Fórum dos leitores

Carta de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos leitores, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2021 | 03h00

Vacinação

Mais um tiro no pé

Perguntar não ofende: se a resposta à consulta popular sobre a vacinação das crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 for positiva, perdemos tempo e possivelmente vidas, porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cansou de solicitar isso. Se for negativa, o que o Queiroga vai fazer? Vai negar o direito das crianças de serem vacinadas? E o Juramento de Hipócrates? Já que o Conselho Federal de Medicina nunca tomou uma atitude decente contra os absurdos deste desgoverno, que tal alugar seu imponente prédio como escritórios e doar a correspondente receita ao SUS?

Omar El Seoud

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

Negacionistas

Alô, pais e mães de crianças entre 5 e 11 anos que querem que seus filhos sejam vacinados: questionem seus deputados federais, reclamem e protestem. Essa tal consulta pública sobre vacinar crianças corre risco de se tornar um palco para negacionistas e apoiadores do negacionista-mor – ou até mesmo hackers – que poderão falsear e impulsionar resultado contrário e, assim, impedir que seus filhos sejam vacinados!

Tania Tavares

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

Medida descabida

Na certidão de óbito das crianças de 5 a 11 anos que perecerem, por serem obrigadas a aguardar o resultado da irresponsável e descabida consulta pública para serem vacinadas contra a covid-19, estarão impressas as digitais do negacionista e do genocida desgoverno Bolsonaro. Um crime imperdoável e imprescritível de lesa-humanidade.

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

Consulta justa

Sugiro uma consulta pública para decidir se Bolsonaro deve continuar na Presidência (governar nunca governou) ou ser afastado imediatamente.

Jasson Figueiredo Filho

figueiredo.jrf@gmail.com

São Carlos

*

Possível manipulação

Da mesma forma que seus apoiadores conseguiram eleger o presidente Bolsonaro como “personalidade do ano” na votação popular da revista americana Time, não vai ser difícil manipular os resultados da consulta popular sobre a vacinação das crianças e apresentar um falso resultado.

Jorge de Jesus Longato

financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi-Mirim

*

Governo

Encenação

Acompanhando o pronunciamento do casal Bolsonaro desejando boas-festas aos brasileiros e estrangeiros residentes no País, uma frase resume o que senti naquele momento: nunca tão poucas pessoas mentiram tanto em tão pouco tempo.

Clodomir de Jesus Redondo

clodoredondo@hotmail.com

Araçoiaba da Serra

*

Previsões para 2022

Balanço

A CPI não vai dar em nada; o impeachment cairá no esquecimento; a inflação e os juros continuarão em alta; o Centrão continuará arrebanhando cargos e recursos; a terceira via será uma utopia; o governo continuará corroendo as instituições; as novas cepas da covid precisarão incorporar as letras de diversos alfabetos; e ainda tem as eleições.

Jorge Spunberg

jspunberg@gmail.com

São Paulo

*

Chuvas na Bahia

Uso adequado do dinheiro

É desolador ver os estragos causados pelas chuvas na Bahia, com 20 mortos, milhares de desabrigados e vendo muitas das famílias perdendo tudo o que tinham, com vários prefeitos pedindo ajuda para minimizar a dor dos afetados. Pois tenho uma sugestão que inclusive aumentaria o Ibope do presidente Bolsonaro, que a cada dia vai desabando: que tal pegar os bilhões do vergonhoso fundo eleitoral e destiná-lo às regiões/famílias atingidas? Tenho certeza de que todo o Nordeste o veria com outros olhos.

Luiz Roberto Savoldelli

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

Boas-festas

Estado agradece e retribui os votos de boas-festas e feliz e próspero ano novo de CNDL; César R. Matavelli; Dante Venturini de Barros; Equipe Proxy Media; Instituto Sou da Paz; Ivan de Souza, José Ribamar Pinheiro Filho e Robert Haller

________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

*

NEGACIONISTA E VACINA

Estou plenamente de acordo com o que disse o  governador de São Paulo sobre a vacinação das crianças: “Vacinas salvam crianças e adultos. Salvam até os loucos negacionistas”. O governador, embora seja administrador por formação, sabe da extrema eficiência das vacinas contra a covid-19, enquanto o nosso ministro da Saúde, que é médico, deveria ter aprendido no seu curso de Medicina que “prevenir é melhor do que remediar”. Pela sua atitude indefinida e pela demora na vacinação das crianças temos duas alternativas: ou o ministro realmente não sabe da importância da vacinação em crianças, bem como em adultos, ou está aguardando ter a bênção do capitão do Exército reformado para, então, poder dar início à vacinação das crianças. Infelizmente, isso só deve acontecer no Brasil. E, por causa de pessoas ignorantes e prepotentes, milhares de crianças, inclusive adultos, podem ser prejudicados.

Tomomasa Yano

tyanosan@gmail.com

São Paulo

*

DESFAÇATEZ

Se é necessária consulta pública para definir a necessidade de prescrição médica e autorização para vacinação, por que para evitar as barbaridades da indecente distribuição orçamentária não houve essa necessidade? É muito negacionismo,  estupidez e desfaçatez do governo e desse ministro da Saúde  fantoche.

Luiz A. Bernardi 

luizbernardi.gestao@gmail.com>

São Paulo

*

REVELANDO OS NOMES

Infelizmente, assisti na TV o povo fazendo filas imensas para ganhar alguns ossos para ter alguma coisa para comer no Natal. Enquanto isso, os deputados e senadores aprovaram o maior assalto aos cofres públicos; orçamento secreto de R$ 16,5 bilhões, fundo eleitoral 5 bilhões, fundo partidário 1,1 bilhões, sem contar as emendas orçamentárias que ainda são desconhecidas. À imprensa tinha de divulgar as fotos e os nomes dos políticos que votaram a favor desse assalto, para  que os eleitores pudessem julgá-los na próxima eleição.

Mauro Branco Giuzio

mbgiuzio@hotmail.com

São Paulo

*

TRISTE REALIDADE 

A campanha "para ensinar ou ajudar, como prefiram, o brasileiro a comer" não será difícil. Em ambos os casos, basta dar-lhes comida e o restante virá sozinho.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@gmail.com

São Paulo

*

ECONOMIA BRASILEIRA EM 2022

A economia brasileira, sob o comando de Paulo Guedes, vai decolar, em 2022, como os aviões da Itapemirim, na opinião do chargista gaúcho Carlos Iotti.

Paulo Arisi

paulo.arisi@gmail.com

São Paulo

*

INFLAÇÃO E PODER DE COMPRA

Traição!  A não correção da tabela do Imposto de Renda (IR) por tanto tempo é uma injustiça sem tamanho que, sob visão de médio prazo, reflete na pequena recuperação econômica dos últimos governos. Reduzindo o poder de compra dos trabalhadores, não há como manter o consumo que sustente a indústria nacional. Somente circular a moeda não acrescenta substancialmente riquezas novas. A quem interessa criar situação de estagnação da economia, tal como ocorre na Venezuela atual? Manter a tabela inalterada para arrecadar mais IR (salário achatado),  não reformar o sistema tributário para continuar onerando o setor produtivo (fuga de empresas/redução de empregos), não fazer a reforma administrativa para cultivar a ineficiência de serviços públicos (burocracia excessiva). O governo federal (inclui os três Poderes) parece empenhado em semear discórdias, ver acirrada a polarização, para chegar na eleição em meio a um foguetório artificial, barulhento e ensurdecedor, capaz de levar o eleitorado ao desespero e à loucura sem precedentes para, enfim, aplicar o golpe fatal: a ditadura. Eleitor, seu voto é a única arma capaz de evitar esse desmonte. Não deve ser nem branco, nem nulo nem útil, deve ser verdadeiramente renovador em todos os sentidos. É preciso lembrar que nesse sistema eleitoral nosso, os políticos, na sua maioria, são mensageiros de falsas promessas que, quanto mais belos os discursos, mais maléficos. 

Massafumi Araki

massafumi.araki@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2022

O Estadão de 24/12 publicou em Sinais Particulares (A3) Simone Tebet do MDB, como “uma das melhores candidatas femininas à próxima eleição presidêncial”. Antes de se decidir  por concorrer ao Planalto, ela colocou na balança os prós e os contras e  decidiu aceitar o desafio. Sua fisionomia, com olhar penetrante, demonstra esperança de total êxito na sua campanha eleitoral. Eu também, do fundo do coração, desejo à ilustre pré-candidata, uma merecida vitória eleitoral. 

Antonio Brandileone

abrandileone@uol.com.br

São Paulo

*

BOLSONARO VERSUS LULA

Nada mais parecido do que os dois extremos do espectro da política nacional. Além do populismo desbragado - ambos fazem o diabo para obter o apoio e  voto da  população menos assistida e que depende da ajuda oficial para sua subsistência -, não  se constrangem de empregar meios inidôneos para alcançar a  adesão da maioria dos parlamentares - preferencialmente, nas duas casas  legislativas. Assim, levar a bom termo seus projetos, por mais perniciosos que possam representar aos interesses públicos. A ignomínia, falta de empatia, solidariedade, amor ao próximo, são marcas dos dois governos com esses perfis ideológicos. Lá atrás os pugilistas cubanos e agora a sonegação de vacinas para os infantes brasileiros. Uma indignidade inominável com a de pudor e  desprezo com o destino de um povo sofrido e, por isso, desalentado. Noel Gonçalves Cerqueira

noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

*

ANO NOVO

Desejo simplesmente muita saúde a todos e que possamos cada vez mais usufruir de verdades, sem a hipocrisia e as falsas notícias propagadas pelos pseudo governantes de nosso País. Que tenhamos ao menos por parte deles o respeito e a consideração que merecemos, e não somente o desejo demagógico e eleitoreiro que os cega, culminando com suas atitudes irresponsáveis e inconsequentes.

Feliz 2022!

César R.Matavelli - 

cmatavelli@uol.com.br

São Paulo

*

ESPERANDO O AUMENTO

Se o leitor Paulo Panossian realmente pensa que o fato dos chefes da Receita Federal terem entregue seus cargos equivale ao governo “perder competentes funcionários de carreira” está muito enganado. Eles continuam sendo auditores e funcionários do governo, muito bem remunerados, a propósito. Só deixaram os tais cargos, bonificados, para pressionar o governo por aumento, que, uma vez concedido, os fará voltar correndo aos postos que deixaram.

Zandor Ferreira

zandorferreira@bol.com.br

Goiânia (GO)

 


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.