Cartas

Brancos de olhos azuisCausou desconforto ao primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, em visita oficial ao Brasil, a declaração intempestiva de Lula, responsabilizando as "pessoas brancas, de olhos azuis" pelas turbulências financeiras mundiais. Realmente a crise internacional não teve origem no Brasil ou em qualquer outro país do Terceiro Mundo, mas aqui já são sentidos fortemente seus reflexos, principalmente por termos negligenciado sua magnitude.SERGIO VILLAÇAsvillaca@terra.com.brRecifeSou branca de olhos azuis e não tenho nenhuma culpa pela crise mundial. Ao contrário, sou mais uma atingida por ela.MARIANA SAMPAIOmarilsdb@terra.com.brSão PauloTenho orgulho de ser brasileiro e ter antepassados portugueses, italianos, alemães e índios, fruto da maravilhosa miscigenação deste país. Sou branco, tenho olhos azuis e orgulho de ser membro do Ministério Público de São Paulo e trabalhar, há 20 anos, por uma sociedade mais justa, sem precisar discriminar quem quer que seja pela cor da pele ou dos olhos. Não sou responsável por nenhuma crise e lamento ver que o preconceito esteja na raiz dos pensamentos e no coração de nossos mandatários. LUIZ FERNANDO R. PINTO JUNIORrodrigues.luiz@terra.com.brSão PauloLula não deve saber que holandeses invadiram Pernambuco e, pelos anos que lá estiveram, deixaram legados, inclusive genéticos, como "loiros de olhos azuis", muitos deles recebedores do Bolsa-Família. Será que eles também são causadores da crise?HOOVER AMERICO SAMPAIOhoover@mkteam.com.brSão PauloAlém da declaração destrambelhada, o presidente Lula é mal informado. Stanley O?Neal, banqueiro de Wall Street, ex-presidente do Merrill Lynch, um um dos principais bancos envolvidos na crise do subprime, é negro e tem olhos escuros.HAMILTON CARVALHOhamilton.carvalho@terra.com.brBarueriNão bastasse a inacreditável cota para estudantes negros, agora os brancos de olhos azuis são responsabilizados pela crise. Brancos, negros, amarelos, todos são pessoas que merecem respeito, principalmente do presidente de uma Nação. É preciso coragem para dizer uma bobagem desse tamanho.ELZA MARIA C. DE A. CAMPOS PIERIcoly@decampospieri.com.brSão PauloEspero que Lula tenha a mesma coragem no G-20 em Londres. No Brasil não existem "olhos azuis", mas os bancos produzem lucros ascendentes, após imposto, mediante as benesses de juros, taxas e castigos aos clientes, de que nem índio escapa. Seria apropriado que o presidente lesse o discurso do presidente alemão, Horst Köhler, em 24 de março, na igreja de Santa Elizabete, em Berlim, sobre a economia mundial: "A humanidade está no mesmo barco." Foi ovacionado em pé, por olhos azuis, verdes, pretos, amarelos, marrons e furta-cor.JURGEN DETLEV VAGELERvatra_ind@yahoo.com.brCampinasContratos leoninosJoão Mellão tem sido coerente na sua forma de pensar, mas escorregou no artigo Uma questão de princípios (27/3, A2). Quando uma das partes não segue um contrato, ele pode (e deve) ser renegociado ou levado à Justiça. Não tenho conhecimento do princípio sagrado de respeitar, por exemplo, contratos leoninos. Em 1862, o economista britânico John Ruskin dizia que "todas as disputas podem ser resolvidas em paz, se um número suficiente de pessoas for treinado a se submeter aos princípios da Justiça". No caso da seguradora AIG, o contrato foi quebrado, de forma evidente e imoral, pelos seus executivos.CARLOS EDUARDO LESSA BRANDÃOcelb@iname.comSão PauloPrisão e equilíbrioNão conheço Eliana Tranchesi, a dona da butique Daslu, mas por pior e mais inadequada que seja a administração de sua empresa, essa truculência se justifica? 94 anos e 6 meses de prisão! Se ela cometeu delitos, em que eles diferem daqueles praticados pela corja que pagamos para nos roubar?MILY MESQUITAmilymjm@hotmail.comSão PauloDiariamente acompanhamos escândalos e denúncias de desvio de dinheiro público, cometidos por nobres políticos que não são punidos com nenhuma grande pena, muito menos com ressarcimento dos valores em questão. A Daslu, que já tinha sido autuada, vinha pagando devidamente por suas infrações.DANNY SAPIROvendas@copespuma.com.brSão PauloSentir na peleNão seria melhor que essa senhora continuasse a trabalhar, fosse forçada a vender seu patrimônio para liquidação de seu débito e sentisse na pele o quão duro é ter de devolver tudo o que foi ganho por intermédio de anos de trabalho e sonegação?JOSÉ PIACSEK NETObubapiacsek@yahoo.com.brAvanhandavaApropriação indébitaSe um empregado se apossar do dinheiro de seu empregador e gastá-lo em benefício próprio ou de parentes e amigos, pode ser demitido por justa causa e, se processado, pode ir para a cadeia. Por que isso não ocorre com nossos políticos e executivos que têm sido denunciados por desvios, "doações" por fora, compras superfaturadas, etc.? Até quando?MÁRIO ALVES DENTEdente28@gmail.comSão PauloA empreiteira e o governo A Construtora Camargo Corrêa recebeu do governo federal, desde 2003, R$ 355 milhões pela realização de obras. A empreiteira tem uma participação significativa nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ela faz parte do consórcio Energia Sustentável do Brasil (Enersus), que vai cuidar da obra da Hidrelétrica de Jirau, que receberá financiamento de R$ 7,2 bilhões do BNDES. Seria preciso um livro para descrever todas as obras que a empresa tem com o governo. Será, então, que só DEM, PPS, PSB, PDT, PP, PMDB e PSDB receberam dinheiro ilegal para as campanhas? Do jeito que as coisas andam, com o Congresso paralisado, a Polícia Federal (PF) fazendo "pirotecnia", donos da Daslu na cadeia, José Dirceu se preparando para voltar, Lulla alfinetando o STF e a oposição omissa, creio que estamos caminhando para um terceiro mandato.JOSÉ SAEZjsaez2007@gmail.comCuritibaSabe-se que castelos de areia têm vida efêmera. O atual - a operação da PF - é fundamentado em grampos e deduções tendenciosas de interceptações. A PF cumpre suas obrigações, mas poderia fazê-lo em silêncio até dispor de provas conclusivas. Os prejuízos morais e materiais que uma empresa da importância da Camargo Corrêa vai amargar não serão indenizados. Aturdido com o estardalhaço da operação, lembrei o mote dos carabineiros italianos, que pode indicar um caminho a seguir: "Acostumados a obedecer calados e calados morrer (usi obbedir tacendo e tacendo morir)."FRANCO MAGRINIframagr@ig.com.brSão PauloPor que será que essa operação da PF está assustando tanto o Planalto, especialmente o presidente Lula, que pessoalmente interferiu e fez com que o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos assumisse a defesa da Camargo Corrêa neste episódio que ele chama de "pirotecnia". Será que é para evitar alguma explosão ou aí tem coisa?ANGELO TONELLIangelotonelli@yahoo.com.brSão Paulo

, O Estadao de S.Paulo

28 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.