Fórum dos Leitores

Carta de Leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

07 de janeiro de 2022 | 03h00

Funcionalismo público

Orçamento sequestrado

Estão em andamento verdadeiras aberrações com o Orçamento da União. O presidente Jair Bolsonaro, em seu desgoverno recorrente, já consagrado por outras aberrações, propôs aumentos salariais seletivos para policiais federais. A reação da elite dos quadros funcionais da União não contemplados foi imediata: ameaçam promover dias de paralisações e greve geral pela omissão. E a aberração maior fica por conta da atitude dos auditores da Receita Federal de prejudicar o fluxo de mercadorias importadas, começando com o trigo, afetando a produção do pão, presente na mesa de todos os brasileiros. Agem assim porque não foram contemplados por um “bônus de eficiência”, mesmo ganhando salários que chegam a R$ 30 mil, fora outras complementações. Enquanto isso, os trabalhadores da iniciativa privada, aqueles que produzem o PIB brasileiro e contribuem para o orçamento público com o pagamento dos impostos que viabilizam a remuneração dos servidores, terão um aumento médio de 6,5%. Estes disfuncionais movimentos dos servidores representam, na verdade, o sequestro do Orçamento, desviando-o de investimentos em saúde, educação e infraestrutura, cada vez piores. Os injustificáveis e repetidos sequestros orçamentários promovidos pela elite dos servidores públicos estão levando o País à falência.

Honyldo Roberto Pereira Pinto

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

*

Eleições 2022

Naufrágio

Em relação ao artigo Tem Moro na costa, de José Augusto Guilhon Albuquerque (Estado, 6/1, A5), gostaria de tecer os seguintes comentários: no meu entender, nenhum dos candidatos à Presidência da República este ano aparenta ter qualquer preocupação real com a desesperadora situação do País, mas sim com o bem-estar de seus familiares, amigos e aliados. Este que é tema do artigo em epígrafe jamais foi eleito sequer vereador e, possivelmente, na melhor das hipóteses, utilizará a Presidência apenas para perseguir seus desafetos, principalmente da Lava Jato, à custa do futuro do Brasil. Infelizmente, o regime democrático brasileiro corre o risco de naufragar aos poucos, num redemoinho de decadência em que, crescentemente, as decisões políticas e econômicas serão feitas não pelo povo por intermédio de seus representantes, mas sim para o povo. Tristes trópicos.

Fernando T. H. F. Machado

fthfmachado@hotmail.com

São Paulo

*

Delírio

Infelizmente, terceira via na eleição deste ano é delírio de gente normal em pleno hospício.

Roberto Moreira da Silva

rrobertomsilva@gmail.com

São Paulo

*

Pandemia

Politização no tênis

A temporada de 2022 do tênis mundial está no foco das atenções da mídia internacional, não por causa dos jogadores e da disputa nas quadras, mas porque o número 1 do ranking masculino quer jogar os quatro Grand Slams do circuito internacional do tênis sem comprovar a imunização contra a covid-19. Agora, em janeiro, o sérvio Novak Djokovic pretende jogar o Australian Open. Depois, vai querer disputar Roland Garros (maio), Wimbledon (junho) e o US Open (agosto). A atitude antivacina vai politizar o esporte e envolver tanto o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, como também o presidente francês, Emmanuel Macron, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o presidente americano, Joe Biden.

Luiz Roberto Da Costa Jr.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

Vale para todos

Ao barrar a entrada no país de Djokovic para a disputa do Australian Open, o governo australiano dá provas de que a necessária e recomendada exigência de comprovante vacinal de qualquer estrangeiro que queira viajar à terra dos cangurus vale para todos, até para o atleta nove vezes campeão da disputa. Como noticiado, o tenista é declaradamente antivacina, mesmo já tendo sido infectado uma vez. Do sérvio não imunizado a Austrália quer distância.

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

Ah, a fama!

Basta ter status social para que algumas pessoas se sintam com poder de desobedecer às regras. Acham que podem tudo, até desacatar as regras sanitárias dos países. Não estão nem aí para o risco de contaminar outras pessoas.

Tania Tavares

taniatma@hotmail.com

 São Paulo

*

________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

*

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS

Estamos deixando de medir o desmatamento do cerrado "por falta de verba", diz o governo.  Na verdade, isso não interessa. Mas dinheiro para a Força Aérea Brasileira (FAB)  buscar um médico em férias no Caribe, porque nosso valente presidente está com dodói por não ter mastigado direito um camarão que devorou com aquela sua habitual educação, isso tem. O contraste entre as mentiras e a covardia é muito grande.

Aldo Bertolucci

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

TRABALHADOR INCANSÁVEL

"É maldoso quem fala que estou de férias. Eu dou minhas  fugidas de jet ski ou uns cavalos de pau no Beto Carrero. Eu não almoço, eu engulo", declarou o incansável presidente trabalhador que, se mastigasse 15 vezes o camarão, poderia     ainda estar "trabalhando" nas praias de Santa Catarina.

Paulo Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

LULA E AS ELEIÇÕES

O cirurgião Antônio Macedo afirmou que a obstrução intestinal do presidente foi causada por um “camarão não mastigado”. Com a licença da analogia: nas eleições de 2018, muitos brasileiros se viram obrigados a “engolir” Jair Bolsonaro, pois a alternativa na época era inviável. O resultado é que o Brasil entalou e continua entalado até hoje. Torçamos para que, nas próximas eleições, o brasileiro tenha uma refeição tranquila e mastigue direito para não se ver obrigado novamente a engolir, às pressas, um crustáceo indigesto.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

VACINAÇÃO DAS CRIANÇAS

Se a rainha da Inglaterra tivesse se manifestado contra as vacinas, teria tomado um sonoro “cala a boca” do Parlamento, que iria lembrá-la de seu papel meramente decorativo no governo. Aqui, no Brasil, ninguém se atreve a mandar Jair Bolsonaro calar a boca, os poucos que se arriscaram a contrariar suas sandices foram prontamente afastados de seus cargos e massacrados pelas milícias digitais. Todo mundo sabe que Bolsonaro fez tudo errado na gestão da pandemia, centenas de milhares de cidadãos brasileiros morreram, graças ao atraso na vacinação provocado de propósito por Jair Bolsonaro. Agora chegou a vez das crianças serem vítimas da ignorância irredutível do presidente da República, que age como dono do País. O médico que ocupa a pasta da Saúde se conformou desde o início com o fato da sua gestão ser a do bobo da corte que atende a todos os caprichos do leigo negacionista Jair Bolsonaro. Agora chegou a vez de as crianças brasileiras morrerem de uma doença evitável, bastaria tomar uma vacina, aquela vacina que Bolsonaro continua fazendo de tudo para atrapalhar e atrasar ao máximo. Nunca antes na história deste País houve um presidente da República que pudesse ser diretamente responsável pela morte evitável de centenas de milhares de cidadãos brasileiros, e que agora é responsável também pela morte evitável de crianças brasileiras. O Brasil deveria se envergonhar do lixo de País no qual se transformou.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

PERGUNTAR NÃO OFENDE

Afinal, o Supremo Tribunal Federal (STF) já não deu carta branca para que governadores e prefeitos tomem as rédeas no combate à covid, especialmente quando o governo federal é omisso e nega apoio? Então por que a necessidade de uma pseudo consulta pública para desmoralizar ainda mais o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga?

Júlio Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

CONSULTA PÚBLICA

Ministro Queiroga: como o senhor pode ser tão cara de pau?

Robert Haller

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

LIDERANDO O PLACAR

Djokovic 0X10 Austrália.

Elisabeth Migliavacca

Barueri

*

PROPAGANDA POLÍTICA

Bolsonaro liberou a propaganda política em rádio e TV. Políticos falando são demagogos, justificando são hipócritas, legislando são dissimulados, prometendo são mentirosos; enfim, constroem seus mandatos em cima de muitos defeitos sem nunca apresentar uma só virtude. E agora nós, que vamos ter de ouvi-los e vê-los, em que “casta” nos colocamos? Desavisados? Incautos? Ingênuos? Imbecis?

A. Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

JOGO DE PODER

Bolsonaro fica entupindo o STF de bobagens, do tipo vacinação infantil, com o exclusivo intuito de jogar ainda mais para as calendas a já inerte pauta de julgamentos da casa, de sorte a salvar familiares, amigos e apoiadores, garantindo-lhes a inevitável prescrição, inventada para quem pode pagar causídicos da espécie.

Lairton Costa

lairton.costa@yahoo.com

São Paulo

*

PARCEIROS DO PRESIDENTE

Impressionante a capacidade de Bolsonaro deixar quem está ao seu lado parecer imbecil ou fanático ou delinquente!

Cecilia Centurion

ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

PESADELO PARA O PAÍS

Depois de suportar com extrema dificuldade quatro anos do desastroso e sofrível desgoverno Bolsonaro, com seu polêmico ministro da economia, Paulo Guedes, o País está ameaçado de outro tenebroso pesadelo em 2023: a volta de Lula e de Guido Mantega. Ninguém merece!

J.S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

TINO COMERCIAL

Lula e Bolsonaro são bons negociantes. Sua especialidade é desviar dinheiro público. Lula é atacadista. Tirou volumes consideráveis do BNDES, Petrobras, Mais Médicos e de obras via parceria público-privada com a Odebrecht, Oas, Oi e outras. Bolsonaro, família e amigos são varejistas, por meio de rachadinhas, emendas secretas, fundos eleitorais e outros desvios. Nada comparável a Lula, considerado o maior ladrão do mundo, segundo o Guinness. Pobre Brasil.

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MORO COMO TERCEIRA VIA

Como assinante do Estadão, ouso dar um palpite sobre a linha política do jornal: tenho arrepios de pensar que Lula ou Bolsonaro possam vir a ser presidentes. A única terceira via viável é o Sérgio Moro. Agora com toda a campanha anti lava jato tenho receio de que ele não “emplaque“. Vocês poderiam lembrar em artigos sobre os feitos da Lava Jato, o dinheiro que foi devolvido aos cofres públicos , os malfeitos dos condenados. As pessoas têm a memória curta , mas tenho certeza de que vocês sabem que Moro é o melhor para presidente.

Marcia Penteriche Menucelli

mmenucelli@gmail.com

São Bernardo do Campo

*

FALTA DE TRANSPARÊNCIA

As verbas de gabinete de um senador são cotadas em R$ 82 mil mensais. Entrando ao acaso no portal da transparência de um deles, verifiquei que os gastos ultrapassavam os R$176.900. São 25 assessores parlamentares com salários que variam de R$2.376 a R$14.315. Pelo visto não tem nenhuma fiscalização. Com certeza não há espaço físico nesse gabinete. Espaço moral, muito menos. O Senado Federal é uma vergonha nacional.

Iria De Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

INDULTO DE NATAL

Simplesmente quase 50% dos presos que receberam indulto de Natal não retornaram para as prisões e isso ocorre todo o ano. Algo absolutamente absurdo é a natureza das leis penais no Brasil, que sacramentam a mais absoluta impunidade em todos os níveis. A segurança da população pouco interessa aos nossos legisladores e tampouco ao governo federal. O código penal é conivente com o banditismo em todos os níveis, basta ver o vandalismo existente em nossas cidades, com a total impunidade, o mesmo pode se dizer da lei de execução penal. Existe algum sentido em dar indulto de Natal para estupradores e homicidas? Presos no Brasil não são obrigados nem sequer a trabalhar. Indenização é paga à família de autores de crimes violentos, enquanto as famílias das vítimas nada recebem. Uma total inversão de valores em um País de quinto mundo! As penas para crimes bárbaros são injustas com as vítimas e tolerantes com os criminosos. Décadas se passam e ninguém modifica o caráter perverso, covarde e doentio dessas leis. A punição deve ser severa em certos casos e a recuperação deve ser estendida apenas aos recuperáveis. Pior, as leis processuais penais facultam uma infinidade de recursos, os julgamentos jamais acabam em certos casos e a justiça tardia não é justiça. Modificar a constituição retirando todo o escopo de leis penais da constituição e dar competência aos Estados para criarem os seus códigos penais e códigos de processo penal, conforme a realidade social de cada Estado é algo para ontem! E o governo federal é omisso, incompetente e inoperante nesta matéria! Bolsonaro não tem qualquer interesse na segurança da população. Condena a legislação existente, mas nada faz.

Paulo Roberto da Silva Alves

pauloroberto.s.alves@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

DESRESPEITO

Há pessoas que adotam animais, como se fossem brinquedos, objetos de desejo, mas são descartados na rua, assim que a fantasia se desfaz. Outras os mantêm presos e solitários, em desrespeito, inclusive, aos moradores de apartamentos vizinhos, privados do direito ao sossego, compelidos a testemunhar horas a fio (sem nada poder fazer), as incessantes manifestações de desespero e sofrimento de cães indevidamente tratados.

Patricia Porto da Silva

portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.