Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2022 | 03h00

Caso Daniel Silveira

O agitador

Com relação à matéria Bolsonaro concede perdão a Daniel Silveira e acirra embate com Supremo (Estado, 22/4, A9), cabe lembrar que o tenente que tentou explodir o quartel foi colocado no Executivo por uma população de eleitores infantilizados pelo misticismo e com respaldo interesseiro de policiais e militares. O pior é que o Legislativo, possuído por predadores eleitos descuidadamente, tira proveito da demência promovida pelo presidente, que não usa o tempo para atuar no interesse público, mas para promover semanalmente alguma agitação para se manter em cena. Só a reforma política, demandada pela sociedade e que jaz insepulta no Congresso há 20 anos, pode salvar o País de entregar a gestão pública a psicopatas e corruptos.

Nelson Frederico Seiffert

nfseiffert@outlook.com.br

Florianópolis

*

Agindo perigosamente

Bolsonaro está agindo perigosamente ao confrontar continuadamente o STF. Se não concorda com algumas decisões, existem os devidos recursos legais aos quais recorrer. Os Três Poderes existem e devem ser respeitados. Esse tipo de atitude que vem ocorrendo já há algum tempo faz pensar que o capitão quer ser o único mandatário da Nação, isto é, um ditador. Neste caso, ele pensa que vai contar com o apoio das Forças Armadas. Se acredita nisso, é bom que volte ao passado e tome conhecimento de como foi o caso de Jânio Quadros, que, sem apoio do Congresso, também queria ser ditador. Nossas Forças Armadas são ciosas de sua missão, que é a salvaguarda da democracia em nosso país. Vamos esperar que todos tenham bom senso e pensem mais no Brasil e em seu povo, que quer apenas paz e uma vida mais digna.

Alvaro Salvi

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

Freios e contrapesos

O indulto concedido a Daniel Silveira deve ser derrubado, pois fere o sistema de freios e contrapesos assegurado na Constituição de 88. Ninguém está acima da lei.

Maria Lúcia Ruhnke Jorge

mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba

*

Vocação

A graça concedida por Bolsonaro a Daniel Silveira, na tentativa de passar por cima da condenação quase por unanimidade no STF, representa só mais uma cabal manifestação de que seu único objetivo, desde que assumiu a Presidência da República, é desqualificar nossas instituições e levar o País a um novo regime autoritário, por ele comandado. Que ninguém se engane, sua vocação é para ditador.

Abel Pires Rodrigues

ablrod@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

Presidente ou déspota?

Um governante que manda o povo se armar, para ferir ou matar, e que aceita o xingamento ao STF e a agressão aos seus ministros, chegando a assinar decreto em defesa de deputado criminoso, pode ser chamado de presidente ou de déspota?

Bismael B. Moraes

bismoraes@uol.com.br

Guarulhos

*

A democracia resistirá?

A minha preocupação é com o futuro da jovem democracia brasileira. Estaria ela ameaçada? Vivemos no Brasil, ao longo de sua história, processos de democratização com maior ou menor êxito, e atualmente vivemos um encurtamento brutal de nossos direitos sociais, políticos, humanos, com um crescente discurso de ódio que ganha força fisicamente e virtualmente, um autoritarismo voraz e um notório desrespeito em relação às instituições públicas. Até quando a jovem democracia brasileira suportará tantos ataques?

Alexis Gabriel Madrigal

contatomadrigal@hotmail.com

São Paulo

*

Eleição na França

Linguagem política

Fala-se que a esquerda apoiará Emmanuel Macron nas eleições presidenciais francesas deste domingo. Evitará, assim, um terremoto francês e mundial provocado pela extrema-direita de Marine Le Pen. Não se trata, porém, da esquerda, mas da social-democracia. A nomenclatura de que se revestem os fenômenos não os altera. Esta “esquerda” francesa segue o capitalismo ocidental ainda arejado pelos idosos lemas do Terceiro Estado: liberdade, igualdade e fraternidade. Nada de “ditadura do proletariado”, guia da socialização dos meios de produção. Ser ortodoxo e intransigente no exercício da linguagem para definir as opções políticas é indispensável aos povos, como não os dispensava Fernando Pessoa.

Amadeu R. Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

CIDADÃO CURIOSO

É notável o estarrecimento demonstrado por alguns setores da sociedade a respeito da recente condenação imposta ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que motivou o indulto concedido ao parlamentar pelo presidente Jair Bolsonaro logo após a divulgação da "sentença". Leigo no assunto, só me restou consultar os trechos da Constituição federal referentes aos temas. O artigo 53 da Carta Magna estabelece categoricamente: "Os deputados e senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos". Por outro lado, o artigo 84, no seu inciso XII, ressalta sem ambiguidade que compete privativamente ao presidente da República "conceder indulto e comutar penas com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei". Como cidadão curioso, gostaria que os famosos juristas Ayres Britto e Reale Júnior que se manifestaram contra o indulto por julgá-lo inconstitucional esclarecessem se há mais algum dispositivo que regule o assunto e que justifique objetivamente a condenação e quais são as as reais fontes de inconstitucionalidade e onde se localizam, se na condenação ou no indulto.

Paulo Roberto Gotaç

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

GRAÇA

A graça concedida por Bolsonaro é flagrantemente inconstitucional, por desvio de finalidade, mas aqui vale mais analisar o significado da ação: aos meus, tudo; aos inimigos, tortura e morte – como já defendeu. 

Marcos Barbosa 

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

SEDE ANTIDEMOCRÁTICA

O mito de barro pirou de vez. Escancarou sua vocação e sede antidemocrática. Extrapolou suas próprias sandices, ultrajando a decisão do Supremo Tribunal Federal, que agiu com rigor, cumprindo a lei e condenando um deputado facínora, desmiolado, que atacou e ameaçou ministros do STF e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e incitou a violência. O parvo Bolsonaro aumenta, em ação premeditada, o abismo entre o Executivo e o Judiciário. Insiste em desmoralizar a Suprema Corte. Rasga a Constituição. Temo pelo cheiro de pólvora e chumbo nos sombrios horizontes do Brasil, caso o transloucado Bolsonaro não seja reeleito. 

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

GOL CONTRA

Parece que o presidente Bolsonaro está muito mal assessorado. Ele quer anular o gol antes mesmo de a bola entrar. Nem adianta chamar o VAR.

Mario Miguel

mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

*

MANDATO CONFUSO

Numa postura inesperada em afronta ao Supremo Tribunal Federal, o presidente da República editou um decreto no sentido de livrar o desastrado deputado federal Daniel Silveira das penas de prisão, multa e perda do mandato e dos direitos políticos que tinham sido impostas no dia anterior pelo mais alto tribunal do País. Tal insólita decisão, denominada “graça”, deve ser derrubada, segundo ministros da Corte, posto que recurso contra tal julgamento ainda cabe. Essa postura presidencial demonstra a total incapacidade de Bolsonaro de compreender suas funções regimentais, o que o expõe a sofrer processo de impedimento se continuar exercendo seu mandato de forma tão confusa.

José de Anchieta Nobre de Almeida

josenobredalmeida@gmail.com

Rio de Janeiro

*

TOUCHÊ

O gabinete paralelo de juristas da Presidência deu um golpe de mestre. Deixou todos os prepotentes do direito, aí incluídos STF, TSE, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e demais operadores águias da advocacia, nas cordas. Chamem os advogados de Lula para resolver. E, com base no decreto, posso chamar de safados e ameaçar os dois candidatos melhor posicionados nas pesquisas atuais?

Carlos Alberto Roxo 

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

*

INDULTO A SILVEIRA

Apesar de autorizado pelo STF, o ex-presidente Lula negou a extradição de Cesare Battisti, acusado na Itália de vários crimes e com pena de prisão perpétua naquela localidade. Por parte da imprensa, apenas notícias de rodapé, e por parte dos demais, silêncio total. Agora, com o indulto de Bolsonaro ao deputado Silveira, que xingou membros do STF, gritaria geral. Nosso país está em uma tremenda decadência. Não vou entrar em detalhes se o atual presidente é bom ou ruim, entretanto, foi eleito por votação popular democrática e, nesse sentido, acho que merece melhor respeito. A impressão que fica é que, quando a esquerda fala, é liberdade de expressão, no caso da direita, é atentado contra a democracia.

Fausto Vidotto

faustovidotto@yahoo.com.br

São Paulo

*

BATTISTI

E os petistas não podem nem reclamar porque, no apagar das luzes de seu governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu refúgio ao terrorista italiano Cesare Battisti, acusado de quatro homicídios na década de 70 quando era militante de um grupo extremista de esquerda. A decisão foi anunciada no último dia de Lula no Palácio do Planalto e, de acordo com nota da Presidência, foi baseada nos termos da Constituição brasileira. Igual ao que o Bolsonaro fez agora!

João Manuel Maio

clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos

*

PITBULLS E PAVÕES

O presidente Jair Bolsonaro, o deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), o ministro Alexandre de Moraes e o atual Supremo Tribunal Federal, cada um à sua maneira, são inimigos da democracia. Na briga entre eles, eu torço pela briga, de modo que todos, através de um nocaute simultâneo, fiquem estropiados e desnudos no ringue, com suas vergonhas à mostra. Bolsonaro e Silveira são pitbulls toscos. Moraes e o atual STF são pavões letrados. Mas são todos perniciosos para a democracia.

Túllio Marco Soares Carvalho

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

CASSAÇÕES DO TSE

Debate-se acerca de decisões do STF que determinam cassações de mandatos eletivos, se devem ou não passar pelo crivo do Poder Legislativo. E as decisões do TSE, que cassam mandatos eletivos por compra de votos ou condutas vedadas pela legislação eleitoral, também deveriam passar pelo crivo do Poder Legislativo? Se sim, o que acontece com os políticos cassados pela Justiça eleitoral? Retornam?

Alexandre Bordallo

Rio de Janeiro

adbordallo@yahoo.com.br

*

MAMATAS À VISTA

Os pronunciamentos do candidato Lula indicam claramente o retorno das mamatas no caso de vencer a eleição. Começou com "abrasileirar" o preço do petróleo, que deve ser tal e qual a nova matriz econômica da Dilma, o que deu no que deu. Releva o restabelecimento do Imposto Sindical, que só interessa a meia dúzia de apaniguados dirigentes, e, nessa linha, é absolutamente contrário a quaisquer privatizações, não por princípio, mas para atender a petralhada faminta por recursos advindos de órgãos públicos. Não satisfeito, promete alterar as leis trabalhistas, para pior, como se espera, se feita atendendo a quem nunca trabalhou, como é o caso de Lula. E assim caminham procurando iludir a sociedade, e até conseguindo, seja por interesses pecuniários ou por desinteresse com a seriedade dos governantes e o futuro do País. Os trabalhadores e pagadores de impostos é que serão as vítimas se essa calamidade da eleição do ex-presidiário Lula ocorrer.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@gmail.com

São Paulo

*

AOS POLÍTICOS DE CENTRO

O editorial Bom para os partidos, ruim para o País (Estado, 21/4, A3) representa, sem tirar nem pôr, o meu sentimento, bem como o de milhões de eleitores deste Brasilzão de meu Deus: o de total repulsa ao quadro político que vivenciamos. Como se isso não bastasse, a Nação vive um dilema para o porvir, ou seja, a escolha no próximo dia 2 de outubro para a Presidência da República entre um candidato da extrema esquerda que, sendo alvo da assassinada Operação Lava Jato, respondeu a vários processos por crimes de corrupção passiva, sendo condenado em um deles em terceira instância e, tempos após, agraciado com a sua liberdade em face de filigranas jurídicas implementadas pela mais alta Corte de Justiça do País e que antecipa, caso seja eleito, a revogação das reformas trabalhista e previdenciária – ambas decisivas para o bom desempenho social e econômico brasileiro –, bem como o total desrespeito à Lei de Responsabilidade Fiscal, talvez a maior conquista nacional dos últimos anos; do outro lado, temos o atual despresidente da República que, caso seja reeleito, o que se espera é a continuidade do seu desgoverno com a implantação de um movimento neofascista no nosso seio. Enquanto isso, nossos políticos de Centro apreciam tudo isso com verdadeira cara de paisagem, apenas se proclamando contra o que está acontecendo, mas sem tomar atitudes minimamente corajosas para combater o mal que se avizinha. Tudo isso por força de “mimimis”, picuinhas e fofocas que permeiam por quase toda a nossa classe política em que prevalece o ditado "farinha pouca, meu pirão primeiro". No meu ponto de vista, caracterizaria um verdadeiro crime de lesa-pátria o fato de esses senhores, tão perplexos com o nosso status quo, não se organizarem de maneira competitiva no combate preventivo aos males que se prenunciam caso um desses dois senhores venha a ocupar novamente o Palácio do Planalto. Portanto, o meu pedido é para que reflitam sobre o seu próprio futuro político e o futuro da Nação, tornando factível a formação de uma terceira via que venha a nos encher de esperança nesta luta do bem contra o mal – sem maniqueísmos.

Emmanoel Agostinho de Oliveira

eaoliveira2011@gmail.com

Vitória da Conquista - BA

*

ESTADOS UNIDOS

Preocupante o alerta da secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yelle, sobre uma possível proibição total da importação de petróleo russo pela União Europeia, o que, segundo ela, elevaria os preços do petróleo no mundo, com forte impacto na economia mundial. Será que o Brasil, fragilizado como está tanto na política como na economia, suportaria mais esse revés?

 

Jorge de Jesus Longato

financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi Mirim

*

DON RUAN COSTA

Finalmente um criminoso de bom gosto, em ação na noite dos melhores restaurantes, gastando mais de R$ 5 mil e dando calote na hora de pagar a salgadíssima conta. Ruan Costa adentra os mais requintados estabelecimentos se apresentando como craque de futebol, pede os pratos e as bebidas mais caras, com amigos convidados, e "dependura" as contas. São "noites do pendura" do milionário fake em restaurantes "metidos à besta". Já deu calote em restaurantes chiques de sete Estados e no Distrito Federal. Viciado em comer bem não tem cura! Quando sair da cadeia novamente, vai comemorar no melhor restaurante.

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

CARNAVAL FORA DE ÉPOCA

O famigerado carnaval fora de época instaurado no município do Rio pelo prefeito (playboyzinho) é um carnaval fora do bom senso. Não há nada a comemorar, muito menos um carnaval que instiga a bagunça em uma cidade já desorganizada e repleta de cidadãos mal-educados que se espraiam pelas ruas disseminando seus maus hábitos, haja vista o insuportável cheiro de xixi que fica entranhado nos buracos das calçadas e asfaltos sem cuidados. A capital fluminense sofre pela maldição da beleza, como as belas artistas de cinema que ficam velhas e no ostracismo. Deus que ajude os inocentes que são obrigados a viver nesta bagunça inaturável.  

Mário Negrão Borgonovi

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.