Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

Notas & Informações, Impresso

10 de fevereiro de 2019 | 03h00

TRAGÉDIAS EVITÁVEIS

Omissão criminosa

Somos sempre, a cada ano, surpreendidos por notícias de desastres e tragédias, vários repetitivos, com formas, extensão e impactos sociais e ambientais amedrontadores. O ano de 2019 começou repleto delas, logo no início. Além de Brumadinho, enchentes, inundações, viadutos e pontes despencando... E agora o pavoroso acontecido no Centro de Treinamento do Flamengo. Para variar ninguém é responsável, exceto o destino e a fatalidade. Muitas desculpas, solidariedade, pesares, sentimentos, mas todos os casos com algo em comum: falta de prevenção, de soluções, de fiscalização, irregularidades, inconformidades, desrespeito às regras, irresponsabilidade social e ambiental, lucros a qualquer custo e, acima de tudo, a certeza da impunidade. E a “certeza” de que o pior nunca aconteceria. A cereja do bolo: estava prevista a mudança e a correção, porém, infelizmente, não houve tempo. Brincam com vidas! Que diabos acontece, para que ninguém alerte, ou faça, ou tenha feito algo a respeito? Uma resposta está no que podemos chamar de “segredos que todos sabem”, interna e/ou externamente, mas ninguém fala. Não alertam por medo de se expor ou por comprometimento, interesse. Ou simplesmente acreditam na diluição da responsabilidade e na impunidade. Afinal, embora segredo, todos sabem. Independentemente da responsabilidade, há um fator ético grave em jogo. Quem vê ou sabe e nada fala, ou faz, é mais criminoso do que o real responsável.

LUIZ A. BERNARDI

luizbernardi51@gmail.com

São Paulo

Leis para quê?

A Prefeitura do Rio interditou o CT do Flamengo em 2017, mas continuou a funcionar. O Ministério Público pediu a interdição do alojamento em 2015, mas continuou a funcionar. E agora a tragédia. De que adiantam as leis, se ninguém cumpre? É barragem de Brumadinho, agora esta tragédia no Flamengo, temporal na cidade do Rio de Janeiro, despreparo da Prefeitura, etc. Não está na hora de um basta?

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Se...

Não soou bem a declaração de um oficial bombeiro sobre a situação do alojamento dos jovens flamenguistas: “Em processo de regularização”... Quer dizer, é como ocupar um imóvel sem Habite-se. Ah, disseram que na semana que vem ocupariam outro espaço. Ocupariam, se vivos estivessem. A realidade é que não há alvará para uso do espaço. Isso exige rigor na apuração de responsabilidades.

ROBERTO VIANA SANTOS

rovisa681@gmail.com

Salvador

Quantas mais?

Podemos listar algumas semelhanças entre o incêndio da boate Kiss e o do CT do Flamengo: instalação inapropriada, multas acochambradas, falta de alvará, presença de material inflamável e ausência de saída de emergência. Mais uma tragédia anunciada sob a égide da impunidade.

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

REFORMAS

Pacote anticrime

Sob o título O pacote do ministro Moro, editorial do Estado (7/2, A3) alega ser controverso o ponto do projeto que permite ao juiz reduzir a pena de policiais que causarem morte durante sua atividade, até a metade, ou deixar de aplicá-la, se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção. A opinião discordante do respeitável jornal repousa na alegação de que o policial é um profissional que recebeu o devido treinamento e foi avaliado como apto para exercer essa atividade, portanto, a rigor, não caberia falar em escusável medo, surpresa ou violenta emoção. Peço todas as vênias, mas não posso concordar com tal opinião, lastreada na ótica simplista de que o policial é um profissional que recebeu o devido treinamento e foi avaliado como apto para exercer essa atividade. Alto lá, não obstante o policial ter recebido o devido treinamento, este não o imunizou contra o medo nem o tornou imune à surpresa ou violenta emoção. O treinamento não pode vaciná-lo contra essas emoções imanentes ao ser humano, não importa a profissão. Portanto, o projeto de Moro, nesse particular, está corretíssimo.

ABDIEL REIS DOURADO

abdiel@terra.com.br

São Paulo

Nada muda

A nota Timing, na Coluna do Estadão de ontem, mostra que a mentalidade dos congressistas não muda. A importância de um projeto não é levada em conta, só se seus interesses foram atendidos. Ameaçar não aprovar a reforma da Previdência porque uma medida sobre barreira tributária para importar leite em pó foi cancelada é um absurdo!

RADOICO CÂMARA GUIMARÃES

radoico@uol.com.br

São Paulo

Tenho lido que é impossível o Congresso trabalhar com duas reformas simultâneas. Que tal trabalhar de segunda a sexta?

ABEL CABRAL

abelcabral@uol.com.br

Campinas

BOLIVARIANOS

Para entender o chavismo

Entre 1992 e 2000 a multinacional de mineração Anglo American (a mesma que está no Brasil) investiu mais de US$ 600 milhões na Venezuela, em pesquisas geológicas, na abertura de uma mina e na construção de uma usina de grande porte para produzir liga de níquel e ferro, a Loma de Níquel. A liga tem ótimo mercado por o níquel ser essencial à produção de aço inoxidável. Em 2000 o presidente Hugo Chávez esteve, sorridente, na inauguração. Por vários anos tudo correu bem, com a empresa produzindo e exportando ferro-níquel, pagando impostos e dando trabalho a muitos. Em 2009, inesperadamente, o governo Chávez criou dificuldades para a renovação de algumas licenças de operação e em 2012 nacionalizou a mina e a usina, pondo-as sob a direção da PDVSA e de sindicatos dos empregados locais, que decerto imaginavam poder continuar com a operação. A Anglo American apelou a Cortes internacionais para ser ressarcida, mas a Venezuela não tem dinheiro. Enfim, de forma mais que esperada, com a nacionalização o ritmo da produção diminuiu muito e em 2014 parou de vez – a mina está paralisada até agora. Enquanto os equipamentos sofrem ao tempo, a PDVSA vendeu estoques de restos da produção antiga e agora está vendendo partes da usina, com a justificativa de necessitar quitar débitos trabalhistas, visto que mantém muitos empregados. Presumo que o governo Maduro agora espere que capitais chineses ou russos se interessem em reativar a planta e a mina. E nós, no Brasil, caminhávamos para seguir por esse mesmo caminho...

WILSON SCARPELLI

wiscar@terra.com.br

Cotia

*

CONEXÃO ODEBRECHT-VENEZUELA

Segundo investigações, apenas para a campanha presidencial de Nicolás Maduro, na Venezuela, mais de R$ 110 milhões foram pagos de forma criminosa pela construtora Odebrecht, totalizando mais de R$ 630 milhões destinados à corrupção na Venezuela, em repasses que se tornaram um dos pilares da manutenção da elite chavista, embora parte tenha sido destinada também a partidos opositores. Com a palavra, aqueles que ainda apoiam o regime de Maduro, independentemente de provas, confissões e tantas obviedades e certezas divergentes.

Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CORRUPÇÃO MUNDO AFORA

“Odebrecht teria pago R$ 630 milhões a políticos na Venezuela” (“Estadão”, 6/2). A matéria trata de uma infeliz realidade universal, sobre políticos venais também na Venezuela. Não é à toa que o crime de corrupção apareça em todos os Códigos Penais pelo mundo afora. Os mais espertos conseguem evitar rastros que comprovem sua venalidade tanto aqui como lá fora. Na China, por exemplo, os pegos na botija são executados publicamente em estádios, onde o grande público pode apreciar melhor a aplicação do castigo. Lá também é mais perigoso que no Brasil ser político, bem como o pecado capital da avareza poder literalmente ser mortal.           

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

*

O FIM DE UM SÍMBOLO ESCANDALOSO

Publicação de 1 de fevereiro no “Estadão” sobre o negócio da Petrobrás envolvendo a compra e a venda da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), relata muito bem a dimensão do desastre que foi a gestão do PT. Entre os inúmeros exemplos de corrupção, fraude, irresponsabilidade e incompetência, ainda alguns dos seus fanáticos petistas vêm com o discurso dos advogados, por mais evidência que sejam os fatos, de “cadê a prova?”. Só não enxerga quem não quer ou quando o fanatismo se sobrepõe à racionalidade.

Carlos Sulzer csulzer@terra.com.br

Santos

*

LULA E OS OUTROS

O ex-presidente Lula foi condenado mais uma vez em primeira instância no Paraná. É uma punição às acusações de manipulação de verbas de empresas para reformas num sítio de Atibaia (SP). Cabe, no caso, a indagação: por que os processos contra ele têm tramitação tão rápida, enquanto processos envolvendo políticos de outros partidos e de vários cargos públicos têm ampla protelação? E mais: ele está preso, mesmo tendo direito a muitos recursos. Por que a diferença de tratamento?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

NADA MAIS JUSTO

Nada mais justo que a nova condenação do ex-presidente Lula. O Brasil espera que Michel Temer e Aécio Neves tenham o mesmo destino em breve. Justiça seja feita: ninguém flagrou malas de dinheiro sujo com os assessores de Lula. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

SÓ DEPENDE DO STJ

Com a nova condenação do presidiário Lula da Silva, desta vez no caso do sítio de Atibaia, a “tigrada” petista já se manifestou sobre a rapidez de mais esta condenação. Por outro lado, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) João Otávio de Noronha afirmou que o recurso do “demiurgo” será julgado em 35 dias, no máximo, em razão da eficiência do relator ministro Félix Fischer. Ora, o ansioso povo de bem aguarda o desfecho deste julgamento, pois sabe que Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), já agendou para o dia 10 de abril o julgamento, mais uma vez, da questão da prisão após condenação em segunda instância. De tal sorte que, confirmada a condenação pelo STJ, que é a 3.ª instância, o STF – leia-se Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Marco Aurélio Mello – ficaria impedido de soltar o “amigo predileto”. Afinal, só depende do STJ.

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL DO JEITINHO

STF pode dar a Lula o regime semiaberto ou prisão domiciliar. “Dar” é bem sugestivo. O cara nunca foi de trabalhar, imaginem se agora ele trabalharia durante o dia. Eita Brasil do jeitinho.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais

*

ÚLTIMA FRONTEIRA

STF, última fronteira petista.

Eduardo Cavalcante da Silva cavalcante_1000@hotmail.com

São Paulo

*

LULA

Quando o apenado será transferido para um presídio federal? Desconhecia que a PF tinha cela de condenados.

Jonas de Matos jonas@jonasdematos.com.br

São Paulo

*

REELEITO

Parabéns, Lula, nem terminou o primeiro mandato de presidiário e já foi reeleito para mais 12 anos. Como bem disse Obama, Lula é “o cara”.

Zureia Baruch Jr. zureiabaruchjr@bol.com.br

São Paulo

*

O MAIS HONESTO DO BRASIL

Após cumprir os 25 anos de prisão, Lula da Silva, devidamente arrependido, poderá proclamar: desejo ser, doravante, o homem mais honesto do Brasil.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

UNIDOS CONTRA SERGIO MORO

O império do crime começa a sofrer prejuízos irreparáveis com a segunda condenação de Lula a mais de 12 anos de cadeia, e já se mobiliza para um contragolpe contra as medidas de combate ao crime anunciadas pelo ex-juiz da Lava Jato e atual ministro da Justiça. Sonhando com o Prêmio Nobel da Paz, o presidiário de Curitiba articulou a aliança que estabeleceu uma trégua entre as três maiores organizações da bandidagem brasileira: no momento, o PT, o PCC e o Comando Vermelho combatem unidos, e em perfeita harmonia, o pacote anticrime do ministro Sergio Moro. Nesses momentos é possível notar claramente o espírito de solidariedade que une parceiros do submundo.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

NOBEL DA PAZ?

No exato momento em que Lula da Silva seria indicado para receber o Prêmio Nobel da Paz, a juíza federal Gabriela Hardt o condenou por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, abortando o sonho do presidiário mais famoso do Brasil. Eis outra invencionice petista. O mais corrupto dos brasileiros sendo agraciado com uma condecoração como o Nobel da Paz? O PT, com seus 39 anos de existência, se agarra a um presidiário para poder sobreviver. É o fim da picada!

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

2042...

Por ora, com a segunda condenação confirmada, o País está livre de Lula até 2042. E ainda falta concluir 5 inquéritos...

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

QUASE TREZE

Doze anos e onze meses foi a pena aplicada ao presidiário de Curitiba na ação referente ao sítio Santa Bárbara, em Atibaia, aplicada pela briosa juíza substituta da Lava Jato, dra. Gabriela Hardt. Por apenas um mês, Lula deixou de escrever de forma justa o humilhante número 13 no seu imundo prontuário policial. Que Santa Bárbara, da qual sou devoto, incense e abençoe aquele lugar, que erradamente ostentava seu nome, varrendo ao lixo os fluidos do mal que ali se estabeleceram. Amém! Parabéns, dra. Gabriela!

Júlio Armando Echeverria Vieira 

Santa Cruz, Califórnia (EUA)

*

EX-PRESIDENTE CONDENADO

Será que na dosimetria das penas Lula será sempre condenado em dúzias de anos? 

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

LULA & SÍTIO EM ATIBAIA

O Brasil lembra uísque: com mais 12 anos, vai ficar muito melhor. E sem dar ressaca...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

MENTIRA

Luiz Inácio da Silva, o Lula, nasceu pobre, chegou aonde pouquíssimos conseguem chegar, enriqueceu e está terminando onde milhões de criminosos terminam. Na prisão... Durante toda essa trajetória, Lula usou a arma que todo ser humano pode usar se quiser: a mentira. Corre solta a história do dedo mindinho que teria sido amputado, mas que ele descreveu como acidente para se aposentar. Todos conhecemos o “Lulinha Paz e Amor”, a mentira que lhe garantiu a eleição. A mentira que usou para eleger Dilma Rousseff, uma fraude que conseguiu manter na Presidência por seis anos enquanto ganhava dinheiro visitando países amigos para dar falsas palestras vendendo influência para desviar dinheiro do BNDES na forma de financiamento de obras sem retorno para o Brasil, mas sim para ele. Agora, no fim da linha, mentindo sobre o triplex do Guarujá, o sítio de Atibaia. Lula nunca falou a verdade sobre sua ideologia. Nunca quis ajudar os pobres. Mentiu para todos, tornando sua vida uma mentira. Lula nunca existiu, só o Luiz Inácio da Silva – um criminoso preso em Curitiba.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA DIVINA

Assistindo à entrevista à TV Câmara do deputado federal mais votado no Pará, Edmilson Rodrigues, do PSOL (sempre ele), fiquei extremamente revoltado com a sua insensatez e o desrespeito a um ser humano. Indagado se o governo poderia avançar ao mesmo tempo com as reformas da Previdência e anticrime do ministro Sergio Moro, respondeu o herege e incrédulo parlamentar, em resumo: “Olha, eu acho que o governo deve ter sua estratégia, mas não se entende (...). O presidente está para morrer (...)”. Seguramente, o deputado é mais um que não se conforma com o insucesso da mal articulada e cruel facada de Juiz de Fora no então candidato Bolsonaro, torcendo diuturnamente pelo passamento do presidente (toc, toc, toc). Como cristão, perdoando-o pela criminosa e hemorrágica blasfêmia, não tenho dúvidas de que a Justiça divina, à sua hora, cobrará o devido reparo ao parlamentar.

Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro

*

AINDA A FACADA

O presidente Jair Bolsonaro continua internado após sofrer terceira cirurgia. Cada dia que passa, uma nova complicação. Agora, é uma pneumonia. Enquanto isso, ninguém na mídia fala mais do covarde assassino Adélio Bispo de Oliveira. Será que ele ainda não confessou quem armou o complô para esfaquear o presidente? Ou será que não existe ninguém habilitado que o faça confessar quem são os envolvidos? A Nação espera pela verdade com urgência. Este chamado “segredo de Justiça” não cola mais.

Valdy Callado valdypinto@hotmail.com

São Paulo

*

FRAUDE NA ELEIÇÃO NO SENADO

A senador Davi Alcolumbre parece distante da firmeza de caráter que exige o cargo de presidente daquela Casa. Ele disse que “discutiria o caso da deliberada destruição dos dois votos fraudulentos da eleição do presidente do Senado com o corregedor-geral do Senado, Roberto Rocha”. Ele lembrou os repórteres de que “é preciso pacificar a Casa após os tensionamentos da eleição”. Quer dizer que o primeiro ato do novo presidente da Casa pode ser varrer a fraude eleitoral no Senado da República para debaixo do tapete? Começou mal o sr. Alcolumbre, bem no estilo “business as usual” da velha e conhecida política, que está matando o que restou da carcomida nação brasileira. 

Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br

Cotia

*

EXEMPLO A SER SEGUIDO

Para quem não se liga em política e nos políticos, o deputado federal eleito pelo Distrito Federal José Antonio Reguffe (PDT), que também é, proporcionalmente, o deputado mais votado do País, com 266.465 mil votos, ou seja, 18,95% dos votos válidos do DF, surpreendeu a todos dando ótimo exemplo, de que nem todos os políticos são farinha do mesmo saco, e, numa tacada só, protocolou vários ofícios na Diretoria Geral da Casa. Ele abriu mão dos salários extras que parlamentares recebem (14.º e 15.º salários), reduziu sua verba de gabinete e o número de assessores a que teria direito (de 25 para apenas 9). E tudo feito em caráter irrevogável (nem se ele próprio quiser poderá voltar atrás). E mais, além disso, reduziu em mais de 80% a cota interna do gabinete, o chamado pejorativamente de cotão. Reduziu os R$ 23.030,00 a que teria direito por mês para R$ 4.600,00. Segundo ofícios, também abriu mão de verba indenizatória, de toda cota de passagens aéreas e do auxílio-moradia, tudo em caráter irrevogável. Para ter ideia, sozinho, vai economizar aos cofres públicos mais de R$ 2,3 milhões (isso mesmo, R$ 2.300.000,00) nos quatros anos de mandato. Já imaginaram se outros 512 deputados seguissem o exemplo? A economia aos cofres públicos seria a R$ 1,2 bilhão, dinheiro que poderia ser investido na saúde, na educação e na segurança, que juntas são um caos no País. A pergunta que não quer calar é: deputados federais, estaduais, senadores e vereadores, além de prefeitos, governadores e presidente não deveriam seguir esse exemplo?

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

ESTRATÉGIA OUSADA

A indicação de Flávio Bolsonaro, do PSL, para a terceira-secretaria da mesa diretora do Senado Federal teve dupla finalidade: simbolizar a união entre o Poder Executivo e o Senado e fazer de conta que as acusações que pesam sobre o senador não estão produzindo qualquer efeito deletério sobre o Parlamento. Estratégia ousada e perigosa, pois, se tais acusações não forem brevemente desfeitas, o mal estar tanto para o Senado quanto para o governo será grande. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

RENAN CALHEIROS

Na última semana pudemos ver e aquilatar quem é e o que é o velho jagunço Renan Calheiros, após a baixaria que nos mostrou no dia da votação pela presidência do Senado e a sua agressão a Ramez Tebet (ex-presidente, falecido, da Casa), sua filha Simone Tebet e a jornalista Dora Kramer. Com muitos processos nas costas, nunca na pauta do STF, o promotor dessa extensa baixaria queria novamente ser presidente, mas não conseguiu, nem deveria, depois desta demonstração de falta de compostura. Se tivesse vergonha, deveria abandonar o cargo. Mas, como sabemos que não tem e não quer perder o foro privilegiado, lá permanecerá. Felizmente, para gáudio dos brasileiros, não foi eleito e, creio, nunca mais o será, presidente desta casa de Ruy Barbosa.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

ARROGANTE É POUCO

Renan Calheiros é o melhor exemplo de coronelismo arrogante e prepotente que, graças a Deus, está sendo extinto no Brasil. Campeão de processos, só não está preso por causa da imunidade parlamentar. Mas isso tende a acabar, como aconteceu com outros da sua laia. Agora deu para atacar pessoas que se recusam a beijar a sua mão. Quer dizer, então, que fugiu do assédio por ser casado? Por acaso isso impediu de ter uma filha fora do casamento? E, ainda, entrou com processo para impedir que a criança tivesse seu sobrenome. Se essa criança soubesse o bem que isso lhe faria... Se tivesse pedido emprestado aquele membro mecânico, não passaria por esse constrangimento. O Brasil já sabe o tipo de ser execrável que é Calheiros. Falta as pessoas acordarem e pararem de lhe dar mandatos.  

Sérgio Aparecido Nardelli saparecidonardelli@bol.com.br

São Paulo 

*

O PRIMEIRO PASSO

O primeiro passo foi dado, o governo Bolsonaro cumpriu sua palavra e os pacotes da Economia e da Justiça e Segurança Pública foram apresentados ao País. Veremos muita guerra no Congresso até que se aprovem essas propostas. As mudanças propostas por Sergio Moro incomodaram muito a esquerda, que, para variar, chiou. Não custa lembrar os últimos ministros da Justiça que tivemos: Tarso Genro marcou sua gestão por deportar dois cubanos e dar proteção a Cesare Battisti; José Eduardo Cardozo, que chamou as prisões brasileiras de masmorras, ao descobrir que seus amigos iriam para a prisão; e Márcio Thomaz Bastos, que inventou o caixa 2 (recursos não contabilizados). Em matéria de farra jurídica o Brasil se superou. Enquanto se pensava em blindar companheiros, o crime foi avançando e tomou proporções inimagináveis. As milícias tomaram conta dos presídios, o crime organizado cresceu a avançou nos Estados. Agora, é preciso colocar um freio. Todos terão um papel importante neste processo. Pressionar para que as propostas sejam votadas é o papel do governo, do Congresso e da sociedade, que deverá estar sempre atenta. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

VICE-PRESIDENTE

Será que no plano de 100 dias do governo Bolsonaro, pelo qual assino minha torcida, consta fazer o vaidoso e operoso vice-presidente, general Hamilton Mourão, pouco falar, sem que seja necessário calá-lo? Que o reservado espírito do finado vice Marco Maciel o inspire para o alinhamento e boa relação com o presidente e, por consequência, para o bom andamento dos programas de governo, sem conflitos de informações. 

Bruno David de Oliveira brunopdavid@gmail.com

Rio de Janeiro

*

IRPF

Atenção especial do sr. Posto Ipiranga: haverá atualização das tabelas do Imposto de Renda da Pessoa Física para a declaração referente ao ano de 2018?

Sérgio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais 

*

TEMPORAL NO RIO DE JANEIRO

O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, disse há poucos meses, após os reparos e reforços nas fundações da Ciclovia Tim Maia, que agora ela não cai mais. Como é que diz isso para uma ciclovia construída beirando a Avenida Niemeyer, com uma encosta sujeita a deslizamentos? Não previram que ela poderia ser atingida de outra forma, como o foi na noite de quarta-feira (6/2). Que engenharia é esta que não prevê todas as situações possíveis? Este corpo de engenheiros da prefeitura deve ser composto de estagiários. Algum dia eles aprendem.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PAÍS ABALADO

Assistindo ao noticiário do dia 8 de fevereiro, cheguei à conclusão de que foram muitas notícias ruins para um dia só (Brumadinho, temporal no Rio e o incêndio no alojamento do Flamengo).

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.