Cartas

Respeito à JustiçaCom referência à entrevista do governador cassado do Maranhão, Jackson Lago, ao jornalista Wilson Lima, publicada na edição de ontem (A7) sob o título Lago atribui cassação à influência de Sarney, rechaço a insinuação levantada pelo entrevistado de que tenha exercido qualquer tipo de influência sobre o Tribunal Superior Eleitoral, no processo que conduziu à sua cassação. Ninguém melhor do que os ministros dos Tribunais Superiores sabe de meu absoluto respeito à soberania e à independência da Justiça. As insinuações do governador cassado são, ainda, ofensivas e injuriosas aos juízes, por elas alcançados em sua honra, dignidade e decoro.JOSÉ SARNEY, presidente do SenadoBrasíliaInsegurança públicaAs denúncias de venda de cargos e sentenças na Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo demonstram quão ruim é a administração do governador José Serra nessa área. Esse descaso vai trazer sérias complicações a seu futuro político. Vamos torcer para que Serra acorde e mude radicalmente essa situação.FRANCISCO CARLOS MARTINS BORGESfrankmartins@hotmail.comCampinasComo pode a polícia do Rio receber de presente dos traficantes os assaltantes do casal empurrado de penhasco na Avenida Niemeyer? É a desmoralização geral.ANTONIO FEIERABENDafeierabend@hotmail.comSão PauloVitória do malAssim se faz política no meu país: quando um político denuncia abusos que ocorrem na esfera "política", no caso, o PMDB, destitui-se o denunciante e pronto! Foi o caso do senador Jarbas Vasconcelos (PE), que denunciou que a maioria dos integrantes do seu partido "quer mesmo é a corrupção" e por isso foi destituído da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pelo "líder" Renan Calheiros (AL). Por falar em Renan - lembram? -, é aquele que, dentre umas e outras, num passado não muito distante, foi acusado de: 1) Ter despesas pessoais (pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha fora do casamento) pagas por um lobista da Mendes Júnior; 2) ter utilizado "laranjas" na compra de duas emissoras de rádio em Alagoas; 3) venda superfaturada de uma fábrica da família Calheiros por R$ 27 milhões, quando não valia mais de R$ 10 milhões, etc., etc... É a vitória de goleada do mal sobre o bem!JOSÉ CARLOS ALVESjc_alves@uol.com.brSão PauloLembram-se da anedota sobre o homem que é avisado de que sua mulher o trai, no sofá da sala, e ele resolve vender o sofá? Assim é o PMDB, que, aborrecido com as declarações do senador Jarbas Vasconcelos sobre corrupção no partido, resolveu tirá-lo da CCJ. "Ah, bom! Agora podemos continuar como sempre, sem medo de sermos acusados, porque ele já foi embora." Tiraram o sofá da sala! Solução fácil... Que tristeza.MARCOS R. POUGYmarcoslaly@gmail.comSão Paulo Devemos elogiar a coragem de homens como o senador Jarbas Vasconcelos, que dá voz aos anseios dos brasileiros que querem ver renascer as virtudes morais da Nação, soterradas pelo corporativismo político, com um governo à altura de sua grandeza. Chega de Renans e Sarneys!MÔNICA A. GUGLIELMInicabate@yahoo.com.brSão PauloAcordãoCom o apoio de Lulla, que lavou as mãos, Sarney foi eleito presidente do Senado e agora, estarrecidos, somos informados de que fazia parte do acordão eleger o Collorido para presidir a Comissão de Infraestrutura. Daqui a pouco, quando surgirem os escândalos a respeito das verbas do Orçamento destinadas às obras do PAC e de pacotes que ainda nem saíram do papel, como o da habitação, Lulla dirá que não sabia de nada...CLEIDE SILVAcleidesilva007@estadao.com.brSão PauloTolerânciaSarney, Renan e agora Collor, pode? Não, não pode, ninguém merece. A verdade disse o senador Cristovam Buarque, é uma casa de tolerância, tudo se tolera se for para o bem do bolso... deles.MARIA NORMA DE ANDRADEsilbernorm@terra.com.brCatanduvaE quem vai substituir o PC Farias na ajuda ao Collor para a "distribuição" dos fartos recursos que serão aprovados na Comissão de Infraestrutura?ALOYSIO BELLOaloysiobello@uol.com.brSão PauloEles incomodam...A 22 meses do fim do mandato, Lula vai precisar rezar muito a padim Cícero para suportar o PMDB! Tão logo o Planalto negou a administração do fundo Real Grandeza ao partidão de Sarney & Cia., o PT, ou melhor, Ideli Salvatti perdeu a presidência da Comissão de Infraestrutura para Collor, com o apoio explícito do PMDB do Renan das Alagoas. Lula que se cuide! Nesta reta final de sua gestão, vai sofrer nas mãos desses oportunistas, sempre ávidos por cargos públicos, de preferência com orçamentos volumosos. Quem mandou essa gente do PT, por décadas, xingar todos os políticos de idiotas e corruptos, antes de chegar ao poder? Agora só lhes resta cantar aquela musiquinha: "Um ex-presidente incomoda muita gente, dois ex-presidentes incomodam, incomodam muito mais..." PAULO PANOSSIANpaulopanossian@hotmail.comSantosSempre os mesmosCollor de volta à cena, Sarney novamente presidindo o Senado e Renan dando as cartas na Casa. Todos lá presentes por nossa vontade, pelo nosso voto. Confirma-se uma frase dita por Pelé há duas décadas: o brasileiro não sabe votar. E acrescento: não ouviram o conselho de Eça de Queiroz, que disse que os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente, e pela mesma razão.HUMBERTO DE LUNA FREIRE FILHOhlffilho@hotmail.comSão PauloO que falta acontecer em Brasília? Quando Collor foi eleito senador, fui sufocado por inúmeros artigos que tinham a mesma mensagem: o brasileiro em geral e o alagoano em particular não sabem votar. E agora que o mesmo Collor foi eleito para presidir a Comissão de Infraestrutura por seus pares, quer dizer, então, que os senadores também são ignorantes? Do jeito que a coisa vai, para o lugar do esquecido Agaciel Maia vão acabar nomeando Fernandinho Beira-Mar diretor do Senado.ROBERTO ARANHArcao@globo.comSão PauloDelação premiadaCom a demissão do diretor-geral do Senado (4/3, A7), abre-se uma grande oportunidade de mudar o jeito de fazer política no País. Símbolo da politicagem (entrou pela janela, tem patrimônio incompatível e inúmeras denúncias a serem investigadas), esse cidadão é um arquivo ambulante, devendo ser investigado a fundo e beneficiado pela temível e tão criticada delação premiada. Brasília tremerá...MARCOS JOSÉ DE FREITAS E SILVAmarcosjfreitas@uol.com.brSão PauloGreve irresponsávelA manifestação ocorrida na terça-feira, em que ficou prejudicadaa entrega dos jornais Folha de S.Paulo e Estadão na zona sul, foi um ato irresponsável. Está na nossa Constituição o direito da greve, todos os trabalhadores têm o direito de reivindicar melhorias de trabalho. O que não pode é um determinado sindicato querer agregar novos filiados prejudicando outra categoria (banca de jornais) e, acima de tudo, tirar o direito à informação. Pois muitos leitores ficaram sem receber seus jornais em casa e sem poder comprá-los nas bancas. Repudiamos essa atitude de qualquer que seja o sindicato. Lutar por melhores salários, sim, mas sem prejudicar o cidadão, tirando-lhe o direito à informação e o direito de ir e vir.RICARDO L. CARMO, vice-presidente do Sindicato dos Vendedores de Jornais e Revistas de São Pauloricardo@sindjorsp.org.brSão PauloFÓRUM DOS LEITORESENDEREÇOAvenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900FAX:(11) 3856-2920E-MAIL:forum@grupoestado.com.br

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.