Cartas

Bloco na RuaPorque alguns partidos criticam a campanha indecorosa em favor de Dilma, ela diz que a "oposição quer interditar o governo". Que saudade do PT do Lula dos 300 picaretas, dos raivosos Genoino, Dirceu, Mercadante, Ideli, Tarso e demais quando pregavam a ética na política, não se aliavam a ninguém porque eram diferentes, pregavam honestidade, moralidade, etc. Hoje estão aliados ao que há de pior na política e incorporaram seus métodos. Mas fiquem tranquilos os senhores do PT: os ministros das Cortes superiores, na maioria, também acreditam que esta campanha com dinheiro público é legal. Eles habitam outro planeta, acreditam em Papai Noel... E não sabem que essa senhora tinha 1% de intenção de voto em setembro, antes de Lula começar sua campanha, e agora tem 13%. Cresceu nas pesquisas por obra do PAC. Não é preciso ter conhecimento de Direito Constitucional e Eleitoral para proibir esse abuso que nos agride. Basta coragem. Boa sorte à ministra na sua campanha imoral e antidemocrática. O Bolsa-Família completará o quadro. Pobre País. Pena não termos mais Jarbas Vasconcelos.SEBASTIÃO VANDERLEI PINHEIRO vanderlei106@terra.com.brSão PauloO poder do voto e do vetoAs declarações do senador Jarbas Vasconcelos apontando a gravíssima situação do País no meio político, os acontecimentos na esfera político-administrativa de nossa pátria, de que diariamente tomamos conhecimento pela mídia, os artigos e colunas nos periódicos, bem como os coerentes editoriais que lemos nos jornais alertando a população para a situação inquietante que avassala e devasta nossa Nação, são mais do que advertências e avisos para o eleitor nos próximos escrutínios. Afinal, somos os responsáveis por guindar homens e mulheres a cargos públicos e que regerão os destinos do País. Nosso voto é por demais importante e fundamental não somente para escolher pessoas idôneas para esses cargos, mas também para vetar a aprovação desses nomes como nossos representantes.CLÊNIO FALCÃO LINS CALDAS clenio.caldas@gmail.comSão PauloNa Suíça o bicho pegaFosse este um país sério, e provado ser lorota o que Paula Oliveira contou, devia ela receber dupla pena, lá e cá, para dar o exemplo. Além de ter queimado o filme do País, fez da vida dos brasileiros sérios que precisam viajar um transtorno sem precedentes! Mais uma vez mostramos ao mundo a cara do nosso país e de nosso povo, como malandros, mentirosos e safados. E a cereja do bolo: nossa conterrânea conseguiu dar vida nova a grupos neonazistas, falsamente acusados (tadinhos!). É bom a srta. Paula provar o que disse, senão a chapa vai esquentar. Os suíços não vão deixar barato.RICARDO DA SILVA REGOcalibam2045@hotmail.comTaboão da SerraO presidente Lula, cujo DNA está entranhado da ideologia de esquerda, rapidamente criticou o governo da Suíça pelo episódio Paula Oliveira. Certamente foi pelo fato de ser esse um país capitalista, cuja matiz ideológica diverge do retrógrado ideário petista. Gostaria de saber por que o ilustre presidente não reagiu dessa forma indignada quando Evo Morales invadiu instalações brasileiras na Bolívia. Também tenho dúvidas, caso o episódio tivesse ocorrido na Venezuela, se a reação seria a mesma. É mais provável que ele passasse a mão na cabeça do ditador Chávez e viesse com aquele blablablá de que temos de apurar antes para não cometer prejulgamentos. Com esse (des)governo, fica cada vez mais difícil sentir orgulho de ser brasileiro.JOSE SEVERIANO MOREL FILHOmorel@sunriseonline.com.brSantosTanto empenho e zelo por Paula, que só nos envergonhou. E tanta indiferença e omissão no caso Jean Charles de Menezes, barbaramente assassinado pela polícia londrina. É que, então, estava programada visita do presidente à velha Albion. Não era hora de criar incidente que empanasse o brilho do evento.LYGIA LOLO SILVA DE CARVALHOSão PauloCom o nosso dinheiroPara promover comício eleitoral com 3.500 prefeitos, tem R$ 1,8 milhão. Para financiar happening esquerdoide/onguiano/indígena/bolivariano, tem R$ 1,3 milhão.E outras farras Brasil afora. Para o salário mínimo, 12% já! Mas para os aposentados... Não há dinheiro! Só em junho, e pelo INPC!CARLOS FUTUROcarlos_futuro@viscondeitaborai.com.brSão PauloTerra de loucos?O Brasil pagará aos "hermanos" para nos surrupiarem (O Brasil curvou-se de novo, 19/2, A3); a festa eleitoreira com prefeitos em Brasília custou quase R$ 2 milhões do dinheiro do contribuinte; o IGPM de 2008 foi de 9,81%, mas os paupérrimos aposentados receberão somente 5,8% de reajuste. Parem que eu quero descer! Não aguento mais ser tão roubada, ludibriada, escorchada, desrespeitada e humilhada!ANGELA BAREAangelabarea@yahoo.com.brSão PauloNovo Brasil do PTAo sul, o Brasil curva-se de novo (19/2, A3). Ao norte, o amigo do nosso presidente parece desejar criar, aos moldes do líder nazista, o novo Império Bolivariano, de mil anos. E como império se faz com milhões de quilômetros quadrados, o Brasil deve estar incluso...GLALCO ÍTALO PIERIcoly@decampospieri.com.brSão Paulo''O governo censura veementemente o protecionismo americano e europeu, mas apoia o argentino"J. Perin Garciajperin@uol.com.brSanto AndréO Brasil se curva? O Brasil não consegue fazer caminhões transitarem com carga brasileira entre seus próprios Estados sem fiscalização rigorosa (e abusiva), como vai conseguir se entender com países vizinhos, autônomos e independentes? O Mercosul, infelizmente, é um "natimorto".IRENE SANDKEirene@frettes.com.brCuritibaÉ, perdemos outraSão incontáveis as afrontas do governo argentino que o nosso governo aceita sem esboçar nenhuma reação.Tanta passividade leva à suspeição. Mas falemos a linguagem que Brasília entende: o futebolês. Sobre as barreiras impostas pela Argentina ao comércio bilateral com o Brasil poderíamos comparar assim: a seleção brasileira de futebol paga para jogar no La Bombonera, com o time reserva, enfrentando a Argentina com todos os seus craques. O árbitro, é claro, um argentino e nas arquibancadas, somente argentinos, vetada a venda de ingressos aos espectadores visitantes. E levamos uma goleada. No jogo de volta, no Maracanã, com árbitro insuspeito (talvez um venezuelano ou boliviano), cedemos metade da lotação de ingressos aos "hermanos", de graça, claro, porém com os brasileiros pagando.Ao final, pagamos uma fortuna ao time argentino pela honrosa visita que nos fez. Alguém tem alguma dúvida sobre qual seria o resultado desses dois confrontos?ROBERTO CURSINO BENITEZrobertobenitez@adv.oabsp.org.brSão José dos CamposOra, prévias...O governador Aécio Neves quer que seu partido faça prévias para escolher o candidato a presidente. Mas as prévias já estão sendo feitas, e não só no PSDB! Ou será que ele quer que o partido dê um resultado diferente daquele que as pesquisas de opinião dão para o conjunto do eleitorado brasileiro? Acho melhor ele parar de criar caso, pois todo mundo está cansado de saber que no Brasil nunca houve essa história de prévias. Por acaso ele fez prévias para escolher seu candidato a prefeito de Belo Horizonte na última eleição? EUCLIDES ROSSIGNOLIeuros@ig.com.brItatingaPrecatóriosJá que os governos estão sem grandes ideias para debelar a crise, uma sugestão: paguem os precatórios! Uma medida simples e justa. Os R$ 62,3 bilhões devidos por Estados e municípios seriam um bom estímulo ao consumo.RAFAEL NEUBERN DEMARCHI COSTArafaelneubern@yahoo.comSão PauloFÓRUM DOS LEITORESENDEREÇOAvenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900FAX: 11 3856-2920E-MAIL: forum@grupoestado.com.br

, O Estadao de S.Paulo

20 de fevereiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.