Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2022 | 03h00

Guerra na Ucrânia

O petróleo russo

A Rússia é responsável por cerca de 7% das exportações de petróleo do mundo, e, com o conflito na Ucrânia, a commodity atingiu cotação histórica. Concluo que ainda somos muito dependentes do petróleo e estamos longe de trocá-lo por fontes de energia mais limpas. Pelo visto, ou morreremos numa guerra nuclear ou vítimas dos efeitos das mudanças climáticas.

Vital Romaneli Penha

vitalromaneli@gmail.com

Jacareí

*

A opção venezuelana

Pergunto às nações que estão querendo negociar com a Venezuela: vocês acreditam, mesmo, que só a Rússia tem “sangue” no petróleo? Vocês acreditam, mesmo, que o regime da Venezuela é diferente do de uma guerra?

Grace Grunberg

gracegrun@yahoo.com.br

São Paulo

*

Sanções devem continuar

Quanto mais tomamos conhecimento dos horrores desta guerra, como é que alguém – e eles existem – pode defender um conflito armado ou de alguma forma tentar justificar o crime deste ditador desprezível? As sanções têm, sim, de permanecer e ser ampliadas na medida do possível.

Carlos Ayrton Biasetto

carlos.biasetto@gmail.com

São Paulo

*

A guerra de Putin

Inteligência estratégica Vladimir Putin teria se entendesse que o inimigo maior da Rússia e do Ocidente é a China, cujo bem-sucedido neocolonialismo consiste em “comprar” países mundo afora. O sudeste asiático, a África e partes da América Latina (o Brasil, inclusive, sob o aspecto setorial) já estão econômica e politicamente subjugados pela China. A estratégia inteligente seria a Rússia se aliar ao Ocidente e promover a neutralização da conquista econômica do mundo promovida pela China.

Benno Franz Kialka

benfranz.psicanalista@gmail.com

Itajubá (MG)

*

Futuro

Pandemia, ameaça de uma guerra nuclear, destruição de ecossistemas. Há perspectivas de um futuro não sombrio para a humanidade?

Roberto Mendonça Faria

faria@ifsc.usp.br

São Carlos

*

Meio ambiente

Grilagem na Amazônia

O senador José Serra coloca a questão da grilagem de terras na Amazônia mostrando que o próprio Código Florestal, de 2012, ao criar o Cadastro Ambiental Rural (CAR), abriu as portas para a grilagem e o desmatamento de áreas públicas da Amazônia (Estado, 10/3, A4). Como se vê, a criatividade dos bandidos para se apropriar de patrimônio público é notável. Criminalizar o uso fraudulento do CAR com duras penas é urgente.

José Elias Laier

joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

Fundo Eleitoral

A chancela do STF

Excelente o artigo do dr. Modesto Carvalhosa na edição de 9/3 do Estado. Nele, fica claro que o Supremo Tribunal Federal (STF) continua a interpretar a Constituição conforme suas vontades, e não como deveria ser. De acordo com ele, o STF, dizendo que não pode interferir no processo legislativo, que é soberano, permitiu a apropriação de quase R$ 5 bilhões de recursos públicos pelos partidos políticos e seus donos, por meio de uma lei ordinária (nos dois sentidos...). Essa doação bilionária somente poderia ser criada por emenda constitucional. Finaliza o dr. Carvalhosa: “O Fundo Eleitoral é uma ofensa e uma afronta à situação de pobreza e miséria em que vive a maioria do povo brasileiro”. Realmente, este fundo é um crime ignóbil contra a população.

Alroger Luiz Gomes

alroger-gomes@uol.com.br

Cotia

*

Alesp

Ética e respeito

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) está bem representada pela “nova política”, resultante das eleições de 2018: um deputado comete assédio contra uma colega parlamentar em pleno plenário (apenas seis meses de suspensão do mandato); um outro deputado ofende de forma grosseira as autoridades eclesiásticas (apenas três meses de suspensão do mandato); e, recentemente, um deputado youtuber em “missão” na Ucrânia ofende despudoradamente as mulheres como “fáceis porque são pobres”. Haverá punição? Imunidade parlamentar não significa impunidade. São Paulo merece respeito!

Geraldo Tadeu Santos Almeida

gege.1952@yahoo.com.br

Itapeva

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

RÚSSIA BOMBARDEIA MATERNIDADE

Certamente ficará registrada na história do século 21 a comovente e impactante foto de capa do Estadão (10/3, A1), que registrou uma mulher grávida (!) sendo retirada de maca por soldados e voluntários ucranianos após uma maternidade e hospital pediátrico da cidade de Mariupol serem criminosa e covardemente bombardeados pela aviação do Exército russo. Trata-se, evidentemente, de um crime de guerra imprescritível, uma atrocidade abominável e inominável a mando do sanguinário tirano Vladimir Putin, “o pequeno”. Merece a condenação da humanidade e a lata de lixo da História. Viva a Ucrânia livre e soberana. Fora, Putin!

J.S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

O DELÍRIO DE PUTIN

Definição de delírio: convicção errônea mantida por uma pessoa, baseada em falsas conclusões tiradas dos dados da realidade exterior, e que não se altera mesmo diante de provas ou raciocínios em contrário. O presidente da Rússia está delirando em todas as suas alegações, nada do que Putin diz faz sentido: a Ucrânia não é governada por nazistas, não há massacre de russos em território ucraniano. Nada que Putin fala se justifica, ele invadiu a Ucrânia porque quis e ponto. O delírio de Putin prossegue bombardeando hospitais e maternidades, atacando as principais cidades da Ucrânia, muito longe de onde ele alega haver perseguição aos russos, Putin diz que não quer derrubar o governo da Ucrânia mas age como se quisesse destruir o país inteiro. A psiquiatria tem muitos estudos sobre como lidar com pessoas em surtos de delírio e esses estudos devem ser levados em conta para tratar Vladimir Putin, um louco com acesso a um gigantesco arsenal nuclear.

Mário Barilá Filho 

mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

CONHECER O INIMIGO

“Desnazificação” foi o termo usado pelos aliados da 2;ª guerra para eliminar a influência de Hitler na Alemanha. O que impressiona na Ucrânia é que o grupo que liderou e lidera o golpe a partir de 2013 é supremacista branco (racista), e quem comandou e comanda do exterior esses nazistas é o complexo industrial militar dos EUA, instalado no interior de seu sistema de segurança (Pentágono). Moral da história: o combate na guerra fria à URSS (países socialistas), que Hitler tinha como inimigo principal, se transferiu para esse complexo, que comanda todo o Ocidente. Os dois partidos dos EUA são submissos a esses interesses, possuem uma máquina de propaganda muito mais poderosa que Hitler, acrescida da internet com bilhões de dados que manipulam, sem os socialistas para enfrentá-los. Esse é o perfil do inimigo dessa guerra, que usou a Ucrânia como “bucha de canhão” e a Rússia (a China mais na frente), inimiga central.

Antonio Negrão de Sá

negraosa1@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

PUTIN NÃO TEM SAÍDA

Preocupante a conclusão a que chega o notável analista Thomas Friedman, do [The New York Times, em sua coluna no Estadão (Putin não tem saída, e isso realmente assusta, 1o/3, A17). Sua opinião é a mesma que já externei aqui no Fórum dos Leitores. Putin já está derrotado, mesmo vencendo em sua total ocupação da Ucrânia. O desgaste pessoal pode tirá-lo do poder. Ele não esperava ter todo o mundo ocidental contra si. Uma vitória de Pirro. Ganha mas não leva. O descontentamento interno na Rússia, que gozava de seu melhor momento, destruído pela obsessão de Putin em restaurar a mãe Rússia imperial, pode custar-lhe o poder. Vence na Ucrânia e é derrotado na Rússia. Ganha novos anéis mas perde os dedos. Uma lição histórica aos candidatos a ditador totalitário de todos os matizes ideológicos.

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

TAL QUAL

Tenho acompanhado as falas de Putin justificando o injustificável. A agressão imotivada à Ucrânia. Mas, teletransportando para o Brasil, sua arrogância me faz lembrar nossos ministros do STF, em especial quatro deles que os cito: Moraes, Fachin, Barroso e Ricardo. Não preciso nem dar detalhes haja vista suas exposições públicas amplamente divulgadas pela mídia. Deixo de fazer maiores comentários pois os demais não passam de zero à esquerda, literalmente.

Iria de Sá Dodde

Rio de Janeiro

*

INCLUSÃO

O maior projeto de inclusão social que podemos ter no Brasil é incluir a ética, a honestidade e a responsabilidade na vida política e jurídica do País. 

André Coutinho

arcouti@uol.com.br

Campinas

*

O PODER DA MULHER RUSSA

No Dia Internacional da Mulher Putin fez um discurso brilhante dirigido às mães e às esposas dos soldados russos que estão na Ucrânia. Segundo suas palavras, é graças a elas que seus filhos e maridos estão arriscando suas vidas. Faltou dizer que entre 10 e 20 mil soldados russos já morreram nesse conflito imbecil e que, no próximo mês, elas certamente vão perceber o ocorrido. Essas mulheres, reunidas com as mães e mulheres dos 150 mil demais soldados que continuam morrendo diariamente em troca de nada na Ucrânia, têm cacife mais do que suficiente para derrubar Putin. 

Por coincidência, entre elas, estão as mães, as esposas e as filhas dos donos do poder na Rússia. O matriarcado russo promete, em breve, mostrar a sua força. 

Jorge Alberto Nurkin 

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

MULHERES

O “elogio” de Aras para as mulheres brasileiras que “têm a liberdade para escolher a cor do esmalte das unhas e decidir qual sapato usar” demonstra brilhantemente a mediocridade dos homens públicos atuais.

Lourdes Migliavacca

lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

*

REVISÃO DA VIDA TODA

A questão que se coloca diz respeito a quem está aposentado há mais de 10 anos. Se os valores calculados e concedidos aos aposentados estavam errados, é óbvio que a correção vale para todos, não importando o tempo em que o aposentado passou a receber o valor menor a que tem direito. Falar em prescrição e decadência, neste caso, não faz sentido lógico. Não poderiam tais aposentados ter reclamado antes, até porque os que o fizeram tiveram seus pleitos indeferidos. Portanto, a revisão que abrange as contribuições da vida toda também deve contemplar os aposentados há mais de 10 anos.

Ademir Valezi

valezi@uol.com.br

São Paulo

*

VALE E PETROBRAS

Das ações blue chips na Bovespa, Vale e Petrobras se destacam. Suas cotações eram parelhas (girando em torno de R$ 10) até meados de 2016, mas devido à influência negativa dos governos petistas envolvendo a maior corrupção da  face da Terra, as ações da Vale, mesmo com os desastres em Mariana e Brumadinho, dispararam em relação às da Petrobras. Ainda hoje, refletindo o rombo na Petrobras, as cotações flutuam em torno de R$ 94, a Vale, e R$ 33 a Petrobras.

Humberto Schuwartz Soares

soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

SEMPRE A DESIGUALDADE

Seja congelado ou subsidiado, fato é que o combustível brasileiro, que já é muito caro e tende a ficar mais caro ainda, prejudica substancialmente a população de baixa renda que depende dele para trabalhar, dentre eles os caminhoneiros e autônomos prestadores de serviços. Para a classe média alta, não há e não haverá impacto significativo. É essa a questão: seria preciso criar mecanismos de compensação para reduzir essa desigualdade acachapante, seja por intervenção do governo, seja por acordo direto entre o contratador e o prestador, o que seria muito interessante. O que não é nada interessante é o Planalto tomar atitudes com a cabeça nas eleições. 

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

GASOLINA NA BAHIA

Enquanto isso, aqui na Bahia, o preço da gasolina e do diesel está 27,4% mais cara do que no resto do País. Onde está o Cade?

Emmanoel Agostinho de Oliveira

eaoliveira2011@gmail.com

Vitória da Conquista (BA)

*

A IMAGEM DA ESTUPIDEZ

Bolsonaro personifica a estupidez de Dilma e a ela se nivela quando tenta interferir na Petrobras. Essa empresa não é problema. É solução. Recolhe ao Governo Federal de impostos e dividendos 200 bilhões por ano. Outros tantos aos governos estaduais e municipais. Suas falas contra a empresa podem levá-la a sofrer novos processos contra ela no Brasil e no exterior. Já foi condenada a pagar prejuízos aos acionistas externos. Fica parecendo que está a serviço de manipuladores de mercado com as altas e baixas. Por que não te calas, estúpido?

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O ESTADO É LAICO PARA TODOS

Por disposição constitucional, em vigor desde outubro de 1988, o Estado é laico. Não adota religião nem fica adstrito a nenhuma delas. Certamente que para Bolsonaro também se aplica a laicidade. Sendo as suas opções endereçadas para um único segmento, o protestante, além de ilegais, também são de má oportunidade, porque esquecem os católicos, cujo trabalho neste País é enorme e cobre todos os setores carentes e de dificuldades. Fazer política é uma arte e não pode inadvertidamente passar por cima de outras crenças. Não seria melhor dividir os encômios e os afagos ou então calar-se?

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojcc@uol.com.br

 Rio Claro

*

COM ELES, ERA NA MENTIRA

Moro é um raro candidato com moral e ética. Dificilmente vencerá Bolsonaro e Lula, porque, com eles, “é na mentira”, lembrando João Grilo em O Auto da Compadecida.

Mirtela Gori Maia

Itatiba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.