Mais produtiva, cafeicultura bate mais um recorde

Produção totalizou 63,08 milhões de sacas de 60 quilos, superando em 2,3% o recorde anterior registrado em 2018

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2021 | 03h00

A produção de café no Brasil em 2020 alcançou novo recorde. De acordo com o quarto levantamento da safra de café da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção totalizou 63,08 milhões de sacas de 60 quilos, superando em 2,3% o recorde anterior registrado em 2018.

Nos anos pares, a produção recebe a influência da chamada bienalidade positiva – quando a planta tem maior produtividade do que a do ano anterior, marcado pela sua necessidade de recompor a força produtiva –, o que explica o bom resultado de 2020. Mas, desde 2016, os resultados desses anos vêm crescendo e marcando novos recordes de produção. É prova de ganhos de eficiência.

Em parte, os bons resultados alcançados pela cafeicultura brasileira vêm do aumento da área plantada. Mas os registros da Conab mostram contínua evolução da produtividade, sobretudo nos anos mais favoráveis à cultura, desde 2014. Em 2020, a produtividade do café arábica alcançou 32,18 sacas de 60 quilos por hectare, com aumento de 36% sobre a do ano anterior (menos favorável à produção), que foi de 23,66 sacas por hectare.

A produção do café arábica em 2020 alcançou 48,77 milhões de sacas, com aumento de 42,2% em relação a 2019. Já a do café conilon, de 14,31 milhões de sacas, ficou 4,7% abaixo da safra anterior. A área dedicada à cafeicultura cresceu 3,9%, totalizando 1,88 milhão de hectares.

Há fortíssima concentração da produção na Região Sudeste. Ela produziu 55,15 milhões de sacas, o que corresponde a 87,5% da produção nacional, com produtividade de 33,32 sacas por hectare, pouco acima da média nacional do café arábica.

No Sudeste, o Estado de Minas Gerais é, disparadamente, o maior produtor. Sua produção de 34,64 milhões de sacas responde por 55% de toda a safra brasileira. O Espírito Santo, que é o maior produtor de café conilon do País, colheu 13,95 milhões de sacas, o equivalente a 22% da safra nacional. Em seguida vem o Estado de São Paulo, que produziu 6,16 milhões de sacas; a produção do Rio de Janeiro foi de 371 mil sacas.

A segunda maior região produtora, a Nordeste (exclusivamente a Bahia), colheu 3,98 milhões de sacas. No Sul, a produção está concentrada no Paraná, que colheu 942 mil sacas.

Quanto à receita auferida pelos cafeicultores em 2020, o valor foi de R$ 35 bilhões, 43% maior do que de 2019.

Tudo o que sabemos sobre:
cafésafraagricultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.