Soja e milho puxam valor da produção agrícola

Números são uma demonstração da pujança da agropecuária brasileira, que alcançou altos níveis de eficiência

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2020 | 03h00

Com projeções muito otimistas para a safra de grãos e bons preços internacionais dos principais produtos, o valor bruto da produção agropecuária (VBP) de 2020 deverá alcançar novo recorde. O VBP deverá alcançar R$ 716,6 bilhões neste ano, 8,8% maior do que o de 2019 (de R$ 658,8 bilhões), segundo estudo do Departamento de Crédito e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Com recordes nos valores de soja e milho, em particular, o valor das lavouras deve crescer 11,6%; o aumento do valor dos produtos pecuários será de 3,4%. As projeções foram feitas com base em dados de junho.

Estes números são nova demonstração da pujança da agropecuária brasileira, que alcançou altos níveis de eficiência. Sua competitividade, que lhe assegura presença crescente nos principais mercados, vem também garantindo produções recordes nos últimos anos sem necessidade de expansão da área ocupada na mesma proporção que cresce o volume produzido.

A despeito de graves prejuízos que a irresponsabilidade do governo federal na condução da questão ambiental pode impor à economia do País – especialmente ao setor mais competitivo internacionalmente, que é o agropecuário –, o campo vem garantindo a tranquilidade das contas externas do País. E, com os preços dos principais itens de exportação em nível favoráveis, propicia também remuneração adequada aos produtores e, assim, dinamiza a atividade econômica em diferentes regiões.

Além de soja (aumento de 19,8%) e milho (13,7%), principais produtos da safra, também apresentarão aumento expressivo do valor de produção o arroz (12%), o café (39,3%) e a laranja (9,8%). São esses cinco produtos que, no estudo do Mapa, puxam o aumento do faturamento das lavouras.

A produção de milho e soja alcançará valores recordes da série histórica iniciada em 1989, totalizando, respectivamente, R$ 76,1 bilhões e R$ 173,5 bilhões, destaca o coordenador da pesquisa do Mapa, José Garcia Gasques. O valor da produção pecuária vem sendo impulsionado por carne bovina (com aumento de 11,8%), carne suína (mais 5,6%) e ovos (15,5%).

Por região, a liderança é de Mato Grosso, com 17,5% do total; seguem-se Paraná (12,8%), São Paulo (12,7%), Minas Gerais (10,7%) e Goiás (8%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.