Fórum dos Leitores

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo

Fórum dos Leitores, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2022 | 03h00

Transporte público

Mais uma greve em SP

É inadmissível que, numa cidade como São Paulo, aconteçam duas greves de ônibus num espaço de 15 dias, independentemente das razões alegadas. Os sindicatos da categoria sabem bem o estrago que a paralisação causa à população, mas não têm pudor de usá-la como refém. Vale lembrar que o ex-sindicalista Lula já deu mostras, na sua pré-campanha à Presidência, de que, se eleito, vai rever a reforma trabalhista aprovada no governo Temer, incluindo o refortalecimento dos sindicatos. Não se sabe se houve motivação política na paralisação de ontem. Mas, com Lula de volta na Presidência, não há dúvida de que muitos sindicatos voltarão a exercer um protagonismo muito mais baseado em interesses políticos do que nos direitos de quem representam.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

Alvo errado

A greve de ônibus na cidade de São Paulo pela segunda vez no mês é insana. Os grevistas atingem quem nada pode fazer por eles. Por que não transitam com as catracas livres? Assim, atingiriam o alvo certo.

Cecilia Centurión

ceciliacenturion.g@gmail.com  

São Paulo

*

Diesel da Rússia

Não é problema ‘deles’

Como brasileira, sinto vergonha de ter um governante que está do lado da Rússia, mesmo diante da questão ucraniana. Jair Bolsonaro fala em importar diesel da Rússia, colaborando para a manutenção econômica do país de Vladimir Putin. Lula, que ao que tudo indica será o próximo presidente, também já fez suas críticas à posição do governo ucraniano. Será que essas pessoas, na posição a que chegaram, não conseguem entender o significado da violação russa à soberania ucraniana? E que isso não é um problema “deles”, mas um modelo de comportamento que não pode ter sucesso, sob pena de vermos o grau de civilidade que atingimos retroceder séculos? Pior ainda é haver brasileiros que ainda declaram voto nessas criaturas primitivas.

Sueli Cristina Valete Machado

leonidasjoserolimmachado@yahoo.com.br

São Paulo

*

Presidente da República

Condenação no TJ-SP

A jornalista Patrícia Campos Mello revelou em 2018 um esquema de financiamento de envio de mensagens em massa na eleição daquele ano. Em fevereiro de 2020, o presidente Jair Bolsonaro comentou que a jornalista queria “dar o furo a qualquer preço” contra ele. A piada de cunho sexual contra a jornalista vai lhe custar uma indenização de R$ 35 mil, pois o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu que Bolsonaro cometeu crime de ofensa à honra de Patrícia. É a desenfreada língua do presidente, que frequentemente ataca quem revela à população as confusões de Bolsonaro, de seus filhos e de seus ministros, principalmente.

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

Trabalho escravo

Casos em 2021

Sobre a matéria Crescem resgates de trabalho escravo doméstico no Brasil; mulheres negras são principais vítimas (Estado, 27/6), estamos nos transformando em desumanos?

Maria do C. Zaffalon L. Cardoso

zaffalon@uol.com.br

Bauru

*

Cinema

‘A Jangada de Welles’

A Jangada de Welles desenvolve-se em torno da iniciativa histórica de quatro jangadeiros cearenses que partem de jangada em direção ao Rio de Janeiro com o propósito de entregar reivindicações da categoria diretamente ao presidente Vargas. O fato repercutiu por todo o Brasil e atraiu a atenção de Orson Welles, aqui em missão cinematográfica sob auspícios da Política da Boa Vizinhança. A obra tem valor, seja como resgate de fatos memoráveis, seja como denúncia de questões que ainda nos afligem – como a cena da remoção, já neste século, de famílias de pescadores da área pesqueira do Mucuripe. Realcem-se a qualidade estética, a presença marcante do cineasta em momentos de trabalho, além de testemunhos da época, como o depoimento do saudoso Grande Otelo, do filho de Jacaré e de alguns moradores que participaram em filmagens de Welles. Lamentável que a produção esteja recebendo quase nenhuma atenção do público e dos meios de comunicação, evidenciando costumeira desatenção ao que é nosso, enquanto enlatados são objeto de ampla divulgação e consumo.

Patricia Porto da Silva

portodasilva@terra.com.br

Rio de Janeiro

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PEDRO GUIMARÃES

Ministério Público abre investigação contra presidente da Caixa (Estado, 29/6, B6). Esse tipo de homem vil, baixo e aproveitador, que se vale do cargo para importunar sexualmente funcionárias, crime previsto no Código Penal, sempre existiu, infelizmente. Mas quando se trata de membro com alto cargo no governo é ainda mais grave, pois o constrangimento exercido ganha outros contornos, já que a responsabilidade de quem nomeia esse tipo de sujeito está na berlinda, pleiteando continuar a governar este país. Tudo é usado politicamente neste momento. No entanto, apure-se e puna-se.

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

*

GOVERNO BOLSONARO

Quando li distraidamente o asqueroso "estou com vontade de você", usado pelo presidente da Caixa para praticar assédio no ambiente de trabalho, pensei tratar-se de abordagem do presidente Bolsonaro a algum politiqueiro vendido do famigerado Centrão. Os contatos espúrios de Bolsonaro para obter apoio ao seu corrupto e apocalíptico governo devem lembrar esse tipo de fala, certamente ouvida com gosto pelo interlocutor canalha do momento. O presidente da Caixa teve em quem se inspirar.

Túllio Marco Soares Carvalho

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

*

PRESIDENTE DA CAIXA

Na reta final, o desgoverno Bolsonaro vai mostrando a “qualidade” de seus integrantes: é só baixaria! Um festival de desclassificados em postos-chaves, para espanto de todos os que têm moral neste solo juvenil. Vai passar! Eu voto em Simone Tebet.

Jane Araújo 

janeandrade48@gmail.com

Brasília

*

CONDENAÇÃO

A condenação mantida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo contra Bolsonaro por suas falas sexistas e machistas contra a jornalista Patrícia Campos Mello nos dá um pouco de esperança de não tolerarmos tratamento tão em voga no atual governo.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

JUDICIÁRIO

A decisão de segunda instância do Tribunal de São Paulo favorável à jornalista Patrícia Campos Mello, que condena Jair Bolsonaro a pagar R$ 35 mil de indenização por tratamento estilo botequim, marca registrada de nosso presidente, só tem um inconveniente: a "velocidade" de nosso Judiciário fará com que ambos já tenham falecido quando a sentença de última instância transitar em julgado. Nosso país seria bem melhor se o Judiciário funcionasse de forma adequada.

Aldo Bertolucci

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

*

CORRUPÇÃO NO GOVERNO

Jair Bolsonaro sempre diz “no meu governo não há corrupção”. Na verdade deveria esclarecer que só há orçamento secreto, corrupção no Ministério da Educação (MEC), rachadinhas, distribuição de quase R$ 6 bilhões para que senadores retirem seus nomes do

pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), denuncias de assédio sexual na Caixa Econômica Federal, entre outras mazelas. Somente isso.

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

CPI DO MEC

Esperamos que seja instalada a CPI destinada a investigar as denúncias de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação (MEC), pois não há momento politicamente correto para investigar crimes. Mesmo que o “engavetador geral da República” não faça nada depois, tal CPI serve para expor a extensão da corrupção no desgoverno Bolsonaro e para desmascarar supostos “pastores” como Gilmar Santos, Arilton (barra de ouro) Moura e Amilton Gomes (vacina) de Paula. Tais pessoas são o perfeito exemplo dado na Bíblia de “não façam o que eles fazem, pois não praticam o que pregam”.

Omar El Seoud

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

BUCHA DE CANHÃO

Daqui até as eleições, vai ser bucha atrás de bucha contra Bolsonaro. Uma pior do que a outra. Fim do mundo. 

Magdalena F. Hausch

magdalenafloreshausch@protonmail.com

Belo Horizonte

*

COMPRA DE VOTOS

Infelizmente, o editorial Explícita compra de votos (29/6, A3) ressoa ingênuo, pois nada aconteceu com o despresidente até agora, mesmo com dezenas de sólidos pedidos de impeachment, evidências de disparos de fake news na eleição de 2018 e crimes praticados aos borbotões nestes tristes três anos e meio. Os tribunais superiores até tentaram alertar a sociedade e os demais Poderes, e mesmo indiciar o ogro que ainda habita o Palácio do Planalto, mas a compra do Parlamento falou mais alto. Se ele não encontrar uma saída que considere honrosa e o livre da cadeia, com certeza dará o golpe para se manter no poder.

Adilson Roberto Gonçalves

prodomoarg@gmail.com

Campinas

*

LAVA JATO

Leitura obrigatória o artigo do jornalista Carlos Alberto Di Franco (Corrupção paralisa, agride e mata, 27/6, A5) comentando o trabalho saneador da Operação Lava Jato e os posteriormente anistiados por aqueles que teriam o dever de proteger a sociedade. Felizmente, mais e mais pessoas conseguem discernir entre o certo e o errado. "Na verdade, quando o assunto é corrupção, o Brasil está em queda livre.”

Cleo Aidar

cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

PIQUET X HAMILTON

A respeito da polêmica, descabida e condenável fala de viés racista de Nelson Piquet, que se referiu ao campeoníssimo piloto britânico Lewis Hamilton como "neguinho" em uma entrevista gravada na TV (Estado, 29/6, A21), cabe, por oportuno, citar alguns números comparativos entre as vitoriosas carreiras de ambos na Fórmula 1. Títulos mundiais: Lewis 7 x 3 Piquet; vitórias: 103 x 23; pole positions: 103 x 24; e pódios: 184 x 60. Diante dos números, que nunca mentem, resta clara a enorme vantagem do "neguinho" Hamilton em comparação ao "branquinho" Piquet, sobretudo porque Lewis continua disputando o Campeonato Mundial, enquanto Piquet está fora das pistas da F1 desde 1991. O talento não tem cor. Racismo não!

J. S. Decol

decoljs@gmail.com

São Paulo

*

GIL DO VIGOR

Gil do Vigor, Preta Gil e mais: Personalidades celebram Dia do Orgulho LGBT+ (28/6). Gil do Vigor é mais do que um rostinho bonito pertencente à comunidade LGBTQIA+ e revelado no reality show Big Brother Brasil. Trata-se de um rapaz culto, inteligente, autêntico, espontâneo, que se orgulha de quem é e que demonstra paixão em tudo o que faz – vide sua participação honrosa na Dança dos Famosos, do Domingão com Huck. Desejo sucesso em sua pós-graduação na área de exatas, segundo o qual será realizada no exterior. 

Celso Nobuo Kawano Junior

nobuo.ck@gmail.com

São Paulo

*

NOTRE-DAME

Catedral de Notre-Dame passará por reforma que "reduzirá efeitos do clima" (Estado, 29/6, A16). Ao contrário do que os arquitetos querem nos deixar acreditar, em clássica hipocrisia francesa, o microclima mais frio ao redor da catedral não contribui para reduzir o efeito estufa. Isso porque será necessária muita energia para garantir um microclima mais fresco aos turistas que visitarem a catedral de Paris. Em outras palavras, os franceses querem nos fazer acreditar que o ar-condicionado que garante uma temperatura agradável no microclima do interior dos seus carros colabora com a redução do efeito estufa. Fala sério! Depois eles querem dar lição de moral ao redor do mundo sobre o que os outros países fazem de errado para diminuir o efeito estufa.

Oscar Thompson

oscarthompson@hotmail.com

São Paulo

*

PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, remete projeto de lei à edilidade paulista na tentativa de criar a possibilidade de que lares paulistanos possam abrigar pessoas em situação de rua. Para tanto, efetuará a Prefeitura pagamento aos lares que se comprometerem com a missão, submetendo-se a regras elaboradas e que darão garantias ao emprego do dinheiro público. Trata-se, na verdade, de ideia que vem prestigiar o ser humano, elevando-lhe a moral e exaltando a sua dignidade, porque nada mais difícil que ser morador em situação de rua. O prefeito e o projeto merecem os aplausos não só dos paulistanos, mas de todos os brasileiros.

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

DÉCIMO QUARTO SALÁRIO

O que está faltando para a liberação do 14.º salário para os aposentados: bom senso, sensibilidade, humanidade ou vontade política? Certamente nossos parlamentares não se preocupam muito com isso, porque são muito bem remunerados por nós e não precisam dessa "mixaria" que seria paga aos aposentados e pensionistas. Onde estão os órgãos que defendem os milhões de aposentados que, após a pandemia, não conseguem arcar com suas despesas básicas em razão de uma série de despesas extras que surgiram em decorrência da patologia, como auxiliar seus filhos e netos que perderam seus empregos com a paralisação total da economia? Ajam, senhores congressistas e defensores dos aposentados. Dinheiro não falta ao País, mas apoio e solidariedade a quem está enfrentando sérias dificuldades.

Elias Skaf

eskaf@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.