Cartas

Adeus a Zé RodrixHá pessoas por quem, apesar de não as conhecermos pessoalmente, desenvolvemos uma inexplicável dose de bem-querer. Já tive a chance de vivenciar essa prazerosa experiência em algumas ocasiões, com a renovada satisfação de, embora já passado no "corrimboque da vida", ter a ventura de fazer novos "amigos de infância". Com Zé Rodrix foi exatamente assim. Tomei conhecimento de sua existência, ainda na década de 70, quando me tornei apreciador de um trio de compositores da MPB formado para convenientemente interpretar suas próprias músicas. Quando o trio Sá, Rodrix e Guarabira foi engolido pela engrenagem da indústria fonográfica, continuei acompanhando a carreira de Zé Rodrix por meio de suas composições musicais e de seus jingles publicitários. O tempo passou até que, em meados de 2007, recebi um e-mail de Zé Rodrix me parabenizando por um texto publicado na grande imprensa em que fazia críticas aos desmandos dos petistas que se haviam apossado do Palácio do Planalto. A partir daí, a admiração pelo artista foi sendo multiplicada à medida que eu conhecia o cidadão. Ao saber da morte de Zé Rodrix, mesmo sem crer, peço a Deus que o acolha com a decência e dignidade em que ele viveu, reservando-lhe como morada a tão sonhada casa no campo onde ele possa continuar compondo seus rocks rurais. Valeu, amigo!JÚLIO FERREIRAjulioferreira.net@gmail.comRecifeEstamos em guerra?Sr. governador, andar pelas ruas é muito perigoso. Ir à escola, também. Nem dentro de nossa casa estamos seguros! Mortes e mais mortes - estamos em guerra? Inocentes morrendo, o mal está vencendo. Até quando o cidadão vai pagar, também com a própria vida, pela ineficiência no combate à criminalidade? Estamos fartos de explicações, queremos ações efetivas, queremos resultados. Até quando, sr. governador?HELOISA A. MARTINEZheloisa_martinez@hotmail.comSão PauloEnquanto o governo federal e, principalmente, o de São Paulo não adotarem a tolerância zero no combate ao crime e à violência desmesurada, que mata inocentes diariamente nas ruas, teremos este cenário caótico e uma espécie de bloqueio para o turista estrangeiro se afastar cada vez mais do solo brasileiro. Não é só a crise a causa desta descontrolada situação, é a banalização do crime com a impunidade, fruto de nenhuma autoridade do Estado.CARLOS HENRIQUE ABRÃOabraoc@uol.com.brSão PauloGabriela e o Código PenalGostaria de sugerir aos srs. deputados que, pondo-se no lugar dos pais da menina Gabriela, animalescamente assassinada por um facínora em Rio Claro, apresentem projeto de lei para alterar o Código Penal de modo a garantir que esse tipo de bandido fique preso pelo menos 30 anos, sem direito à redução da pena nem a benefícios como as saídas para o Dia das Mães e assemelhados, além de ser obrigado a trabalhar, recebendo refeições modestas. Esse tipo de crime deve ser definido como hediondo, sem direito à progressão de regime nem a responder a processo em liberdade.ARMINDO TEIXEIRA DE MAGALHÃEScris_magalhaes@uol.com.brSão PauloÉ necessário mudar a Lei de Execuções Penais. Como é que um assassino e esquartejador confesso, condenado a 21 anos de prisão, pode sair após oito anos? Quando não, há aquela redução para um sexto da pena. Ou, então, o cara mata na frente de testemunhas, some e volta depois de alguns dias para poder responder em liberdade. Quem inventou essas leis? Os próprios condenados ou seus parentes? Não é possível que assassinos fiquem tão pouco tempo presos. É injusto, é imoral, é revoltante. Vamos fazer justiça de verdade. Vamos fazer uma campanha para mudar o Código Penal. Vamos exigir um projeto alterando essas leis!LUIZ LAZOluiz@theimagepress.com.brSão PauloPetrobrásEleitor, cuidado! Aqueles que tiraram de você a CPMF da saúde agora querem denegrir a Petrobrás, desmoralizar o governo. Em 2010 não vote na oposição raivosa e burra. PSDB, DEM (de demo) e PPS tiraram do povo brasileiro o que poderia ter de melhor, os milhões da saúde. Agora querem o Brasil privatizado. Pode? Não pode, não. O povo responderá novamente nas urnas, já que não aprenderam a lição.VERA M. GODOY MOREIRAgodoyvera@yahoo.com.brSão PauloConfundir de propósito "fiscalizar" a Petrobrás com "privatizar" a Petrobrás é má-fé e desespero?TANIA TAVARESSão PauloImpressionante o empenho de importantes quadros do PT em tentar desqualificar o PSDB no caso da CPI. Ressuscitaram até aquela velha máxima eleitoral de que os tucanos são privatistas. A impressão que fica é de que, na realidade, eles estão morrendo de pavor de ver aberta a caixa-preta da estatal, que pode vir a configurar a grande dor de cabeça do governo Lula. Serão as malfeitorias tão assustadoras assim. MAURÍCIO LIMAmapeli@uol.com.brSão PauloQual o receio de ser a favor da privatização da Petrobrás? É só ver o que aconteceu com a Vale após a privatização e imaginar o que aconteceria com a Petrobrás. Seu valor provavelmente quintuplicaria. E seus lucros aumentariam tanto que só de impostos, em alguns anos, o governo receberia praticamente outra Petrobrás. Daí, sim, essa empresa seria de todos os brasileiros, e não só de alguns poucos. E também nos livraríamos das influências daqueles que querem diretorias que "furam poço e acham petróleo"...ROBERTO GERABgerab@ajato.com.brSão PauloA melhor solução seria mesmo privatizar a Petrobrás, assim não precisaria de CPI nem sofreria essa politização e ineficiência administrativa. De fato, a Vale, privatizada, tornou-se uma gigante da mineração mundial e geradora de impostos. A Petrobrás merece ser tratada como empresa privada e bem administrada, sem interferência governamental - afinal, o governo vem dando péssimos exemplos de ética e moral. Ganharia mais credibilidade e também seria uma gigante, sem ter de carregar o pesado fardo chamado politização. Privatização já e adeus a esses sanguessugas do sistema.LUIZ HENRIQUE CHAVES D?AVILAluiz_davila@terra.com.brSão PauloProtesto de petroleirosSugere-se ao Sindicato dos Petroleiros que reúna esses 2,5 mil manifestantes que marcharam no Rio em defesa da Petrobrás e contra a CPI sobre supostas irregularidades nessa estatal e na ANP e os leve (à sua custa) até uma plataforma marítima, para que possam livremente abraçá-la, sem causar maiores transtornos à cidade. Além disso, certamente se livraria do risco de sofrer ação civil por danos causados aos contribuintes da Cidade Maravilhosa.FREDERICO RICARDO HRDLICKAfrh@techmaster.ind.brCotiaPerguntar não ofende: de onde vem a grana preta com que as empreiteiras da Petrobrás abastecem o cocho de nossos políticos?JOSÉ PEDRO ZANETTIminimiza@uol.com.brRio ClaroEstatizaçãoAté quando a economia da Venezuela resistirá à volúpia estatizante do coronel Hugo Chávez?SERGIO S. DE OLIVEIRAssoliveira@netsite.com.brMonte Santo de Minas (MG)Será que o toupeira sr. Chávez ainda não enxergou que vai atrasar a Venezuela por décadas? Ou pouco lhe importa? Pessoalmente, não o desejo como fornecedor dos camelôs da 25 de Março, que dirá como parceiro no Mercosul.ANDRÉ C. FROHNKNECHTanchar.fro@hotmail.comSão Paulo

, O Estadao de S.Paulo

23 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.