Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2021 | 03h00

Pandemia

Bom senso

Afinal, alguém de bom senso: 70 prefeitos de municípios do interior de São Paulo resolveram cancelar o carnaval de 2022. A ideia é válida e visa a proteger os paulistas de uma “possível futura onda de contaminação” pela covid-19, que ponha a recuperação do País da pandemia a perder, como está acontecendo na Europa. Parabéns! E que a ideia repercuta pelo Brasil todo. É o que se espera.

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

Prevenção

Na Europa, com liberdade para aglomeração, o coronavírus voltou com força. O Brasil, no fim de 2019, embora sabendo discretamente sobre o novo coronavírus na China e na Europa, não levou o caso a sério, e o réveillon e o carnaval aconteceram sem nenhuma restrição – daí as vítimas em profusão em 2020/2021. Será prudente colocar as barbas de molho em 2022. Moderação e prevenção não fazem mal a ninguém e salvam vidas. Cancelar as festas de réveillon e de carnaval é salvar vidas.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

BR do Mar

Transporte marítimo

A respeito da criação da BR do Mar e da proposta de abertura indiscriminada do mercado interno brasileiro para embarcações estrangeiras alugadas, note-se que o mesmo não se propõe para outros meios de transporte. A capacidade instalada para construção de navios no Brasil está com ociosidade de mais de 80% e os empregos diretos perdidos no setor beiram a 90 mil. A solução simplista de autorizar navios construídos na China, tripulados por filipinos ou vietnamitas, a transportarem cargas domésticas brasileiras é inusitada quando comparada às políticas vigentes na Europa, EUA, China e Índia, só para mencionar os maiores protagonistas mundiais. Falar em atender cargas a granel sólidas, grãos e fertilizantes não resiste a uma análise de origem e destino dessas cargas nem de seu volume destinado ao mercado doméstico. Transbordo dessas cargas é antieconômico: origem (soja, milho) e destino (fertilizantes) estão no interior do País, distantes da costa. Os contêineres já são atendidos pelos grandes atores mundiais, e dificilmente outras linhas entrantes poderão com eles competir em condição de igualdade. A verdadeira motivação parece ser favorecer a indústria de petróleo, hoje com novos atores estrangeiros, que não deseja investir localmente no transporte, mas transladar seus ativos ociosos (navios aliviadores) no exterior. A BR do Mar só apunhala mortalmente a construção naval brasileira.

Nelson Luiz Carlini

nelsonlcarlini@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Investimento

As ameaças do presidente

Lendo o editorial As bravatas e suas consequências (Estado, 24/11, A3), permitam-me lembrar que o setor petrolífero é o único em que privatização e concorrência não funcionam para baixar preços, como ocorreu, por exemplo, nas telecomunicações. O setor é altamente cartelizado e quem dita os preços, mesmo, são a Opep e os especuladores de Roterdã.

Valério Costa Bronzeado

valeriocostabronzeado@gmail.com

São Paulo

*

Economia

Os modernos arúspices

Sua Excelência o “Posto Ipiranga”, ministro da Economia, acredita piamente nas profecias autorrealizáveis. Já embalou nossos sonhos com a famosa recuperação em V. Crescer 5%, depois de ter caído 4% no ano precedente, se de fato acontecer, levará nossa economia ao nível de um triste empate. Pior: quando se trata de previsões para prazo um pouco mais longo, ele ignora as projeções do Fundo Monetário Internacional, da OCDE e das nossas instituições financeiras – todas equivocadas, na sua visão. Cresceremos mais que as economias dos demais países? Tomara! Se estivesse desfilando numa parada, os demais (sem exceção) estariam precisando acertar o passo. Um filme premiado de 1962, O vendedor de ilusões, talvez o tenha inspirado. Mas não precisa recuar tanto no tempo para concluir que ele não tem o mérito da originalidade. Basta lembrar o ex-ministro Guido Mantega apostando garrafas de vinho francês com quem discordasse de suas projeções. “Vai quebrar a cara quem apostar na alta do dólar.” Os cirurgiões plásticos que eventualmente contassem com esse aumento da clientela estão arrependidos até hoje.

Alexandru Solomon

alex_sol@terra.com.br

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

VISÃO DISTORCIDA

Gozado esse PT: no Brasil tivemos a ditadura, o que foi péssimo. Na Venezuela, na Nicarágua eles têm ditaduras e são ótimas! Alguém poderia me explicar?

Milton Bulach 

mbulach@gmail.com

Campinas 

*

O PESO DOS JANEIROS

Não adianta fingir que os janeiros não  trazem mudanças em nossas vidas.  Às vezes, mudamos a voz,  temos dificuldade para enxergar,  escutamos menos, falamos coisas desconexas, arrastamos os pés e por aí vai. Os janeiros podem perfeitamente fazer a gente comparar  o tempo de governo de Daniel Ortega, Nicarágua,  com o tempo de governo de Angela  Merkel, Alemanha.  É tudo muito normal. Os janeiros podem nos levar a acreditar que os cubanos são felizes com o regime ditatorial implantado por Fidel Castro.  Ah! como os janeiros podem causar estragos em certas pessoas.  

Jeovah Ferreira

jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

DESEMPENHO DE LULA NA EUROPA

Nesta segunda-feira, dia 22, um jornal colocou uma frase de um jornalista experiente, do qual não se  imaginava sair tamanho escárnio para o Brasil ao colocar na mídia: Lula recuperou a imagem do Brasil no exterior! Não bastasse outro que teceu elogios e disse que Lula foi aplaudido de pé na União Europeia, aí aparece outra mais jocosa ainda. O jornalista acredita que foi realidade como trataram Lula na União Europeia? Não posso crer que um jornalista experiente acreditou nos discursos de Lula, porque ele sabe muito bem que foi apenas jogo de cena  montada para provocar o presidente Bolsonaro à tomada de decisões quanto ao meio ambiente na Amazônia! Apenas isso, Lula foi um bobo alegre, cheio de pose. Mas não consegue enganar aqueles que pensam um pouco na política. Por isso dá tristeza esse pessoal “acreditar” no Lula como estadista e no fato dele ter melhorado a imagem do Brasil no exterior.

Laércio Zannini

spettro@uol.com.br

São Paulo 

*

‘LULA EM SUA MELHOR FORMA’

Se a edição de 22/11  só viesse com este editorial, já valeria pela minha assinatura anual. Uma análise perfeita do que é essa pessoa, suas intenções  e suas ideias a respeito de democracia. Fico abismada de ver gente que admira e quer sair junto na foto! Meu Deus nos livre disso e do atual governo, por pior que sejamos não merecemos isso em 2022. Não aguentamos mais.

Otavia Muraro

titamuraro@gmail.com

São Paulo

*

LUZ NO FIM DO TÚNEL

Enquanto Bolsonaro arrasa nosso País nas áreas de educação, meio ambiente, cultura e economia, etc., Lula enaltece a Nicarágua, Cuba e Venezuela, comparando seus ditadores aos bons dirigentes europeus que são reeleitos  por serem bons mesmo, e não por encarcerarem seus concorrentes. Promete ainda  ser bonzinho e  colocar Alckmin de vice. O PSDB dá uma aula magna de desconfiança, briga fratricida, desunião.  Apresentar um programa de governo para quê? O povo serve para pagar impostos! Senadores e deputados, liderados pelo “primeiro-ministro “Lira”, querem furar o teto de gastos para que mais dinheiro jorre nas suas áreas. Eu me surpreendi com a fala de estadista e lógica de Sérgio Moro nos alertando para onde cada uma dessas soluções mágicas e irresponsáveis poderia nos levar. Será ele a luz no fim do túnel? O povo brasileiro conseguirá ver essa luz?

Cecilia Centurion

ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

PEGO COM A BOCA NA BOTIJA

Mesmo após receber um relatório demonstrando que o desmatamento na Amazônia brasileira tinha crescido 22% em 2021, chegado, assim, ao pior resultado desde 2006, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim “Boiada” Leite, teve a coragem de omitir tal fato na COP-26 e de declarar que “o Brasil é parte da solução”. Por sua vez, o capitão declarou em Dubai que mais de 90% daquela área está preservada e está exatamente igual ao ano de 1500. São atitudes toscas, pois os desmatamentos são documentados por satélites, inclusive o recém-lançado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Pinóquio não faria melhor!

Omar El Seoud      

elseoud.usp@gmail.com, SP

São Paulo

*

ESCANCARANDO A FRAGILIDADE DO PAÍS

Para uma coisa Bolsonaro está servindo: ele escancarou a fragilidade do Estado de Direito brasileiro. Os criminosos que estão e estavam no poder fragilizaram a legislação a ponto de torná-la inócua na defesa do País diante de uma conspiração contra a pátria e sua soberania, ou seja, a lentidão, a inoperância, a falta de previsão legal fazem com que o Brasil permaneça prostrado e contemplativo diante da sua destruição.

Franz Josef Hildinger

frzjsf@yahoo.com.br

Praia Grande

*

ENEM

Ser esquerda no Brasil é ótimo, toda a intelectualidade joga a favor, toda a intelectualidade que mora em Ipanema, Leblon ou no Farol da Barra (caso do coletivo de Wagner Moura), claro! Pois o Enem não viria tomado por questões da direita-fascista? Trinta e sete profissionais se dispensaram em protesto, a fim de criar o caos. E o que se viu: as questões foram pertinentes e muito bem elaboradas, em uma primeira notícia, e os desertores não fizeram falta, tudo transcorreu de modo normal. Um dia de reflexão pelos esquerdopatas e vieram as críticas: o banco de questões está empobrecido, pois faz dois anos que nova leva de questões foi contratada e ainda não está pronta; não se falou na pandemia (reclamação dos professores de cursinho, parece); foi a pressão dos desertores que levou à montagem de provas isentas do direitismo-fascista. Quer dizer, para essa gente se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. E alguns órgãos da mídia ainda repercutem estas tolices! Mas a turma do contra ainda conta que alguma coisa muito errada pode ocorrer no próximo domingo. Correndo tudo bem, acho que há 37 funcionários perfeitamente dispensáveis no Ministério da Educação (MEC).

Paulo Mello Santos

policarpo681@yahoo.com.br

Salvador

*

FORMAÇÃO DOS LEGISLADORES

Para uma Comissão de Constituição e Justiça, seja lá de onde for, a formação mínima a ser requerida de seus participantes deveria ser a de advogado. Analisei a folha corrida do senador David Alcolumbre, que a preside, e verifiquei que o mesmo nem curso superior tem. O que podemos esperar? Simplesmente, nada. Que baixo nível tem esta Casa Legislativa.

Iria de Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

ELEIÇÕES

Eliane Cantanhêde em sua coluna O candidato da Lava Jato (19/11, A13) fez uma análise didática sobre Lula, Bolsonaro e Moro. A corrupção é relegada   à condição de “bode” no salão da política nacional também pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A corrupção é combustível da política nacional desde sempre.  Affonso Celso Pastore é o “super posto Ipiranga” de Moro, cheio de combustível ativado. Moro terá oposição ferrenha dos  políticos em geral e da dupla Lula e Bolsonaro. A campanha vai esquentar muito. Falta ainda um nome realmente do centro, um  novo JK ou estadista como Ulysses Guimarães ou Tancredo Neves  para uma verdadeira reconstrução do Brasil. 

Paulo Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre 

*

PODER LEGISLATIVO

As duas maiores promiscuidades da democracia brasileira foram inventadas pelo Poder Legislativo: as Emendas Parlamentares e os assessores parlamentares. Vamos acabar com isso.

Renato Maia

casaviaterra@hotmail.com

Prados (MG)

*

PRÉVIAS DO PSDB

A nova falha, mais uma, não bastassem as inúmeras acusações de fraudes e as mentiras nas prévias do PSDB, mostra apenas que o partido se perdeu, veja por exemplo o candidato ao governo de São Paulo pelo partido, Rodrigo Garcia, que nunca foi tucano, se filiou há pouco e foi a escolha de João Doria.

Marcos Barbosa 

micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

TOURO DOURADO

Uma semana depois de irregularmente instalado na calçada defronte à B3 – Bolsa de Valores de São Paulo –, o touro dourado foi retirado da arena pública, depois que a descabida e despropositada ideia de jerico foi bombardeada pelos toureiros das redes sociais. A macaquice tupiniquim do bull de bronze da Bolsa de Nova York levou a uma dolorida, certeira e merecida chifrada. Olé!

J.S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

Pois é, uma certa Comissão de Proteção à Paisagem Urbana, certamente recheada de elementos muito preocupados, decidiu que a estátua do touro dourado, colocada em frente à B3, deve ser removida. A tal comissão levou em conta o protesto de pessoas que, num gesto de ignorância, vandalizaram a obra. Por que será que a tal comissão não se preocupa em retirar do centro da cidade, por exemplo, da Praça da Sé, o bando de traficantes, ladrões e viciados que emporcalha o local?

Paulo Cardoso da Silva Junior

paulo.cardoso.junior@hotmail.com

São Paulo

*

CANCELAMENTO DO CARNAVAL

Causa certa estranheza a decisão de 70 municípios do interior paulista de cancelar o carnaval do ano que vem, alegando, entre outros motivos, o risco de aumento de infecções por covid-19. Primeiramente, o Estado de São Paulo ultrapassou a impressionante e louvável marca de 90% da população adulta completamente vacinada. Além disso, desde a liberação total do comércio e das praias e o consequente retorno das aglomerações a níveis pré-pandêmicos, não há registro de aumento significativo de casos nem de internações – ao contrário, os números vêm caindo – e é pouco provável que as aglomerações que certamente acontecerão no carnaval sejam mais intensas do que as observadas atualmente.  Não há tampouco notícia, até o momento, de surgimento de alguma nova cepa, além das já conhecidas. Se a razão principal para o cancelamento é falta de recursos, é outra história. 

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.