Leilão rodoviário paulista é sinal auspicioso

Ingresso de capitais mostra que a economia do País tem potencial para crescer mais em 2020 do que cresceu em 2018 e em 2019

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2020 | 04h00

Há motivos para o governador de São Paulo, João Doria, comemorar os resultados do leilão de concessão do lote rodoviário Piracicaba-Panorama (Pipa), com 1.273 km de extensão, realizado ontem na Bolsa B3. Foi a maior concessão rodoviária do País. O que a torna relevante é que se trata do mais novo sinal de que a economia brasileira tem espaço para atrair investidores locais e internacionais. O ingresso de capitais mostra que a economia do País tem potencial para crescer mais em 2020 do que cresceu em 2018 e em 2019.

O leilão foi bem-sucedido apesar da conjuntura de incertezas globais, um dia após os ataques do Irã a bases usadas pelos EUA no Iraque e antes do pronunciamento do presidente Donald Trump sobre esses atos.

O valor mínimo de R$ 15 milhões referente à outorga foi amplamente superado, atingindo R$ 1,1 bilhão. À luz do cenário internacional belicoso, foi feliz a decisão da agência reguladora paulista Artesp, adotada em meados do ano passado, de reduzir o valor mínimo da outorga, que inicialmente era de R$ 2 bilhões. O leilão foi vencido pelo Consórcio de Infraestrutura Brasil, liderado pela gestora Pátria e pelo fundo soberano GIC, de Cingapura, com ativos superiores a US$ 100 bilhões. É o terceiro investimento da gestora Pátria em rodovias.

O interesse dos vencedores ficou evidenciado por oferecer mais que o dobro da oferta feita pelo segundo colocado no leilão, a Ecorodovias, que propôs pagar R$ 527 milhões. A previsão é de investimentos da ordem de R$ 14 bilhões nos próximos 30 anos entre a região de Piracicaba e o extremo oeste do Estado, na divisa com Mato Grosso do Sul.

O leilão paulista segue-se a um conjunto de certames federais que permitiram, em 2019, a concessão de terminais portuários, rodovias e ferrovias, bem como ativos de energia elétrica. São bons exemplos para Estados também dispostos a promover concessões e privatizações, atraindo investidores e captando recursos que permitam investir ou sanear contas públicas debilitadas. Ao falar da concessão da Pipa, o governador Doria disse ter recebido apoio do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para promover o certame.

Novos leilões estão previstos não só na esfera federal, mas também na estadual, envolvendo 21 aeroportos e o projeto do Trem Intercidades, ligando São Paulo a Campinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.