaro deve ser muito criticado por inúmeras razões. Quanto às críticas de suspeita de interferir na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), é salutar destacar que, nos anos dos governos petistas, várias questões destacaram o governo e a figura de Lula da Silva. Bolsonaro e Lula são dois boquirrotos que deveriam ser execrados pelo eleitor, mas parece que um deles estará a partir de 2023 assombrando a nossa vida.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

QUESTÕES DE BOLSONARO

Os estudantes devem se preparar para responder a novas perguntas no Enem do presidente Bolsonaro: um grupo invade uma área de preservação ambiental, derruba as árvores, põe fogo em tudo, o que acontecerá com essas pessoas? a) serāo julgadas, condenadas e presas; b) terão de arcar com as despesas para recuperar a área degradada; c) se tornarão ricas fazendeiras.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘BAGUNÇA DO ENEM’

O editorial Bagunça do Enem é 'a cara do governo' (19/11, A3) tocou com propriedade na questão central do nosso sistema educacional, ou seja, a ideologização do nosso ensino, em particular no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Embora ninguém ignore o aparelhamento comunista levado a efeito ao longo do tempo no sistema de ensino, suportar agora o aparelhamento pelo governo Bolsonaro é igualmente fora de propósito e motivo de repúdio. Todavia, é fato a necessidade de despoluir nosso ensino da ideologização de esquerda, e que essa tarefa exige esforço muito grande e permanente.

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

AVALIAÇÃO DOS NOSSOS REPRESENTANTES

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE)  deveria exigir que a penca de sabidos, candidatos à presidência da República, fizessem as provas do Enem. O índice de reprovação seria avassalador.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

MENTIRAS

Jair Bolsonaro fez mais uma viagem turística inútil com o dinheiro dos nossos tributos. Na falta do que fazer, subiu em um banquinho e contou mais mentiras. Sabia que neste último ano ocorreu a maior devastação da Amazônia desde 2006, mas esse dado só foi divulgado depois que funcionários escreveram uma carta aberta. Além de tentar esconder essa informação, afirmou que a Amazônia continua igual ao ano de 1.500. Se ainda existisse o Juqueri, onde eram internados os loucos nos tempos antigos, eu recomendaria esse caminho ao nosso presidente. Na falta disso, vamos dar a ele uma derrota acachapante na próxima eleição.

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

ENTREGANDO O OURO 

Enquanto Jair Bolsonaro foi dar um “rolê” em Dubai e organizar mais uma motociata, o condenado Lula da Silva foi recebido pelo presidente francês Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu, como chefe de Estado e recebeu o prêmio “Coragem política”. Mazelas à parte, Bolsonaro ainda não percebeu que está entregando de bandeja o ouro para o bandido? A que ponto chegou.

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

A MÃE DE TODAS AS REFORMAS

A reforma que o Brasil precisa urgentemente é política. Precisamos mudar o atual regime presidencialista, em que o presidente tem a caneta, mas não a maioria no Congresso, que deve ser “comprada” com o dinheiro público (ementas bilionárias do relator e outros esquemas esdrúxulos). Precisamos introduzir algum mecanismo de “recall”, em que o mandato de uma pessoa eleita (presidente da República ou congressista) possa ser revogado pelo voto popular, já que o impeachment depende da vontade do político responsável (o “sossegado” Arthur Lira tem 138 solicitações em sua gaveta!). Finalmente, precisamos introduzir o voto distrital, em que o cidadão vota em quem conhece do seu distrito e pode cobrá-lo, quando necessário. Enquanto o povo brasileiro não perceber que o atual sistema político corrupto é a raiz dos nossos problemas, estaremos condenados a perpetuar a presente desastrosa situação social, econômica, de saúde pública e educação, etc.  

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

PRÉVIAS DO PSDB

Que tipo de visibilidade teve o PSDB em sua prévias, que foram cheias de ataques, falsidades, fraudes, e que entre os dois, Doria e Eduardo, nenhum figura entre os preferidos nas pesquisas?

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

ESPERANÇA EM MORO

A propósito da coluna da jornalista Eliane Cantanhêde, sob o título O candidato da Lava Jato (19/11, A12), há que fazer um complemento, de forma a deixar claro que, acima de tudo, ele é o candidato das pessoas de bem deste país, que não suportariam mais ver a eventual volta do PT ou a continuidade de Bolsonaro!

Carlos Ayrton Biasetto carlos.biasetto@gmail.com

São Paulo

*

ATAQUES A MORO

Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, afirmou que o ex-ministro Sérgio Moro não tem nenhuma vivência para oferecer aos brasileiros e, mesmo como juiz, se revelou incompetente. Bem, então o ex-juiz da Operação Lava Jato foi incompetente, mas a Lava Jato teve resultados bilionários para o País, e a sentença do juiz incompetente foi reafirmada por todas as instâncias jurídicas do Brasil, só sendo arruinada pela instância máxima e política que é o Supremo Tribunal Federal (STF), ou alguém pode dizer o contrário? E, se o já candidato Ciro Gomes se deu ao trabalho de desmerecer Sérgio Moro, então, talvez, seja porque o também já candidato  Moro represente um perigo real às pretensões de Ciro Gomes. Agora, convenhamos, dentro da história do Brasil, o que deveria ser mais importante e relevante: a vivência no meio político, corrompido, ou a moral que se apresenta, sempre atacada, mas incorruptível?

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

TOURO DE OURO É SÓ PURPURINA

O falso touro de ouro é boi que pulou o cercadinho do Palácio do Planalto, se fantasiou com purpurina dourada para enganar os  trouxas e se postou na B3 como boi de piranha, para a boiada do Paulo Guedes atravessar a Faria Lima sem ser atropelada. O Ibovespa caiu do touro indomável, no rodeio das ações de  papel pintado. 

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

LUCROS 

Os cinco maiores bancos lucraram R$ 26,2 bilhões no 3º trimestre deste ano. A Petrobras, sozinha, no mesmo trimestre lucrou R$ 31,1 bilhões. A Petrobras sozinha desbancou todos os bancos, que sempre foram os campeões de lucro. Também, com gasolina a R$ 7 reais.

Renato Maia casaviaterra@hotmail.com

Prados (MG)

*

ENERGIA FOTOVOLTAICA

Com o aumento do custo da energia, a geração de energia fotovoltaica está na crista da onda, até com fila de espera, porque o material é importado. É um produto sofisticado e caro, e eu imagino que seja pouco acessível para muitas famílias. Vale lembrar que um gasto importante é o chuveiro elétrico e que o aquecedor solar de água é um aparelho muito mais simples e barato, de tecnologia tão simples que havia até manuais na internet para cada um fabricar o seu (ainda há?). Acho que está na hora de divulgar e incentivar sua instalação em mais e mais casas. 

Silvia C. R. de Vasconcellos phsiamed@gmail.com

Jundiaí

*

ABL

A Academia Brasileira de Letras (ABL) se autointitula oficialmente, no seu site, como “uma instituição cultural inaugurada em 20 de julho de 1897 e sediada no Rio de Janeiro, cujo objetivo é o cultivo da língua e da literatura nacional”. Não há problema algum no fato de a academia ampliar seus critérios de premiação para além do limite estrito das letras, mas é preciso que isso fique bem estabelecido para a sociedade. Os três últimos agraciados, Fernanda Montenegro, Gilberto Gil e agora o médico Paulo Niemeyer, em suas entrevistas, ao invés de demonstrar satisfação, pareceram mais preocupados em explicar, de forma defensiva, os motivos pelos quais foram escolhidos em detrimento de expoentes literários mais tradicionais. Está na hora de a academia, por sua importância e tradição, redefinir sua missão (se é que houve mesmo uma redefinição) e esclarecê-la ao público de forma mais clara. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo









 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.