Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2022 | 03h00

Escândalo no MEC

Presidente investigado?

A ministra Cármen Lúcia enviou pedido à Procuradoria-Geral da República (PGR) para que Jair Bolsonaro seja investigado no caso do “gabinete paralelo” do MEC. Fica a dúvida: qual a probabilidade de esse pedido ir adiante?

José Milton Glezer

jmglezer@uol.com.br

São Paulo

*

Na agenda

O atual governo não é só lanchaciata e motociata. Também tem muita negociata.

Carlos Alberto Roxo

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

*

CPI no Senado

Já não é sem tempo a criação da CPI do MEC no Senado. Por que alguns senadores ainda têm dúvida em assinar sua criação? Afinal, eles continuam ganhando para trabalhar pelo País, não para gastar o tempo normal de trabalho em campanhas eleitorais. Além disso, dois terços deles continuarão no cargo em 2023 e não estão, pois, à procura de reeleição. Onde estão os senadores dos outrora sempre dinâmicos e sérios PSDB, PSD, Podemos, etc.? CPI já neste desgoverno que, em nome de Deus, se tornou parasita de pastores evangélicos corruptos.

Éllis A. Oliveira

elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

Sonho

Por algum tempo, sonhamos com os efeitos moralizantes da Operação Lava Jato, depois de um governo desastroso da primeira presidenta, tendo assistido a um ex-presidente condenado ser preso e bilhões serem recuperados, como provas irrefutáveis da roubalheira de um PT menor, desmoralizado, pífio e moribundo. Experimentamos, a seguir, em 2018, a chegada de um novo rosto para ocupar o Planalto, com discurso reto e limpo. Anticorrupção, menos Brasília e mais Brasil, carregando um ministro alinhado com a Faria Lima e outro, o herói de Curitiba, além da promessa de reformas, menos ministérios, etc. Tudo o que queríamos ouvir. Parecia que o Brasil poderia dar certo. Sonho de uma noite de verão. Acordamos com a Amazônia em chamas, com atritos diplomáticos com as potências mundiais, com uma miríade de escândalos (madeireiras, das vacinas, do MEC, o da interferência na Polícia Federal e na Petrobras), com o Centrão como nosso primeiro-ministro, com o descaso com o meio ambiente e os índios, com o apoio singular a Vladimir Putin, com o tal de orçamento secreto e com as repetidas ameaças de golpe à democracia. Nunca foi tão fácil de o moribundo voltar ao poder. O Brasil ainda vai pagar caro por ser um país de ignorantes. O gigante adormecido está em coma.

Rodrigo Cezar Pereira

rodrig2705@gmail.com

São Paulo

*

Corrupção

A candidatura de Lula

O brilhante artigo de Carlos Alberto Di Franco Corrupção paralisa, agride e mata (Estadão, 27/6, A5) expõe sem falsas narrativas o momento infame de nossa política e das instituições. É inaceitável um só juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) dar condições a um ladrão contumaz de “voltar à cena do crime”, conforme palavras de seu candidato a vice. Que os desavisados e não esclarecidos eleitores sejam enganados e acreditem no “pai dos pobres” é compreensível, mas o empresariado fechar os olhos e apoiar este gatuno é de arrepiar. Então, sem opção, serei obrigado a anular meu voto.

Luiz Antonio Amaro da Silva

zulloamaro@hotmail.com

Guarulhos

*

Antecedentes

As eleições já batem à nossa porta e qualquer cidadão minimamente informado sabe que o candidato Luiz Inácio Lula da Silva não reúne as mínimas condições para disputar o mais importante cargo da República. Melhor nem entrar no mérito de seus suspeitíssimos antecedentes, já amplamente debatidos. Só para dizer o mínimo.

José Marques

seuqrama993@gmail.com

São Paulo

*

Zona Franca de Manaus

Gastando mal

O artigo A Zona Franca de Manaus em busca de um futuro (Estado, 27/6, A4) traz muitos dados que confirmam como nosso governo historicamente gasta mal. Uma conta simples mostra um número estarrecedor: a renúncia fiscal de R$ 60 bilhões por ano representa mais de R$ 47 mil por mês para cada um dos 105 mil empregos diretos gerados. Haveria muitas maneiras de gastar de modo mais eficiente.

Tarcísio Barreto Celestino

tbcelest@usp.br

São Paulo

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

'PEC DAS EMBAIXADAS'

Esta é mais uma tentativa de cavar um lugarzinho ao sol para parlamentares. E tem mais: o parlamentar, para ocupar o lugar de um embaixador, nem terá que deixar o seu cargo. Um diplomata no Brasil tem de ser aprovado pelo Instituto Rio Branco, um curso difícil, abrangente e altamente reconhecido. E, aí, um parlamentar, que muitas das vezes nem curso superior tem, vai ocupar o lugar de um embaixador? Se aprovada a Proposta de Emenda à Constituição (PEC), esta será mais uma obra-prima do rei das rachadinhas, senador Davi Alcolumbre. Que vergonha!

Károly J. Gombert

kjgombert@gmail.com

Vinhedo

*

PAÍS DE OFENSAS

Se o retorno do voto impresso seria, nas palavras do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Roberto Barroso, um “abominável retrocesso”, abominável mesmo foi ele ter sido interrompido duas vezes, aos gritos de "mentira", por espectadores presentes no Brazil Forum UK, durante o discurso em que ele explicava, por meio de evidências, a segurança da urna eletrônica. Esse é o ponto. Os dois participantes tinham todo o direito de discordar do ministro, desde que apresentassem comprovações tão contundentes quanto às dele. Na ausência das provas, recorreram ao expediente amplamente difundido pelo presidente Bolsonaro e imitado a rodo por seus seguidores, o do grito. Uma coisa é certa: independentemente do resultado das próximas eleições, um dos legados de Bolsonaro será o de ter difundido a incivilidade como forma normal de comportamento. Como disse acertadamente Barroso, viramos um país de ofensas.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

DÉFICIT DE CIVILIDADE

O ministro do STF Barroso declarou em Londres que os brasileiros têm déficit de civilidade.  Imagino que ele deve ter se referido, principal e objetivamente, ao seu colega de tribunal Alexandre de Moraes, que dias atrás disse que as redes sociais deram voz aos imbecis. Um mata, outro esfola. Por acaso esses ministros não são brasileiros? Meu entendimento é que fizeram, sem querer, autocrítica. Se viram no espelho. Muito triste o povo ouvir e presenciar tamanhas arrogâncias. 

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CORRUPÇÃO X ESQUECIMENTO

Quero parabenizar o articulista Carlos Alberto Di Franco pelo corajoso artigo no Estadão (Corrupção paralisa, agride e mata, 27/6, A5) em que retrata com todas as letras o que foi a corrupção no governo do atual líder das pesquisas, e também o papel que teve o STF na sua indevida ressuscitação. O último parágrafo, em que ele exorta jornalistas e formadores de opinião a se levantarem contra o flagelo da corrupção e seus causadores, é absolutamente necessário neste momento em que parece que a grande maioria desses formadores de opinião, gostosamente, se esquecem de que corrupção é um “crime que paralisa, agride e mata”.

Carlos Ayrton Biasetto

carlos.biasetto@gmail.com

São Paulo

*

DI FRANCO

Permitam-me fazer alguns comentários em adição ao excelente artigo do professor Di Franco: (1) mais cínica do que nunca, está de volta a “alma mais honesta do Brasil”, novamente na persona de Santo Inácio da Lorota, fundador da Ordem dos Pixulecos e Tripleques, o PT; (2) se Fux reconhece que “formalidades” anularam processos em que réus são comprovadamente culpados, permitindo até que o pior deles dispute a Presidência da República, então ele está confirmando que o irresponsável STF se apegou à forma para evitar a discussão do mérito; (3) é indesculpável que políticos que posam de sérios, como FHC, Aloysio Nunes e o lamentável e desmemoriado Alckmin, tratem o chefe do bando como “estadista”.

César Francisco Martins Garcia 

cfmgarcia@gmail.com

São Paulo

*

VERGONHA

O simples fato de um criminoso condenado ser candidato à Presidência da República por ter sido liberado pelo STF, sendo-lhe restituídos direitos políticos através de sofismas jurídicos, é um escândalo jurídico, cultural e político insuperável. A sociedade e o eleitorado deveriam se rebelar por vergonha.

Harald Hellmuth

hhelllmuth@uol.com.br

São Paulo

*

GILMAR MENDES

Gilmar Mendes declarou: “A Lava Jato era um projeto político de viés autoritário”. Na verdade, a Lava Jato foi um momento de verdadeira justiça nos 500 anos de história deste país, um respiro sufocado pelos injustos que estão levando o Brasil para o poço escuro do atraso.

Lourdes Migliavacca

lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

*

REGULAÇÃO DA MÍDIA

Entre as diversas propostas de governo defendidas pelo PT está a criação de um órgão regulador da mídia, ou seja, censura, o que é inconstitucional já que a liberdade de expressão está estampada na Constituição de 1988. Será que o STF vai tomar alguma atitude contra Lula?

J. A. Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

INFLAÇÃO

Diante da espiral inflacionária, a população, que antes podia comer carne vermelha vez ou outra, teve de migrar inicialmente para as carnes brancas mais em conta. Com a subida dos preços, a opção de ovos foi o próximo degrau escada abaixo. Depois de os pés de galinha chegarem aos supermercados a mais de R$ 10 o quilo, a saída agora é comprar pele de frango, a R$ 2,99 o quilo. Desse jeito, o País vai acabar vegetariano na marra.

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

IMPOSTOS

Por que será que todos os governantes, nas diferentes esferas, ao terem de diminuir impostos, sempre dizem que têm que cortar da Saúde e da Educação? Nunca dos salários deles, dos senadores, dos deputados, do Fundo Eleitoral ou do orçamento secreto. Pobre povo brasileiro!

                              

Tania Tavares   

taniatma@hotmail.com  

São Paulo

*

TAXA DE TURISMO

Vivemos no país dos taxados. E a taxa de turismo/preservação virou modismo em muitos municípios. É absurda tal cobrança, pois o turismo gera rendas, mantém os empregos em redes hoteleiras, restaurantes, supermercados/mercadinhos, lanchonetes/barzinhos e de ambulantes. E os pontos turísticos normalmente são pagos. E, se tudo é pago e mantido por turistas, a cobrança da taxa de turismo é imoral. Cidades como Ubatuba vão cobrar por tamanho de cada veículo, de R$ 13 para carros pequenos a R$ 92 para ônibus. Fernando de Noronha cobra R$ 80 por pessoa ao dia. Nas cidades do Nordeste, os hotéis cobram em média R$ 3. No Sul do país, Gramado cobra diária de R$ 2. Foz do Iguaçu, R$ 2. Em Santa Catarina tem diversos preços. Enfim, taxa de turismo, conhecida como taxa de preservação, é abuso mesmo. É como se Sumaré criasse a “taxa de preservação do desvio” para motoristas ou moradores das cidades de Nova Odessa, Americana, Santa Bárbara, etc. que desviam do pedágio do km 118 e entram na cidade de Sumaré.

Alex Tanner

alextanner.sss@hotmail.com

Nova Odessa

*

ADOÇÃO E ‘INFLUENCIADORES’

Infelizmente não existe retorno para o que se coloca em rede social. Pessoas abusam da intimidade, valor inalienável do ser humano. Esse caso da menina Klara Castanho (Caso de atriz estuprada levanta questão de entrega à adoção, 27/6, A14) revela a insensibilidade de pessoas que só desejam aumentar seus seguidores nas redes sociais. Odioso. Dar em adoção uma criança é um ato de caridade e de respeito, e muito doloroso. O que essa moça passou jamais poderia ser veiculado sem sua permissão.

Jorge Augusto Morais da Silva

jotaugustoadv@gmail.com

São Paulo

*

ABORTO

Aborto é um tema delicado e muito doloroso de ser discutido. Mas, quando uma menina de 10 anos é violentada e engravida, até a lei de um país atrasado e reacionário como o Brasil permite a interrupção da gravidez por duas razões elementares: criança não pode ser mãe, além da incapacidade de cuidar do filho por razões óbvias (imaturidade, interrupção da escolaridade, etc.), há risco alto de morte para ambos, ela e o bebê; estupro é um crime de violação absurdamente repugnante. Agora, os homens resolveram que o feto é uma vida mais importante que as consequências destes dois crimes juntos: estupro de vulnerável e gestação infantil. Ou seja, a vítima ainda corre risco de morte, porque moralistas de plantão acham que se ela abriu as pernas é porque concordou com o ato. O diálogo da juíza tentando convencer a menina a aguardar mais dois meses e, ainda, tomar medicamento perigoso para acelerar o amadurecimento do feto para ter a criança, chegando ao cúmulo de sugerir a ela até pensar em um nome para o nascituro, é a prova de um crime que precisa ser punido com severidade. A menina responde sem entender nada. E ainda tem uma promotora pressionando junto. O descalabro se completa com a violência de se tirar a menina do convívio com a mãe, que se desespera e também é agredida no fórum, para onde fora em busca de socorro. Curiosamente, só homens defendem a atitude abjeta da juíza. Será por quê?  Não dá para ficar calado num debate desses.

Jane Araújo 

janeandrade48@gmail.com

Brasília

*

AMÉRICA LATINA

América Latina, quo vadis? (27/6, A10) e Círculo vicioso da América Latina é alerta para o Ocidente (26/7, A13) analisaram no Estadão a guinada para a esquerda em eleições recentes na América Latina. Faltou explicar que a polarização, que também ocorre nos Estados Unidos atualmente, tem tudo a ver com elites conservadoras ultrarreacionárias defendendo seus interesses e a reação da esquerda tradicional, que se retroalimentam em ciclos intermináveis. Partidos políticos liderados por figuras populistas e eleitores que votam afetiva e não racionalmente manterão a polarização danosa à democracia nos três Poderes da República.

 

Paulo Sergio Arisi

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

CÍRCULO VICIOSO

A democracia não é o caminho do paraíso, mas evita o atalho para se chegar ao inferno. Na América Latina (AL) tem-se a impressão de que há admiradores de Abadom, o anjo do Apocalipse. A democracia vive em uma eterna gangorra nesta região. Aqui, parece que os povos podem acordar com o anjinho da democracia lhes assoprando no ouvido direito um dia e no dia seguinte podem despertar com o bafejo do capetinha na orelha esquerda. E as referências são apenas quanto ao lado do corpo. Em 1872, foi realizado o primeiro Censo Demográfico no Brasil, com dois anos de atraso em relação aos EUA. Americanos e franceses já registravam a colocação de quase todas as crianças dentro das salas de aula. Só faríamos algo parecido em 2000, com 130 anos de atraso. Os Estados Unidos tinham, em 1870, 70% da população alfabetizada; o Brasil, 5%. E isso vale para quase toda a América Latina. As poucas exceções se resumiam à Argentina, Uruguai e Cuba, mais avançados nessa matéria. Mas, tristemente, a partir de 1930 a palavra liberalismo na AL adquiriu feições do “demônio”. Não importa que a Suíça, onde a qualidade de vida está a anos-luz dos países latinos, se posicione em segundo lugar no ranking de liberdade econômica. Na AL, o mais importante é dizer que tudo de ruim que acontece em termos socioeconômicos é por culpa única e exclusiva do "neoliberalismo", em que o nosso país se encontra no desonroso 133.º lugar. Como dizia Albert Einstein, "a matemática não mente; mente quem faz mau uso dela".

Lincoln S. Pessoa

lsp.austria@sapo.pt

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.