Bom momento do mercado imobiliário

Novas condições do mercado e os novos hábitos da população impulsionaram mudanças na forma de comercialização de imóveis

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2021 | 03h00

O mercado imobiliário da cidade de São Paulo continua dinâmico. Embora o recrudescimento da pandemia de covid-19 tenha exigido medidas mais restritivas à concentração das pessoas e às atividades econômicas, como o fechamento dos estandes de vendas por 15 dias em abril, os resultados de lançamentos e vendas de imóveis “foram bastante positivos”, avalia o sindicato da habitação, Secovi-SP.

Em abril, foram vendidas 4.083 unidades residenciais novas na capital paulista, resultado 14,2% menor do que o de março (4.761 unidades), mas 112,3% maior do que o abril de 2020 (1.923 unidades vendidas). 

Nem a pandemia nem os sinais de desconfiança com relação à recuperação mais rápida da economia afetaram a disposição dos compradores. Os empreendedores do setor estão otimistas.

“Passado mais de um ano desde o início da quarentena em razão da pandemia de covid-19, o setor imobiliário está mais seguro e tem mantido bom desempenho nas vendas, com aumento dos lançamentos”, observa o economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci.

As novas condições do mercado e os novos hábitos da população impostos pela pandemia impulsionaram mudanças relevantes na forma de comercialização de imóveis. Novos métodos de venda e intensificação do uso de meios digitais, até mesmo para aprovação de plantas e fechamento de contratos, marcam a nova realidade do setor imobiliário, diz o Secovi-SP. E os resultados estão nos números.

“O marketing digital surtiu efeitos impressionantes”, segundo Petrucci. “Comparado a igual mês de 2020, foram registrados em abril os melhores números da série histórica da pesquisa do mercado imobiliário, iniciada em 2014.”

Os lançamentos, por exemplo, somaram 4.760 unidades residenciais novas em abril, 36,1% mais do que em março (3.497 unidades) e 150,3% acima do total de um ano antes (1.902 unidades). De janeiro a abril, foram 11.731 unidades, 95,5% mais do que o resultado dos primeiros quatro meses de 2020.

Há boa oferta de créditos e os juros dos financiamentos imobiliários estão sendo mantidos, apesar da alta da taxa básica Selic, lembra o presidente do Secovi-SP, Basilio Jafet, para mostrar que o momento é favorável para quem quer comprar imóvel novo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.