O crescimento esperado pelo setor de turismo

Das atividades que compõem o setor, as que registraram o melhor desempenho nos primeiros noves meses do ano foram transporte aéreo, atividades culturais, recreativas e esportivas e serviços de alojamento e alimentação

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2019 | 04h00

Com faturamento superior a R$ 150 bilhões, o setor de turismo deve registrar neste ano o melhor resultado desde 2015, prevê o Conselho de Turismo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São (FecomercioSP). O resultado dos primeiros nove meses de 2019, com faturamento de R$ 112 bilhões (3,5% maior do que o de igual período do ano passado), justifica a previsão. Mesmo assim, o desempenho continuará sendo bem inferior ao de 2014 – ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo de futebol –, quando o setor registrou o melhor resultado da história.

A presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP, Mariana Aldrigui, atribui o bom desempenho deste ano à abertura do crédito, à inflação controlada, à recuperação do emprego e ao ambiente político adequado para a viabilização de projetos importantes na área. Ela acredita que, com maior abertura econômica, liberação da participação de capital estrangeiro nas companhias aéreas e isenção de vistos para alguns países, 2020 registrará números ainda melhores.

Das atividades que compõem o setor de turismo, as que registraram o melhor desempenho nos primeiros noves meses do ano na comparação com igual período de 2018 foram transporte aéreo (aumento de 8,4%), atividades culturais, recreativas e esportivas (2,8%) e serviços de alojamento e alimentação (2,6%). Registraram redução de faturamento as atividades de locação de meios de transporte, agências, operadoras e outros serviços de turismo (0,5%), transporte terrestre (0,1%) e transporte aquaviário (0,1%).

A despeito das projeções otimistas, o setor enfrenta dificuldades. O faturamento total é proporcionalmente pequeno quando comparado com o de outros países. Estima-se que apenas 10% da população viaja. Ainda assim, a participação do turismo no Produto Interno Bruto (PIB) aferida de acordo com a metodologia disponível já corresponde ao do setor de vestuário.

A importância do turismo na economia pode ser maior, com o registro na base de dados, por exemplo, dos números relativos a turismo de fim de semana, que Mariana Aldrigui considera “o estilo mais usual entre os turistas brasileiros”. Mas há também problemas que retardam o crescimento do turismo no País. A imagem que ultimamente o Brasil tem passado para o mundo é o mais óbvio deles.

Tudo o que sabemos sobre:
turismoFecomércio-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.