Inflação mais alta para todas as faixas de renda

Desaceleração dos preços dos alimentos e a alta mais expressiva dos combustíveis são as causas da mudança da inflação por classe

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2021 | 03h00

A inflação se acelerou para todas as faixas de renda. É uma mudança no impacto da alta dos preços sobre os orçamentos familiares. Até há pouco, por causa do aumento mais acentuado dos alimentos do que o dos demais itens que compõem o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação era mais alta para as classes de renda que gastam proporcionalmente mais com o custo da comida na mesa do que para as demais. Sofriam mais as classes de renda baixa e muito baixa, na classificação feita pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) na montagem de seu indicador mensal.

A inflação se acelerou no segundo semestre do ano passado, até alcançar em dezembro sua variação mensal mais alta do período, de 1,35%. Mas, por causa da alta bem mais acelerada dos preços dos alimentos, ela vinha sendo mais acentuada para as classes de renda baixa e muito baixa.

Depois de ter caído para 0,25% em janeiro, a variação do IPCA vem se acentuando, tendo alcançado 0,93% em março. Como já ocorrera em fevereiro, também em março a aceleração afetou todas as classes de renda, de acordo com a nova Carta de Conjuntura do Ipea.

Ao contrário do que se observou no segundo semestre do ano passado, quando o impacto era mais acentuado nos orçamentos das famílias mais pobres, em março as maiores inflações foram registradas nos segmentos de renda média (de 1,09%) e de renda média-alta (1,08%). Para as famílias de renda muito baixa e baixa, a inflação foi, respectivamente, de 0,71% e 0,85%.

A desaceleração dos preços dos alimentos e a alta mais expressiva dos combustíveis são as causas dessa mudança da inflação por classe de renda. No mês passado, os combustíveis subiram 11,2%, o que afetou todas as classes, pois subiu todo o grupo transportes.

Para as famílias de renda mais alta, a inflação passou de -0,21% em março de 2020 para 1,0% no mês passado.

Embora a pressão dos alimentos sobre os orçamentos das famílias mais pobres tenha diminuído de maneira acentuada, o efeito acumulado da alta dos meses anteriores ainda corrói mais as finanças desse grupo de renda. Enquanto a inflação de 12 meses dos mais ricos é de 4,67%, a dos mais pobres alcança 7,24%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.