Demanda de voos tende a aumentar

A demanda de passageiros por voos no mercado doméstico cresceu 4,3% no primeiro trimestre deste ano

O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2019 | 04h00

Os dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram que o mercado brasileiro de transporte aéreo de passageiros está em expansão. A demanda de passageiros por voos no mercado doméstico cresceu 4,3% no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2018. Vê-se que as condições do mercado se tornam mais favoráveis para atrair companhias aéreas estrangeiras, que poderão aplicar até 100% em empresas aqui já sediadas ou a se instalar no País, segundo medida provisória editada no fim de 2018.

O número de passageiros transportados chegou a 24 milhões, com aumento de cerca de 1 milhão no período considerado. Verifica-se que, de janeiro a março deste ano, a oferta de assentos para voos domésticos subiu 3,4% em relação ao mesmo período de 2018, ou seja, menos do que a demanda. Em março, tomado isoladamente, a demanda doméstica subiu 3,4% e a oferta de assentos 2,2%, em relação ao mesmo mês de 2018.

Mais recentemente, tem havido problemas para passageiros como resultado da redução drástica de voos da Avianca Brasil, empresa em recuperação judicial. Mas a avaliação dos passageiros com o estado dos aeroportos do País, mesmo em períodos de maior movimento, como em feriados prolongados, tem sido considerada satisfatória.

As condições dos terminais, por sinal, tendem a melhorar sensivelmente com a privatização, em meados de março, de 12 aeroportos em diferentes regiões do País, que devem gerar novos investimentos pelas concessionárias. Muito vai depender de outros fatores, como o preço das passagens, mas em um país com as dimensões geográficas continentais do Brasil, o potencial para aumento do fluxo de passageiros é imenso.

Nota-se grande diferença entre o crescimento da demanda por voos domésticos e internacionais A demanda de voos internacionais a partir do Brasil cresceu 10,7% no primeiro trimestre enquanto a oferta de assentos elevou-se 13,1%, em confronto com os primeiros três meses de 2018. Em março, a procura cresceu 10,7%, com ampliação da oferta de assentos de 11,7%, tendo sido transportados 801 mil passageiros.

É realista esperar que, com o aquecimento progressivo da economia, a demanda de voos internos e internacionais seja impulsionada e que o País esteja preparado para isso.

Tudo o que sabemos sobre:
aviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.