Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos leitores, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2021 | 03h00

Congresso

Roubando o nosso futuro

No engodo da pedalada sobre os precatórios, foram acrescidos R$ 113 bilhões ao Orçamento de 2022. Desse valor, apenas R$ 54 bilhões serão efetivamente aplicados na área social, principal argumento do governo e do Congresso para essa burla orçamentária. Do restante, R$ 1,7 bilhão foi reservado para reajuste salarial dos policiais federais, mesmo constatando que essa categoria tem como salário inicial o valor de R$ 12 mil (agentes), chegando até R$ 23 mil (delegados), o que também se prestou para reativar pleitos de outras carreiras, igualmente muito bem remuneradas. E há ainda R$ 16,5 bilhões para emendas secretas que vão sacramentar os currais eleitorais dos coronéis ditos políticos, acrescidos de imorais R$ 6 bilhões para manter partidos, entidades privadas, bem como a campanha eleitoral de 2022. O saldo foi distribuído para outras áreas nada prioritárias. Enquanto isso, o salário mínimo é de R$ 1,2 mil, temos 13,5 milhões de desempregados, segundo o IBGE, e 28 milhões de brasileiros vivem abaixo da linha de pobreza, conforme a FGV Social. Em resumo, enquanto Bolsonaro cai no funk, de férias, o Orçamento brasileiro é sequestrado por uma caterva que acaba com nossas esperanças e rouba nosso futuro.

Honyldo Roberto Pereira Pinto

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

*

Descaso com aposentados

O presidente Jair Bolsonaro concedeu reajuste salarial para policiais. Presidente, e nós, aposentados, como iremos sobreviver?

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

Auxílio Brasil

Projeções apontam que mais 3,7 milhões de famílias desassistidas e em situação de extrema pobreza deveriam receber os recursos do tal Auxílio Brasil, mas não serão beneficiadas. É um total descaso do governo federal para com os mais necessitados.

Jorge de Jesus Longato

financeiro@cestadecompras.com.br

São Paulo

*

Eleições 2022

Aliança

Enquanto a derrota quase sempre é pedagógica, a vitória inebria o próprio espírito e muitas vezes é a causa da derrocada. Geraldo Alckmin venceu inúmeras eleições sempre se contrapondo ao lulopetismo, sem tirar o mérito de quem foi quatro vezes governador do mais importante Estado brasileiro, o fator alternativo sempre contribuiu para a vitória nos pleitos que disputou. Porém, tudo isso infelizmente confundiu a cognição do ex-governador tucano, que em 2018 teria provavelmente muito mais chances se tentasse uma cadeira no Senado, porém, acreditou que poderia chegar ao Planalto e o resultado foi uma votação inexpressiva. Agora Alckmin protagoniza uma cena deprimente ao se aproximar de quem sempre combateu, ao menos no discurso. Acabou por revelar que nada tem de diferente dos outros, aliás, ao contrário, assemelha-se em muito à grande maioria da classe política brasileira, que gosta de holofotes e é ávida pelo poder, seja a que custo for.

João Pacheco de Souza Amaral Filho

projetofusoes@terra.com.br

Jaú

*

Governo

Estratégia da distração

Estado abordou muito bem em editorial a questão da distração no caso da vacina infantil (Congresso se refestela, Bolsonaro silencia, 21/12, A3). É surpreendente como tem sido pouco escancarado pela imprensa esse tipo de ocorrência tão usado por esse governo doentio. Vale a pena fazer um retrospecto para identificar os temas absurdos (distrações) vis a vis às negociatas paralelas. Ao trazer à tona temas não essenciais, mas que causam discussões apaixonadas, o governo gera um barulho infernal e cria um ambiente propício para avançar com sua agenda não republicana.

Milton Vargas

milton@elementpart.com

São Paulo

*

Boas-festas

O Estado agradece e retribui os votos de Feliz Natal e próspero ano novo de Antonio B. Camargo; Conselho Empresarial Brasil-China; Brics Policy Center; Católicas Pelo Direito de Decidir; César Araújo; Elisabeth Migliavacca; Gara School; Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo; Jane Araújo; José Ribamar Pinheiro Filho; Joyce Nogueira, da Agência Drumond – Assessoria de Comunicação; Nelson Penteado de Castro; Paulo Roberto Gotaç; Ricca & Associados; Ricardo C. Siqueira; Roberto Moreira da Silva e Sérgio Dafré.

 

________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

*

MUDANÇAS URGENTES

No Brasil, os parlamentares querem saber o que o País pode fazer por eles, e não o que eles podem fazer pelo País. O orçamento é uma vergonha, o presidente Bolsonaro oficializou o desvio de dinheiro público, não há mais corrupção, foi tudo legalizado. O País está na lama; o povo, passando fome; e a prioridade máxima do orçamento é dar dinheiro para os partidos políticos. O Brasil precisa de uma mudança, um novo país, com um novo sistema político partidário, desse lixo todo só se aproveita o hino e a bandeira.

Mário Barila

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

FUNDO ELEITORAL

Lula deve estar rindo à toa. É adepto de “quanto pior melhor”, por isso o PT votou coeso para aprovar os R$ 5,7 bilhões do fundo eleitoral. Um autêntico assalto.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

RECEITA FEDERAL

A entrega de cargos por auditores da Receita Federal, inclusive por chefes de unidade, em vista do reajuste de vencimentos ter sido dado apenas às carreiras policiais, e do descumprimento de compromissos assumidos com os servidores do Fisco, demonstra que o governo de Jair Bolsonaro pretende seguir o modelo venezuelano, em que pouco importa o Estado e descamba escancaradamente para o mundo das inconstitucionalidades.

Amadeu Roberto Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

FUTURO SOMBRIO

Que futuro nos espera em 2022, votando de volta ao passado? Candidatos à Presidência saídos do Parque dos Dinossauros.  O mundo em pleno século XXI, tecnologia 5G, carros elétricos e  voadores, turismo espacial, energia limpa, preservação da natureza,  reflorestamento e fim da poluição. Mas o Brasil estacionou e só anda de marcha ré, em direção à Idade Média. Só faltam as fogueiras da Inquisição, porque os “Torqueimadas” já estão nos  palácios do poder totalitário.

Paulo  Sergio Arisi       

paulo.arisi@gmail.com

São Paulo

*

VACINAÇÃO

Mesmo com autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a vacinação de crianças de 5 até 11 anos, Marcelo Queiroga, para puxar o saco de Jair Bolsonaro, resolveu fazer uma "consulta pública" sobre o tema. Nessa mesma toada, aquela senhorinha de Taubaté perguntou: "Em um incêndio, os bombeiros irão também fazer uma consulta pública e nos casos de afogamento, os salva-vidas também irão fazer uma consulta pública antes do salvamento?" Quanta ignorância.

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.b

São Paulo

*

NEGACIONISMO

Atenção! Urgente! O governo Bolsonaro lança Consulta Pública para saber se a Terra deve continuar redonda ou se deve se transformar em plana!

Marcelo Gomes Jorge Feres

marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

São Paulo

*

JEITO PRÓPRIO DE GOVERNAR

A atitude do presidente Bolsonaro de expor publicamente os nomes dos técnicos da Anvisa que manifestaram parecer favorável à vacinação de crianças contra a Covid, para que sejam perseguidos, achincalhados e ameaçados moral e fisicamente se encaixa perfeitamente na definição clássica de “Terrorismo de Estado”. 

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

SAÚDE

Além da criminosa, condenável e absurda política antivacinação do genocida e irresponsável desgoverno Bolsonaro, que constitui um gravíssimo crime de lesa-humanidade contra a vida humana, há relatos de que membros da diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária  têm recebido ameaças de morte. De um lado, o obscurantismo trevoso pró-morte, de outro, a clarividência científica pró-vida. A que ponto chegamos.

J.S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

COMPORTAMENTO DOS JUÍZES 

Esse papo de "terrivelmente evangélico" é uma tremenda bobagem. Clamemos por boa vontade, lisura e competência nos quadros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ricardo C. Siqueira

ricardocsiqueira@lwmail.com.br

Niterói

*

QUALIDADE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS

O modelo vigente de subsídios do transporte público em São Paulo é vergonhoso, mafioso, derrama milhões em empresas que não prestam serviços de qualidade, e que são as mesmas faz décadas. Até hoje nenhum prefeito foi capaz de alterar esse sistema.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

COBRANÇAS EXCESSIVAS

Acompanhando uma amiga numa escritura vi assombrada os valores pagos pelos serviços. Não o que recebe o cartório , mas pelo que é cobrado à parte para determinadas associações. Cito o Fundo Especial do Tribunal de Justiça (FETJ), o Fundo Especial da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (FUNDPERJ), a Federação de Fundações e Associações do Rio de Janeiro (FUNPERJ) e o Fundo de Apoio ao Registro Civil de Pessoas Naturais (Funarpen). Consultando o Google vi que são fundos que deveriam ser bancados pelo Estado. Há questionamentos no STF da constitucionalidade dessas cobranças. Não são legais ainda, pois não há decisão do STF. Agora, com certeza são imorais. Todas as taxas somadas oneram as escrituras e outros serviços em aproximadamente 30%. Sua extinção com certeza contribuiria para o combate da inflação. Acredito que isto ocorra em todos os Estados.

Iria de Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.