O valor recorde da produção agropecuária

Num ano muito difícil, as atenções se voltam a esse setor tão essencial para o suprimento do mercado

Notas & Informações, O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2020 | 03h00

Não apenas a safra de 2019/2020 deverá marcar um recorde na produção agropecuária, mas também o Valor Bruto da Produção (VBP) tende a ser o maior da história, com alta de 8,5%, de R$ 648,4 bilhões no ano passado para R$ 703,8 bilhões neste ano. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o maior crescimento (11%) virá das lavouras, limitando-se a 3,9% o aumento propiciado pela pecuária. Nos dois casos, os preços foram favorecidos pela valorização do dólar, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Como notou o coordenador-geral de Avaliação de Políticas e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, José Garcia Gasques, “a safra recorde de grãos estimada em 250,5 milhões de toneladas, os preços agrícolas e o desempenho favorável de algumas lavouras, como o café e a cana-de-açúcar, foram decisivos para os valores obtidos para o VPB”.

A contribuição da soja e do milho, com altas de preço estimadas, respectivamente, em 11,8% e em 19,7% entre 2019 e 2020, é decisiva para o VBP deste ano. O valor bruto da produção de soja neste ano deverá atingir R$ 167,7 bilhões, aumento de mais de R$ 25 bilhões em relação ao ano passado. O VBP do milho deverá alcançar R$ 75,8 bilhões, quase R$ 10 bilhões mais do que em 2019. Soja, milho e café representam 57,8% do VBP das lavouras.

Também ajudaram as altas dos preços de laranja, arroz, feijão, tomate e trigo, limitando-se as quedas a poucos itens, tais como banana, batata-inglesa, uva, carne de frango e leite.

A Região Centro-Oeste, maior produtora nacional, mostrou comportamento excepcional das lavouras de milho e de soja. O Nordeste, que entre as regiões produtoras só está à frente do Norte, teve destaque na produção de milho. O Sudeste registrou acréscimos importantes da produção de soja em São Paulo e Minas Gerais – Estado em que se destacaram as produções de milho e de café.

Num ano muito difícil para a economia, afetada pela pandemia de covid-19, as atenções se voltam para a agropecuária, setor essencial para o suprimento do mercado interno, para a alimentação das famílias e para a exportação. A demanda internacional favorece, em especial, as lavouras de milho e de soja e as carnes, evitando queda mais forte do comércio exterior do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.