Cartas

CADERNETA DE POUPANÇANão tem limites o despudor do governo em aumentar e criar impostos no lombo da população brasileira. Desta vez até a Caderneta de Poupança quer taxar!Luigi Vercesi luver44@terra.com.brBotucatuDura a decisão do governo sobre qual dos "amigos" que financiam as suas mamatas merece mais... Banqueiros e construtoras querem o dinheiro. Então mete a mão na poupança do zé povinho.Pedro Galuchi pgaluchi@gmail.comSão PauloAgora não restam mais dúvidas: Lulla é com dois eles mesmo.Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.brSão Bernardo do CampoTAXA LULAEm São Paulo, a ex-prefeita petista criou a taxa do lixo e ganhou o apelido de Martaxa. O governo federal quer taxar a poupança de quem tem mais de R$ 50 mil. Agora temos a Taxa Lula, ou TL, para aos poucos substituir a TR. Não vamos esquecer, sr. Presidente.Ana F. Campos ana-fcampos@hotmail.comSão PauloSPREAD BANCÁRIOBastou que os minguados rendimentos da poupança ameaçassem chegar perto da Selic (quem dera que pudéssemos tomar crédito com essa taxa) para uma rápida e unânime decisão de governo e banqueiros, tributando a caderneta. Já para reduzir o spread bancário, nem pensar em medida provisória, recomendam esses senhores muita cautela e parcimônia.Luiz Henrique Penchiari luiz.penchiari@bericap.comVinhedoO poupador perde, o governo empata e os bancos continuam faturando a taxa de "administração", coisa de R$ 1,4 bilhão/mês.Gustavo Guimarães da Veiga gjgveiga@hotmail.comSão PauloCOMPLICANDODiz Celso Ming (O fácil ficou difícil, 14/5, B2): "Adeus poupança simplesinha." Concordo, pois, em vez de deixar o rendimento como está e mexer nas outras aplicações, fizeram um regulamento complicado. Coitada da classe média...Olympio Félix de A. Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.brSão PauloSAMBAInevitável a lembrança do samba do Chico Buarque e Francis Hi-me ao ver a capa do Estadão de ontem: "Aqui na terra tão jogando futebol,/ tem muito choro, muito samba e rock-and-roll,/ uns dias chove, noutros dias bate sol,/ mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui está preta..."Jorge Zaven Kurkdjian zavida@uol.com.brSão PauloCOTASInfelizmente, estão querendo transformar o Brasil num pais racista. Se as cotas pela cor da pele forem aprovadas, sofreremos graves consequências num futuro próximo. Um grande retrocesso para um país tão miscigenado quanto o nosso!Ana Prudente ana_prudente@uol.com.brSão PauloAs injustiças cometidas no passado pela invasão do território indígena e pela escravidão não justificam a injustiça contra os jovens que não pertencem a essas etnias e cujas famílias se sacrificam para que eles possam ter uma boa formação estudantil e, por esforço e mérito, entrar na universidade pública. O fosso que existe no acesso à universidade é culpa única dos governantes que desleixaram do ensino público durante as ultimas três décadas. Se fossem cotas para a pobreza, eu até concordaria, mas são cotas para raças! Isso é repugnante, pois oficializa o racismo no Brasil. Estamos andando para trás. Em breve as universidades terão a mesma qualidade do ensino público, pois pessoas não capacitadas estarão lecionando. A quem interessa um povo cada vez menos informado?Karin Beeler kabeeler@terra.com.brValinhosVERGONHA NA CARANovamente artigo da professora Sandra Cavalcante focaliza a proposta indecente sobre a forma de pagar os precatórios de Estados e prefeituras (14/5, A2). É a PEC 12 ou do Calote. Até a estátua do batedor de carteira procede. Entende-se que governadores e prefeitos devedores têm diversas incumbências com seus administrados, mas devem estudar rapidamente uma forma, com o governo federal, de contrair empréstimo no Banco do Brasil, CEF ou BNDES - respeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal - para pagar quatro ou cinco anos de precatórios em três anos, talvez com juros menores (a taxa Selic pode chegar a 7% em dezembro). E a dinheirama, mais de R$ 20 bilhões nesses três anos, aumentaria o nível de empregos e haveria maior produção, em sentido lato. Alguma coisa decente tem de ser feita, assim como está não pode continuar!Augusto Betti abetti@aasp.org.brSão PauloSeria interessante saber de que maneira votaram os nossos senadores e como votarão os deputados federais por São Paulo no caso da PEC 12, já denominada "Projeto de Exaltação do Calote".Sebastião F. A. De Castro Rangel sfrangel@aasp.org.brSão PauloBRIOCHESO deputado Abelardo Camarinha (PSB-SP), ao tentar acomodar a situação do colega que se lixa para o povo, pretexta que a opinião pública aprovou Hitler, Mussolini e Collor, mas inocentou Barrabás (14/5, A4). Isso é verdade. Mas o dito parlamentar não disse da missa a metade. Não só omitiu o desfecho da carreira das figuras citadas, como não lhe ocorreu, permanecendo na linha do recapitular histórico, relembrar o sucedido com Maria Antonieta, a rainha da França que também se lixava para o povo a ponto de mandá-lo comer brioches à falta de pão.Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.brPirassunungaSensacional o artigo Não adiantará decepar a língua do arauto (13/5, A2), de José Nêumanne. Li e quase chorei. Pena que "o cara" não leia, por causa da azia ou por não saber, sei lá. E as reclamações contra o deputado Ibsen Pinheiro (PMDB-RS)? Não se lembram dele, em passado não muito passado nem muito bonito? Então, ele tem razão. Quem votou nele para ele voltar? Um monte de gaúchos como ele, como outro montão de gaúchos que votou no que está se lixando... e que vai ser reeleito. Vamos achar, então, que isso é só coisa de gaúchos? Não! E o rico senador de São Paulo cuja namorada viajou à minha custa, que sou um aposentado que ganha merreca? E assim vai. De quem levantarmos a ficha, aparece borrada. Parabéns, sr. Nêumanne. Continue, por favor.Manoel Mendes de Brito brito.voni@terra.com.brBertiogaNós erramos. Em alguma parte de nossa História, nestes pouco mais de 509 anos de Brasis, falhamos. Nossa formação permitiu o que hoje estamos colhendo, não ensinamos aos nossos filhos nem ao próximo o correto e o que é ser cidadão. De alguma forma, o que estamos realizando não condiz com o que desejamos. Permitimos que o afronto à democracia permeie o País. Não nos preocupamos diariamente com as atitudes de nossos representantes e é isso que temos. Quem os colocou lá fomos nós, a massa. Falhamos, mas ainda há tempo de corrigir e fazer essa mesma massa pegar liga e não permitir atitudes assim.Júlio Mesquita Moretin hobbbit_one@hotmail.comDescalvadoINSTITUTO VLADIMIR HERZOG Cumprimentos à família Herzog pela louvável iniciativa da criação do Instituto Vladimir Herzog (14/5, A12). A democracia brasileira será reforçada pela trágica lembrança dos que por ela lutaram e pagaram com a vida. Pra frente, Brasil!J. S. Decol decoljs@globo.comSão PauloFÓRUM DOS LEITORESENDEREÇOAvenida Eng. Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900FAX:(11) 3856 2920E-MAIL:forum@grupoestado.com.br

, O Estadao de S.Paulo

15 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.