Produção de grãos tem novo recorde

Soja e milho, com quase 90% do total colhido, puxam o bom desempenho da agricultura; a soja terá produção recorde, de 120,9 milhões de toneladas, com aumento de 5,1% sobre a safra anterior

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2020 | 06h19

Ao caminhar para novo recorde, com a produção de 253,7 milhões de toneladas na safra de grãos de 2019/2020, o setor rural mantém o Brasil entre os mais eficientes fornecedores de alimentos do mundo e assegura a tranquilidade do abastecimento interno. A nova estimativa apresentada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) representa crescimento de 4,8% em relação à safra anterior, ou aumento de 11,6 milhões de toneladas no volume de produção.

Soja e milho, com quase 90% do total colhido, puxam o bom desempenho da agricultura. A soja terá produção recorde, de 120,9 milhões de toneladas, com aumento de 5,1% sobre a safra anterior. Estimativas do mercado indicam que as exportações de soja também podem alcançar novo recorde, de 82 milhões de toneladas, por causa do estímulo cambial e de negociações antecipadas. Também a produção de milho será recorde, com 102,1 milhões de toneladas, com aumento de 2,1%.

Com produção competente – que vem assegurando safras maiores sem o aumento da área cultivada na mesma velocidade que cresce a colheita – e busca de compradores em todo o mundo, o setor vem assegurando presença mais destacada nos principais mercados mundiais. Atitudes irresponsáveis de membros do governo federal no trato da questão ambiental e no relacionamento com países que são grandes compradores de produtos brasileiros podem prejudicar as vendas externas e, consequentemente, as contas do balanço de pagamentos do País.

A colheita da primeira e da segunda safra de grãos está terminando e, por isso, a Conab concentra seu estudo na análise das culturas da terceira safra e das de inverno. O clima tem favorecido as lavouras. Também está terminando o plantio das culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale). A estimativa é de que a área plantada aumentará 12,1%, com destaque para o trigo. A produção de trigo deverá alcançar o recorde histórico de 6,8 milhões de toneladas. Em toda a série da Conab, só em quatro ocasiões essa produção superou 6 milhões de toneladas.

Também está perto do fim a colheita de algodão, arroz e feijão, todos com produção superior à da safra anterior. A de arroz deve crescer 6,6%, com produção de 11,2 milhões de toneladas, dos quais 10,3 milhões devem vir de áreas de cultivo irrigado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.