Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2022 | 03h00

Bolsonaro na Rússia

O que mudou?

“Por mais terras que eu percorra, não permita Deus que eu morra sem que eu volte para lá.” Assim cantavam os heroicos pracinhas da Força Expedicionária Brasileira nos campos de batalha contra as forças fascistas e nazistas na Itália, que mataram 467 soldados brasileiros e 6 milhões de judeus. Na Itália, no ano passado, Jair Bolsonaro foi fotografado sorrindo, em Pistoia, junto com outros generais brasileiros, numa homenagem aos expedicionários mortos. Agora, Bolsonaro vai namorar o comunista Vladimir Putin na Rússia e o fascista Viktor Orbán na Hungria, em nome da liberdade. Mudou o Brasil ou há cheiro de algo mais no ar?

Etelvino J. Henriques Bechara

ejhbechara@gmail.com

São Paulo

*

Chamem Angela Merkel

Grandes impasses em política internacional precisam de grandes líderes mundiais para articular negociações e alcançar uma solução. Neste colossal imbróglio envolvendo a Ucrânia, que fez parte da União Soviética e, agora, é disputada pela Otan e pela Rússia, ninguém seria mais indicada para mediar o conflito do que Angela Merkel, ex-chanceler da Alemanha. Nenhum líder do Ocidente conhece melhor Putin do que ela, que morou na Alemanha Oriental antes da queda do Muro de Berlim, estudou em Leipzig e fala russo tão bem quanto Putin fala alemão, dos tempos em que chefiava a KGB em Berlim. No momento, as negociações estão sendo feitas pelo presidente francês, Emmanuel Macron, e pelo novo chanceler alemão, Olaf Scholz, bem-intencionados, mas com pouca experiência em negociações desta magnitude. A União Europeia deveria convidar Merkel para ser embaixadora plenipotenciária do grupo de nações, ad hoc.

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

 Porto Alegre

*

INSS

Prova de morte

Ao refletir sobre o editorial Um alívio para os aposentados (Estado, 6/2, B5), não resisto a reiterar uma sugestão que fiz à Previdência Social há quase 24 anos: a substituição da prova de vida pela prova de morte. O suplício da prova de vida a que se refere o editorial não precisa ser apenas facilitado, mas talvez possa ser abolido. Salvo engano meu, os aposentados e pensionistas brasileiros podem ter não só esse alívio temporário, mas a dispensa definitiva de cumprir esse suplício. Explico: ainda na década de 1990, a Previdência Social suspendeu a pensão por viuvez de uma conhecida minha, com a justificativa de que, por não ter comparecido ao banco para receber o benefício, a pensionista “foi dada como morta”. Considerando que nenhum enterro pode ser realizado sem a apresentação de atestado de óbito – que estou chamando de prova de morte –, sugeri a criação de uma lei federal que obrigasse os cartórios a enviar diariamente à Previdência Social os atestados de óbito emitidos a cada dia. Recebi a surpreendente resposta de que tal lei já existe. Ora, se existe, cumpra-se; se não existe, renovo a sugestão. A pensionista, ou ex-pensionista, faleceu alguns anos depois de ter sido “dada como morta”. Com Alzheimer e sem pensão.

João Pedro da Fonseca

fonsecaj@usp.br

São Paulo

*

Criminalidade

Facilidades

Casos de violência na Vila Prudente têm sido relatados nos jornais e mostrados na TV. Os violentados seguem sem proteção; os violentos e criminosos contam com o amparo das leis e de defensores de bandidos. O momento é de tal gravidade que, se não endurecer, não haverá solução. O PIX, por exemplo, é instrumento para um povo civilizado. Onde impera a bandidagem, não pode haver facilidade bancária, tem de ir ao banco para pagar conta, fazer transferência, etc. Sem as facilidades, criminosos terão de assaltar bancos e os cofres públicos, e aqui, no Brasil, tudo se facilita: ainda ontem o Supremo Tribunal Federal reduziu a pena de um condenado por desviar milhões de reais de dinheiro público. É a lei, dirão. Mas quem faz as leis, se não muitos com problemas com a Justiça?

Paulo Tarso J. Santos

ptjsantos@yahoo.com.br

São Paulo

*

IPVA

Ruas esburacadas

Revoltante andar pelas ruas de São Paulo e saber que pagamos 4% do valor do veículo, todo ano, em IPVA. Nem carros 4 x 4 ou motos de cross passam incólumes. Por que outros Estados cobram metade do valor e têm pavimentação melhor que a nossa?

Renato De Mingo Zimmermann

rmzimmermann59@gmail.com

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

MENOS GRIPE E O FIM DA PANDEMIA

O atendimento a pacientes com a síndrome gripal – que chegou com a variante Ômicron do coronavírus – felizmente está diminuindo por todo o País. O quadro foi inicialmente identificado no Rio de Janeiro, onde os registros apontam redução da ordem de 26% na procura por atendimento. Em Jundiaí (SP) diminuiu 57% e em Bauru (SP), 54,4% de uma semana para a outra. Também há registros de redução no número de atingidos pela gripe em Fortaleza (CE) e Teresina (PI). A tendência deve ser nacional, mas não há tabulação sistemática dos dados. O número menor de gripados é visto como indicativo de que o pior do reaquecimento da pandemia pode estar passando, mesmo tendo na terça-feira (8/2) ocorrido 1.174 óbitos no País, o maior número desde 17 de agosto do ano passado. Estruturas especiais montadas para atender à síndrome gripal já são encerradas. Agora, espera-se que a menor letalidade da Ômicron e os 70% da população imunizada criem as condições sanitárias determinantes do fim da pandemia. A população, no entanto, ainda deve se cuidar, evitando aglomerações, lavando as mãos e usando máscara. Até porque a imunização não é garantia de não adoecimento, embora o faça menos grave. Espera-se que a soma de fatores nos conduza ao fim da tormenta. E, inclusive, que os centros de pesquisas e as autoridades sanitárias estejam atentos para a boa finalização do período pandêmico. Muitos já tomaram três doses da vacina. E, se necessário for, que venham a quarta, a quinta e quantas a ciência determinar. Os que fugiram da imunização fazem a maioria dos adoecidos e mortos atuais e, por isso, a população deve ser conscientizada.

Dirceu Cardoso Gonçalves 

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

NUNCA MAIS!

Incrível como o nazismo deixou sequelas em muitas mentes doentias. Nunca mais!

Luiz Frid

fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

NAZISMO PRECISA SER REPUDIADO

Nessa semana, Bruno Aiub, mais conhecido como Monark, defendeu a criação de um partido nazista no Brasil. Monark já foi desligado do Flow Podcast. Em janeiro de 2020, Roberto Alvim, secretário de Cultura, citou Paul Joseph Goebbels, um dos principais colaboradores de Adolf Hitler, durante o anúncio do Prêmio Nacional de Artes. O nome Goebbels nos remete aos sombrios atos do grande especialista do III Reich e do Holocausto. Goebbels participou ativamente do assassinato em massa de cerca de 6 milhões de judeus durante a 2ª Guerra Mundial. Alvim foi desligado da secretaria de imediato. A Justiça brasileira precisa punir Bruno Aiub, para que pronunciamentos semelhantes jamais ocorram.

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdcosta@uol.com.br

Belo Horizonte

*

APOLOGIA AO COMUNISMO

A Câmara dos Deputados analisa proposta de lei que criminaliza a apologia ao comunismo, a partir do Projeto de Lei 5.358/16 de autoria do deputado Eduardo Bolsonaro, que prevê pena de prisão para quem fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos ou propaganda que utilizem a foice e o martelo ou quaisquer outros meios de divulgação favorável ao comunismo. Viu? Nada como um político de visão, um verdadeiro expert em política internacional para chacoalhar de vez as relações comerciais do Brasil com o seu maior parceiro comercial mundial, tanto na área de exportação quanto na de importação, ou seja, a China, país comunista que o clã Bolsonaro insiste tanto em desmerecer. Porém, senhor Eduardo Bolsonaro, muito mais mal ao Brasil advém de políticos como os da sua laia e índole do que dos comunistas que, parece, pararam de comer criancinhas.

Marcelo Gomes Jorge Feres

marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

UM NOVO PARTIDO

O Tribunal Superior Eleitoral homologou a fusão entre PSL e Democratas. Com o “casamento”, nasce um partido político com grande acesso ao Fundo Eleitoral, detentor de bom tempo de propaganda em rádio/televisão e elevado número de parlamentares federais: se não houver migração para outras siglas, a legenda terá 8 senadores e 81 deputados – a maior bancada da Câmara. Agora, muitas dúvidas surgem. Por exemplo: como a agremiação votará nos projetos de interesse do governo? Qual será a sua importância nas eleições de 2022? Apoiará qual candidato à Presidência da República? Vai formar federação com quem? A unidade interna será mantida diante das intenções pessoais e regionais dos seus dirigentes? Como o partido vai se estruturar nos Estados e nos municípios?

Thieser da Silva Farias

thieserfarias94@yahoo.com.br

Santa Maria (RS)

*

DILMA VOLTOU!!

Depois de fazer o que bem entendeu em todas as áreas do governo, a família Bolsonaro vai finalmente começar a fazer o que der na cabeça na economia. Logo mais o ministro Paulo Guedes deverá ser oficialmente substituído pelo senador Flávio Bolsonaro, autor da “PEC Camicase”. O Brasil vai quebrar, a gasolina vai continuar com o preço nas nuvens, mas nada disso importa. A bancada da corrupção, liderada por Arthur Lira, vai continuar não vendo motivo algum para ler qualquer um dos cento e tantos pedidos de impeachment contra o pior presidente da República da história. O governo Bolsonaro é tão ruim que dá até saudades da catastrófica gestão de Dilma Rousseff.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘ESTÁ ENTENDENDO COMO FUNCIONA?’

Editorial do Estadão de ontem (A3) reproduz didática explicação dada pelo líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, de “como funciona” o atual desgoverno e responde ao parlamentar: “Sim deputado, nós já entendemos perfeitamente bem como funciona: Bolsonaro, eleito por 55 milhões de votos, é um presidente só decorativo, cujas determinações são ignoradas por seu próprio governo e por seus aliados no Congresso”. A questão em pauta é a PEC dos Combustíveis, apelidada de PEC Camicase, por ser suicida. O editorial ainda louva a “sorte danada, que as sandices de Bolsonaro não sejam levadas a sério nem na Esplanada dos Ministérios”. O que ainda espanta é como parte de seu eleitorado, que não acompanha a política, ainda leva a sério as tolices do mitomamíaco que elegeu. 

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

A COMPETÊNCIA DE BOLSONARO

Jair Bolsonaro está trabalhando ativamente pelo apodrecimento de nossa sociedade. Desmontou as estruturas destinadas à preservação do meio ambiente e liberou o ataque aos rios com o mercúrio dos garimpeiros e protegeu os bandidos que roubam nossas árvores e as exportam com cobertura federal. Vemos a invasão de armas que se destinam ao crime organizado para que todo o País se torne uma imensa milícia. O abandono da educação das crianças e a destruição da arte e cultura. As bobagens piores das que Dilma realizou, mexendo com o sistema tributário com futuros desequilíbrios que vamos demorar anos para reverter. Finalmente, a autorização para a aplicação de venenos sem controle na agricultura, pouco importa a saúde dos brasileiros. Quem disse que o presidente é incompetente? Ele ajudou a matar mais de 600 mil brasileiros! É muito competente em sua maldade.

Aldo Bertolucci

aldobertolucci@gmail.com

*

VIDENTE

Jair Bolsonaro afirmou a seguidores que nos próximos dias vai acontecer algo que salvará o Brasil. O vaticínio presidencial parece estar dirigido ao STF, ao questionar a diferença entre uma ditadura imposta pelas armas, como é o caso de Cuba, e aquela imposta pelo poder da caneta. O caminho da salvação é único e está com o eleitor, vetando Bolsonaro e Lula.

J. A. Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

DEMOCRACIA SEMPRE

Com o próximo pleito eleitoral se aproximando, as correntes políticas entram num processo de ebulição impressionante, todas querendo se fortalecer com agregações variadas, no sentido de chegarem às vésperas das eleições em outubro devidamente fortes para conquistar o voto do eleitor brasileiro. Como a “democracia é o pior regime inventado pelo homem, exceto todos os demais”, como dizia Churchill, aguardemos que tal realidade ocorra, e que novas e éticas lideranças sejam eleitas entre nós, no sentido da continuidade da luta pela construção da grande Nação que tanto sonhamos e temos condições de ser.

José de Anchieta Nobre de Almeida

josenobredalmeida@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PSDB PARTIDO

No partido tucano PSDB, partido ao meio no embate entre apoiadores da candidatura de João Doria à Presidência e antidoristas, como Aécio Neves, Tasso Jereissati, José Aníbal, Pimenta da Veiga e Eduardo Leite ,está voando pena para todos os lados. Em vez de se unirem em apoio a um nome de seu time, preferem alimentar descabida animosidade de egos, prejudicando a campanha do governador paulista, legítimo vencedor das prévias do partido para disputar a faixa presidencial. Como se vê, o pior inimigo do partido é o próprio partido. Um absurdo!

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

PRESCRIÇÃO

Se há uma questão atual que mereça discussão e decisão urgente, antes que seja tarde, é a prescrição por decurso, ou retardo proposital, de prazo, obrigando ao arquivamento de processos inconclusos por crimes de corrupção! Tais crimes deveriam ser imprescritíveis, ainda mais quando envolvessem aspirantes a cargos eletivos! Mais grave ainda é a redução do prazo de prescrição para 5 anos para maiores de 70 anos, como no caso de Lula. A idade que impede a continuidade do processo por corrupção deveria também impedi-lo de concorrer à Presidência da República. É surreal o que está acontecendo!

Décio Antônio Damin

deciodamin@terra.com.br

Poá

*

AGRADO COM CHAPÉU ALHEIO

Para contra-atacar prefeitos que aderiram ao lockdown do comércio em face da pandemia, Jair Bolsonaro e seu ministro da (des)Educação, Milton Ribeiro – aquele que foi denunciado por homofobia – resolveram dar aumento aos professores da ordem de 33,24%. Não que não o mereçam, mas o aumento é impraticável na maioria das cidades. Afinal, dar agrado com o chapéu alheio é fácil, difícil mesmo é dar absorventes femininos às mulheres mais vulneráveis. Esse é o caráter do nosso presidente!

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

VOCABULÁRIO BÁSICO

Goedemorgen (bom dia), goedendag (boa tarde), goedenavond (boa noite), ja (sim), nee (não), bedankt (obrigado) e Op sommige vlakken, ja, meneer (com todo respeito, sim, senhor.).

Que Jair Bolsonaro, seus familiares e seu séquito governamental já aprendam esse vocabulário básico em holandês, para utilizá-lo no dia a dia no cárcere, em Haia, na Holanda, tendo em vista o recebimento do relatório da CPI da Covid pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), por crimes contra a humanidade. Boa “estadia”!

Túllio Marco Soares Carvalho

Tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

TRIPÓLIO

Se mesmo com a Oi, os serviços de telefonia entregues já eram péssimos, não respeitavam absolutamente nada, imagina com o tripólio. As coisas podem piorar, mesmo já sendo péssimas.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

 



 




 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.