Safra de grãos tem novas e boas perspectivas

Indicadores da Conab apontam para um crescimento da produção de 4,1% e para um volume total de 251,9 milhões de toneladas, com avanço de 9,9 milhões de toneladas em relação à safra anterior

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2020 | 04h00

São muito favoráveis os indicadores da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) sobre a safra de grãos 2019/2020, apontando para um crescimento da produção de 4,1% e para um volume total de 251,9 milhões de toneladas, com avanço de 9,9 milhões de toneladas em relação à safra anterior.

Um dos aspectos mais importantes dos dados está no aumento da produtividade das lavouras, que está retornando aos níveis recordistas observados na safra 2016/2017. Nesse particular, destaca-se a produtividade da soja, do milho, do arroz, do feijão-preto e do algodão em pluma e em caroço, além do sorgo.

Percebe-se a confiança dos produtores pelo aumento da área plantada, de 2,4% em relação à safra anterior, atingindo, no período 2019/2020, 64,78 milhões de hectares, o que representa um acréscimo de 1,5 milhão de hectares. Como as condições climáticas têm sido favoráveis, a percepção é de que os resultados preconizados pelos técnicos da Conab tenham elevada probabilidade de ser alcançados.

No Brasil, a produção agrícola tem dupla função. Assegura a oferta de grãos a preços módicos para a população e para a indústria, que depende de insumos básicos. E garante moedas fortes com suas exportações crescentes.

Ao atender à demanda global, os exportadores brasileiros contribuem expressivamente para manter o superávit do comércio exterior, que vem sendo afetado pela competitividade insatisfatória dos manufaturados. A importância da exportação de commodities agrícolas será maior em decorrência da queda dos preços do petróleo, afetando negativamente um segmento marcado por vendas crescentes ao exterior.

As exportações do agronegócio atingiram US$ 96,8 bilhões em 2019, equivalendo a 43,2% do total das vendas externas do País, segundo a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Houve um crescimento em relação a 2018, quando essa participação foi de 42,3%, e é muito provável que esta situação se repita em 2020, dada a demanda internacional por produtos alimentícios.

Os resultados da safra de grãos serão decisivos para o superávit do agronegócio neste ano e, em consequência, serão vitais para o equilíbrio do balanço de pagamentos num ano de crises globais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.