Cartas

A morte de um mitoMichael Jackson deixou-nos. A angústia por essa perda é tanto maior ao reconhecer que já não nascem fenômenos musicais com tanta grandeza e singularidade. A música está de luto. Que possamos a partir de agora relembrar mais o ídolo musical e suas lindas canções e menos o pivô de escândalos e processos na Justiça.WILSON TOSHIRO NAKAMURAwtnakamura@uol.com.brSão PauloDe talento indiscutível, desde que cantava Ben, em tenra idade, teve uma infância difícil, sofreu abusos do pai e, ao chegar ao estrelato, quis viver a infância que não teve - Neverland. Começaram aí suas bizarrices, que o levaram à morte precoce e ao fim de uma carreira conturbada, porém inesquecível.MARCOS BARBOSAmicabarbosa@gmail.comCasa BrancaO rei da "Popland" foi precoce em tudo, até no seu último passo ao sair de cena. Michael Jacksong.J. S. DECOLdecoljs@globo.comSão PauloSrs. Lula e Sarney, Michael Jackson é que, de fato, não era uma pessoa comum.JOSÉ LUIZ MARTINjlmartin@estadao.com.brSão PauloPessoas incomunsApós os pronunciamentos de nossos presidentes (do senado e da república - minúsculas mesmo), a respeito de pessoas incomuns, fica oficializado o famigerado: "Sabem com quem vocês estão falando?" É, o Olimpo fica no Brasil.GILBERTO RODRIGUESsg@vivax.com.brArarasLeniênciaNão pense você, que já vimos tudo do "clã". Tem mais, muito mais, aguarde... Pobre Maranhão, pobre Brasil!J. PERIN GARCIAjperin@uol.com.brSanto AndréEscândalos políticosNossos políticos (talvez haja uma ou duas exceções) devem seguir à risca a lei de John Randolph, constituinte na Convenção de Filadélfia: "O mais delicioso dos privilégios é gastar o dinheiro dos outros." E os outros somos nós, que os elegemos! Acorda, Brasil!MILTON BULACHmbulach@gmail.comCampinasMaquininha no SenadoSerá que entre tantos "atos secretos" não foi editado algum para compra de uma máquina de fazer dinheiro? No meu entender, a dotação orçamentária do Senado já estourou há muito tempo. Haja dinheiro para tanta roubalheira.JOSÉ PAULO LUCATOjplucato@gmail.comRibeirão BonitoCPI da PetrobrásEnquanto as denúncias sobre o Senado são "menores", como diz o rei da ética (Lulla), a CPI da Petrobrás vai ficando para trás. Só a oposição devagar quase parando ainda não percebeu. O governo e a turminha do PT estão conseguindo o intento de evitar a CPI. Se no Senado há tanta sujeira, imaginem na Petrobrás, que está lotada de sindicalista e petistas...JOSÉ SAEZjsaez2007@gmail.comCuritiba (PR)Enquanto os senadores "cozinham o galo" e a CPI da Petrobrás está parada, quantos "atos secretos" não haverá na empresa, para esconder todos os desvios e todo tipo de malandragem operados na estatal?LUIS AB MORAESlabmoraes@uol.com.brSantosA quem interessa iniciar uma CPI dos atos secretos do Senado e esquecer outra bem mais importante, a da Petrobrás, que vem sendo insistentemente protelada pela turma do governo, podendo esta revelar atos gravíssimos que podem tirá-la da condição de empresa de capital aberto, levando-a à condição de empresa filantrópica?LUCCA BRASIluccabrasi@uol.com.br São PauloDesmatamentoFinalmente ficamos conhecendo as reais causas da queda da ministra Marina Silva. A lei que entrará em vigor, sancionada pelo presidente Lula, vai mostrar que, num tempo não muito longo, não mais teremos a floresta amazônica. Começa com o perdão aos desmatadores que infringiram a Constituição de 1988, que deixou bem claro que isso é crime. Mas, para Lula, desmatar nunca foi crime. Com o incentivo atual para desmatamento, podemos prever o que vai acontecer. Aliás, são uma prática comum os projetos demagógicos no País. Vide a recente "legalização" de mais de 200 mil propriedades de invasores na área da Represa Billings, em São Paulo. Tudo começou com irregularidades que foram apoiadas por vereadores em troca de votos.PLÍNIO ZABEUpzabeu@uol.com.brAmericanaOmissãoPor que o Ministério Público Federal (MPF) não faz melhor uso de sua competência constitucional (artigo 129, III, da Constituição) e não vai tentar impedir, por meio de ação civil pública, a comercialização criminosa de terrenos ao redor de nossos mananciais e represas, que já estão contaminando áreas ambientais relevantes, fato que ocorre há anos e compromete o fornecimento de água à população, prejudicando a qualidade de vida desta e das futuras gerações, em vez de ficar dando uma de nutricionista e psicólogo infantil, provocando o Poder Judiciário para impedir a venda de brinquedos-brinde por parte de comerciantes honestos? Ora, essas mesmas crianças com que o MPF tanto se preocupa, daqui a alguns anos, não vão ter o que beber, em se tratando de água potável, por culpa exclusiva da omissão criminosa de nossas autoridades públicas.LUIZ HENRIQUE FREIREcpestanadv@aasp.org.brSão PauloCidade fantasmaA pequenina Conchas, a 175 km da capital, com seus parcos recursos e poucos habitantes, que sobrevivem da pecuária leiteira, das granjas de frangos e das olarias, será ilhada por dois pedágios na Marechal Rondon. Se até agora as circunstâncias já castigavam o município, daqui para a frente a tendência é piorar. Socorro, sr. governador!LUIZ ANTONIO FESCINAterrasfescina@terra.com.brBotucatuAlgumas rodovias paulistas, como a Ayrton Senna, terão a tarifa de pedágio reduzida nos próximos dias, enquanto em outras, como as do sistema Anhanguera-Bandeirantes, a tarifa vai subir além da inflação. Alguém do Palácio dos Bandeirantes pode explicar essa lambança?CLÁUDIO MOURA NOVAEScnovaes@gmail.comCampinasCopa das ConfederaçõesNossa seleção tem tudo para faturar o inédito tricampeonato da Copa das Confederações, amanhã, contra os EUA, na África do Sul. Com a conquista, o Brasil - que já é o maior vencedor da Copa do Mundo - será também o maior vencedor da Copa das Confederações, reforçando sua hegemonia e o domínio do futebol mundial.RENATO KHAIRrenatokhair@uol.com.brSão PauloParece que passou despercebida a formação das chaves para a Copa das Confederações. Salvo melhor juízo, houve clara intenção de favorecer o futebol europeu, principalmente a Espanha. Qual o nível do futebol da Nova Zelândia, do Iraque e da África do Sul, comparado ao da Itália, dos EUA e do Egito, na chave do Brasil? Acrescento o fato de a Itália, segunda seleção europeia na competição e atual campeã do mundo, ter sido inserida na nossa chave, aumentando as chances de uma equipe europeia vencer a disputa. É, sr. Blatter, desta vez ainda não deu.MURICY GARCIA XAVIERSão Paulo

, O Estadao de S.Paulo

27 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.