Os ganhos com a digitalização dos serviços públicos

Como mostrou reportagem do Estadão, hoje são mais de 84 milhões de brasileiros que utilizam os serviços digitais por meio do endereço gov.br

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2020 | 04h01

 extraordinário aumento de usuários dos serviços digitais oferecidos pelo governo federal – o número cresceu mais de 40 vezes desde o início do ano passado, quando 2 milhões de cidadãos já utilizavam a ferramenta eletrônica – mostra o acerto das autoridades em modernizar o sistema de atendimento da população e, sobretudo, como os brasileiros careciam de formas mais simples, acessíveis, ágeis e descomplicadas no seu relacionamento com o Estado. A pandemia e o consequente isolamento social certamente acentuaram essa carência. Como mostrou reportagem do Estadão, hoje são mais de 84 milhões de brasileiros que utilizam os serviços digitais por meio do endereço gov.br. O número equivale a 62% dos usuários de internet no País.

A plataforma integra, em um único cadastro, serviços como Meu INSS (para questões relacionadas ao sistema previdenciário geral), carteira digital de trabalho, carteira digital de trânsito e muitos outros. Dos 3,9 mil serviços que o governo federal oferece, 2.481 já estão integrados à plataforma. O objetivo é que, no final de 2022, todos os serviços do governo federal estejam digitalizados.

A estratégia seguida até agora é a de dar prioridade à digitalização dos serviços com maior demanda, como os pedidos de aposentadoria por tempo de contribuição. O aumento rápido do número de usuários dos serviços mostra o acerto da estratégia.

Também o cuidado de adaptar as ferramentas eletrônicas às necessidades dos usuários, parte dos quais não tem grande afinidade com o uso de tecnologias, vem facilitando o acesso ao governo eletrônico.

Além disso, como observou o secretário adjunto de Governo Digital do Ministério da Economia, Ciro Avelino, o governo criou meios para que as críticas dos usuários sejam avaliadas com o objetivo de melhorar os serviços. Um departamento dedica-se a fazer sugestões de medidas para aperfeiçoar o governo digital.

Há ganhos para todos. Resolver questões com a autoridade pública sem necessidade de comparecimento às repartições implica economia de tempo e dinheiro para os cidadãos. Para a administração pública, a digitalização reduz custos. Estima-se que o que já se fez resulta em economia de R$ 591 milhões por ano. Por isso, como diz Avelino, “ficou claro que o governo digital será uma pauta para qualquer governo”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.