Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2022 | 03h00

Eleições 2022

A segurança das urnas

Pergunto: onde estavam estes militares que hoje se alvoroçam quanto à lisura das urnas eletrônicas nas eleições passadas, inclusive na de 2018? Alguma vez eles demonstraram desconfiar dos resultados das urnas eletrônicas? Será que agora estão sendo influenciados pelo presidente Jair Bolsonaro? O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) merece todo o respeito da população, pelo brilhante trabalho até hoje executado.

Adalberto Amaral Allegrini

adalberto.allegrini@gmail.com

Bragança Paulista

*

Função do TSE

Providencial o alerta de que É do TSE a palavra final sobre eleição (Estado, 12/5, A3). As Forças Armadas devem ser entendidas como qualquer outra instituição de Estado, não tendo funções além do que preconiza a Constituição federal. Temê-las é equivalente a suspeitar de que a Receita Federal, um instituto de pesquisa ou um hospital público pudessem intervir no governo. Se cada um cumprisse o seu papel, a começar pelo despresidente Bolsonaro, que nunca governou para além da defesa de si mesmo e de sua família, não estaríamos, mais uma vez, em estado de atenção quanto ao golpe que está em curso.

Adilson Roberto Gonçalves

prodomoarg@gmail.com

Campinas

*

Medo e desejo

Freud costumava dizer que por trás do medo se esconde um desejo. Segundo ele, quando tememos fortemente que algo aconteça, é porque, no fundo, o desejamos. Talvez isso se aplique ao caso do propalado golpe de Bolsonaro. Fala-se tanto nisso na imprensa, como algo irremediável, que parece até querer indicar o caminho. Será?

Patricia Porto da Silva

portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

Lula ou Bolsonaro

Tristeza

Em meus quase 80 anos de vida, nunca senti tristeza tão grande como atualmente, pelos danos irreparáveis da absurda invasão na Ucrânia e pelo absurdo de termos dois nomes abomináveis em destaque como candidatos à Presidência do Brasil. Estarão as pessoas desmemoriadas, cegas ou surdas diante de fatos reais que aconteceram e acontecem agora? Esqueceram-se de fatos que em ambas as gestões envolveram corrupção, subornos e até mesmo assassinatos que até hoje não ficaram devidamente esclarecidos? O Brasil e os brasileiros não merecem tudo isso novamente! Que Deus dê consciência aos jovens eleitores, para que não votem nestas velhas raposas, mas em pessoas novas e capazes; e aos idosos da minha geração, para  que não se omitam em votar. E ilumine os homens públicos de bem deste país, para que, tomando como exemplo a humildade de Sergio Moro, por exemplo, cheguem a um consenso dando-nos uma terceira opção unida e forte com a esperança de um Brasil melhor.

Maria T. A. Galvão de França

mariatoledoarruda@gmail.com

Jaú

*

Trânsito

Celular ao volante

No Brasil, a cada hora, 28 motoristas são flagrados e multados pelo uso do celular enquanto dirigem (Estado, 12/5, A18). Esse é o mais clamoroso atestado da completa inoperância da fiscalização do trânsito. Qualquer habitante deste país que se disponha a anotar nas cidades e até nas estradas o uso do celular ao volante consegue, sozinho, o que têm conseguido as autoridades do trânsito no País inteiro. O vício dessa infração é tão grande que muitos motoristas já saem da garagem com o celular ao ouvido.

Fausto Rodrigues Chaves

faustochaves@hotmail.com

São Paulo

*

São Paulo

Praça Princesa Isabel

Durante décadas trabalhei numa empresa instalada na Rua Conselheiro Nébias, no centro de São Paulo. Eu marcava o ponto às 5 horas, portanto era madrugada quando eu descia do trem na Estação Júlio Prestes e atravessava a pé a Praça Princesa Isabel para chegar ao trabalho. Mesmo naquele horário e durante os 25 anos em que passei pela praça, nunca vi ali nenhuma anormalidade. Foi, portanto, com muita tristeza que anteontem assisti, pela TV, às cenas da operação na Cracolândia que se formara ali. Centenas de pessoas vivendo como se fossem animais e sendo forçadas a deixar aquele local. Entra governo, sai governo, as promessas para a Cracolândia e os moradores de rua são as mesmas, mas o abandono continua.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PERIGO NO TRÂNSITO

Brasil registra 28 multas por uso de celular ao volante a cada hora (Estado, 12/5, A18). Sem dúvida, usar o celular enquanto dirige causa acidentes. Porém, se os guardas de trânsito têm meta de multas a serem lavradas, que tal voltarem sua atenção aos motociclistas? Proporcionalmente, os motociclistas causam mais acidentes. Por que não levam em consideração os motociclistas pelas inúmeras infrações que normalmente cometem a cada quilômetro rodado? Vejamos: excesso de velocidade, uso intermitente de buzina a cada 30 metros, excesso de barulho na aceleração e desaceleração da moto. Sem citar manobras de ziguezague, trafegar entre corredores de carros congestionados e andar na contramão. Algo precisa ser feito para que as regras de trânsito voltem a ser respeitadas, para segurança de todos, inclusive pedestres. Precisamos voltar a observar o direito à segurança e à preservação do dom maior da vida. Em tempo, será que os motoristas não são multados por que estão trabalhando?

Marcos Nogueira Destro

mdestro@amcham.com.br

São Paulo 

*

CELULAR AO VOLANTE

Notícia do Estadão ressalta que a utilização do celular na direção é o principal motivo de acidentes pela falta de atenção no volante. Na verdade, para diminuir as quase 250 mil infrações registradas no ano passado, só aumentado a multa para R$ 1.500 e com sete pontos na carteira de habilitação. Certamente, será a única maneira de reduzir drasticamente essa irresponsabilidade.

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

‘PCCRACOLÂNDIA’

Ação para acabar com Cracolândia espalha usuários de drogas pela cidade (Estado, 12/5, A17). Como o governo e a polícia sabem há tempos, o nome da abominável e interminável feira das drogas a céu aberto e à luz do dia na Praça Princesa Isabel, na região central da cidade, é PCCracolândia. Esse é o peixão que precisa ser pescado para que os peixinhos não tenham o que consumir.

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

ABANDONADOS NAS RUAS

Qual a diferença de um sem-teto para um viciado da Cracolândia? Ambos estão abandonados à própria sorte. Vivem feito bichos, jogados pelas ruas. Como estamos perto da eleição, o governador candidato resolveu enfrentar o assunto. Não podemos nos esquecer de que o PSDB há mais de 20 anos não conseguiu frear o crescimento da comunidade e viveu estes anos todos enxugando gelo. Prendem e soltam enquanto a população de rua só cresce. A solução não é fácil, essas pessoas precisam ser tratadas e inseridas na sociedade e isso só é possível com estudo e emprego. Embora possa parecer piegas, o trabalho continua sendo uma das conquistas que dá dignidade à pessoa humana. A educação diminui a violência, a sujeira e a insegurança daqueles que vivem nas ruas e dos que são obrigados a viver em meio a essa tragédia. Colocá-las em hotéis ou em barracas de camping vai ajudar a escondê-las, mas, passadas as eleições, elas estarão de volta (A dignidade dos sem-teto, 12/5, A18). O desafio exige mais ação do que promessas. O resto é pura tapeação. Nos debates ao governo de São Paulo não poderá faltar a pergunta aos candidatos: se eleito, o que fará para resolver o problema dos moradores de rua? Fiquem atentos às respostas.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

CALÇADAS DE SÃO PAULO

Lamentável essa proposta  de substituir os lindos mosaicos portugueses do centro de São Paulo por concreto (Estado, 12/5, A19). Deveria haver manutenção contínua dos mesmos, o que não dificultaria a acessibilidade. Portugal mantém há séculos esses pisos, e Copacabana faz deles seu cartão-postal. Esse interesse suscitará mau uso do dinheiro público.

Francisca de Lurdes Silva Assinante 

franciscadelu@gmail.com

São Paulo

*

O CRAVO E A FERRADURA

O ministro Edson Fachin, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com toda razão, declarou que as eleições são para civis e para as forças desarmadas, em alusão às falas do presidente Bolsonaro. O ministro, porém, se esqueceu de que a Justiça existe para punir criminosos e não para anular condenações, como as do boca-rota Lula da Silva.

J. A. Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

APOIO AO GOLPE

Ao que me parece, o ministro Edson Fachin se deu conta do erro que foi o convite do TSE às Forças Armadas, que já haviam dado sinais claros de apoio ao golpe do psicopata.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

TUDO NORMAL

Teto duplo para as altas patentes militares. Multa pecuniária a youtuber (Alexandre de Moraes). Multa pecuniária a jornalista (Gilmar Mendes). Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) fazendo política. Procuradoria-Geral da República (PGR) totalmente omissa. Orçamento secreto para manter base parlamentar. Presidente que não tem apreço ao trabalho. Poder Legislativo não legislando sobre temas importantes para a sociedade. E ainda canso de escutar que os Poderes estão atuando plena e harmoniosamente.

Vital Romaneli Penha

vitalromaneli@gmail.com

Jacareí

*

LOTADO

No estacionamento da Câmara e do Senado, estão faltando vagas para amarrar rabo preso.

Ricardo C. Siqueira

ricardocsiqueira@lwmail.com.br

Niterói (RJ)

*

PREÇO DOS ALIMENTOS

Conforme relatório da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), nos últimos 40 anos, a produção agropecuária brasileira se desenvolveu e tornou-se a mais moderna do mundo. Com isso, o Brasil será o grande fornecedor de alimentos no futuro. Essa modernização criou vários problemas sociais com a intensificação do processo de mecanização agrícola, gerando desemprego rural e agravamento pela posse da terra em algumas regiões. Além disso, com o uso de agrotóxicos e o desmatamento para aumentar a produção, diminuiu a nossa biodiversidade. Seria óbvio que, produzindo cada vez mais, o preço dos alimentos para os brasileiros deveria ser reduzido, melhorando a saúde e a qualidade de vida da população, liberando o poder de compra para bens produzidos pela indústria e pelo setor de serviços. Mas acontece que, o governo, por pura ganância, incentiva as exportações dos produtos para gerar superávits cambiais e, os empresários do setor, em sua maioria apoiadores do presidente, ficam cada vez mais ricos. Se este governo estivesse realmente preocupado conosco, deveria criar uma política obrigando o setor a abastecer o mercado interno com preços compatíveis com o ganho da população e, somente depois, permitir a exportação desses produtos.

 

Valdecir Ginevro

valdecir.ginevro@uol.com.br

São José dos Campos

*

DESEMPREGO

Supermercados estão adotando sistema em que o próprio consumidor faz o trabalho do antigo caixa. Reduzem o número de caixas humanos, as filas ficam maiores e o consumidor, desse modo, é induzido a usar o sistema automático. Que tal se nós, consumidores, optássemos sempre pelo caixa tradicional, como forma de pressionar pela manutenção dos empregos? A soma desses atos traria benefícios, tanto no plano do indivíduo que deixaria de perder o emprego, quanto no plano da sociedade, por mitigar os efeitos do esgarçamento do tecido social, caso o desemprego continue a aumentar.

Patricia Porto da Silva

portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

DIMINUIÇÃO DE IMPOSTO

Política completamente errada de liberar importação de aço. Essa medida resultará em desemprego no Brasil. Será que as autoridades não estão conscientes do tamanho do desemprego no País? O aço está caro no Brasil devido à inflação, basicamente causada  pelo setor público que não administra suas contas de maneira adequada. A solução momentânea para a situação do aço seria diminuir os impostos incidentes sobre o setor por um período transitório.

Marco Antonio Martignoni

mmartignoni1941@gmail.com

São Paulo

*

BURACO NEGRO

Um buraco negro é o centro da Galáxia, e o Centrão é o buraco negro do Brasil.

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

 

*

VIAGEM ESPACIAL

Dois assuntos:1) um feliz brasileiro foi contemplado com uma viagem espacial da Blue Origin após comprar NFT. A Nasa poderia garantir que a próxima viagem para pesquisar a existência de novos planetas, que geralmente dura anos, levará a dupla de ilustres brasileiros que polariza as eleições presidenciais. A partida seria para antes de outubro. Os deuses do espaço e os cientistas agradecem. 2) Domingo passado, Dia das Mães, o brasileiro João Havelange completaria 106 anos de idade. Durante 26 anos presidiu a Fifa. Modernizou e tornou milionária a entidade. Quando deixou o cargo, a Fifa tinha mais países filiados do que a Organização das Nações Unidas (ONU). Havelange abriu a Copa do Mundo para países africanos. Como presidente da então CBD, hoje Confederação Brasileira de Futebol (CBF), conquistou três títulos mundiais para o Brasil. Dedicou a vida ao futebol. Por tudo que realizou pelo desenvolvimento do futebol brasileiro e mundial, Havelange jamais poderá deixar de ser admirado e respeitado por torcedores, dirigentes e atletas.

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

TESTE GENÉTICO PRÉ-IMPLANTACIONAL

A reportagem Estudo levanta dúvidas sobre teste genético para embriões 'anormais’, publicada pelo jornal The New York Times e traduzida pelo Estadão (24/4, A18), destaca que pode ter sido prematura a incorporação à rotina clínica do teste genético pré-implantacional para aneuploidia (PGT-A). A argumentação trazida na matéria é que haveria a sugestão de que esses testes levam os pacientes a descartar embriões potencialmente viáveis. Por sua vez, o estudo reportado traz informações parciais. Os embriões do estudo, que resultaram em nascimentos, provavelmente eram mosaicismos (em que parte das células tem a quantidade normal de cromossomos). Se o número de mosaicismo for pequeno, o bebê até pode nascer aparentemente saudável, porém, é evidenciado que pacientes aneuploides (com alterações cromossômicas numéricas) não geram um bebê saudável. Tal contexto, portanto, não invalida o PGT-A. Muito pelo contrário e, para ilustrar, dentre uma série de trabalhos na literatura médica, destacamos dois estudos. O primeiro é uma meta-análise publicada no The Journal of Assisted Reproduction and Genetics, que afirma que o PGT-A melhorou as taxas de nascidos vivos estritamente quando realizado em embriões em estágio de blastocisto (embrião que evoluiu adequadamente até o quinto dia de desenvolvimento) de mulheres com mais de 35 anos de idade. Em outro trabalho, publicado na Fertility and Sterility, ao se analisar 402 pacientes submetidas a 484 transferências únicas de blastocistos congelados, a taxa de erro clínico no diagnóstico de aneuploides PGT-A foi de 0%. Portanto, não é prematura a utilização clínica desse teste. Quando aplicado, ele permite identificar alterações cromossômicas antes da transferência do embrião ao útero materno e, com isso, propicia decisões informadas e aumenta as chances de sucesso da gravidez por ciclo de tratamento de fertilização in vitro

Bruno Coprerski,

geneticista molecular

bruno.coprerski@igenomix.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.