Saldo positivo da poupança ajudará crédito imobiliário

Captação líquida das cadernetas de poupança alcançou R$ 27,8 bilhões em 2018

O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2019 | 04h00

A captação líquida das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) alcançou R$ 12,2 bilhões em dezembro e R$ 27,8 bilhões em 2018, deixando uma boa situação de liquidez para a maioria dos bancos que financiam a aquisição de imóveis. O saldo dos recursos aplicados no SBPE atingiu R$ 618,1 bilhões, quase 11% maiores que os de dezembro de 2017, variação bem superior à inflação oficial.

Dezembro é o mês do ano mais favorável para a captação de poupança. Os ingressos líquidos do mês passado no SBPE foram inferiores aos R$ 14,8 bilhões de dezembro de 2017, mas devem ser vistos como satisfatórios. O recuo foi pequeno e explicável pelo aumento das despesas de consumo em dezembro, depois de um período de forte contenção de gastos.

Ainda mais importante, os poupadores poderão estar menos preocupados em reforçar suas reservas financeiras num momento de maior confiança na economia e na preservação do emprego. Se esta hipótese se confirmar, já se poderá falar numa descontração dos consumidores ao final de um ano de grandes incertezas.

Incluindo a poupança rural, a captação de dezembro atingiu R$ 14,6 bilhões e a de 2018 chegou a R$ 38,3 bilhões, melhor resultado desde 2013. Em 2015, os saques líquidos no SBPE superaram R$ 50,1 bilhões, alcançando R$ 53,6 bilhões quando incluída a poupança rural.

Os recursos do SBPE se destinam, majoritariamente, ao financiamento habitacional. Com a disposição dos novos administradores da Caixa Econômica Federal (CEF) de manter em nível mais alto o custo do crédito imobiliário destinado às classes média e média alta, a demanda de financiamento nos agentes privados deverá ser crescente.

Por ora, os recursos disponíveis nas contas de poupança serão suficientes, na maioria dos bancos, para atender à demanda. As instituições trabalham com a hipótese de uma elevação da procura por crédito entre 2018 e 2019 da ordem de 20%, o que não trará maiores pressões sobre o caixa.

Além da captação da poupança, os agentes financeiros do SBPE recebem, anualmente, cerca de R$ 50 bilhões referentes à amortização dos empréstimos habitacionais em curso. Se ainda assim faltarem recursos, será possível lançar Letras Imobiliárias Garantidas (LIGs), que vêm sendo testadas nas últimas semanas.

Mais conteúdo sobre:
economiacaderneta de poupança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.