Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2022 | 03h00

Educação

Resgate urgente

Pelos dados do Saresp, o exame que avalia os alunos da rede paulista de ensino básico, a Educação em frangalhos, como registrado no editorial (Estado, 6/3, A3), certamente era um resultado esperado, por várias razões, e simplesmente aprofundado pela pandemia, o que também não foi novidade. O ponto é que nas duas áreas avaliadas, Língua Portuguesa e Matemática – básicas para o avanço nas demais áreas do conhecimento –, as deficiências dos estudantes vêm de muito tempo, e pouco ou quase nada foi feito para superar essas dificuldades. Que o resgate em massa é necessário e urgente todos sabemos, a questão é como fazer. No caso de Matemática, felizmente existe uma plataforma baseada em inteligência artificial com utilização de metodologia adaptativa desenvolvida pela McGraw Hill, que é utilizada em vários países, inclusive da América Latina, com apoio do Banco Mundial, que permite ao aluno avançar seu aprendizado de forma personalizada. Essa tecnologia poderá ser extremamente útil para a massa de estudantes de uma rede de ensino como é a rede paulista. Basta vontade política.

Oscar Hipólito, professor titular da USP

ohipolito@uol.com.br

São Paulo

*

Guerra na Ucrânia

Repetição

Parece que a história vai se repetir com a provocação do czar da Rússia. Ele invade a Ucrânia e vemos o Ocidente protestando e impondo sanções econômicas. Isso me faz lembrar a anexação da Crimeia em 2014. Na época, o Ocidente também agiu por meio de sanções contra a Rússia, mas, depois de algum tempo, a coisa esfriou e a anexação se consolidou. Agora, o Ocidente novamente deixa que os ucranianos se defendam contra o poderio russo. Meu receio é de que, passado algum tempo da invasão, reste consolidado o desejo de Putin de anexar ao seu país regiões do país invadido. Não estou desejando uma guerra. Apenas dizendo que o presidente russo precisa ser contido, senão mais adiante ele poderá invadir outros países.

Antônio Dilson Pereira

advdilson.pereira@gmail.com

Curitiba

*

É a economia!

As Sanções que realmente abalarão Putin, de Fareed Zakaria, analista político de The Washington Post, deixa claro que a única maneira de matar a galinha dos ovos de ouro de Putin é a sanção total sobre a venda de petróleo e gás natural da Rússia (Estado, 5/3). Isso seria compensado desobstruindo a importação de petróleo e gás do Irã e da Venezuela e aumentando produção norte-americana. É a economia, estúpidos! Ubiystvo Putin! Matem Putin!

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

Fertilizantes

A dependência do Brasil

O Brasil importa 85% dos fertilizantes que utiliza e a Rússia responde por 23% das importações, dizem os analistas. “Para nós, a questão do fertilizante é sagrada”, afirmou o presidente Bolsonaro diante do conflito na Ucrânia. Mas qual é, de fato, o grau de dependência brasileira dos fertilizantes importados? Nós somos o país da criatividade; o país que, por exemplo, transformou o álcool da cana-de-açúcar numa opção viável de combustível. Será que não conseguimos, dentro de nossas próprias fronteiras, suprir as necessidades de fertilizantes sem depender tanto das importações? Com a palavra, os especialistas.

João Manuel Maio

clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos

*

Soja sem adubo

Tenho feito uma pergunta a vários colegas engenheiros agrônomos, produtores e outros ligados ao agronegócio da soja: o que aconteceria com a produtividade e a consequente produção de soja no Brasil, caso não se adubasse a cultura na próxima safra 22/23. A resposta tem sido unânime: nada. Ou seja, a produção seria normal. De forma geral se desperdiça muito adubo, a maioria dos solos está com níveis de nutrientes altos e não haveria necessidade de adubação. A ciência dos solos hoje, no Brasil, tem um conjunto de argumentos que, se usados, poderiam reduzir muito a adubação, inclusive não aplicando adubo para a cultura da soja, que tem um mecanismo fisiológico que permite aproveitar a adubação residual, ou seja, de outras culturas. Os parâmetros que medem os níveis dos nutrientes nos solos são de grande precisão. Sobram argumentos para dispensar adubação no caso da soja.

Aureo Francisco Lantmann, engenheiro agrônomo

aureofl@gmail.com

Londrina (PR)

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O CANTO DAS DEUSAS

A aurora do amanhecer das mulheres nasce no céu. Com aromas de arco-íris. Suavizam o tempo. Bordadas com a essência da vida. Espantam desventuras. Acordam o silêncio. Embelezam jardins da alma. São as mulheres que guardam as horas da esperança e do amor. Com sorrisos ecoando pétalas. 

Vicente Limongi Netto

limongineto@hotmail.com

Brasília

*

TIRANIA

Uma das grandes tragédias da guerra na invasão russa na Ucrânia é ter certeza de que a grande maioria dos soldados russos não tem a menor noção de por que o faz. Um ditador é capaz de destruir seu próprio povo. Oremos.

Luiz Frid

fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

O INFALÍVEL FALHOU!

Putin, o estrategista militar considerado infalível, falhou, e a guerra que deveria durar três horas, já vai para duas semanas, pode durar meses... Pior é que falhou no planejamento de guerra... Agora ele sabe que não basta ter homens e equipamentos para derrubar um inimigo, precisa conhecer muito mais, principalmente saber que os soldados necessitam ser alimentados e possuir equipamentos em condições de uso. Hilário é que um presidente sul-americano acreditou nas palavras do Putin e deu apoio. O resultado? Todo mundo sabe...

Toshio Icizuca

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

BORIS E BOLSONARO

A “conversa” de Bolsonaro com Boris Johnson deve ter sido tão irrelevante que não mereceu comentários do premiê britânico ou divulgação na mídia.Talvez Bolsonaro a tenha iniciado contando piadinhas de escocês e comentando sobre seu cabelo. Depois dos comentários grosseiros de nosso presidente sobre a esposa do francês Macron e da absoluta ausência de noção do que se passa no mundo, Boris deve ter utilizado sua fleugma para mandá-lo catar coquinhos!

Cesar Araujo

cesar.40.araujo@gmail.com

Ribeirão Preto

*

BRASIL PASSANDO VERGONHA NA GUERRA

Um político brasileiro em pleno exercício de seu mandato foi para uma zona de guerra e se aproveitou da extrema fragilidade das mulheres ucranianas que deixaram seus maridos lutando na guerra e fugiram para salvar a própria vida e a vida de seus filhos. Esse assunto extrapola a esfera da discussão política partidária, a justiça brasileira deve punir exemplarmente o deputado que cometeu essa infâmia contra as mulheres ucranianas, vítimas da guerra.

Mario Barilá filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

MAMÃE CALEI

Depois de vazados os deploráveis, repugnantes e asquerosos áudios das condenáveis e inaceitáveis declarações misóginas, sexistas e machistas do deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP) – integrante do Movimento Brasil Livre – (MBL) – sobre as mulheres ucranianas, recomenda-se a ele que mude seu epíteto de “Mamãe Falei” para “Mamãe Calei”. A sua fala ao voltar de uma “viagem humanitária” a um país em guerra é de uma inconsequência e boçalidade sem limites. Merece o repúdio, a condenação e a lata de lixo! Fora Do Val!

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

JUSTIFICAR O INJUSTIFICÁVEL

A fala deplorável do deputado estadual Arthur do Val, popularmente conhecido como Mamãe Falei, mostra o que há de mais deplorável na política brasileira. Alegar empolgação para justificar comentários machistas, desrespeitosos e desumanos foi inacreditável.

A situação exige que a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) tome providências quanto à cassação de seu mandato. Em qualquer democracia verdadeiramente séria, um caso como esse faria com que o detentor do mandato pedisse renúncia. Mas, ao que tudo indica, a renúncia não foi cogitada. 

Além disso, o Podemos, cujo pré-candidato à Presidência da República é um ex-juiz, deveria acelerar o processo de expulsão do parlamentar. A demora de atitude macula a campanha do presidenciável e, principalmente, passa a impressão de conivência por parte da cúpula da sigla.

Que o eleitor paulista não deposite seu voto em deputados, senadores, governadores, enfim, em políticos que tenham esse tipo de pensamento. Precisamos dar às mulheres oportunidades de crescimento, desenvolvimento, proteção e segurança. 

Willian Martins

martins.willian@yahoo.com.br

Guararema

*

CONTANDO OS DIAS

Muito interessante o alerta contido no editorial O Roto e o Rasgado publicado no Estadão (A3, 6/3), lembrando aos eleitores de 2 de outubro próximo que, em se trocando Bolsonaro por Lulla, ou mesmo reelegendo aquele, o grande passo para o retrocesso será dado! A anarquia, no seu pior sentido, tomará corpo neste país que, aliás, nunca abraçou por inteiro a democracia vigorante nos rincões minimamente civilizados! Não estou, com isso, afirmando que a eleição de uma terceira via transformará a água em vinho da noite para o dia, mas, ao menos, o primeiro passo rumo à civilização será dado! Basta que esse movimento transformador se organize, alijando de vez a vaidade que acomete a grande maioria dos atores políticos do nosso – espero que por enquanto – Pindorama!

Emmanoel Agostinho de Oliveira

eaoliveira2011@gmail.com

Vitória da Conquista (BA)

*

DE GAULLE JÁ SABIA

Quanto ao processo na Lava Jato na compra dos caças suecos Gripen, agradecido a quem o nomeou, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, por supostas provas ilegalmente obtidas por hackers, está coberto de razão ao livrar o ex-presidente e ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva, “o homem mais honesto do Brasil”, das infundadas acusações sem recibo com firma reconhecida. Assim é difícil de o Brasil acertar o passo. De Gaulle já sabia.

Humberto Schuwartz Soares

h-s-s@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

MARINA SILVA

Marina Silva é petista doente. O sonho dela sempre foi se tornar a herdeira política de lula. Ela só brigou com o PT no dia em que descobriu que lula deixaria a herança para Dilma Rousseff. Ela não tem nada a acrescentar para o progresso do Brasil!

Renato Maia

casaviaterra@hotmail.com

Prados (MG)

*

POUCO-CASO

Desde o ano passado o Ministério Público Federal aguarda que a plataforma russa Telegram responda às “qüestões” – como diz Bolsonaro – sobre a política de desinformação, mais conhecida como fake news, aqui no País. O silêncio sepulcral, certamente, é por determinação de Jair Bolsonaro, que não consegue alçar voo à reeleição. Afinal, por nem mesmo possuir representação aqui, entende o povo de bem que o Brasil não pode ficar refém dessa escorchante situação imposta pelo Telegram. Com a palavra o Supremo Tribunal Federal.  

Júlio Roberto Ayres Brisola         

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

MACHISMO

O único candidato que merece o voto de todas as mulheres brasileiras é o Sérgio Moro. Os outros são execráveis!        

Lourdes Migliavacca

São Paulo

*

 VISÃO UNILATERAL

Narro algo que dizem ter acontecido na 2ª Guerra Mundial. Um batalhão entregou ao inimigo um ponto estratégico sem ter dado um tiro. O comandante desse batalhão foi levado a uma corte marcial. Iniciado o julgamento, o juiz perguntou-lhe por que é que tinha entregue o ponto estratégico ao inimigo sem ter dado um tiro sequer. Respondeu o comandante: “Por 10 razões. A primeira, tinha acabado a munição”. O juiz: “Chega, não precisa citar as outras 9”.

Por que o povo não consegue suportar os diabólicos aumentos da Petrobras? Por 10 razões: a primeira, o povo está sem dinheiro pelo fato de os desgovernos o terem levado à falência. Não sabem capitalizar antes o povo para depois encontrarem dinheiro nele. Só sabem descapitalizá-lo. É isso. Sejam sábios, fiquem com Deus.

José Carlos

jcpicarra2019@gmail.com

São Paulo

*

INVASÃO DE AGENTES FINANCEIROS

É preciso acabar com essa invasão já! Invasão absurda, protagonizada por agentes financeiros, oferecendo empréstimo a torto e a direito. Pessoas ameaçadas por desemprego e outras aflições de ordem material se tornam alvo para o bombardeio de mensagens que nos atingem todo dia, onde quer que estejamos, interrompendo nossas atividades, tirando nosso sono. Parecem que vêm do céu, mas são trazidas por um batalhão de jovens que devem estar enfrentando dificuldades parecidas e tentam ganhar um troco vendendo ilusões. Uma guerra, protagonizada por poderosos, a causar incontáveis vítimas.    

Patricia Porto da Silva

portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

PREOCUPAÇÃO COM NOSSA POLÍCIA

A mídia nos informa que a polícia tem sido ausente em muitas infrações à lei. Em um mundo cada vez mais informatizado se tem a impressão de que a Polícia Civil fica sentada nas delegacias à espera de cidadãos que venham fazer boletins de ocorrência que vão para as gavetas, sem continuidade. A Polícia Militar sabe dos assaltos nas escolas e em áreas que durante anos são alvo de bandidos, mas os policiais não comparecem. Nos crimes eletrônicos, então, parece que estamos na Idade da Pedra: policiais treinados para a informática do século 20 tendo de conviver com crimes do século 21. Será que nossos governantes não percebem esse despreparo? Por que não tomam providências para tornar os policiais mais eficientes em suas atribuições?


Aldo Bertolucci

aldobertolucci@gmail.com

*






 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.