Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Tecnologia no campo, ainda um desafio

A internet não chega a mais de 70% das propriedades rurais, de acordo com estudo divulgado pelo IBGE

Notas & Informações, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2021 | 03h00

Carência de infraestrutura pública para levar energia até o produtor, inexistência de sinal ou ocorrência de obstáculos à sua propagação, gargalos para o acesso a diferentes tecnologias, entre outros fatores, tornam a agricultura brasileira menos produtiva do que poderia e tendem a condenar boa parte dos produtores rurais à condição econômica em que vivem, impedindo a melhora de suas condições de vida.

A internet não chega a mais de 70% das propriedades rurais, de acordo com o Atlas do Espaço Rural Brasileiro editado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Reportagem especial de Vinicius Valfré publicada pelo Estado na edição de domingo tem números mais precisos – e mais decepcionantes. Ela mostra que, de acordo com pesquisa da McKinsey & Company, apenas 23% dos agricultores brasileiros têm acesso à rede mundial de computadores. Com o uso de outros meios, uma fatia bem mais expressiva, de 57,5% dos produtores rurais, tem acesso à rede social.

São índices muito baixos se comparados com os observados no meio urbano, onde praticamente qualquer criança opera equipamentos com acesso à internet e às redes sociais.

Embora o estudo do IBGE mostre que, em 2017, 83% dos estabelecimentos agropecuários tinham acesso à rede de energia elétrica, resultado 22% maior do que o de 2006, a reportagem mostra casos em que a falta de eletricidade inviabiliza a modernização das propriedades. Irrigação, refrigeração e outros processos tornam-se inviáveis sem energia elétrica.

A falta de informações ou de troca de conhecimentos propiciada pela internet dificulta a disseminação de métodos mais eficientes, medidas profiláticas eficazes ou melhor conhecimento do mercado.

Políticas do governo ainda não foram suficientes para fazer os pequenos produtores adotarem a tecnologia que hoje é empregada pelos grandes. “Integrar na agricultura moderna os milhões de produtores que ainda estão à margem” é um desafio a vencer, disse Eliseu Roberto de Andrade, considerado “pai da Embrapa”, instituição pública responsável por boa parte da transformação pela qual a agropecuária brasileira passou nos últimos anos. Com o apoio da Embrapa e baseada em tecnologia, ela conquistou mercados no exterior.

Vencer esse desafio criaria condições ainda melhores e mais amplas para o progresso no campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.