Como a pandemia afetou o fluxo nas estradas

Embora o deslocamento de veículos leves tenha caído 8,3% em dezembro, o de veículos pesados aumentou 8,3%

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2021 | 03h00

As medidas de enfrentamento da pandemia afetaram duramente o fluxo de veículos nas estradas com pedágio, mas o impacto tem sido diferente para os diferentes tipos de veículos e variado conforme o período. Em dezembro, a movimentação de veículos caiu 2,5% na comparação com o mês anterior, de acordo com o Índice ABCR, elaborado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) junto com a Tendências Consultoria Integrada. A comparação do resultado dos 11 primeiros meses do ano passado com o de igual período de 2019 é pior, com redução de 13,1% no fluxo de veículos nas estradas que têm sua operação e manutenção sob responsabilidade de concessionárias privadas.

São números que mostram a virulência com que a pandemia afetou o deslocamento de mercadorias e pessoas pelas principais estradas do País (como mostra a queda da movimentação no ano) e as dificuldades que a atividade econômica e a movimentação de bens e pessoas ainda enfrentam (como se vê nos resultados de dezembro).

Os números da ABCR mostram, porém, alguns sinais expressivos de recuperação da economia. Embora o deslocamento de veículos leves (a maioria carros de passeio) tenha caído 8,3% em dezembro, na comparação com igual mês de 2019, o de veículos pesados aumentou 8,3%. Por causa das medidas de precaução adotadas pela população, o deslocamento de pessoas continua em queda, mas voltou a crescer a movimentação de bens.

Como avaliou a analista da Tendências Andressa Guerrero, “os indicadores por tipos de veículos captaram, de diferente modo, o contexto adverso propiciado pela pandemia”. Os números indicam que a indústria e o comércio “foram menos penalizados e se recuperaram de forma mais rápida”. Esses setores foram favorecidos pelas medidas de sustentação de renda da população, especialmente o pagamento do auxílio emergencial para mais de 60 milhões de pessoas.

Já as atividades de serviços foram afetadas mais severamente pela redução da demanda das famílias no período de isolamento social provocado pela pandemia. É o que explica boa parte da queda na movimentação de veículos leves.

A eficiência da campanha de vacinação contra a covid-19 será vital para o reequilíbrio do quadro econômico, já que não haverá mais pagament

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.