Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2022 | 03h00

Viagem à Rússia

Cautela

É oportuna a visita à Rússia pelo presidente Bolsonaro e comitiva em momento de tensão entre este país e a União Europeia, com acúmulo de tropas russas e da aliada Belarus ao longo da fronteira com a Ucrânia, desejosa de integrar a confraria da Otan, configuração inaceitável para os propósitos estratégicos de defesa da Rússia? Pergunta difícil de ser objetivamente respondida. É óbvio que o encontro entre os representantes dos dois governos já devia estar articulado mesmo antes da escalada do impasse. Assim, é fundamental que qualquer membro da nossa comitiva, chamado a se manifestar, se atenha a analisar estritamente os objetivos previamente estabelecidos, de estreitar laços diplomáticos e comerciais entre os dois países, e passe bem ao largo de qualquer posicionamento favorável, mesmo que sutil, a alguma das partes envolvidas na questão. Caso contrário, surgirão sérios problemas com os membros da União Europeia e com os EUA, caso se pronuncie a favor das pretensões russas, ou com a própria Rússia, caso seja vislumbrada alguma simpatia pelos anseios ucranianos. Assume, portanto, importância capital o rigoroso acompanhamento pelo Ministério das Relações Exteriores da marcha dos contatos e das negociações, a fim de evitar que transpire algum comentário que possa ser mal interpretado. Cautela é a palavra de ordem.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com   

Rio de Janeiro

*

O sábio

Será que a multifacetada e proverbial sapiência de Bolsonaro lhe permitirá aconselhar Putin sobre qual seria a melhor estratégia bélica que permita fagocitar seu apetite territorial, evitando terríveis consequências?

Jorge Spunberg jspunberg@gmail.com

São Paulo

*

Pá de cal

A visita de Bolsonaro à Rússia equivale a visitar Hitler dias antes da invasão da Polônia. Não, ele não vai tentar dissuadir Putin de invadir a Ucrânia e iniciar uma guerra mundial. Mas não é difícil de imaginar que Bolsonaro vá dizer alguma bobagem que de alguma forma alinhe o Brasil à Rússia, o que neste momento seria catastrófico para o País. Faz tempo que o mundo civilizado ensaia impor sanções ao Brasil, e esta viagem pode ser a pá de cal que falta para enterrar de vez o Brasil na lata de lixo das nações.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

No país do Bolshoi

O capitão decidiu não levar o secretário de Cultura, Mario Frias, na comitiva da viagem à Rússia, país de Tchaikovski e do Bolshoi? Justo Frias, que precisa de uma intensa dose de cultura?

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

Secretaria de Cultura

Mamata

O secretário especial de Cultura, Mario Frias, que disse que a mamata da Lei Rouanet tinha acabado, usa a mamata só para si: foi passear por cinco dias com seu assessor em Nova York para “conversar” com um pugilista sobre um projeto esportivo. Foi em regime de urgência e gastou quase R$ 80 mil de dinheiro público. O discurso de que este governo é idôneo vai mais um pouco para o fundo do poço.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

Segurança pública

O bagaço da laranja

O Supremo Tribunal Federal cobrou do governo fluminense apresentar plano para redução de letalidade policial nas operações em comunidades. Muito humano o propósito, mas a teoria, na prática, não é fácil. As operações policiais nas favelas já são cercadas de inúmeras limitações e protocolos de proteção à população ordeira, contra bandidos de alta periculosidade, fortemente armados e em posição vantajosa nos confrontos. É a laranja que não tem mais o que espremer.

Marcelo de Lima Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

Covid-19

Reforço vacinal

A 4ª dose da vacina contra a covid-19 é fundamental diante do avanço da variante Ômicron e da subvariante BA2. Temos de combater tanto o coronavírus como a infodemia (pandemia de informações falsas), e divulgar que a continuidade da imunização protege a população em geral das novas cepas, principalmente os mais idosos e reduz os efeitos dos sintomas da doença no corpo e as internações hospitalares.

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ELEIÇÃODEMIA

No Brasil as duas variantes mais agressivas e perigosas são: o lulavírus e o bolsonavírus.

Previnam-se! A vacina mais eficiente é o voto consciente contra a corrupção e a incompetência.

José Paulo Cipullo

j.cipullo@terra.com.br

São José do Rio Preto

*

PÚBLICO E PRIVADO

Os pastores que sempre enfiaram as mãos nos bolsos dos fiéis agora enfiam as mãos em dinheiro público!

Renato Maia

casaviaterra@hotmail.com

Prados (MG)

*

ROUBALHEIRA GENERALIZADA

O Brasil precisa acabar com a roubalheira generalizada de dinheiro público, não é possível que pastores de igrejas evangélicas tenham acesso aos cofres públicos e saiam distribuindo dinheiro para seus compadres. O País precisa dar um basta nas emendas parlamentares, parar tudo até que seja realizada uma auditoria completa, principalmente nas emendas de relator e agora nas emendas do pastor. Não é difícil imaginar que a esmagadora maioria das emendas parlamentares não traz benefício algum para a sociedade, são apenas mecanismos de desvio de dinheiro público. Essa palhaçada já foi longe demais, a gula insaciável da bancada da corrupção, dona do Congresso, tem de acabar e os pastores das igrejas evangélicas têm de ficar bem longe dos cofres públicos.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

GOVERNO INCOMPETENTE      

O governo de Jair Bolsonaro mostrou seu alto grau de incompetência. Ora, enviou ao Comitê da Organização das Nações Unidas (ONU) documentos que fazem referência a planos de direitos humanos desenvolvidos por governos passados, sem mencionar o ex-presidiário Lula da Silva e a impedida Dilma Rousseff. Na verdade, Bolsonaro com essa atitude evidencia a sua miscigenação com a “tigrada” petista. Afinal, tudo isso é só para esconder sua estratégia de desmonte de direitos humanos no País. Pobre Brasil!           

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@gmail.com

São Paulo


*

CÂNCER DA DEMOCRACIA

O papa Francisco declarou que a corrupção é o câncer que destrói a sociedade. Vimos recentemente, no Brasil, pessoas aderindo às massas para defender corruptos confessos, o que mostra que há algo acima do bem e do mal, da moralidade, da justiça e da legalidade jurídica. Não é apenas um crime contra a população, e sim sua institucionalização. Este câncer está em todas as esferas do poder e o antídoto ou vacina chamada Bolsonaro não passou de um placebo.

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*


JUSTIÇA E INTERESSES DOS PODEROSOS

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou ilegais as informações obtidas pelo Ministério Público na Receita para uso em investigações, ou em ações penais, sem que tal obtenção tenha sido autorizada pela Justiça. Ou seja, o Direito não é, necessariamente, o instrumento da Justiça, porém, muitas das vezes, instrumento criado e manipulado por pessoas que atuam em favor das injustiças, já que poder político é algo que permeia os interesses dos que podem mandar, articular e forjar o direito e a justiça que, ideologicamente, mais lhes interessam.

Marcelo Gomes Jorge Feres

marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*


PROCESSOS

Para evitar custos e tempo dos senhores ministros do Supremo Tribunal Federal, sugiro que façam um levantamento de todos os processos contra todos os políticos e já os livrem, como estão fazendo com os digníssimos senhores Lira, Renan e Jader, este último transportado de avião algemado e hoje é senador da República. Na maioria dos casos, as provas imputadas não ficaram comprovadas, alegam os ministros.

Ariovaldo J. Geraissate

ari.bebidas@terra.com.br

São Paulo

*

DIREITOS HUMANOS PISOTEADOS PELO BRASIL

Os povos respondem pelos atos dos governantes que elegeram. Bolsonaro na ONU leva à decrepitude os direitos humanos, o Brasil.

Quem outorga mandato tem o direito natural de revogá-lo. Assim ocorre com os judiciais, quando o advogado é desleal. Passou da hora de o “impeachment” ser introduzido no ordenamento constitucional. Representação é transferência autêntica da vontade do representante.

Amadeu Roberto Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

NAZISMO E EXTERMÍNIO

A Alemanha Nazista foi responsável pela morte de 70 milhões a 85 milhões de pessoas durante a 2ª Guerra Mundial, deflagrada por Adolf Hitler e seus seguidores, civis e militares, tão logo assumiram o poder, na Alemanha, em 1933. A morte de 6 milhões de judeus tem a ver com a perversa invenção de um inimigo interno para unificar a nação em torno de uma causa. No caso, a pureza da raça ariana e um ressentimento político: as pesadas penas impostas pelo Tratado de Versalhes, cobradas da Alemanha, causadora da 1ª Grande Guerra. Tudo pretexto para deflagrar guerra total contra todas as nações que não participavam do “Eixo”, formado por Alemanha, Itália e Japão. Nazismo é sinônimo de extermínio de todas as pessoas e nações que não pensam como eles, perversos assassinos. 

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

COMBATE AO NAZISMO

É muito satisfatório que a qualquer manifestação sobre o nazismo a imprensa ataque a opção e não permita que as ideias relativas à sua pregação ou manifestação favorável perdurem sem restrições e contestações. A mancha e as barbáries que o nazismo impôs ao mundo civilizado são inapagáveis. É missão de todo ser humano, sensível e honesto, combater a bandeira e a filosofia nazistas. Seus males precisam ser sempre lembrados, a fim de que as novas gerações saibam até onde podem chegar os desatinos do ser humano.

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*


REAJUSTE MERITÓRIO

O reajuste anunciado pelo governo paulista ao funcionalismo público estadual é meritório, afinal, o poder público também deve valorizar os servidores e um reajuste salarial, sobretudo em tempos de inflação nas alturas, é um alento aos profissionais e suas famílias. O que torna o assunto nada positivo é a sensação de casuísmo político, haja vista que o governador é, pelo menos por enquanto, um pré-candidato à Presidência da República. Além disso, parece-me injusto que categorias específicas sejam contempladas com porcentuais mais generosos, enquanto outras terão pouco mais de 10%. Para alguém que se apresenta como um bom gestor é, digamos, contraditório que o Estado mais rico da Federação seja incapaz, do ponto de vista econômico e fiscal, de agraciar todos os servidores de forma equânime.

Willian Martins

martins.willian@yahoo.com.br

Guararema

*

BOM DE BICO

João Doria, vendo sua candidatura naufragar, busca apoio no funcionalismo público concedendo, acertadamente, aumento salarial de 20% para o pessoal da saúde e policiais. As demais categorias terão reajuste de 10%, ignorando a paridade. Já os aposentados e pensionistas, sem reajustes desde 2018 e com redução de vencimentos desde 2021 com o aumento da alíquota de desconto para bancar aposentadorias, foram novamente esquecidos. Os tucanos são bons de bico!

J. A. Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

AUMENTOS CONCEDIDOS POR JOÃO DORIA

Li no meu Estadão que o governador de São Paulo está dando um aumento aos funcionários públicos. Sou aposentada do Tribunal de Justiça e venho tendo, assim como meus colegas, desde outubro de 2020, um desconto de 16% nos meus proventos.

Então pergunto: ganharemos os 10% de aumento? E o bendito desconto de 16% será finalizado quando? Afinal por que somos responsabilizados pelo tal do déficit da previdência?

Acredito que todos nós estejamos passando por dificuldades, porém aos 85 anos, aguardo notícias que me deem um alento.

Norma Lins de Araujo 

noralinsa@gmail.com

Socorro

*

AMIL – TACADA DE MESTRE

Muito estranha a tomada de decisão da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Como aprovou a transferência para a tal Assistência Personalizada à Saúde (APS), em dezembro passado, de mais de 330 mil planos de saúde da Amil sem as devidas análises e agora, após a “chiadeira”, volta atrás? A jogada da Amil foi de mestre, e a ANS e seus clientes não percebem que esta foi a forma de se livrar desta carteira que a operadora alega dar prejuízo. Ela pressiona clientes por meio do descredenciamento dos prestadores. Preocupados, os clientes partem para a portabilidade ou desistem dos planos e a Amil se livra de 337 mil clientes. Simples Assim! Outro fato estranho: entrega a carteira de clientes e mais R$ 3 bilhões. O Natal não foi em dezembro?

Luiz Carlos Lombardo

luizclombardo@gmail.com 

Embu das Artes

*

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.