Bom aumento de vendas no varejo no Dia das Mães

Dia das mães teve o melhor desempenho nos últimos cinco anos

O Estado de S.Paulo

17 Maio 2018 | 04h00

As vendas do Dia das Mães, a data mais importante para o comércio no primeiro semestre – no ano, em faturamento fica atrás apenas do Natal –, não decepcionaram. Como já previa a Sondagem do Consumidor do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), com inflação baixa, juros menores e mais acesso ao crédito, as vendas cresceram. Na semana entre 7 e 13 de maio, aumentaram 5,7% em relação à semana que precedeu o Dia das Mães em 2017, segundo dados da Serasa Experian. Foi o melhor desempenho nos últimos cinco anos. Na cidade de São Paulo, o crescimento das vendas foi maior, chegando a 6,5%.

“Esse resultado é muito positivo para o varejo, que já começa a sentir um pequeno reaquecimento das vendas”, comenta Roque Pellizzaro, presidente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), que também afere o comportamento das vendas. Calcula-se que cerca de 112 milhões de brasileiros tenham ido às compras no Dia das Mães. O valor médio do gasto com presentes foi estimado em R$ 108,00, 11% mais que no ano anterior (R$ 98,00), abrangendo todas as faixas de renda.

Especificamente na faixa de menor renda (até R$ 2.100 mensais), o valor médio do presente foi de R$ 63 em comparação com R$ 51 em 2017, um aumento de 23,5%, mostrando que as compras não se limitaram a lembrancinhas.

Os produtos mais vendidos foram roupas, calçados, cosméticos e, em menor proporção, produtos de maior valor, como bens duráveis de consumo doméstico. Apesar de promoções, pode ter havido elevação de preços dos produtos, mas, seja como for, o aumento dos gastos supera muito a inflação.

Pesquisa da SPC em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 80% dos consumidores, com orçamento apertado, disseram que pesquisaram preços em mais de um local de vendas, em busca de melhores ofertas. A maioria também preferiu comprar à vista, pagando com dinheiro em espécie ou com cartão de débito.

Contudo, como revela o indicador calculado pela SPC/CNDL, também cresceu o volume de compras parceladas no cartão de crédito (aumento de 2,86%). Esse dado é considerado significativo, uma vez que as compras desse tipo vinham em queda, no Dia das Mães, desde 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.