Cartas

Mais farra do cartãoAté quando seremos feitos de palhaços pelo governo? O sr. Lula só sabe viajar mundo afora com a família e amigos à custa do erário. Agora vem a notícia de que os gastos com cartão corporativo da Presidência da República dobraram no primeiro semestre, comparado com 2008, ou seja, R$ 3,787 milhões até agora. E 99% dos saques em dinheiro não têm o responsável pela despesa. Já a pasta da Justiça, do ministro Tarso Genro, apresentou o maior aumento no uso do cartão. Os dados apontam que as despesas passaram de R$ 4.910.363 no primeiro trimestre do ano passado para R$ 11.898.160 em 2009. Os saques em dinheiro também aumentaram, saltando de R$ 2.195.9390 para R$ 4.407.625 - ou seja, um crescimento de 100%. Enquanto não temos segurança, saúde, educação e empregos, o presidente e sua turma fazem a festa com nosso dinheiro! Será que tem limite para comprar o nariz de palhaço do povo?LUIZ CLAUDIO ZABATIEROzabasim@estadao.com.brCampinasReforma de porto em CubaO "cara" resolveu emprestar R$ 300 milhões a Cuba para reformar o Porto de Mariel. Está lá o ministro Miguel Jorge tratando do caso. Ora, se não temos dinheiro para nada, nem para o SUS (segundo disse o nosso apedeuta), com que direito ele empresta dinheiro a Cuba para reformar um porto de lá, quando os nossos portos necessitam de reformas urgentes? Mais um absurdo do "cara". Talvez ele receba mais charutos em troca.CARLOS E. BARROS RODRIGUEScarlosedleiloes@terra.com.brSão PauloBom começoA Controladoria-Geral da União e o Ministério da Justiça estão concluindo projeto de punição a empresas corruptoras que cometem crimes e obtêm lucros ilegais no trato com empresas da administração pública. Ótimo, mas espero que não esqueçam de incluir nesse projeto a devida punição aos corrompidos e seus asseclas.IVAN J. SCHWARZENBERGnavinegro@hotmail.comSão PauloCasa dos horroresA revista britânica The Economist chama nosso Senado de casa dos horrores, expressão eufemística e irônica que bem caracteriza a nossa espertocracia. Legislativo e Executivo são surdos tanto às críticas e ironias internacionais quanto aos clamores populares e às denúncias da mídia brasileira, mas entre si se entendem muito bem e devem ter uma passagem secreta que os liga em qualquer emergência, mantendo-se em perfeita sintonia para trapacear e enganar a todos. FRANCISCO SAMUEL FIORESEsamucafiorese1@yahoo.com.brCampinasDeu na The Economist: o Congresso brasileiro pode se orgulhar de conceder mestrado e doutorado aos Parlamentos do mundo todo: Como ser corrupto e ficar impune. Os nossos parlamentares são inimitáveis no mundo todo!RONALD MARTINS DA CUNHAronald.cunha@netsite.com.brMonte Santo de Minas (MG)Não há como negar a afirmação da The Economist de que os parlamentares ingleses, também envolvidos em desvio de dinheiro público, têm muito a aprender com os colegas brasileiros, na reportagem sobre nosso Senado, classificando-o como casa dos horrores - somadas as mazelas e negociatas, mais o instrumento de gestão que fere princípio constitucional, mas é um detalhe para os senadores, o ato secreto, além da impressionante proporção de 81 senadores (alguns sem um votinho sequer) para 10 mil funcionários.GABRIEL FERNANDESgabbrieel@uol.com.brRecifeChegou ao exterior a vergonha que é nosso Senado! A The Economist foi verdadeira e direta ao ponto. Pena que seu conteúdo não seja inserido no meio da novela e do futebol, que é o que a maioria de nossa população assiste. Bom retrato do País, gerido por uma ditadura de ladrões.CRISTIANE MARIA DA S. MAGALHÃEScris_magalhaes@uol.com.brSão PauloAliança para o futuroLula e Sarney confirmam o que já dizia Carlos Drummond de Andrade: "O medo une mais os homens do que a coragem."VIDAL DOS SANTOSVinhedoO senador pelo Amapá, estando presidente do Senado, insiste em permanecer no cargo. Como diria Rui Barbosa:"Falta-lhe o rubor na face."JARBAS ALVES BRANDÃOSão PauloMonteiro Lobato deve estar se revirando na tumba, tamanha a raiva com o cidadão Sarney. Este se encontra ensopado de petróleo, como ficam as aves após derramamento de óleo no mar. Diante deste mar negro de corrupção, como ficam os acionistas da estatal? O que a ministra Dilma "ghost Ph.D." tem a nos dizer?MARA FONSECA CHIARELLI LEGASPEMogi-GuaçuJogo de forças ocultasA pressão em cima de Sarney tem tudo que ver com a CPI da Petrobrás. Desde que foi aprovada em plenário, o presidente do Senado vem fazendo corpo mole para instalá-la, beneficiando diretamente seus "negócios" com a estatal e, indiretamente, os "negócios" do governo. Só o fato de querer esconder essas coisas, que até a nossa vã filosofia pode inferir, já é motivo suficiente para apurar a fundo, com ampla auditoria pública, a administração da Petrobrás. Afinal, para que essa empresa precisa gastar R$ 1 bilhão em "comunicação", se é praticamente monopolista?FELIPE PUGLIESI JR.pugliesi@uol.com.brSão PauloPassaram a perna no PTO partido da boquinha está é furioso com Sarney, que passou o crédito consignado aos parentes, deixando o PT a ver navios...IVANY CAVELLUCCIicavellucci@yahoo.com.brSão PauloParlamentares brasileirosNa África do Sul, 70 mil funcionários que estão envolvidos nas obras para o próximo Mundial de Futebol entraram em greve por melhores salários. No Brasil, estamos sendo afrontados pelo Senado, pelo presidente Sarney e por políticos corruptos e não conseguimos arregimentar uma dúzia de patriotas dispostos a acabar com essa hipocrisia. Imaginamos o que deve ocorrer na Câmara dos Deputados e nas Câmara Municipais! Será que todos estão com o rabo preso? O silêncio é simplesmente estarrecedor.JOÃO ERNESTO VARALLOjevarallo@hotmail.comSão PauloQuando aquele deputado federal afirmou que estava se lixando para a opinião pública, pareceu que ele falara apenas em nome próprio. Na verdade, os fatos que têm sido noticiados pelo Estadão - tanto provenientes da Câmara dos Deputados quanto do Senado - demonstram, sem sombra de dúvidas, que há muitos parlamentares - deputados e senadores - que também estão se lixando para a opinião pública. Diante desses fatos, aqueles cidadãos que sempre defenderam a necessidade de haver Parlamento forte, independente, atuante começam a lutar contra a vontade de também se lixar para esse Parlamento que aí está. Espero que os bons parlamentares trabalhem no sentido de que prevaleça a vergonha na cara nas referidas Casas legislativas, assim impedindo que aqueles cidadãos se rendam, desistam dos seus ideais democráticos e acabem engrossando as fileiras de uma opinião pública que se lixa para Parlamentos e até duvida da necessidade de eles existirem no Brasil.JOEL SAMWAYS NETOjoelsamways@uol.com.brCuritibaResumoQueixo erguido, moral baixa: decência zero!DOCA RAMOS MELLOddramosmello@uol.com.brSão Sebastião

, O Estadao de S.Paulo

11 de julho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.