Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2022 | 03h00

Eleições

Vítimas ou responsáveis?

Parabéns pelo editorial As Vítimas da crise moral (27/1, A3). Conforme muito bem exposto, o cenário iniciado no governo Dilma, agravado pelo governo Bolsonaro e impactado pela pandemia empurra para miséria cada vez mais a população menos privilegiada. Mais que responsabilizar o Poder Público, devemos fazer a nossa parte e agir contra todos aqueles que, vestidos de suas imunidades circulam pelo Congresso com crachá e salário provido pelo povo, legislando em causa própria, empregando compadres, impedindo leis que ampliam a transparência do governo e alheios à miséria que assola nosso país. Nós, eleitores, sobretudo os mais instruídos, temos o dever sim de nos imunizar das demagogias dos candidatos promovendo a saída deste jogo polarizado de direita-esquerda, cobrando e apoiando aqueles que postulam a renovação. Afinal, quem são os responsáveis? Os atuais políticos ou quem os elegeu? Sei que, assim como eu, milhões de brasileiros não comungam com esta farra e esperam uma terceira via que nos represente e respeite. Não podemos ficar no aguardo, precisamos nos mobilizar, parar de criticar ao vento, sair de espectador para ator, para que essa via seja possível e vencedora.

César Seixas cesarseixas@hotmail.com

Ribeirão Preto

*

Terceira via

O ex-juiz, ex-ministro e atual candidato à Presidência, Sérgio Moro, teve a decência de abrir seu holerite de ganhos como consultor jurídico nos EUA para quem quiser ver. Agora o Brasil quer ver Lula e os Bolsonaros abrirem todas as suas contas. Em outubro próximo, vote na terceira via para mudar o Brasil.

Vicky Vogel vogelvick7@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Verba para campanhas

Sou radicalmente contra o financiamento público. Os nossos impostos devem ter finalidades nobres, tais como educação, saúde, segurança e infraestrutura, e não atividades espúrias. Mas vai ser muito difícil proibir o financiamento privado. Se tal possibilidade vingasse, a saída seria tirar recursos privados não compulsórios dos eleitores. Se dependerem de mim, não levam um centavo. Então acharão um jeito para continuar extorquindo empresas e empresários para bolar novos mensalões e petrolões.

Paulo H. de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

São Paulo

*

Judiciário

Acima da lei

Ninguém está acima da lei. Porém, o próprio presidente Jair Bolsonaro, que deveria ser o moderador desta República, manda às favas a Constituição quando não comparece ao depoimento na Polícia Federal, como determinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre Moraes, cometendo crime de responsabilidade. E, certamente, o presidente da Câmara, Arthur Lira, sofrerá pressão da oposição e da sociedade para que dê prosseguimento a um dos mais de 100 pedidos de impeachment contra o presidente.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Sede pelo poder

“Quando um boi entra num palácio, ele não se torna rei, mas o palácio vira um estábulo”, diz um ditado turco publicado pela jornalista Sedef Kabas. Ela foi presa, mas sua crítica ao ditador turco serve muito bem a outros “mandatários”.

Denise G. Ramos deniseramos@uol.com.br

São Paulo

*

Processo arquivado

A juíza Pollyana Alves, da décima segunda Vara Criminal do Distrito Federal, decidiu arquivar o processo referente ao triplex do Guarujá, pelo qual Luís Inácio Lula da Silva fora condenado no âmbito da defunta Lava Jato. Pobre Justiça brasileira! Não te resta a menor esperança! Serás ridicularizada pelo resto dos tempos e o vento será tua herança.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

São Paulo

*

Congresso

CPI da Covid

Após meses investidos em sessões, debates, entrevistas, no que deu, afinal, a tal da CPI da Covid? O público que acompanhou o processo, até com expectativas de resultados, deveria ao menos ser informado a respeito.

Patricia Porto da Silva portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

__________________________________________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

MINISTÉRIOS DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO À MÍNGUA       

O presidente Jair Bolsonaro foi coerente com os cortes que fez no Orçamento para 2022, especialmente, nos Ministérios do Trabalho e da Educação. Pensando com a cabeça dele tudo fica esclarecido. Afinal, se não gosta de “trabalhar” e tem dificuldade para construir uma frase num razoável português, ele entende que o corte de alguns bilhões de reais não fará falta alguma a esses Ministérios, não é mesmo Bolsonaro? Tem lógica!

Júlio Roberto Ayres Brisola       

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PRIVILÉGIOS

Os privilégios são os maiores causadores da desigualdade no Brasil. Este país só progredirá no dia que fizerem o que manda a constituição: tratar todos com igualdade!

Renato Maia

casaviaterra@hotmail.com

Prados (MG)

*

JUROS BANCÁRIOS

Os bancos brasileiros nadam de braçada, não são contestados por nenhum político, e simplesmente acabam com a vida de pessoas, em especial os mais pobres. Cobrar 350% de juros do cartão de crédito é algo criminoso, mafioso.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

A SOMBRA E A ESCURIDÃO

Lula ou Bolsonaro? Tanto faz. Ambos me lembram daqueles leões do filme A sombra e a escuridão. Aliás, nomes bem adequados. Assim como os leões, ambos são extremamente predadores. Conseguiram sucatear o Brasil e matar de fome a população.  Só conseguem alimentar bem os comparsas, com benesses as mais escandalosas. Como no filme serão abatidos ou presos brevemente. Pensamento positivo. 

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

JOGO DE XADREZ

O presidente Bolsonaro está jogando xadrez com o STF. Ele vai continuar cometendo crimes, provocando, desrespeitando e desacatando o STF até que os ministros caiam na armadilha: assim que houver uma resposta do Judiciário aos desmandos criminosos de Bolsonaro, ele vai realizar o seu tão sonhado golpe. Bolsonaro vai fechar o STF, rasgar a Constituição e passar a governar sozinho, como ele sempre sonhou. Essa jogada de Bolsonaro já foi cantada em prosa e verso, ele não tem o elemento surpresa, até as sombras das árvores já sabem o que ele quer e quais serão seus próximos movimentos. O jogo de xadrez é um ótimo entretenimento para pessoas inteligentes, perspicazes, que sabem desenhar e implementar uma estratégia. Bolsonaro é um apedeuta limítrofe. O tiro vai sair pela culatra, ele não terá apoio do Exército, muito menos do povo, que já está farto de seu governo de destruição nacional. O Brasil vai passar vergonha vendo mais um péssimo presidente da República sendo conduzido para a cadeia. Bolsonaro vai espernear mais do que Lula, talvez consiga algum apoio de alguns cabos e soldados rasos, que darão alguns tiros por ele. Será deprimente e vergonhoso para o País assistir aos últimos lances desse jogo.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO

Se  Moro anunciar que vai convocar uma nova assembleia constituinte, ganha disparado! 


Rubens Fernandes

sualoc@yahoo.com.br

Itanhaém

*

O PETISTA PERDEU TUDO

O petista genuíno perdeu o sentimento de solidariedade para com o seu povo, de nacionalidade para com a Nação e o vínculo umbilical para com a terra na qual nasceu.

Eugênio José Alati

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

LULA INOCENTE?

De acordo com uma matéria publicada no Estadão, a juíza Pollyana Kelly Maciel Medeiros Martins Alves, da 12ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, arquivou a ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex do Guarujá por reconhecer a prescrição dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro imputados a Lula. E aí, com tal decisão, quem é o dono do triplex? Lula pode ser ressarcido por danos morais? Enfim, vamos bater palminhas e fazer arminhas para a corrupção. Sei lá, será que a tal juíza, a procuradora Marcia Brandão Zollinger, os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Martins estão felizes e orgulhosos de serem brasileiros? É este Brasil que desejam deixar para seus herdeiros? Sei lá, eu tenho nojo de ser brasileira, tenho nojo dos atuais representantes dos Três Poderes e nojo de quem defende Lula e Bolsonaro. Meu único consolo, é que não tenho herdeiros para deixar esta republiqueta de Bananas. 


Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

BANGUE-BANGUE TUPINIQUIM

Depois de arquivada a ação penal contra o ficha-suja Lula no caso do triplex do Guarujá por prescrição dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, não será surpresa se o próximo capítulo do imperdível reality show Circus Brasilis for o pedido de detenção do ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro pelo ex-presidente e ex-presidiário. Só mesmo neste macunaímico país de ponta-cabeça um bandido vira mocinho e manda prender o xerife no final infeliz do filme de bangue-bangue tupiniquim. Pobre Brasil...

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

DITADURA?

Há um tipo de concerto no Judiciário  programado para este ano eleitoral: vamos constranger, oprimir, perseguir o presidente Bolsonaro, tornar-lhe a vida impossível, ao mesmo tempo que vamos declarar prescritos os crimes cometidos por Lula. Assim, vivenciamos uma ditadura imposta pelos  togados. O beneficiado com esta brandura já saiu acenando a  bandeira da vitória, declarando ser inocente. Pergunta: de quem será o triplex? Sabemos que uma prescrição não significa inocência, mas este discurso convence seus eleitores. E num debate político no futuro próximo Lula pode vestir a máscara de vítima. O grande culpado disto tudo? Sérgio Moro, que deixou frestas abertas no processo da Lava Jato, intencionalmente ou não, resultando em que todo seu serviço e de sua equipe voltasse à estaca zero, privilegiando um ex-presidente bandido, ladrão e corrupto. Incompetência ou excesso de vaidade? Eu acredito que tem muito mais coisas que não sabemos. Só nos resta lutar para que o Poder Judiciário não continue se impondo sobre os demais!

Mara Montezuma Assaf

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

DEMOCRACIA & JUSTIÇA – SÍMBOLOS NACIONAIS

Nos Estados Unidos, a Estátua da Liberdade é um símbolo da democracia.

Mas a democracia do Brasil tem dois: o sítio de Atibaia e o triplex do Guarujá...

Ademir Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

CAPITAIS CONSTRUÍDAS SOBRE RIOS

São Paulo e Belo Horizonte são cidades edificadas sobre bacias fluviais, com dezenas de rios invisíveis e canalizados sob suas principais avenidas ou a céu aberto, como o Rio Tietê, em São Paulo, entre muros artificiais, facilmente transbordados, quando chove muito, e voltam a seus leitos naturais. Muitas outras cidades do mundo e do Brasil apertaram ou esconderam seus rios sob o cimento de suas cidades que boiam sobre bacias hidrográficas escondidas. Uma existência com enchentes anunciadas. 

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

FUTURO DA LOGÍSTICA MULTIMODAL NA ENTREGA

As entregas por drones fazem parte da logística do futuro: quadricópteros não tripulados entregando pacotes rapidamente às nossas portas, eliminando os tempos de espera e os custos da mão de obra humana. Já fazem também parte do presente: há dezenas de empresas que utilizam este tipo de transporte em entregas e localidades especiais. Principalmente quando a preocupação de urgência ou segurança é grande, como ocorre com remédios, suplementos médicos, documentos, equipamentos muito especiais, etc. Mas, ainda, por algum tempo, do ponto de vista puramente econômico, o drone vai perder a competição. A economia da entrega da última milha é baseada na quantidade e no valor transportados, assim como na distância e no tempo de deslocamento. Caminhões e utilitários são e continuarão sendo mais eficientes deste ponto de vista. Muitas entregas em uma área limitada tornam o custo mais barato. E isto não é o que o drone faz. Quanto mais encomendas num local próximo, mais baixo é o custo por encomenda. Os drones podem competir com os caminhões nisso? Não. Um caminhão entrega 100 pacotes e o drone, um. E em relação aos futuros caminhões com direção automática, menos ainda. Mas e se o caminhão fizesse o principal deslocamento do armazém até o destino comum entre as cargas, a partir de onde os drones concluíram as entregas em cada local particular? Os drones vão decolar a partir dos caminhões e levar os pacotes. E estes nem precisarão parar em cada local, nem ir até os destinos finais, nem entrar nas regiões mais congestionadas. Bastaria chegar suficientemente perto, até onde valer a pena, e a partir daí mandar os drones concluírem o serviço. O Brasil só está engatinhando no uso dessas tecnologias, mas sonhar com o seu aprimoramento é algo que não custa. O único problema é que dirão que os caminhões brasileiros com inteligência artificial gostam de delegar suas funções. Tudo bem, por enquanto eles ainda não têm sentimentos e não vão ficar magoados.

Jorge Alberto Nurkin

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.