Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2021 | 03h00

Prévias do PSDB

Falha no aplicativo

Que pena! Um partido político com ótima ideia democrática de fazer eleições prévias para escolher seu candidato à Presidência da República passa o maior vexame e mostra que, em vez de harmonia, tem uma enorme fragmentação. PSDB, quem te viu, quem te vê! Lastimável.

Luiz Frid

fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

Melou

Quem será que quer “melar” a votação das prévias eleitorais do PSDB? Quem lucra com isso?

Tania Tavares

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

Eleições 2022

Aos olhos do eleitor

Acompanhando as prévias do PSDB, fico pensando como seria, hoje, o partido dos tucanos no governo. Será que parariam de brigar? Enquanto isso, Lula compara Daniel Ortega com Angela Merkel. E o que dizer de Bolsonaro, família e sua gangue no poder? Pobre povo brasileiro!

Cecilia Centurion

ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

Lula e a ditadura

Em entrevista ao jornal El País, Lula afirmou que, se Angela Merkel ficou no poder por 16 anos, o ditador Daniel Ortega também poderia ficar. Parafraseando Talleyrand, Lula não aprendeu nada e não esqueceu nada. Merkel foi eleita democraticamente pelos alemães, enquanto Ortega prendia de forma autoritária e discricionária seus adversários nas eleições. Não podemos continuar reféns da ignorância de Lula nem da boçalidade de Bolsonaro. Precisamos urgentemente de alguém que nos livre dessa dupla nefasta.

Leão Machado Neto

lneto@uol.com.br

São Paulo

*

Futuro incerto

E agora? Como é que os eleitores brasileiros fazem? Votaram em Bolsonaro para se livrar de Lula, e agora terão de votar em Lula para se livrar de Bolsonaro? Ou tem alguém aí acreditando que uma terceira força vai desbancar os dois? Pobre Brasil, país do futuro incerto e triste.

Ruy Carlos Silveira Crescenti

ruycarlos39@uol.com.br

Águas de São Pedro

*

De 2018 a 2022

Quando das eleições de 2018, eu afirmava que votaria até no candidato Cabo Daciolo, mas não votaria no PT. Atualmente, seria até bom que o Cabo fosse novamente candidato para termos uma opção diferente de Lula e Bolsonaro. Tiririca, na sua campanha eleitoral, dizia que “pior do que está não fica”. Tolinho. Lei de Murphy: nada está tão ruim que não possa piorar. Valha-me Deus!

Edmir de Machado Moura

negrinho10@hotmail.com

Caçapava

*

Utopia

Para evitar o retorno da corrupção institucionalizada ou a consagração do negacionismo charlatão e construir os alicerces de um projeto para o Brasil, reuniram-se João Doria, Eduardo Leite, Arthur Virgílio, Ciro Gomes, Sergio Moro, Rodrigo Pacheco, Simone Tebet, José Luiz Datena, Luiz Felipe D’Avila, Luiz Henrique Mandetta e Alessandro Vieira. Embora haja diferenças de visão sobre como atingir os objetivos, a partir deste encontro serão alinhavadas convergências de valores a serem praticados por todos. Pode-se, ainda, esperar a possibilidade de composição de uma ou duas chapas para concorrer à Presidência em 2022. Utopia? Não custa sonhar.

Nilson Otávio de Oliveira

noo@uol.com.br

São Paulo

*

Congresso Nacional

Despesa no Senado

Noticiou-se que a senadora Eliane Nogueira, mãe do ministro Ciro Nogueira, abastece aviões particulares com verba do Senado em locais de agenda do filho. Será que vai ficar por isso mesmo?

Robert Haller

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

Desmatamento

Competência concorrente

Como leigo, não sei se é legalmente possível passar a responsabilidade sobre o controle da Amazônia também para os Estados que a compõem, assim como fez o Supremo Tribunal Federal (STF) quando julgou que a União, Estados, Distrito Federal e municípios têm competência concorrente para administrar a pandemia de covid-19. Pelo que temos visto, embora tenha havido várias promessas do governo federal de controle das queimadas e dos desmatamentos ilegais, eles continuam acontecendo.

Wander Braghiroli

wander_brag@hotmail.com

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ESPERANÇA NAS URNAS

O que preocupa não é Lula ter a convicção de que o leitor é um cretino, como muito bem resumiu o editorial Lula em sua melhor forma (23/11, A3) ao discorrer sobre a estapafúrdia comparação feita pelo ex-presidente entre as ditaduras longevas de Cuba e Venezuela e as democracias inglesa e alemã, mas o fato de Lula permanecer à frente nas pesquisas de intenção de voto para presidente, apesar das suas repetidas declarações ilógicas e bizarras. O problema não é o leitor consciente e bem informado, mas o eleitor que acredita que a única alternativa a Bolsonaro é Lula. Não é nenhuma novidade que o líder petista despreza a democracia tanto quanto o atual presidente. Os dois têm todo o direito de menosprezar  a inteligência do povo. A resposta a esse ultraje precisa se dar nas urnas. 

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

FALTA DE TATO

Lula está em primeiro lugar nas pesquisas para as próximas eleições, mas não consigo entender a falta de tato ao defender a ditadura na Nicarágua. Ele fala tanto do desrespeito e dos ataques sistemáticos de Bolsonaro contra a democracia, ou será que vale apenas para a direita extrema e na esquerda tudo pode.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

ORTEGA NÃO É MERKEL

A seguinte declaração: “Por que Angela Merkel pode ficar 16 anos no poder, e Daniel Ortega não?" mostra que o velho Lula não mudou! Além de distorcer os fatos, é profundamente injusto comparar a genuinamente democrata Angela Merkel com o incorrigível ditador tosco Daniel Ortega! Trocaremos seis de direita por meia dúzia de esquerda novamente?

Omar El Seoud

elseoud.usp@gmail.com, SP

São Paulo

*

DESAPREÇO PELA DEMOCRACIA

Lula da Silva, líder nas pesquisas de intenção de voto, está concedendo entrevistas a granel e, como sempre, falando asneiras. Comparar Angela Merkel e Margareth Thatcher com Daniel Ortega, Chávez e Maduro demonstra  seu total desapreço pela democracia.

José Alcides Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

O LOBO LULA

A respeito do editorial Lula em sua melhor forma (23/11, A3), sobre a recente entrevista do ficha suja ao jornal espanhol El País, em que segue firme na defesa e no elogio às piores ditaduras do mundo, entre as quais a de Cuba, Nicarágua e Venezuela, cabe citar o velho dito “o lobo perde o pelo, mas não o viço”. Que, em 2022, a gravíssima e nefasta ameaça da volta ao poder de Lula não ocorra.

J.S. Decol 

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

DIZENDO VERDADES

Em meio à entrevista no seu Lorotatour, Lula afirmou “eu não fiz nada”.  Fez sim! Sem querer, e pela primeira vez, disse uma verdade…

Alcides Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O INJUSTIÇADO

Em seu périplo europeu, o ex-presidente e mais que provável candidato presidencial, Lula da Silva, demonstra ao mundo, de modo cabal, o inexorável do caráter político prevalecente na definição e na configuração do que é e do que representa a mais alta Corte jurídica do Brasil, o Supremo Tribunal Federal (STF). Condenado pelas duas instâncias de Justiça, aquelas que tratam especialmente do exame do mérito das ações, que estudam e analisam as provas coletadas e acostadas aos autos processuais, o nosso glorioso e autodeclarado “homem mais honesto do País”, desfila pelos palcos do mundo com ares de injustiçado, perseguido e dono da verdade.

Marcelo Gomes Jorge Feres

marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ALCKMIN COMO VICE

Geraldo Alckmin, que tinha deixado uma imagem até boa, visto que em seu governo parece não ter ocorrido coisa graúda, até poderia voltar às disputas, mas, como vice de Lula, está ofendendo todos aqueles que um dia lhe deram voto! Se realmente ocorrer essa palhaçada, nunca mais Alckmin terá meu voto,  de toda minha família e de pessoas que conheço. Vá pra casa dormir, não se rebaixe!

Laércio Zannini

spettro@uol.com.br

São Paulo   

*

ESCULHAMBAÇÃO TOTAL

O governo de Jair Bolsonaro é uma esculhambação total. Interfere no Enem, na Petrobrás, na PEC dos Precatórios, no Inpe sobre os desmatamentos e queimadas ilegais, na economia e na vacinação, ou seja, é a própria cara do governo, uma esculhambação total!

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

‘TERRA ARRASADA’

Excelente editorial do Estadão (17/11) assim como também seu título.  Exatamente, como está hoje o Brasil, terra arrasada pelas mãos irresponsáveis de Jair Bolsonaro, com o literal abandono dos setores vitais da Nação.  Do inaceitável desastre do meio ambiente, como  anunciado pelo Inpe.  O maior desmatamento desde 2006, ou 22% maior nos últimos  12 meses. E sem escrúpulo algum o presidente escondeu o fato na Conferência do Clima da ONU (COP 26), na Escócia.   Esse é o Brasil que Bolsonaro destrói.  Uma esculhambação!  Como também patrocina esse quadro na área de educação, saúde, com seu estúpido desprezo à essa pandemia e à ciência. E, para angústia da nossa população, nossa economia está estagnada! A inflação nas alturas, ou 10,67% em 12 meses, alto desemprego, mais de 20 milhões de brasileiros passando fome.  E o presidente ainda quer dar calote nos credores dos precatórios.  Há 35 meses no poder somente produzindo indignação!

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PROJETO DE GOVERNO

Não é possível o País continuar assistindo a ignorância do presidente Bolsonaro e a destruição da Amazônia, a maior riqueza do País. Bolsonaro comemora cada árvore derrubada, cada hectare queimado, cada novo garimpo, cada índio abatido, cada rio contaminado. Destruir a Amazônia é política do governo do presidente Bolsonaro. Para acabar com o desmatamento na Amazônia, é preciso, antes de mais nada, acabar com o governo Bolsonaro.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

IMPOTÊNCIA

Além de quaisquer outras razões, as queimadas constituem uma agressão ao patrimônio público, ou seja, ao de todos nós. Como o governo não só é omisso, mas conivente com essas agressões, assistimos impotentes ao crime. Será que a única alternativa seria nos resignar a ser assaltados à espera dos resultados das próximas eleições?

Alberto Mac Dowell de Figueiredo

amdfigueiredo@terra.com.br

São Paulo

*

FALTA DE AÇÃO

A divulgação pela imprensa de que Bolsonaro cometeu a indignidade de proibir a divulgação dos dados do Inpe sobre o desmatamento na Amazônia explica o motivo pelo qual, embora tenha viajado à Europa, não compareceu à COP 26. Afinal, os dados fornecidos pelos satélites sobre a Amazônia estão disponíveis para todo o planeta. A minha crítica nada tem a ver com ideologia e muito menos partidarismo. Mais uma vez cabe a pergunta ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, quando vai encaminhar ao Plenário os inúmeros pedidos de impeachment de Bolsonaro? O presidente Lira não pode simplesmente não fazer nada.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

BRASIL NO BURACO

Trinta pessoas caíram num buraco em Joinville (SC). Um colossal buraco já engoliu bairros inteiros de Maceió (AL), consequência da mina de sal gema da Brasken, no solo urbano.  Uma enorme cratera avança em Valparaíso, em Goiás. São apenas buracos emblemáticos na superfície do Brasil que afunda em  buraco negro, como os fenômenos que engolem sóis, planetas  e a própria luz no cosmos do Universo. Nosso histórico buraco é a consequência natural da incompetência e irresponsabilidade  de uma Nação inteira. Do chefe da Nação ao mais distante morador  do centro do poder, há uma cultura de total desleixo com tudo o  que engloba o país do faz de conta, que habitamos, como se não fosse nossa morada e ignorássemos a natureza de que fazemos  parte. Resignados no fundo do buraco.

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

VIOLÊNCIA NO RIO

A contínua violência no Rio de Janeiro, como exemplifica essa última chacina no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, parece não ter fim. A força policial fluminense é a que mais mata e também a que mais morre, conforme informam estatísticas oficiais sobre o tema. Urge combater essa patologia social, para não termos uma explosiva patologia da violência entre nós, que não poupará ninguém, independentemente da classe socioeconômica à qual pertençamos.

José de Anchieta Nobre de Almeida

josenobredalmeida@gmail.com

Rio de Janeiro

*

‘ABUSO NÃO É ARTE’

Parabéns à iniciativa de centenas de artistas que – impulsionados pela atriz Denise Weinberg, que alega ter sofrido violência psicológica por uma preparadora de elenco –  estão lançando uma campanha para brecar esse tipo de conduta no meio artístico.  Isso deve ser muito comum, infelizmente. Se acontece com alguém conhecido, imaginem com os iniciantes. O mundo artístico é repleto de boas figuras, mas o povo, ao "endeusar" essas pessoas e misturar os papéis vividos na ficção, dá espaço para verdadeiros seres arrogantes e donos da verdade. Parabéns aos artistas que se empenham pelo bem-estar de todos.

Roberto Moreira da Silva 

rrobertomsilva@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.