Bons sinais da recuperação do turismo

Em São Paulo, a recuperação vem sendo puxada principalmente pelo turismo de negócios, de grande importância para a cadeia hoteleira da cidade

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2021 | 03h00

A recuperação do turismo em São Paulo, sobretudo o de negócios, vem contribuindo para o crescimento do setor em todo o País. Em agosto, o índice de atividades turísticas calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) teve alta de 4,6% sobre julho, na quarta alta mensal consecutiva. Nesses quatro meses, a alta acumulada alcançou 49,1%. Houve crescimento em 8 dos 12 locais pesquisados, mas, como observou o IBGE, a contribuição mais positiva foi a de São Paulo, onde a atividade turística teve aumento de 4,6% no mês.

Embora construído com base em outros dados e utilizando outra metodologia, o Índice Mensal de Atividade do Turismo de São Paulo, calculado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), reforça a recuperação aferida pelo IBGE. Em agosto, o índice da FecomercioSP, que se baseia na atividade do setor de turismo da capital paulista, teve alta de 1,6% sobre o mês anterior, também registrando a quarta alta mensal consecutiva. Em relação a agosto de 2020, a alta foi de 59,9%.

Em São Paulo, a recuperação vem sendo puxada principalmente pelo turismo de negócios, de grande importância para a cadeia hoteleira da cidade. A taxa de ocupação dos hotéis paulistanos está se aproximando de 50%, numa recuperação que se mantém mesmo depois do período de férias escolares.

Ainda há espaço para recuperação rápida do turismo de negócios. Segundo o índice da FecomercioSP, o índice desse segmento ainda está 19% abaixo do nível registrado no primeiro bimestre de 2019, isto é, no período imediatamente anterior à chegada da covid-19 ao País.

Os vários componentes do índice paulistano mostram bom desempenho nos últimos meses. Cresce, embora em velocidade menor, o nível de emprego. Da mesma forma, aumenta o número de passageiros rodoviários (embora o total de passageiros nos aeroportos tenha diminuído em agosto). O faturamento ficou praticamente estável no mês, mas a retomada dos eventos no segundo semestre deve impulsionar o aumento nos próximos meses. Em novembro, há vários eventos programados para o mesmo fim de semana.

O setor de eventos foi o mais afetado pela pandemia e agora deve mostrar recuperação expressiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.