Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2021 | 03h00

 Aviação comercial

O fim da operação da ITA

No fim de semana vivemos uma triste página na história da aviação comercial brasileira. A ITA, companhia do Grupo Itapemirim, que começou sua operação aérea há pouco mais de seis meses, suspendeu seus voos sem prévio aviso. Passageiros que estavam embarcados em aviões, ou no check-in, ou, ainda, aguardando o embarque foram tomados de surpresa. Milhares de pessoas que têm passagens compradas para as próximas semanas serão prejudicadas, sem perspectiva de indenização. Pior ainda, com perdas sensíveis, porque muitos já pagaram por reservas em hotéis e outros compromissos. As passagens aéreas já são muito caras no País, e os direitos dos passageiros deveriam ser respeitados e garantidos por seguro. Isso praticamente não oneraria mais as passagens, mas garantiria um ressarcimento imediato num caso como este, independentemente da boa vontade ou da disponibilidade das empresas aéreas.

Edison Roberto Morais ermorais@uol.com.br 

São Paulo

*

Consumidores na mão

Em pleno fim de ano, a ITA, do Grupo Itapemirim, suspende suas operações e deixa milhares de consumidores na mão. Há notícia, ainda, de que o grupo econômico em crise abriu holding no exterior para, presumidamente, não arcar com as despesas fiscais, tributárias e trabalhistas. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que deu a licença à companhia, está só assistindo. Por tudo isso, o Brasil é e sempre será a terra da impunidade.

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br 

São Paulo

*

Congresso Nacional

Fundão aprovado

Encorajadas pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que confirmou a decisão da ministra Rosa Weber de liberar o pagamento das emendas do vergonhoso, indecoroso e ignóbil orçamento secreto, as raposas do Congresso Nacional continuam a devorar as galinhas, ou seja, todos nós, cidadãos brasileiros, que pagamos o pato. Conforme manchete do Estadão de sábado (18/12), Congresso impõe fundo de R$ 5,7 bilhões para a eleição, o maior da história. E, também, já se prepara para acrescentar a este valor o R$ 1,1 bilhão do fundo partidário. Esse dinheiro certamente vai alimentar tenebrosas transações, livres de qualquer fiscalização. Não há mais dúvida: o Brasil está nas mãos de uma quadrilha.

José Claudio Marmo Rizzo jcmrizzo@uol.com.br 

São Paulo

*

O vírus ‘5,7 bi’

O Brasil atravessa um período muito perigoso. Não bastasse a pandemia de covid-19, enfrentamos o vírus H3N2, contra o qual ainda não há vacina, mas do qual temos como nos proteger. E, agora, um outro vírus letal nos atinge: o 5,7 bi. Deste não temos como nos defender, nem mesmo recorrendo às urnas.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

*

Brasil

Um país em estupor

O mais brilhante dos articulistas do País, o sociólogo Bolívar Lamounier, descreve a situação das instituições políticas brasileiras atuais como as de mais baixo grau de qualidade em nossa história (Treno por um país em permanente estupor, Estado, 18/12, A4). É o que todos os minimamente letrados consideram, embora com esperança de que um dia tudo passará. Tudo passa, embora seja difícil de saber quando. Talvez quando surgirem lideranças verdadeiras e alguma elite consciente de seu significado.

Ademir Valezi adevale@uol.com.br 

São Paulo

*

Longa estrada

Cumprimento o articulista Bolívar Lamounier. Real e brilhante análise da realidade do nosso país e da classe política. Teremos uma longa e difícil estrada a percorrer para, um dia, chegarmos a ter orgulho do que estamos construindo.

Sergio Antonio Reze sreze@abraoreze.com.br 

São Paulo

*

Boas-festas

O Estado agradece e retribui os votos de Feliz Natal e próspero ano novo de Advocacia Mariz de Oliveira; Aexpressão5; Assessoria de Imprensa Fundação João Paulo II - Canção Nova; Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (Abifina); J. S. Decol | Ðecol, J.S. Marketing & Copyright Worldwide; Justino de Oliveira Advogados; Marcus Lima Arquitetura e Urbanismo; Vera Moreira Comunicação; e Virgílio Melhado Passoni.

 

________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

*

AUMENTO PARA OS PROFESSORES

É bom pensar que há um planejamento de aumento para os professores estaduais de São Paulo de até 73%. Vem tarde, mas será que serão concretizados ou, ao entrar um novo governo em 2023, tudo será modificado? Agora a pergunta que não quer calar: e para quem já se aposentou, não haverá nenhum aumento? Só servem para terem descontados até 16% das suas aposentadorias? Uma infâmia. Acorda, governador, não nos considere néscios. Em breve não haverá mais professores qualificados para dar aulas tanto em escolas do Estado quanto em colégios particulares.

Tania Tavares   

taniatma@hotmail.com  

São Paulo

*

CORRUPÇÃO

A corrupção no governo Bolsonaro cresce de forma nunca vista, não mais na ilegalidade, tornou-se um instrumento oficial do governo com o orçamento secreto. O País quebrado, desemprego recorde, fome, inflação, estagnação econômica, empresas centenárias abandonando o País sem olhar para trás, destruição ambiental sem precedentes e o governo está preocupado em aumentar o fundo eleitoral. O Brasil precisa impor mudanças radicais no seu sistema político partidário, o País está entregue nas mãos de quadrilhas criminosas, especializadas em roubar dinheiro público. Só se vê incompetência, roubalheira e corrupção generalizada em todo o governo. As mudanças de que o Brasil precisa não virão das urnas, mudanças de verdade só acontecerão com uma ruptura institucional que acabe com esse lixo todo que está aí, ou até mesmo com uma intervenção externa nos desmandos catastróficos do governo Bolsonaro.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

TRAÍRAS

O Fundo Eleitoral deveria ser extinto, mas 317 deputados e 53 senadores, que não têm compromisso com o Brasil, elevaram seu valor de R$ 2,1 bilhões para R$ 5,7 bilhões. Precisamos dar o troco a todos os traíras na próxima eleição. O fundo partidário também recebeu uma grana alta de R$ 979,4 milhões. A culpa é nossa, eleitores, por votar neles.

Humberto Schuwartz Soares

soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

TOMA LÁ DÁ CÁ

A bancada evangélica não segue seus princípios, pois toparam trocar aprovação dos jogos de azar por isenção de IPTU dos templos. É o toma lá, dá cá abençoado,

Luiz Frid

fridluiz@gmail.com

*

GUEDES AFRONTA O FMI

Misericórdia! Que governo é esse de Jair Bolsonaro, que só tem servido para emporcalhar a imagem do Brasil! E o editorial do Estadão (17/12) com título A passeata de Guedes contra o FMI reflete bem como esta gestão federal não respeita aqueles que fazem análises sérias sobre a nossa economia, como o FMI. E esse decadente, Paulo Guedes, ofende essa entidade em evento na Fiesp quando afirma: “Dissemos para eles fazerem previsões em outro lugar”!  Guedes, soberbo, fala como se o País estivesse com alto crescimento econômico, baixo nível de desemprego e pobreza. E fosse um modelo para o mundo!  Porém, como consequência, e que é lamentável, o FMI acaba de fechar seu escritório no Brasil.  Esse é Paulo Guedes, mais para falso “Posto Ipiranga”, no qual, seu combustível como ministro da economia está totalmente adulterado. Não serve para o País! Tal qual Bolsonaro, que, como presidente da República, é um desastre...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

ABSURDOS DO GOVERNO

O presidente Jair Bolsonaro pediu, extraoficialmente, o nome das pessoas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que aprovaram a vacina contra a Covid-19 para crianças a partir de 5 anos, com a finalidade de divulgar esses nomes, para que todos possam formar um juízo a esse respeito. E qualquer semelhança com ditadores ou com candidatos a ditadores não é mera coincidência. Não, esses fatos reais e que  acontecem no Brasil apenas são as medidas quase exatas de nossa democracia: viciada, contaminada, minada, esculhambada, arruinada; primeiro, pelos políticos fazedores de leis em causas próprias e, segundo, pelo restante de nós, que, dos nossos berços esplêndidos, assistimos a tudo isso sem virarmos a mesa ou nem sequer gritarmos bem alto que somos os vassalos e os servos nesses feudos de partidos políticos e grupos de poder.

Marcelo Gomes Jorge Feres

marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro  

*

O ESTORVO DO PAÍS

Jair Bolsonaro tornou-se o maior estorvo do País. Até mesmo a Polícia Federal (PF), da qual ele é o manda-chuva,  entende que ele teve participação relevante para desinformar sobre as urnas eletrônicas e, logicamente, também no combate à pandemia, nas regras sanitárias, na intromissão danosa na economia, na Petrobrás, entre outros. Na verdade, nem ele mesmo mais se aguenta. Fora, Bolsonaro!

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

VOTO DESRESPEITADO 

A cada dois anos são realizadas eleições no Brasil.  E o voto é obrigatório para todos os eleitores - quem não for votar ou justificar paga multa, etc. Ir numa escola ou em um local de votação é fácil, o problema é escolher os candidatos “certos”. Estamos descrentes, pois, ano após ano, as coisas só pioram e os eleitos vão sofrer de amnésia profunda. E, pior ainda, são aqueles políticos que votamos e ajudamos a eleger os mesmos que abdicam do mandato para se aliar ao Poder Executivo. E os interesses são diversos. Na eleição passada, eu, familiares e amigos votamos e ajudamos a eleger um vereador em Sumaré, após poucos meses ele se licenciou para assumir a Secretaria de Esportes, onde trabalho. Eu me senti usado e enganado como cidadão e eleitor. E ele, como “chefão” do esporte sumareense, se tornou dupla decepção! Reflexão: deveria ter multa para políticos eleitos que renunciam ao cargo!  

Alex Tanner 

alextanner.sss@hotmail.com

Nova Odessa

*

ESPERANÇA PARA 2022

A última previsão eleitoral sobre prováveis candidatos à eleição presidencial de 2022 trouxe um certo alívio. O presidente negacionista aparece com menos da metade dos votos de Lula. Podia ser melhor, se o ex-juiz da Lava Jato estivesse em segundo lugar. Espero que Sérgio Moro, que comandou a "Justiça do Povo", que condenou o Lula à prisão, mas estranhamente foi solto pela Justiça duvidosa, por considerar o processo eivado de erros, mostre que a Justiça do povo está certa e que a verdade será restabelecida.

Toshio Icizuca

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

ANO DE VITÓRIAS

Está findando o ano de 2021.  Foi um ano de grandes vitórias para os corruptos. Condenações anuladas,  bens desbloqueados, denúncias de corrupção  não levadas adiante,   como é o caso das rachadinhas,   e por aí vai. Muitos infratores perigosos já estão gozando de liberdade plena e já ensaiam seus discursos    para enganar o eleitorado na campanha eleitoral de 2022. Eles não podem reclamar. Mas, para milhões de  brasileiros - que têm as suas vidas pautadas pela ética e honestidade, valores fundamentais na vida do cidadão -,  foi um ano que deixou marcas de muito sofrimento. Desemprego, fome, preços elevados, endividamento, perda de patrimônio,  inflação nas alturas, tudo isso fez parte dos seus 365 dias. O próspero Ano Novo que desejamos uns aos outros na passagem do ano de 2020, não aconteceu. Não aconteceu por quê? Eis a resposta: política econômica desastrosa. E sabe, não podemos acreditar que o ano de 2022 será melhor. Não nos iludamos. Procuremos buscar na terceira via alguém que tenha condições de governar pensando no bem-estar    de todos.  Não podemos    continuar sendo responsáveis pelos nossos infortúnios. Digamos todos: chega.

Jeovah Batista

jeovahbf@yahoo.com.br

Brasília

*

NOVO IMORTAL

Cumprimentos ao talentoso escritor, filósofo e economista Eduardo Giannetti da Fonseca, o mais jovem (64 anos) imortal recém-eleito para ocupar a cadeira número dois da Academia Brasileira de Letras (ABL), que pertenceu, entre outros, ao grande Guimarães Rosa. Cumprimentos à ABL pela feliz, justa e merecida escolha.

J.S. Decol 

decoljs@gmail.com

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.