Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2022 | 03h00

Eleição presidencial

Tem de dar certo

Se Bolsonaro for reeleito, podemos esperar o fim da Floresta Amazônica, seus rios e índios; a falência definitiva da educação no Brasil; as Forças Armadas tomando conta total da máquina do Estado; a democracia vivendo seus últimos dias. Se o eleito for Lula, podemos esperar a volta da corrupção generalizada atingindo estatais e fundos de pensão; obras milionárias no exterior financiadas pelo BNDES, superfaturadas; obras no Brasil igualmente superfaturadas; aparelhamento da máquina do Estado com sindicalistas incompetentes e corruptos; revogação da reforma trabalhista, com a volta do financiamento compulsório dos sindicatos pelos trabalhadores. É difícil saber qual será pior. A única tentativa salvadora é a terceira via. Tem de dar certo.

Celso Battesini Ramalho leticialivros@hotmail.com

São Paulo

*

Terceira via desgastada

Tomara que os candidatos homens entendam que a única candidatura viável a esta desgastada terceira via é a única mulher que se apresentou. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) é a única esperança capaz de nos levar a acreditar que seja possível quebrar uma das pernas desta polarização pesadelo.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

Eleitorado feminino

Simone Tebet, diante de todas as opções até a presente mostra de possíveis candidatos à Presidência, é a única que não lança cortinas de fumaça para esconder um governo que nada realizou; não se ocupa de ofender oponentes; e não fica gritando que acabará com o teto de gastos ou com a reforma trabalhista. Foi extremamente atuante na CPI da Covid – foi ela, por exemplo, que trouxe a maior contribuição para a interrupção da compra fajuta da Covaxin. Ademais, as mulheres historicamente estiveram em papéis secundários e sempre lutamos por direitos iguais. Está na hora de apoiarmos uma mulher não somente por ser mulher, mas por ser forte, ter caráter e honestidade. Somos 53% de todos os eleitores. Podemos virar o jogo. Ter orgulho e respeito.

Lucia Helena Flaquer  lucia.flaquer@gmail.con

São Paulo

*

Tebet-Tasso

Baleia Rossi, presidente nacional do MDB, tem razão: a polarização entre Lula e Bolsonaro prejudica os brasileiros (19/5, A11). O que precisamos, neste momento, é de conciliação e de gente pensando no País, e não apenas em interesses pessoais. A dupla Simone Tebet e Tasso Jereissati, desejada pela ala pró-Tebet no PSDB, parece boa. Tasso é político experiente e, certamente, não vai atrapalhar, mas ajudar.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

Princípios não valem nada?

Francamente, se parte da população votante acha normal o que PSDB, MDB e Cidadania estão fazendo com João Doria – goste-se dele ou não –, numa demonstração explícita de desprezo por regras democráticas básicas, já que foi escolhido pelo seu partido por prévias como candidato a presidente, então dá para entender o porquê de termos no Brasil um presidente como Jair Bolsonaro, que não tem o menor respeito por princípios éticos e muito menos apreço pela democracia. Sim, Mário Covas e Franco Montoro fazem muita falta.

Eliana França Leme efleme@gmail.com

Campinas

*

Enrascada

O PSDB entrou numa enrascada e hoje parece um partido nanico, não aquele que teve um presidente por duas vezes, FHC, e foi fundamental na implantação de algumas políticas e para a democracia. Continua ladeira abaixo quando dá voz a Aécio Neves.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

Um senão

Prezada senadora Tebet, não pegue na outra alça da sórdida mala de dinheiro de Aécio Neves. Abraços e melhor sorte que esta!

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Onda de frio

Revoltante

Nestes dias, abençoados grupos de brasileiros estão nas ruas, no frio, confortando e alimentando os miseráveis, que estão em crescente número neste desgoverno, enquanto Jair Bolsonaro ri e faz politicagem em Brasília à custa do dinheiro público. Seus protegidos são as turmas abastadas das motociatas, cavalgadas, lanchaciatas e do “cercadinho”. Simplesmente revoltante.

Etelvino J. Henriques Bechara ejhbechara@gmail.com

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A (FALTA DA) EDUCAÇÃO

A proposta de ensino domiciliar aprovada pela Câmara dos Deputados é de uma aberração ímpar (Estado, 19/5, A16). Dentre as várias críticas exaustivamente discutidas é preciso salientar o aspecto importantíssimo da socialização: é através do espelhamento no outro que a criança entrará em contato com seus próprios limites e, interagindo com professores, aprenderá o significado do conceito de autoridade. Esse aprendizado não é possível junto ao convívio exclusivo com os pais. Além disso, quem atestará que os pais estão capacitados a prover o ensino técnico aos filhos, já que muitos deles não tiveram formação escolar adequada? O que o País  precisa é de mais e melhores escolas e professores, e não tapa-buracos inúteis. A Educação, ou melhor, a falta dela, será um dos maiores legados do bolsonarismo.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

SEGREGAÇÃO DE CRIANÇAS

Os deputados, com minúsculas, aprovaram o sistema de ensino em casa. Como eles tiram dinheiro do povo para levar seus filhos a escolas particulares e poderão continuar pagando professores particulares, os pobres e miseráveis vão continuar usando o ensino público de má qualidade. Tenho certeza de que alguns desses deputados se formaram em escolas públicas, mas como ascenderam na vida ignoram a pobreza. A saga da humanidade é essa, os pobres e miseráveis devem sempre continuar nessa situação. Esses brasileiros também pensam assim.

Arnaldo Vieira da Silva

arnaldosilva1946@gmail.com

Aracaju

*

PUNIÇÕES E RECOMPENSAS

Em relação ao texto de Luciana Garbin (Punições e recompensas, 19/5, C8) – excelente, por sinal –, sugiro a leitura de Como Criei Filhos Fortes e Felizes, do Clube de Autores.

Albino Bonomi

acbonomi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

*

BECO SEM SAÍDA

Vênia complementar à carta de José Roberto Iglesias (Fórum dos Leitores, 18/5, A4), considerando prováveis opções para o segundo turno eleitoral deste ano, caso ocorra. Considerando haver uma tecla específica para o voto em branco na urna eletrônica, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deveria divulgar em propagandas informativas e elucidativas a possibilidade de o eleitor, se assim o desejar, optar por essa alternativa e apresentar um "feedback" ao sistema eleitoral, político, econômico, cultural e social. Neste momento não estamos em uma República, mas sim numa ré-pública, exemplificada pelas citações do "ex-presidiário", sem transparência e tampouco julgado, e a vaca indo de vez para o brejo (não apenas a vaca, mas toda a “bovinada”).

Fernando Franco Fonseca

fonsecafernando27@gmail.com

São José do Rio Preto

*

ARRUAÇA DE BOLSONARO

Bolsonaro faz arruaça para desviar do principal: inflação alta, desemprego, queimada e desmatamento recorde na Amazônia, preço da gasolina estratosférico e que vai perder a Presidência na eleição. A população já está ficando cansada, mas enquanto pessoas de influência pregam Lula como solução, Bolsonaro se apresenta como solução antipetista. Parece que até Lira, Pacheco, Aras e os militares estão se cansando da família. O Brasil que era o país do futuro agora é país sem futuro. Ainda creio que uma terceira opção poderá nos salvar.

Cecilia Centurion

ceciliacenturion.g@gmail.com

São Paulo

*

EVANGÉLICO BOLSONARISTA

Messias nosso que estás no estande de tiros, enaltecida seja a vossa pontaria, venha a nós um farto carregamento de armas, seja feita a vossa vontade golpista, ditatorial e militarista, na terra, no mar e no céu. O ódio nosso de cada dia nos dai hoje, inspira-nos fake news e ofensas assim como nós inspiramos a quem se une ao nosso raivoso mugido. E não nos deixeis cair na tentação do amor cristão, mas livrai-nos de amar tal como Cristo amou. Amém.

Túllio Marco Soares Carvalho

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

O ROTO E O ESFARRAPADO

O presidente Jair Bolsonaro, para explicar seu desgoverno, tem como mantra “eu não sou culpado”. Já o ex-presidiário Lula da Silva, nos desfalques que praticou na Petrobras, tinha como mantra “eu não sei de nada”. Como ambos se completam, fica a pergunta: quem ensinou quem ou quem copiou quem? Na verdade é o roto falando do esfarrapado.

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

FELIZES PARA SEMPRE

Chegou o dia do casamento de Lula com Janja. Muito requinte, classe e discrição. Só para poucos membros da nobreza. Com fotos e clipes dessa love story cuidadosamente planejados para o consumo do povão às vésperas de um novo processo eleitoral. Pode-se dizer que se trata da versão brasileira do casamento do príncipe Charles com a sua Camilla. Realizado com toda a pompa, mas com o devido cuidado para não trazer recordações da Lady Di ou da sra. Marisa Letícia, de saudosas memórias. E quanto aos presentes que estão sendo dados aos pombinhos? Se fosse na Inglaterra, empresas não poderiam dar presentes aos príncipes, pois a realeza não pode aceitá -los. Apenas presentes com um valor nominal abaixo de US$ 200 se dados por uma pessoa podem ser aceitos. No caso de Lula, não há restrição alguma. O céu é o limite. À medida que os preciosos mimos forem aparecendo nos próximos anos, é certo que absolutamente tudo o que vier a surgir não passará de presente de amigos cujo único interesse era fazer esse ilustre brasileiro feliz e, por seu intermédio, a todos do seu fã-clube. O futuro pode sim repetir o passado em versão incrementada e aprimorada. E, se depender dos mais poderosos, o conto de fadas nunca irá terminar.

Jorge Alberto Nurkin

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

JUSTIÇA ENCONTROU JANJA?

Com toda a certeza os diligentes oficiais de Justiça conseguiram notificar a socióloga Rosângela da Silva (Janja), devedora de mais de R$ 220 mil (conforme ações que tramitam no Judiciário), na última quarta-feira (18/5) durante evento relativo ao seu suntuoso casamento. O Brasil inteiro sabia onde ela estaria. Ou "não a encontraram"?

Milton Cordova Junior

milton.cordova@gmail.com

Brasília

*

SEGREDOS COMPROMETEDORES

Sobre os 190 parlamentares que nem deram satisfação sobre os gastos do orçamento secreto a pedido do Supremo Tribunal Federal (Desrespeito ao País e ao STF, 20/5, A3), sugiro a divulgação, pela imprensa, de seus nomes para que os eleitores saibam o que fazem seus candidatos.

Luiz Frid

fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

MAMÃE FALEI

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou a cassação de Arthur do Val, que perdeu os direitos políticos por oito anos. Na minha opinião, além da cassação, acredito que o Mamãe Falei deveria ser preso também. Pelas bobagens que ele disse, ver o sol nascer quadrado poderia levá-lo a respeitar mais os seus semelhantes.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

SÃO PAULO

A respeito da entrevista ao Estadão do governador paulista Rodrigo Garcia (PSDB), cabe destacar o trecho a seguir: "A Constituição de 1988 municipalizou e estadualizou serviços, mas federalizou o dinheiro. Hoje, o resultado desse pacto federativo é que os municípios e os Estados têm muitas responsabilidades, mas a União fica com a maior fatia do bolo tributário. Fiz um levantamento no ano passado. Os impostos federais arrecadados em São Paulo somaram R$ 750 bilhões e voltaram R$ 47 bilhões. O que é mais grave é que as transferências voluntárias também deixaram de existir para SP, que se tornou o último Estado na fila” (Estado, 19/5, A10). Diante de sua oportuna fala, está mais do que na hora de questionar e rever essa descabida e injustificável conta, em que São Paulo, por ser a locomotiva da economia do País, deposita nos cofres da União mais de dez vezes o que tem de retorno em investimentos federais, servindo de arrimo de família para o governo federal e demais Estados. Essa conta, em que somente um lado ganha, não pode continuar sendo paga.

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

SALÁRIO SEM CORREÇÕES

Em São Paulo, os governadores do PSDB propositadamente não corrigem os seus salários e dos secretários estaduais. Com isso, o prefeito da capital ganha mais do que o governador. O salário do governador do Estado é menor do que o da maioria dos Estados e prefeituras de capitais. Por quê? Isso obriga os servidores a terem seus vencimentos abaixo do governador. Assim, funcionários com 15 ou 20 anos de carreira são obrigados a sofrer uma redução em seus vencimentos legítimos. O teto constitucional é burlado nos Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo e pelos militares, em que decreto recente possibilita que generais ganhem até R$ 350 mil a mais por ano. Em São Paulo, até os empregados da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), que foram admitidos antes de 13 de maio de 1974, aposentados, mesmo sendo celetistas e tendo contribuído para o INSS, agora sofrem com o redutor como se fossem funcionários públicos estaduais. O Tribunal de Justiça e o Supremo aceitam tudo, menos que esses empregados tenham seus direitos garantidos. E se usassem fardas ou fossem deputados, senadores ou desembargadores do andar de cima?

Rafael Moia Filho

rmoiaf@uol.com.br

Bauru

*

COVID NA COREIA DO NORTE

Ao mesmo tempo em que o Brasil é um dos países com maior número de habitantes vacinados e a cidade de São Paulo informa possuir 98% da população portando anticorpos do coronavírus, a Coreia do Norte torna-se preocupação mundial porque só no último dia 11 de maio admitiu ter em seu território – de 25 milhões de habitantes – o primeiro surto da covid-19. Há dois anos, quando o mal se alastrou pelo mundo, o controverso governante Kim Jong-un rejeitou a oferta de vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS), China e Rússia. Preferiu fechar as fronteiras e impor restrições à população e tratar os possíveis doentes com água, chá e ibuprofeno. No dia 12, 24 horas depois de admitida a pandemia, o governo revelou a primeira morte por covid no país e agora já contabiliza 56 mortos, 270 mil casos de febre e 1,5 milhão de contaminados, dos quais 663 mil já colocados em quarentena. O exemplo brasileiro – apesar da sórdida exploração política ocorrida – de vacinar a população mostra que conseguimos baixar as restrições e começar a volta à normalidade. Do outro lado, a Coreia do Norte, que apenas exigiu precauções de sua população, transforma-se numa possível bomba que pode reinjetar a pandemia nos países vizinhos e até em áreas distantes. Apesar do governo local ter convocado o Exército para atuar contra o alastramento do mal e de o país receber o trabalho de grande equipe de médicos internacionais, o futuro é incerto. A maioria dos brasileiros que ainda adoece, é internada e até morre de covid é composta por pacientes de grandes comorbidades e principalmente pelos que, independente de idade e estado físico, não compareceram para receber todas as doses da vacina ou simplesmente não se vacinaram. A vacina é a única proteção disponível contra o coronavírus.

Dirceu Cardoso Gonçalves

aspomilpm@terra.com.br         

São Paulo       

*

ABELHAS NATIVAS

Em 20 de maio comemora-se o Dia Mundial das Abelhas, uma boa lembrança para acender a chama da esperança. Sustentabilidade precisa rimar com prosperidade. É tempo e momento para um programa de fomento à criação racional das abelhas sem ferrão, a meliponicultura, nas veredas do imenso sertão. Espécies conhecidas e nativas da Caatinga serão importantes para a geração de trabalho e renda no ambiente rural familiar. Uma volta ao tempo dos chamados cortiços nos alpendres e varandas das casas sertanejas. Um retorno inovado com assistência técnica e extensão rural e comercial. Menos produtivas do que as africanas e europeias, no entanto, o mel das abelhas nativas consegue preços bem superiores no mercado. Além disso, vale refletir sobre a influência positiva para minimizar o êxodo rural para grandes cidades e capitais. A hora é agora para um bom debate para, juntos, construirmos a nossa querida e imensa Nação. Fica o desafio democrático.

Paulo Cesar Bastos

paulocbastos@hotmail.com

Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.