Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2022 | 03h00

A guerra de Putin

O dilema econômico

O que a Rússia tem feito na Ucrânia está abaixo de qualquer crítica. Cabe ao mundo democrático defender os ucranianos militar ou economicamente. Assim, continuar a manter relações econômicas normais com a Rússia de Vladimir Putin se tornou insustentável do ponto de vista moral. Ocorre que isolar a Rússia economicamente é inviável com Moscou contando com o respaldo da China. Mas como forçar a China a deixar de fazê-lo? Cadeias de suprimentos precisam ser compostas por países confiáveis e, ao respaldar a barbárie, Pequim se associa ao que há de pior no mundo. Só que a China é o provedor-chave, para todo o mundo, dos mais diversos produtos, de componentes de diversas cadeias de produção a metais raros cruciais. E os chineses estão entre os principais parceiros comerciais de todos os países no mundo. As relações com a China afetam negócios futuros na casa de trilhões de dólares. A fala da secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, a respeito põe em evidência o dilema que essas questões envolvem.

Jorge Alberto Nurkin

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

Adesão à Otan

A ameaça russa à Finlândia e à Suécia revela que, diante de plateias amedrontadas, o urso moscovita se imagina o domador...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

Eleições 2022

Todos os atalhos

As campanhas políticas estão nos apresentando muitas novidades em 2022. Lula está se alinhando com José Sarney e Geraldo Alckmin. Pelo andar da carruagem, Simone Tebet vai levar uma rasteira dos seus companheiros de partido, o MDB. Jair Bolsonaro, apesar de não saber controlar a inflação, o desemprego e não cumprir suas promessas de campanha, está juntinho do Centrão, movimentando-se na direção de acordos secretos com os parlamentares. O ex-presidente FHC se enganou quando pensou que o Brasil poderia se beneficiar da reeleição. Apenas os políticos são favorecidos com essa possibilidade, esquecendo-se dos problemas reais e atuais do País para se dedicarem integralmente às próximas eleições. Todos os atalhos são utilizados exatamente por aqueles políticos que deveriam seguir uma trajetória reta, íntegra e exemplar.

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

Constrangimento

Quando ouvi o discurso de Alckmin, em evento com centrais sindicais em São Paulo, gritando “viva Lula, o maior líder popular do Brasil”, além de ficar constrangido no lugar dele, cheguei à conclusão de que a política adoece as pessoas.

Luiz Frid

fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

Bom para Bolsonaro

Cada aparição em público do desmemoriado e decadente Geraldo Alckmin hoje é uma situação embaraçosa e constrangedora, que deixa todos em saia-justa. O que de tão grave o PT descobriu sobre o político paulista que o deixou transtornado, a ponto de fazê-lo exaltar Lula, sem meias-palavras e aos gritos? Sem muito esforço, o capitão Bolsonaro está revalidando o seu passaporte rumo à reeleição.

Moacyr Rodrigues Nogueira

moaca14@hotmail.com

Salvador

*

Desculpas

Um dos atos que dignificam o ser humano é reconhecer que errou e pedir desculpas. Partindo dessa premissa, tomo a liberdade de sugerir ao sr. Geraldo Alckmin que venha a público e peça ao ex-presidente Lula desculpas por todas as acusações feitas a ele em passado recente.

João Israel Neiva

jneiva@uol.com.br

Cabo Frio (RJ)

*

Inqualificável

Alckmin vice de Lula. Não existem adjetivos que possam qualificar tão enojante atitude.

Ricardo Fioravante Lorenzi

ricardo.lorenzi@gmail.com

São Paulo

*

Páscoa

Renascimento

O Brasil vive um tempo de penitência, por ter colocado no poder pessoas descomprometidas com o povo. Esta Páscoa adquire, com toda a sua simbologia, um sentido especial para todas as pessoas que sonham com um Brasil melhor. Que o País renasça mais forte desta luta pela verdadeira democracia. Feliz Páscoa!

Elisabeth Migliavacca

Barueri

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

NOVA CPMF É RETROCESSO

Evento em Brasília na semana passada, 12, foi um autêntico retrocesso. Trezentos empresários, incluindo diretores da Riachuelo e Pernambucanas, apresentaram projeto em que sugerem uma nova CPMF. Esse imposto foi criado em 1997 para financiar a Saúde. Porém, depois, já no governo Lula, passaram a utilizar o recurso para orgia dos improdutivos gastos públicos. Com as críticas constantes de especialistas, o Congresso, em boa hora, fez bem em acabar em 2007 com o tal “imposto sobre movimentação financeira”, que por ser cumulativo era um engodo para o bolso dos contribuintes. Ora, se os empresários, com essa suposta CPMF, pretendem ficar livre da tributação sobre a folha de pagamento de salários, deveriam há tempos pressionar o Congresso e este desgoverno de Jair Bolsonaro para aprovar a reforma tributária, que está prontinha para ser votada, e não desejar a criação de uma nova CPMF, que pode piorar esta nossa economia já quase estagnada.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MERCOSUL

Placa Mercosul, para que isso? O que de interesse ou vantagens econômicas para o bloco há na adoção de uma placa Mercosul para veículos automotivos? Será que é para o plano petista da “Ursal”?

Carlos Leonel Imenes

leonelzucaimenes@gmail.com

Nazaré Paulista

*

DECORO

O editorial do Estadão é impecável quanto aos efeitos generalizados da falta de decoro na política brasileira, cada vez mais abusada (A falta de decoro como virtude, 14/4, A3). Mas a causa desses abusos reside no Judiciário, salvo engano. De fato, a quase total falta de punição, principalmente de políticos corruptos, a liberação de criminosos já condenados, a preocupação apenas em manter privilégios odiosos de status e segurança para si, a lentidão em tudo o que faz, ou finge fazer a contento, só poderia resultar na situação atual que o povo consagra, achando que nada tem importância porque quanto mais grave é o fato atribuído às altas autoridades da Nação, de antemão se sabe que elas sairão livres, leves e soltas.

Ademir Valezi

valezi@uol.com.br

São Paulo

*

LAVA JATO

O Ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal, durante o II Congresso Luso Brasileiro de Direito da Empresa, que ocorre em Portugal, lamentou que a operação Lava Jato está sendo “destruída aos poucos". Mas, em outro fôlego, se mostrou esperançoso de que, "em algum momento, ela será recuperada".

Artur Topgian

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

*

O MUNDO DA CORRUPÇÃO

O Tribunal de Contas da União (TCU) abriu processo para apurar irregularidades na concessão de diárias e passagens para o ex-procurador Geral da República, Rodrigo Janot, e para o ex-procurador da República, Deltan Dallagnol. Outros envolvidos também estão sendo apurados no processo do TCU, tais como os procuradores Antônio Carlos Welter e Diogo Castor de Mattos. Outro fato vergonhoso que precisa ser apurado foi a compra

pelo Ministério da Defesa de 35.320 comprimidos de Viagra e próteses penianas, pelo

Exército, no valor de R$ 3,5 milhões. Uma vergonha esses escândalos de assalto aos cofres públicos que precisam ser apurados e os responsáveis, punidos.

Marcos Tito

marcostitoadvogados@gmail.com

Belo Horizonte

*

O STF E OS ELOGIOS

Dificilmente os brasileiros deixam de elogiar os órgãos e entidades que merecem respeito e consideração, mas, ao mesmo tempo, são os que primeiramente criticam e desbancam aquilo que lhes parece ser inferior às suas expectativas. O STF, nossa Corte maior, tem sido constantemente objeto de severas críticas da população. Mas há culpas ou não? Claro que sim. Primeiramente, cabe salientar a costumeira prolação de liminares por um só ministro para, depois, o pleno do tribunal manifestar-se sobre a integralidade da matéria. Quantas decisões criticadas e não admitidas popularmente? Outrossim, quantas decisões exaradas posteriormente e em contradição com os diversos e anteriores contatos com processos julgados e rejulgados por demais instâncias? Nunca deve ser descartado o seguinte dito popular: só deve ser respeitado quem merece respeito. E respeito compulsório é desrespeito camuflado.

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

FORÇAS ‘ARMADAS’

Depois de mais de três anos de envolvimento e participação ativa no sofrível e errático desgoverno Bolsonaro, que provocou forte desgaste em sua até então respeitada imagem e reputação junto à população, a moral do brioso Exército brasileiro deve andar tão em baixa, que até Viagra está sendo necessário para levantar o ânimo da tropa. Certamente, não faltarão memes e charges mostrando os fardados perfilados e excitados batendo continência a Bolsonaro. O Brasil é mesmo o país da piada pronta, pois não?

J.S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

VOTO DOS JOVENS

Venho acompanhando o movimento incentivando adolescentes de 16 e 17 anos a tirarem o título de eleitor. Isso é importantíssimo. A juventude brasileira precisa se unir aos mais velhos que desejam um Brasil melhor. Digo “que desejam” porque grande parte do eleitorado já se acostumou com o pouco que lhes sobra depois que os maus políticos fazem a divisão do bolo. Essa parte não se preocupa com a execução de ações, programas e projetos em prol do bem comum. Educação, saúde, transporte público, habitação, segurança pública, geração de emprego, nada disso é prioridade. Jovens, ponham o Brasil nos trilhos.

Jeovah Ferreira

jeovahbf@yahoo.com.br

Brasília

*

JUVENTUDE DEPRIMIDA

Há um índice que não para de aumentar nos EUA e tudo indica que, em breve, irá preocupar o país mais do que a inflação. Especialistas americanos recomendaram que crianças acima de 8 anos devam ser examinadas quanto à ansiedade e à depressão. A recomendação se soma à orientação prévia de que crianças com 12 anos ou mais devem ser examinadas no quesito depressão. Estas recomendações vieram da Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos Estados Unidos (USPSTF, na sigla em inglês). No final do mês passado, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças divulgaram dados mostrando que mais de 40% dos estudantes do ensino médio se sentiram sem esperança ou persistentemente tristes durante o primeiro semestre de 2021 – números que só aumentaram desde então. É bem possível que as ideias promovidas pelas autoridades educacionais daquele país, ressaltando a falta de definição da identidade sexual, o constante conflito racial e substituindo o patriotismo por uma forte crítica aos valores tradicionais possam estar contribuindo para confundir, desmotivar e deprimir os jovens (os períodos da inovação e dos novos problemas coincidem). Por exemplo, o índice de suicídio em transsexuais é dos mais altos entre todos os grupos. Ainda não se sabe qual pode vir a ser o índice de suicído em jovens confusos quanto a sua sexualidade. Quem brinca de plantar vento, irá colher tempestade. Especialmente quando faz isso em mentes em formação.

Jorge Alberto Nurkin

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

QI

É perturbadora a divulgação dando conta de que o QI médio da população mundial declinou nos últimos 20 anos, inclusive nos países mais desenvolvidos, contrariando a tendência de ascensão verificada logo após o término da 2.ª Guerra Mundial, quando o índice passou a ser medido com mais abrangência. Uma reflexão de leigo relaciona à perda da capacidade do ser humano de formular pensamentos criativos. Algumas das causas para tal residem nos acelerados avanços tecnológicos que transformaram a busca da informação de primeira abordagem, antes atividade desenvolvedora da inteligência, em tarefa sem fascínio por deixar de exigir quase nenhum esforço por parte de quem dela precise. Por outro lado, hoje, toma-se conhecimento somente do que é liberado pelas big techs que até se dão ao direito de censurar e controlar os conteúdos por meio de poderosos algoritmos. Faz lembrar o cenário descrito na ficção 1984, de George Orwell, na qual os habitantes sabiam que seu país estava em endêmico estado de guerra exclusivamente por notícias habilmente filtradas pelo poder onipresente. É evidente que emergentes tecnologias sempre criaram novos hábitos e suprimiram antigos, mas atualmente elas surgem e desaparecem com tal rapidez que não permitem que as modificações sejam devidamente processadas. Como adaptar este lado dark da modernidade para recuperar o antigo QI? Um longo caminho.

Paulo Roberto Gotaç

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

MORTES DE CIVIS EM BUCHA

A tentativa de inculpar ao exército russo a morte de centenas de civis na região de Bucha contém ao menos um ponto discutível. O que se vê nas fotos são volumes embrulhados em plástico preto, não os corpos em si. Ora, se o exército ucraniano encontrou prova cabal de crime cometido pelo invasor, a primeira providência lógica não seria a de fotografar o local tal como estava, no ato da descoberta? Não faz sentido primeiro empacotar centenas de corpos para depois fotografá-los. Um procedimento tão pouco plausível que faz desconfiar de que as fotos sejam mesmo uma montagem.

Patricia Porto da Silva

portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

RIO DE JANEIRO

Eu herdei um apartamento do meu pai em Copacabana. O imóvel, a preço de mercado, não vale mais do que R$ 1,8 milhão e foi avaliado pela prefeitura em R$ 3 milhões para que eu pague um IPTU absurdo e exorbitante. Assim é feito em grande parte da zona sul da cidade. Pura picaretagem e roubalheira! E para onde vai o dinheiro dos nossos impostos? Arrecadam-se bilhões nesta cidade e nada é feito em canto algum. Os prefeitos do Rio, como o atual, são incapazes de mandar pintar um muro. Incapazes de mandar limpar a imensa sujeira de pichações, incapazes de criarem normas urbanas rígidas e severas ou de fiscalizarem qualquer coisa. Um centro totalmente degradado e sujo. Bairros inteiros como Flamengo, Catete, Tijuca, Botafogo e Barra da Tijuca são o retrato do mais completo relaxamento e abandono. Praças sujas e ocupadas por mendigos, vandalismo e depredação em todo lugar. Os espaços públicos foram simplesmente retirados da população. As vias públicas, avenidas e calçadas, todas esburacadas, com verdadeiras crateras. Escolas públicas caindo aos pedaços. Lagoas da Barra, todas poluídas! Péssimo e horroroso transporte público! Onde está o Ministério Público, que nada fiscaliza? Impossível com uma arrecadação bilionária não se ter recursos para fazer o mínimo de melhoria, manutenção e fiscalização urbana na cidade! A cidade está caindo aos pedaços, literalmente, há décadas!

Paulo Roberto da Silva Alves

pauloroberto.s.alves@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

FURTOS E VANDALISMO

Com o furto da fiação elétrica, o apagão dos semáforos paulistanos sinaliza vermelho para o blackout do policiamento preventivo.

A. Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

‘A FELICIDADE NÃO SE COMPRA’

Nós no mundo e o mundo sem nós é o grande tema da obra-prima de Frank Capra, o notável cineasta da era Roosevelt, de quem era amigo pessoal. Roberto DaMatta, em belíssima coluna (Estado, 13/4, C5) revela a importância desse filme que toca na questão central da existência humana: o "eu" no mundo. James Stewart, o mais importante ator do cinema americano num filme sobre a América capitalista no único governo social-democrata de sua história, que através de obras importantes tirou o país do crash da Bolsa de 1929, criando o Estado do bem-estar social. É o meu filme favorito. 

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

SORVA

Todos ficamos encantados e emocionados com a recuperação dos meninos que sobreviveram na selva. Um feito. Entretanto, pouco foi informado das qualidades do fator preponderante para que fossem encontrados vivos após tanto tempo na selva sem água e alimentos: um fruto chamado sorva. Muito conhecido na região amazônica por seringueiros, familiares e amigos. Árvore frondosa e muito produtiva, seu fruto tem inúmeras propriedades. Desde o látex que substitui leite até medicamento em diarreias. A sorva é, portanto, um bom exemplo do porquê devemos conhecer melhor a flora do nosso país como um todo e não simplesmente acabar com a mata aleatoriamente. Quantos outros frutos desconhecidos e igualmente benéficos ao ser humano ainda existem à espera de maiores estudos e esclarecimentos? 

Sergio Holl Lara

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.