Fórum dos Leitores

Carta de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2022 | 03h00

Eleições 2022

O ‘revogaço’ petista

O “revogaço petista” – conjunto de medidas que o Partido dos Trabalhadores (PT) pretende implantar caso Lula vença as eleições neste ano – é de arrepiar. De medo. Revogar a reforma trabalhista aprovada no governo Temer e abolir a autonomia do Banco Central (BC) seriam dois absurdos históricos. As novas regras trabalhistas, além de diminuir substancialmente o festival de processos judiciais, detiveram o famigerado sindicalismo profissional de que ninguém tem saudades, nem mesmo o próprio trabalhador. Além disso, o PT avalia que a autonomia do BC deixa o presidente de mãos atadas. Ao contrário, a independência do órgão é necessária justamente para mitigar inferências políticas em área vital como o Banco Central. Rediscutir a necessidade premente das privatizações significa retroceder à pré-história e o “tchau ao teto de gastos”, twitado pela deputada Gleisi Hoffmann, é de provocar pesadelos. Engana-se quem acredita que chegamos ao fundo do poço com o governo Bolsonaro. As coisas sempre podem piorar.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

Salto alto

Lula e os petistas estão de salto alto em razão das últimas pesquisas de intenção de voto. Mas não podemos nos esquecer de que o ex-presidente, por exemplo, continua a defender ditaduras de esquerda como as de Venezuela, Cuba e Nicarágua. O mais trágico, porém, foi ter escolhido como seu porta-voz para assuntos econômicos o pior ministro da Fazenda que o Brasil já teve. Guido Mantega, além de péssimo gestor, esteve envolvido em escabrosos casos de corrupção. É impossível votar no atual presidente boçal, mas também no velho Lula de sempre. Precisamos torcer para o surgimento de alguma candidatura que nos livre dessas duas figuras repulsivas.

Leão Machado Neto

lneto@uol.com.br

São Paulo

*

Uma nova realidade

Dos três presidenciáveis com maior destaque nas pesquisas este ano, Lula tem contra si um passado condenável, e não só condenável, como realmente condenado pelas instâncias em que militam juízes de carreira, mas absolvido pelo político Supremo Tribunal Federal. Já Bolsonaro é o rei do desgoverno. Atolado em si mesmo, lança-se aos desafios contra a natureza e sempre termina no hospital, verdadeiro pascácio. Resta-nos o sonho de elegermos para presidente o ex-juiz Sergio Moro, como uma terceira força cujo passado lhe credita confiança. “Quando sonhamos sozinhos, é só um sonho; quando sonhamos juntos, é o início de uma nova realidade” (Miguel de Cervantes).

Antonio B. Camargo

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

Presidência

As ‘não férias’ de Bolsonaro

Velhos vícios não morrem fácil. Acostumado aos tempos de deputado, quando matar uma semana de trabalho não tinha maiores consequências, Bolsonaro continua se achando no direito de fazer o que no Legislativo é rotineiro. O Brasil é um país muito difícil de dar jeito. Quem sabe em outubro algo mude.

Flávio Madureira Padula

flvpadula@gmail.com

São Paulo

*

Pandemia

Campanha antivacina

Bolsonaro distorce dados sobre vacinação infantil e chama técnicos da Anvisa de ‘tarados por vacina’ (Estado, 6/1). Se alguém neste país tinha dúvidas sobre o desempenho do capitão do mato que diz administrar o País com relação ao povo brasileiro, após a declaração dele sobre a vacinação em crianças e insinuando que a Anvisa tem interesses não republicanos na vacinação, agora não há mais. O sujeito é negativista, tosco, maldoso, incompetente e muitas coisas mais. Graças a Deus já estamos em 2022.

Luiz Francisco A. Salgado

salgado@grupolsalgado.com.br

São Paulo

*

Realidade e ficção

A realidade imita a ficção: como no filme Não olhe para cima, o ministro Marcelo Queiroga falou assim sobre a primeira morte no Brasil causada pela variante Ômicron da covid-19: “É preciso aguardar a evolução dos casos”.

Vital Romaneli Penha

vitalromaneli@gmail.com

Jacareí

*

Vitória da imunização

Espero que as pessoas civilizadas tementes a Deus vençam a guerra contra os bárbaros pagãos no tocante à vacinação dos brasileiros.

Luiz Fernando P. H. Bittencourt

lufebittencourt@yahoo.com.br

Santos

________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

BRIGANDO COM A ANVISA

Bolsonaro elege a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como adversária, chamando-a de "dona da verdade" por aprovar a vacinação  de crianças, o que nas economias mais avançadas do mundo já tinham feito. As declarações diárias e  estapafúrdias do presidente já viraram piada e não tem a ver com o camarão de Santa Catarina. Certamente ele está engasgado com “lula”.

José Alcides Muller

josealcidesmuller@hotmail.com>

Avaré

*

BOLSONARO E A VACINAÇÃO DE CRIANÇAS

“Eu adianto a minha posição: a minha filha de 11 anos não será vacinada. Se quiser seguir o meu exemplo, tudo bem. Se não quiser, é um direito seu”, declarou o presidente da República. Esse homem deveria ser interditado, pois presta desserviço à população. Até quando? Quem irá tomar uma atitude? Ou vão esperar  que um camarão resolva a situação?

Elisabeth Migliavacca

Barueri

*

ANTIVACINA

Pelo visto a obstrução intestinal afetou o cérebro!

Robert Haller

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

MOMENTO DE CAUTELA

O assustador aumento de casos de covid-19 e da gripe influenza entre nós  exige por parte de nossa população a renovação dos cuidados para evitar maior contaminação. Independentemente dos negacionistas existentes no governo, temos de nos acautelar com essas prevenções, para que possamos ter no futuro que está à nossa frente condições de estarmos presentes.

José de Anchieta Nobre de Almeida

josenobredalmeida@gmail.com

Rio de Janeiro

*

INTERDIÇÃO IMEDIATA

Nosso presidente, ao  se manifestar na TV sobre a aplicação da  vacina  contra a covid-19, merece ser interditado, pois tal manifestação é um  convite à  morte de pessoas que poderiam ser salvas. 

Roberto Luiz Pinto e Silva

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

*

‘TARADOS POR VACINA’

Nós, povo brasileiro, "tarados por vacinas", só lastimamos que o Brasil seja presidido por um psicopata anti-vacina.

Paulo Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

BARRADO NA AUSTRÁLIA

Djokovic, você não está com sorte. Se fosse aqui, no Brasil, o presidente Bolsonaro mandava colocar um “tapete vermelho” da aeronave até a sala de espera do aeroporto. Seria capaz de colocar até na quadra de tênis. E, independentemente do resultado do seu jogo, iria te homenagear também como o maior. É uma pena que você foi para o país “errado”.

Tomomasa Yano

tyanosan@gmail.com

Campinas 

*

‘O INCENDIÁRIO DO PLANALTO’

Bem pontuou o editorial do Estado (7/1, A3) ao expressar que se criou um teatro do absurdo na capital federal. Tudo são táticas para atear fogo e tornar absoluto o caos surrealista em que se transformou o País sob o governo de Jair Bolsonaro. Sim, a humanidade é capaz de mergulhar nesse "non sense" lodoso e mortal. Como diria Nietzsche, sob um "perfume fúnebre".

Amadeu Roberto Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

INDIGESTÃO

Por engolir um camarão não mastigado, Bolsonaro foi internado novamente no hospital. Pelo que indicam as ameaçadoras pesquisas de intenção de voto, o presidente e o Brasil terão de engolir Lula em outubro próximo. Haja estômago para tamanha indigestão!

J.S. Decol

decoljs@gmail.com 

São Paulo

*

AUMENTO PARA PROFESSORES

Bolsonaro é um sem noção. Privilegiou com aumento para 2022 a estrutura da polícia federal em todo o Brasil. Vai beneficiar aproximadamente 70 mil servidores que já ganham bons salários. Vem beneficiando também os militares. Ambas as classes têm o meu respeito . Porém, ele esqueceu dos 2,5 milhões de professores que são muito mal pagos. Diria que ganham salários de fome. Então o que podemos esperar para o futuro deste País? Ponto para o desprezível Doria, que vai aumentar em 73% o salário dos professores de São Paulo. Nota zero para o Bolsonaro .  Não percebeu o furo eleitoral que deu. 

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

São Paulo

*

RESSURREIÇÃO DE LULA

O candidato à presidência da República, Sergio Moro, não disse tudo ao afirmar que o presidente Jair Bolsonaro “ressuscitou Lula”. Bolsonaro trouxe de volta o Partido dos Trabalhadores (PT) com toda a sua cúpula.  As bandeiras vermelhas também ressurgirão das cinzas.   Parece um pesadelo. O homem tinha tudo para fazer um bom governo e deixar a esquerda no ostracismo,  mas desperdiçou a oportunidade. Isso vai custar caro para todos nós, brasileiros. Depois de tudo o que aprontaram com o Brasil, veremos a história se repetir. Prezados compatriotas, não deixemos que isso aconteça, ainda há tempo de reagir, não podemos fazer papel de besta. Pensemos na terceira via.

Jeovah Ferreira 

jeovahbf@yahoo.com.br

Brasília    

*

LULÃO

 

Quem diria que "o homem mais honesto do Brasil" um dia também teria de recorrer aos advogados dos ricos e privilegiados, conhecedores que são dos artifícios e filigranas jurídicas, a fim de se safar  do inevitável xadrez onde iria mofar o resto da vida? Povinho mesmo, de quem ele se acha  paizão, não tem direito nem a advogado de porta de cadeia pelos fundos.

Marcelo de Lima Araújo

marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro  

*

ATRÁS DE CARGO POLÍTICO

O ministro da Saúde, Marcelo "Quedroga", disse que quer se eleger para qualquer cargo político na Paraíba. Na verdade, o povo paraibano é considerado muito politizado e, assim, o ministro vai ter de cortar um 12 para se eleger. Afinal, sua participação no governo federal além de sofrível, coleciona muitas derrotas e mentiras. Quem viver verá! 

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo  

*

SAIDINHA

A mídia noticiou que quase a metade dos presidiários não retornou aos presídios depois das festas de final de ano.  O Brasil mantém soltos, principalmente em Brasília, indivíduos que deveriam estar presos por crimes similares. São aproximadamente 600 parlamentares. Estes cheios de mordomias e regiamente pagos. E, em última instância, foram os grandes culpados, por ação e omissão, da existência dos primeiros.

Iria de Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

INVASÃO DO CAPITÓLIO

Ao completar em 6 de janeiro um ano do horror da invasão do Capitólio,   o presidente dos EUA, Joe Biden, num discurso duro, mas necessário, humilha Donald Trump.  Culpa esse ex-presidente e seus aliados pela invasão do Congresso.  E, além de chamar Trump de “mentiroso”, “perdedor” e de o acusar de não respeitar o resultado das urnas, Biden disse que em razão dessa invasão “Nossa Constituição enfrentou a mais grave ameaça”.  E assim como Trump, seu idólatra, Jair Bolsonaro, também não respeita nossas instituições e apoiou na cara dura suas milícias que desejavam invadir e até fechar o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF). 

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

VETO AO REFIS

Bolsonaro e Paulo Guedes não querem simplesmente acabar com o Brasil economicamente, mas também precisam acabar com as pequenas empresas, com o veto ao Programa de Recuperação Fiscal  (Refis).

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.