Cartas

Fica, fica, fica?A entrega de obras em Manguinhos (Rio) foi marcada por manifestações da plateia: cerca de mil moradores gritando "fica, fica, fica", em alusão ao terceiro mandato, e "Dilma, Dilma, Dilma", de apoio à candidatura da ministra-chefe da Casa Civil à Presidência da República. "Espero que a profecia que diz que a voz do povo é a voz de Deus esteja correta", respondeu o presidente. Gostaria de saber quanto as pessoas receberam para pedir o "fica". Eu já digo o contrário: fora, fora, fora! Chega de presidente fanfarrão.JOSÉ SAEZjsaez2007@gmail.comCuritibaCada vez que perguntam ao presidente Burla sobre o terceiro mandato, ele responde que é contra, mas de forma negaceada. Nunca é claro, conciso. Eu queria ver sua reação se lhe perguntassem, na bucha: sr. presidente, se aprovado o terceiro mandato, o senhor, que diz ser contra, recusaria candidatar-se? Assinaria agora uma declaração jurando não concorrer, quaisquer que sejam os motivos apresentados? Aprovaria uma medida como nos EUA, onde os presidentes, após dois mandatos seguidos, retiram-se da política? Sim ou não?LAÉRCIO ZANINIarsene@uol.com.brGarçaReferendoSe o ilustre deputado Jackson Barreto afirma que está propondo consulta para o terceiro mandato em nome do povo do Nordeste (29/5, A7), ele nada mais faz do que dar razão e argumentos aos que defendem a divisão do Brasil. Assim, de São Paulo para baixo o povo seguiria o seu destino. Jackson ficaria com Lula e o restante, fazendo bom proveito. Basta, portanto, incluir a proposta na consulta, se é que ele quer mesmo ser o arauto de um Brasil dividido, o que não é meu desejo. Que pouca-vergonha, gente!JOSÉ ROBERTO CICOLIMjrobcicolim@uol.com.brCordeirópolisDepois da completa desmoralização do Congresso com a vinda à tona de uma série de privilégios absurdos para deputados e senadores, depois da constatação pública de que nossos congressistas não têm nenhum apreço pela ética e pela moral, é inimaginável que deputados da oposição ainda tenham assinado a PEC que propõe o terceiro mandato para o presidente Lula. Essa situação surreal, em que a oposição vota contra a Constituição e a favor do governo, só pode ser fruto da reativação dos famosos métodos governistas tão usados na época do mensalão.VICTOR GERMANO PEREIRAvictorgermano@uol.com.brSão PauloTal como no futebol, terceiro tempo não existe, está fora do regulamento.J. S. DECOLdecoljs@globo.comSão PauloMensalãoAté o Pinóquio enrubesceu quando o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos afirmou que o mensalão nunca existiu. O que faz o "pudê"!GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGAgjgveiga@hotmail.comSão PauloDr. Márcio Thomaz Bastos, é feio mentir...ROBERTO TWIASCHORrtwiaschor@uol.com.brSão PauloQuando o ex-ministro Thomaz Bastos e o deputado Aldo Rebelo afirmaram em depoimento que não houve mensalão e que nunca tiveram conhecimento nem viram nenhum esquema funcionando, nada mais disseram que a pura verdade. A prática recorrente no governo dos aloprados do PT e da base aliada é não ver nem ouvir nada (que não lhes interesse). Além do mais, se tivessem dito o contrário, poderiam ser indiciados por cumplicidade com o Zé pingos nos is.SIDNEY RODRIGUES MACHADOsidneymachado58@hotmail.comApiaíInfeliz o país que precisa de um grande criminalista para defender o seu presidente.JÚLIO CRUZ LIMA NETOjuliocruzlima@uol.com.brSão PauloSinais dos tempos?Lula qualifica empresários de trambiqueiros, o ministro Minc chama ruralistas de vigaristas... E ninguém pode negar que dentro desse governo já há denunciados como "quadrilheiros"...MARA MONTEZUMA ASSAFmontezuma.fassa@gmail.comSão PauloAo alimentar a anacrônica dicotomia agricultura familiar x agricultura empresarial, acusando o agronegócio de escravocrata e vigarista, o ministro Minc mostra preconceito e despreparo, incondizentes com a posição que ocupa. A defesa do meio ambiente precisa de técnica, bom senso e união da sociedade. Ao tratar os temas de sua Pasta com ideologia, insuflando conflitos agrários e desprezando o interesse e a importância da agricultura, age contra a preservação ambiental!FRANCISCO DE GODOY BUENOfrancisco@godoybueno.adv.brSão PauloSe o presidente do País não vê problema em desqualificar seus empresários, chamando-os de trambiqueiros, por que seus ministros respeitariam os empresários do agronegócio? LEILA E. LEITÃOItanhaémNa maior pindaíbaCafeicultor há anos, causa-me enorme indignação tomar conhecimento de que o governo, via Banco do Brasil (BB), vai liberar créditos do FAT para financiamentos a turistas e motociclistas, como já faz com informática, automóveis, geladeiras, fogões e uma enormidade de bens de consumo. Nada contra essa forma de incrementar o consumo e a economia. O absurdo é que hoje qualquer cafeicultor que vá a uma agência do BB (que empresta dinheiro para turistas viajarem para a Europa) em busca de recursos para custear sua colheita (e o período de colheita já começou há um mês) ouvirá do gerente um sonoro não e que "os recursos ainda não estão disponíveis". Talvez algumas migalhas estejam disponíveis daqui a dois ou três meses, quando a imensa maioria dos pequenos produtores mais necessitados já tiver terminado sua pequena colheita e vendido seus poucos sacos de café aos grandes atravessadores e especuladores. Afinal, por que privilegiar um setor que emprega, direta e indiretamente, somente 8 milhões de pessoas e está na mais profunda pindaíba? Bem mais eficiente seria a proibição de produzir café no Brasil, assim acabariam de vez com o eterno sofrimento do cafeicultor.CARLOS AUGUSTO PEREIRA LIMAguto@fazendamutuca.com.brMococaDistraído...E o dr. Sarney nem notou que estava recebendo auxílio-moradia. Que falta de atenção! Muito ao contrário do que aconteceu quando da quebra do Banco Santos. Ligeirinho tirou seu dinheiro. Como estava atento aos sinais! Os "santos" divinos devem ter-lhe aparecido numa noite de sonho e avisado da iminente quebra.LISÊ MONTEIRObtcd@uol.com.brSão PauloFilho e representante da dinastia maranhense, cujo Estado representa o que de pior existe em matéria de subdesenvolvimento, vem agora se desculpar por ter recebido auxílio-moradia por equívoco (sic)! Sobram cinismo e cara de pau! Aproveito para comunicar que tenho sobras de narizes de palhaço, recolhidos após o impeachment de Collor. JOSÉ CARLOS BARBÉRIOcarlitobarberio@hotmail.comSão PauloSarney gaguejou, foi indeciso, não esclareceu nem convenceu sobre recebimento indevido e vergonhoso do auxílio-moradia.ULYSSES FERNANDES NUNES JUNIORulyssesfn@terra.com.brSão PauloLamentável um imortal brasileiro gaguejando para tentar ex-plicar o inexplicável da "bolsa-moradia". Vá contar historinhas para crianças, senador Sarney.ANTONIO JOSÉ ROMANELLAa.romanella@terra.com.brMonte Alto

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.