Risco baixo de voltar à recessão

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira registrou entre julho e agosto uma ligeira elevação de 0,1%

O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2019 | 04h00

Com as ressalvas devidas, entre as quais os dados do Monitor do PIB da FGV, que mostrou declínio de 0,2% entre junho e julho, há novos indícios de que a economia brasileira está superando seu pior momento. É o que revela o Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (Iace) relativo a agosto. Elaborado sob a responsabilidade do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre-FGV) e do grupo de pesquisa norte-americano The Conference Board (TCB), o Iace registrou entre julho e agosto uma ligeira elevação de 0,1%, para 117,3 pontos. 

O Iace tem oito componentes, extraídos de fontes confiáveis, dos quais cinco registraram comportamento favorável em agosto. Esses componentes são a taxa referencial de swaps do DI prefixado, o índice de ações Ibovespa, os índices de expectativas da indústria, dos serviços e do consumidor, a produção física de bens de consumo, o índice de termos de troca com o exterior e a quantidade de exportações.

O interesse pelo Iace vem do fato de que ele teria permitido antecipar as quatro recessões identificadas pelo Comitê de Datação de Ciclos Econômicos do Ibre (Codace) ocorridas desde 1996. O teste histórico confirma, portanto, a capacidade do Iace de antecipar o futuro, o que lhe confere papel relevante na tomada de decisão das empresas.

O que mais deve despertar atenção é a observação do professor da FGV Paulo Picchetti, um conhecido especialista em tendências, de que os resultados do Iace “indicam uma probabilidade muito baixa de reversão da fase ascendente do ciclo econômico nos próximos meses”.

Simultaneamente ao Iace, foi divulgado o Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (Icce), que mensura as condições econômicas atuais. O Icce tem oscilado pouco, situando-se entre 102,6 e 102,7 pontos, desde agosto de 2018, passados os efeitos da greve dos caminhoneiros, que impactou toda a atividade econômica.

Como notou Picchetti, “o resultado do Icce em agosto continua apontando para a baixa intensidade deste período de expansão”.

A marca da situação atual é o sobe e desce dos principais indicadores da atividade interna e global, pondo os analistas em estado de vigília para avaliar os rumos da economia. Daí a importância de o Iace antecipar dias menos tormentosos.

Tudo o que sabemos sobre:
recessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.