Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2022 | 03h00

Eleição presidencial

A rifa de João Doria

Como é sabido, se a eleição fosse hoje, a disputa seria entre Lula e Bolsonaro. Nós e, principalmente, os mais jovens merecemos um futuro melhor e ver o País, que tem tudo a favor, transformar em realidade seu enorme potencial. Quem quiser, verifica facilmente que o governo João Doria foi extremamente competente, com inúmeras realizações no Estado de São Paulo, entre elas investimentos vultosos em infraestrutura, a ressuscitação do Rio Pinheiros, que todos consideravam impossível, e a extrema rapidez em trazer a primeira vacina anticovid ao País, com o que foi possível salvar muitas vidas e diminuir as consequências da catastrófica gerência da epidemia pelo governo federal. Agora, após ter vencido limpamente as prévias do PSDB para ser o candidato do partido à Presidência, os antigos e tão conhecidos caciques do partido preferem rifá-lo sob a alegação de que seu índice de rejeição é muito alto. Bastaria que o apoiassem, e instruíssem os vereadores e prefeitos Brasil afora, bem como deputados e senadores, no sentido de ajudar a divulgar a seriedade e competência de João Doria. O resto ele mesmo faria em sua campanha, e o tal índice de rejeição ficaria restrito a uma pequena minoria. Não o fazem porque sabem que com Doria na Presidência seus conchavos e negociatas estariam com dias contados.

John Landmann  john@landmann.com.br

São Paulo

*

Orçamento secreto

Faraós que nos governam


Deputados brasileiros tripudiam sobre nossa Suprema Corte, como comentou editorial do Estado ontem (Desrespeito ao STF e ao País). O dinheiro público oculto sob os orçamentos secretos persiste como segredo de piratas, ante o pedido de informações do STF. Em sociedade minimamente respeitadora da democracia, qualquer cidadão teria direito a ficar ciente do que fazem com nossa riqueza vinda dos tributos. São os princípios da transparência e do direito à informação. Violentada, estuprada a Suprema Corte, não há Estado, Constituição e esperança de que aqui se erigirá uma nação. O que podemos vislumbrar não passa da tétrica imagem de pirâmides num deserto, amontoada de crânios decompostos. A nação dos faraós que nos governam.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

Educação

‘Homeschooling’

Lamentável que, apesar de tantas demandas realmente urgentes na educação, a Câmara dos Deputados aprove, em regime de urgência, o projeto de educação domiciliar, o homeschooling. A pauta deveria ser exaustivamente debatida, em razão dos riscos adicionais para a nossa realidade, tão desigual. A sociabilidade alcançada no ambiente escolar faz parte do desenvolvimento pleno, integral e plural dos estudantes, objeto da Base Nacional Comum Curricular. E a questão mais grave: que tipo de rede de proteção ofereceremos às crianças e adolescentes das famílias que optarem por esse modelo?

Angela Dannemann, superintendente do Itaú Social

iris.bertoncini@tamer.com.br

São Paulo

*

São Paulo

O barulho das motos

Recentemente, tomei conhecimento pela imprensa de iniciativa da cidade de São Luís, no Maranhão, que achei muito interessante e de grande utilidade para todos. Naquela cidade a Polícia Militar está fazendo blitze parando motos com barulho excessivo no escapamento e utilizando aparelho para medir os decibéis – as que estiverem acima de 55 são multadas. Moro na Avenida Rebouças, a três quadras do complexo do Hospital das Clínicas, e presencio todos os dias e noites motos com barulho ensurdecedor, com prejuízo da paz e da saúde de todos os que por aqui residem ou estão internados no complexo hospitalar. Ficaríamos muito gratos e mais saudáveis, se os administradores desta cidade se preocupassem com isso.

Carlos Benjamin de Castro

carlosbenjamindecastro47@gmail.com


São Paulo

*

Guerra na Ucrânia

Napoleão das estepes

Hegel disse que a história se repete ao menos duas vezes, ao que Marx acrescentou: a primeira, como tragédia; a segunda, como farsa. Se for verdade, o novo Napoleão das estepes russas, nas suas guerras de conquista a ferro e fogo, deverá reencontrar logo o seu general Kutuzov em Borodinô e Moscou e o seu duque de Wellington em Waterloo.

John McNaughton john@mcnaughton.com.br

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ELON MUSK NO BRASIL

Quando alguém quer se encontrar com o presidente da República, seja quem for – no caso Elon Musk –, vai até ele – no caso, em Brasília. Em se tratando de Bolsonaro, ele vai até Musk como se fosse uma reunião com alguém maior que a Presidência, pois Bolsonaro é pequeno diante da instituição presidencial.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

FOGUETE

Será que essa visita de Musk não é para fazer Bolsonaro entrar em um de seus foguetes para um passeio no espaço e, sem querer, deixá-lo por lá? Seria um benefício muito grande para o Brasil.

José Claudio Canato

jccanato@yahoo.com.br

Porto Ferreira

*

‘TRUE NEWS’

Sempre trabalhou e não é ladrão ligado a milícias. Não vagabundeia em feriados com nosso dinheiro. Não agravou mortes por covid, sabotou vacina nem roubou com cloroquina. Não rebatizou o mensalão como orçamento secreto, não piorou falências, desemprego, fome e alta da gasolina e não quer melar as eleições para fugir da cadeia. É tudo culpa do Supremo Tribunal Federal (STF), da ciência, da Anitta, do comunismo e de Satanás.

João Bosco Egas Carlucho

boscocarlucho@gmail.com

Garibaldi (RS)

*

INFLAÇÃO

Diz o ministro Paulo Guedes que “o inferno da inflação já passou” (Estado, 19/5, B8). Mas o diabo, sabedor da incompetência reinante ao redor da Praça dos Três Poderes, tem certeza que, por aqui, ele veio pra ficar.

Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ECONOMIA

Enquanto a inflação corrói nossos bolsos, o sr. Paulo Guedes está sempre otimista. Parece aquele sujeito que, quando a mulher pede dinheiro para fazer compras na feira, ele sempre dá R$ 10 e ainda pede para trazer o troco.

Paulo Boin

boinpaulo@gmail.com

São Paulo

*

SIMONE

A senadora Simone Tebet poderá se firmar como a opção da terceira via. Tem destacada atuação no Senado e nome honrado, porém carrega o fardo de ser do MDB, partido que esteve, de algum modo, nas lambanças cometidas pelos governos petistas. Não há como esquecer o passado, como bem lembrou o deputado Aécio Neves (PSDB-MG), daí as restrições para uma chapa em conjunto. Desconfiado, o eleitor matuta: com quem a terceira via estará no segundo turno? Seja para que lado for, por que já não cravar no primeiro turno?

Paulo Tarso J Santos

ptjsantos@yahoo.com.br

São Paulo

*

ASSOMBRAÇÃO

Aqui no Brasil, temos os políticos “assombração” que nunca desaparecem, feito Aécio Neves, Lula e outros. Condenados, pegos com a boca na botija, até presos, dão um jeito de se safar, posam de injustiçados e se acham no direito de retomar o poder a seu bel-prazer, dando seus pitacos quando lhes convêm. A “Justiça” os protege. Cabe unicamente uma resposta do povo, nas urnas. Limpar a casa é nosso dever.

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

*

SIMONE QUEM?

Em vez de trabalhar unido pela campanha do ex-governador paulista João Doria, diminuindo a sua rejeição e aumentando suas chances de êxito, o PSDB resolveu rifar a sua candidatura para dar apoio a Simone Tebet. Diante da descabida e arriscada decisão, fruto de guerra interna fratricida liderada pelo desafeto de Doria, Aécio Neves, cabe perguntar com respeito: Simone quem? Francamente!

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

MORO E SUA DECEPÇÃO

É lamentável ver a situação do ex-Juiz Sergio Moro após sua curta passagem pela política. Justo ele, que deixou uma marca indelével ao País pela sua atuação marcante durante a Operação Lava Jato. Moro, em conjunto com a Polícia Federal, desmontou um sistema de corrupção criado durante os quase 14 anos de governo petista, período em que sumiram  bilhões de reais e dos quais pouco foi recuperado, como os R$ 6 bilhões da Petrobras. Moro, que se tornou um herói para o País, hoje é criticado até por políticos de expressão nenhuma como aqueles que o querem no partido apenas para trazer credibilidade a caciques dessas siglas que pensam apenas nos milhões de reais que ganham de presente para torrar nas campanhas eleitorais em volumes mal explicados. Qualquer formando em advocacia que consegue atingir destaque na carreira pode sonhar um dia em chegar a ministro do Supremo Tribunal Federal, o maior órgão de Justiça, e talvez Moro tenha sonhado isso, por que não? Ele sabia que sem apoio político não teria chance para esse sonho, então entrara na política graças à promessa de um Bolsonaro que o queria para dar credibilidade ao seu governo. Moro errou quando logo de início tentou endurecer algumas leis, como no caso da segunda instância, e não teve apoio de Bolsonaro. Tivesse se demitido já nos primeiros seis meses e não mais de um ano após, hoje não estaria obrigado a beber o fel da política, onde até mesmo para concorrer ao Senado não querem dar chances a ele. E por que isso? Talvez a resposta esteja nas verbas milionárias, por não saberem qual seria sua atuação quanto ao controle desses valores.

Laércio  Zanini

spettro@uol.com.br

Garça

*

MUDANÇA DE DOMICÍLIO ELEITORAL

Como a Justiça brasileira enxerga muito bem, movida por interesses de outros, veja a contestação de mudança de endereço do sr. Sergio Moro. O candidato Tarcísio de Freitas também não mudou de domicílio eleitoral? Alguns anos atrás, o ex-presidente Sarney candidatou-se ao Senado pelo Acre e até os jabutis da floresta sabiam que ele morava no Maranhão. Ao contrário do que disse o ex-ministro Marco Aurélio Mello, todos os processos têm capa.

Vital Romaneli Penha

vitalromaneli@gmail.com

Jacareí

*

DESRESPEITO AO STF

O editorial Desrespeito ao STF e ao País (Estado, 20/5, A3) aponta um gravíssimo esgarçamento institucional ao narrar que decisões do Supremo Tribunal Federal não são obedecidas justamente pelos nossos legisladores, que estão fazendo pouco caso do princípio da transparência em relação ao emprego de recursos públicos oriundos do tal orçamento secreto. Pelo jeito, nossos senadores, ao participarem da indicação dos integrantes do colegiado maior do Judiciário, devem estar achando que não precisam atender com presteza às decisões que os incomodam. Como essa Corte, que funciona como tribunal privilegiado para eles, praticamente não tem condenado legisladores que assaltam cofres públicos, é sinal de que o crime deles realmente compensa.

José Elias Laier

joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

PROCESSOS NA PGR

Será que ainda veremos o dia em que o senhor Augusto Aras vai tratar os processos com total neutralidade?

 

Robert Haller

São Paulo  

*

BRASIL DA IMPUNIDADE

Os malfeitores estão felizes com o Legislativo brasileiro. Impunidade e penas simbólicas fazem parte do nosso cotidiano. Assim o crime compensa. Faz anos que a prisão após condenação em segunda instância está engavetada, quando o certo é prisão desde a primeira instância. Lugar de bandido é na cadeia.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

CRUELDADE POLÍTICA

Sei que até o começo dos anos 1980 nem se falava em Cracolândia. Mas algo de ruim começou a aparecer. A demagogia dos governos que se sucederam depois de 1984 subiu com a inflação, os impostos e a desvalorização da moeda. A esquerda cresceu a partir de 1985. Dez anos depois, vimos o crescimento desses movimentos dos sem-terra e sem-teto e o incentivo à invasão de propriedade no campo e na cidade. Não é coincidência. Em 2003, Lula assume e, em 2010, entrega uma bomba pronta para explodir nas mãos de uma maluca terrorista. Em quatro anos o Brasil vira uma piada no mundo todo. Em 2015, vem o "golpe" e de lá para cá o que já estava ruim foi piorando cada vez mais. Em 2018 fomos salvos por um presidente que precisou levar uma facada para o povo acordar e ver em que mãos demoníacas estava há muito tempo. E hoje o povo tem a chance de manter esses demônios fora do poder. Eles rondam querendo voltar para terminar a destruição que começaram lá atrás, em 2003. A Cracolândia não é caso de saúde pública, mas uma arapuca armada para incomodar quem quer trabalhar e se localiza exatamente onde vivem imigrantes simples e trabalhadores. Locais que, se não fosse a Cracolândia, haveria prosperidade de pequenos e médios comerciantes, como sempre foi o Bom Retiro, Campos Elíseos, Santa Cecília, Bela Vista, Vila Buarque, Av. São João, Av. Ipiranga, Av. Rio Branco, etc. Essa população de coitados abandonados estão ali de propósito para atrapalhar quem somente quer trabalhar. Sem segurança pública, não podemos trabalhar. Logo, para mim, a Cracolândia é um problema de segurança pública. Quem faz acordo com traficantes e incentiva o uso de drogas ilícitas são aqueles que vieram depois do governo militar com vontade de revidar com ideias socialistas. Socialista não gosta de trabalhar, gosta de se meter no trabalho dos outros, de greve, de folgas. Não gosta de se sustentar, gosta de ser sustentado.

Roberto Moreira e Silva

rrobertomsilva@gmail.com

São Paulo

*

DIAS SECOS, NOITES GELADAS

Temperaturas despencam. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as baixas temperaturas devem ser constantes nos próximos dias. O inverno nem começou e já estamos sofrendo com essa semana gelada em vários Estados do Brasil. Nós, que somos privilegiados, não podemos nos esquecer dos moradores de rua. A hora de ajudar é agora. Todos nós temos algum agasalho ou cobertor que não usamos em casa. Vamos doar porque o frio está muito intenso e muita gente está nas ruas precisando.

José Ribamar Pinheiro Filho

pinheirinhoma@hotmail.com  

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.