Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2022 | 03h00

PT

Ação contra Moro

Advogados do Grupo Prerrogativas sublevados por deputados federais do PT acionam a Justiça para exigir do ex-juiz Sergio Moro ressarcimento pelos prejuízos causados à Petrobras e pelos milhões de desempregados em razão da Operação Lava Jato. Seis anos de investigações, delações premiadas, bilhões de reais recuperados e uma corja de larápios na cadeia representam o saldo positivo da operação. O Supremo Tribunal Federal (STF) anulou os processos, e agora vem a vingança contra Moro, que teve a ousadia de iniciar o processo de condenação do pobrezinho Lula. Se essa ação prosperar, está provado que o Brasil não é um país sério.

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avare

*

Eles querem palmas

Deputados do PT protocolaram ação judicial em que pedem a condenação do ex-juiz Sergio Moro em face de supostos prejuízos à Petrobras por causa das condenações na Lava Jato. E eis que ainda fartamente pagamos os vencimentos desses deputados, com o dinheiro público de nossos impostos! Ou seja, somos fraudados, desconsiderados, enxovalhados e ainda querem que batamos palmas para as canalhices que rotineiramente engendram.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Escárnio

O julgamento de suspeição do ex-juiz Sergio Moro pela Suprema Corte tem gerado uma série de absurdos, como o desta ação popular ajuizada por deputados do PT contra o ex-magistrado, imaginando que toda aquela roubalheira na Petrobras durante os governos do PT fosse uma invenção, assim como o triplex do Guarujá e o sítio de Atibaia. Até quando o nosso Judiciário dará continuidade a este escárnio?

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

*

Primavera brasileira

Num país em que o bem é processado e o mal é aliviado, o que posso dizer a meus netos? Que o combate ao mensalão e a luta contra a corrupção a partir de 2014, com a Lava Jato, foram só uma “primavera de Praga”? Posso lhes dizer que nosso novembro de 1989 há de chegar e que o muro que protege a corrupção neste país há de desmoronar. Sim, ao menos eles haverão de ver esse dia.

Lilia Hoffmann liliahoffmann@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘Projeto de Nação’

Ficção científica

O documento Projeto de Nação, o Brasil em 2035, lançado este mês por um grupo de militares como se fosse uma obra publicada em 2035 (Estadão, 24/5, A10), tem ares de ficção científica, como se tivesse acontecido no Brasil algo semelhante ao Experimento Filadélfia, a teoria conspiratória sobre um navio da Marinha americana que teria viajado no tempo. Pode ser, também, uma obra psicografada pelo espírito de Olavo de Carvalho.

Júlio Zavack juliozavack@gmail.com

Pelotas (RS)

*

Rio de Janeiro

Operação na Vila Cruzeiro

Estranhíssimo o resultado desta intervenção policial de terça-feira na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro: 25 mortos, quase todos bandidos, e nenhum policial ferido. Até os fanáticos de Antonio Conselheiro armados de espingardas pica-pau carregadas “pela boca” tiveram melhor resultado do que os supostos bandidos portadores de armas modernas. Urge investigar o que aconteceu, mas sabemos de antemão que de nada adiantará.

Nestor Rodrigues Pereira Filho nestor.filho43@gmail.com

São Paulo

*

Indignidade

A indignidade atinge todos nós, brasileiros – não só os que vivem o cotidiano de horror das áreas desassistidas do País. Em diferentes medidas, todos somos responsáveis por um Estado que pratica arbitrariedades contra a população que deveria proteger. A mal explicada e ineficaz atuação policial no Rio de Janeiro, estimulada pela eleição da chapa Wilson Witzel/Claudio Castro, concorre para aumentar a segregação, a revolta e a descrença. Demonstração de indiferença e de desrespeito à dor e impotência dos que observam corpos de familiares ou vizinhos serem amontoados na carroceria de uma camionete. Estímulo à busca de outras instâncias de proteção, com a irremediável consequência de aprofundar conflitos.

Patricia Porto da Silva portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

TREINAMENTO DA PRF

Ação do Bope e de policiais federais deixa 22 mortos na Vila Cruzeiro (Estado, 25/5, A17). Lamentável sob todos os aspectos – particularmente pela alta letalidade. Até aqui as versões oferecidas pelos dois grupos envolvidos não se sustentam. Enquanto a Polícia Militar fala, num primeiro momento, da precipitação da operação, já que seu suposto organograma foi adiantado e tinha como objetivo a prisão de lideranças do tráfico e figuras relevantes do crime organizado em outros Estados que se abrigavam nas comunidades, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) menciona que sua participação decorria do envolvimento de traficantes nos roubos de cargas – sem oferecer qualquer outro subsídio como nomes e apelidos dos envolvidos e mandados judiciais (de buscas e prisões). Pelo manifesto improviso e participação de uma corporação distante de suas atribuições, e diante do aparato bélico, uniforme camuflado e equipado para a guerra, além de veículos blindados, os policiais rodoviários federais interagiram com os policiais militares numa operação de periculosidade e sensibilidade, face à densidade populacional do local, com interesse meramente voltado para o aprendizado, treinamento e aperfeiçoamento profissional. Essa não foi a primeira incursão da PRF a que assistimos fora do eixo de suas atribuições. Sem dúvida, uma temeridade, muito comum nestes tempos de escaramuças de forças militares.

Noel Gonçalves Cerqueira

noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

*

MASSACRE NA ESCOLA

Tragédias como a que aconteceu recentemente em uma escola de ensino fundamental no Estado do Texas (Atirador mata 19 crianças e 2 adultos em escola primária de cidade do Texas, 25/5, A14) têm se tornado rotineiras nos EUA. Mas não é um problema insolúvel. Ao invés de se recrutar milhares de soldados e mercenários para lutar guerras insanas, melhor seria proteger as escolas com escolta armada para inibir ou impedir esses ataques injustificáveis contra pessoas inocentes e indefesas.

Marcos Abrão

mabrao7@gmail.com

São Paulo

*

BRASIL 22 X EUA 19

O Brasil mata mais que os malucos americanos que atiram nas crianças das escolas. O superpoderoso lobby das armas americano poderá usar o argumento de que no Brasil ninguém pode ter armas e no entanto mata-se muito mais do que lá. Além do Brasil matar muito mais do que nos Estados Unidos, aqui, a impunidade é completa e absoluta, enquanto nos EUA o matador sabe que certamente será capturado, julgado, condenado e preso, por isso quase sempre se suicida depois do massacre.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

VOLTA DOS JOGOS DE AZAR

De tempos em tempos ouvimos notícias tratadas com muita confidencialidade de um projeto de lei que autoriza a volta do jogo de azar. Em um país cujo presidente é miliciano, a ideia de que teremos o crime organizado dominando essa atividade e lavando todo o dinheiro que deseja nos aproxima cada vez mais de um Brasil dominado pelo banditismo.

Aldo Bertolucci

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

JUNTANDO CAVACOS

Cada dia fica mais difícil entender a lógica dos políticos. Temer saiu com esta: “Não sou o candidato da terceira via. Sou e sempre serei candidato a juntar os contrários em busca do bem comum”. Ué! Será que se esqueceu? Ele é ex-presidente por ter sido vice de um dos contrários.

Paulo Tarso J. Santos

ptjsantos@yahoo.com.br

São Paulo

*

SERGIO MORO

Juristas que me perdoem, mas Sergio Moro foi atacado pelo vírus da burrice e do deslumbramento ao largar a toga de juiz para fazer supletivo para a carreira política. Nunca escondeu que não tem nenhum apreço pela classe política. Um estranho no ninho entrando na rinha das pauladas. Serpentário para quem tem couro duro. Ainda como candidato, o calouro Moro nunca disse nenhuma novidade. Em tom professoral e arrogante, fez promessas enfadonhas que todos os candidatos estão fartos de repetir. Moro deu colossal tiro no pé aceitando ser ministro da Justiça de Bolsonaro. Jamais esperava enfrentar batalhas inglórias e tacapes pesados dos adversários. Não apenas de Lula, mas também de Bolsonaro. Moro navegava em aparente mar tranquilo, nariz empinado e voz fanhosa, até Lula, que condenou e passou um ano preso em Curitiba, ser inocentado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de todas as acusações de corrupção. Crescia o inferno astral de Moro. Leva pedradas de todo lado. Leva mais flechadas no peito do que São Sebastião. O PT jamais dará trégua a Moro. Caso Lula vença as eleições presidenciais de outubro, a vida de Moro será um inferno. Lexotan será pouco. A vingança fica ao gosto do freguês.

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

VINGANÇA AMARGA

Vingativa a ação do PT imputando prejuízos ao País pelo ex-juiz Sergio Moro (Estado, 25/5, A12). Obtusa porque é feita em momento de eleição, em que as pessoas refletem como candidatos e seus apoiadores se comportarão quando ocuparem o poder. Nociva a começar por ser fake: quem deu prejuízo ao País administrando-o lesivamente foi exatamente o PT. Quer agora imprimir ao povo um cenário de lisura que nunca existiu. Também Lula diz que nesse caso Moro terá a defesa que ele próprio não teve. Outra inverdade. Todos sabem do tratamento privilegiado que teve durante todo o período em que esteve preso. A atitude e demonstração clara da cara do PT verdadeiro: rancoroso, vingativo, amargo, mesquinho. Comprador de consciências. Vide mensalão.

Sergio Holl Lara

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

*

MORO VIRA RÉU

Pelo caminhar das coisas, Sergio Moro logo será o único preso da Operação Lava Jato. Ia esquecendo: ele e Sérgio Cabral.

Vital Romaneli Penha

vitalromaneli@gmail.com

Jacareí

*

OJERIZA

Frase antológica lapidar manifestada pelo leitor José Eduardo Zambon Elias (Fórum dos Leitores, 25/5, A4): "Brasília tem ojeriza a gente honesta no poder".

 

José Claudio Marmo Rizzo

jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

AINDA DORIA

Doria, depois de mostrar que espírito público é só quando lhe beneficia ou lhe interessa, deixando traições vergonhosas por onde passou –  Alckmin, criador da criatura, que o diga – fez a coisa certa uma vez. Saiu da vida pública e entrou de cabeça na vida privada. Hasta nunca, Doria. Aproveita e chama o “Bessias”.

Zureia Baruch Jr

zureiabaruchjr@bol.com.br

São Paulo

*

O INACEITÁVEL

Aras parte para cima de subprocurador em reunião de conselho (Estado, 25/5, A13). Partir um subprocurador de Justiça, desairado, em estilo de briga, contra o procurador-geral, seria digno do mesmo lamento. Mas fazê-lo o chefe descarta qualquer explicação que pudesse elucidar o injusto. O dr. Augusto Aras investir contra seu colega Nívio de Freitas em sessão do Conselho Superior do Ministério Público é "inacreditável", como emitiu uma voz não identificada no vídeo. Aras degradou a dignidade do cargo. O episódio surreal não pode terminar nessas circunstâncias.

Amadeu Roberto Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

EXCELÊNCIA É ISSO AÍ

Para quem nunca acha nada, Sua Excelência, faltou pouco, quase achou. Mas muito mais difícil é encontrar excelência nas autoridades que temos.

A. Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PEQUENEZ

Existe o cargo de nanoprocurador da República? É o que Augusto Aras representa para o Brasil. Uma vergonha!

Luiz Frid

fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

PETROBRAS

Discussões e mais discussões sobre o preço do combustível. Depois de 40 dias trocam presidente da companhia porque não diminuiu o preço da gasolina e do diesel. É preciso lembrar que existem três componentes básicos no preço do combustível da Petrobras. O primeiro e mais importante é o preço do petróleo no mercado internacional. Se considerarmos o preço abaixo do internacional para venda de combustível, haverá muitos problemas, pois os administradores serão responsabilizados por acionistas minoritários e autoridades pela má gestão da empresa. O segundo item são despesas com pessoal. Ao que tudo indica, existe remuneração exagerada que foge a padrões técnicos, pois a Petrobras é conhecida pelas melhores remunerações de pessoal. Se diminuirmos essa conta então poderemos diminuir o preço do combustível. O terceiro item é a exorbitância de tributos no combustível. Só poderemos diminuir o preço do combustível diminuindo salário e tributos. Parece que querem diminuir preço de combustível sem abrir mão de nada. É inadmissível uma empresa do porte da Petrobras viver trocando de presidente porque não diminui o preço da gasolina e do diesel.

Marco Antonio Martignoni

mmartignoni1941@gmail.com

São Paulo

*

CARGA TRIBUTÁRIA

O contribuinte brasileiro terá trabalhado até 29 de maio 148 dias para pagar cerca de 63 impostos, taxas e contribuições. Isso significa 40,82% de seus rendimentos. O Brasil está entre os 30 países de maior carga tributária e o que dá o pior retorno. A classe média é a que mais paga e, por ironia do destino, dias atrás o pré-candidato Lula disse que “a classe média ostenta padrão de vida acima do necessário”. Para piorar, aqueles que poderiam mudar esse confisco no bolso do cidadão são os que menos trabalham e mais se beneficiam dos impostos arrecadados. Não há como melhorar a vida do cidadão num país tão desigual e tão sem vontade de mudar por parte daqueles que têm a caneta nas mãos.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.